conecte-se conosco


Opinião

WILSON FUÁH – A luta pela sobrevivência

Publicado

A luta pela sobrevivência é cada vez mais competitiva, e por isso, muitos sucessos são construídos com ações agressivas e algumas pessoas para ocupar o lugar da outra, usam toda falta de ética e por isso, as algumas  vitórias não tem valor e acabam não sendo comemoradas.
Quando o sucesso não vem e as derrotas acumulam, o resultado é a desagregação da família, aumentando o número de jovens que buscam a fuga no consumo de drogas que fatalmente levará a reprodução da violência urbana de modo insano e covarde. A maioria dos grupos de assaltantes são constituídos por jovens na faixa de 16 a 21 anos, que são vítimas também da falta de família, despreparo educacional e carência religiosa, e em algum caso falta de oportunidade mesmo, são 13.000.000 de desempregados no país.
As nossas felicidades estão calcadas em grandes projetos que são planejados buscando sempre metas que dificilmente serão alcançadas, e que estão diretamente ligadas as ações que dependem de outros fatores: depende da sorte; depende da formação acadêmica; depende de ganhar um prêmio da loteria e às vezes depende de conquistar um amor impossível que poderá muda a escala social.

Por isso, que cada conquista é uma pequena felicidade, e para nos sentirmos felizes, temos que comemorar essas pequenas vitórias, como se fossem um marco que abre novos ciclos, e que verdadeiramente forma cada etapa positiva das nossas vidas.
O importante é saber comemorar e sentir feliz sobre algumas coisas que eram suas e você perdeu, mas hoje voltou a pertencer-lhes, depois de muitas lutas: um ex-amor que partiu e hoje voltou; uma propriedade que você vendeu por necessidade e depois comprou novamente; a cura de uma doença na família; um filho que passou no vestibular; uma filha que conseguiu novo emprego ou mesmo uma dívida que conseguiu pagar. Devemos surpreender nossas dúvidas sem distrações para percebermos os milagres da realidade.
Muitas pessoas evitam demonstrar sua felicidade e não as comemoram, por medo de atrair decepções futuras ou mesmo para evitar a inveja, ou  “olho gordo”, mas ao contrário, ao comemorar e agradecer a Deus por uma vitória, aumentamos mais a nossa confiança e determinação para concluímos  novos projetos, a vida é assim,  perceba que todas as coisa pulsam, tudo em sua volta é pura energia em forma de vida e de amor.
Felizes são aqueles que vivem desmontando as suas rotinas, como se tudo na  vida houve doçura e vibra com tudo como se fosse a emoção  da primeira vez  e sabe que viver calmamente nos traz aquela  paz que Ele um dia nos falou, mesmo que  depois de um dia tumultuado, tenha a certeza  que ao fim desse dia, ela (a paz) que existe dentro do silêncio, virá através da noite abençoada.
Muitos vivem o lado bom da vida; e acreditando sempre que a procura do real está no segredo perdido dentro das ilusões do mundo, até descobrir que a grande felicidade está dentro de nós mesmo e não nas coisas que com o tempo transforma-as em  supérfluas, pois a felicidade que tanto procuramos,  pode estar num encontro sem lugar marcado.

 WILSON CARLOS FUÁH é economista, especialista em Recursos Humanos e Relações Sociais e Políticas.

 Fale com o Autor: [email protected]

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opinião

ZITO ADRIEN – Emanuel Pinheiro: um gestor com alma realizadora e apaixonado por Cuiabá

Publicado

302 anos de história, Capital do Agronegócio, Centro Geodésico da América do Sul. Com mais de 600 mil habitantes, Cuiabá é hoje o principal polo em desenvolvimento no estado de Mato Grosso. As centenas de obras que vêm sendo entregues colaboram para esse fator. Desde 2017, quando o prefeito Emanuel Pinheiro assumiu a gestão da Prefeitura de Cuiabá, uma nova forma de trabalhar foi implantada e a cidade não parou de avançar.

Os avanços são visíveis, tangíveis, constantes e em todas as áreas. Literalmente, Cuiabá não para de crescer na infraestrutura, mobilidade urbana, saúde, educação, cultura, turismo, no lazer e em tudo aquilo que melhora a qualidade de vida da sua população. O mais importante é que esse é um crescimento concreto, com uma base que sustenta Cuiabá para o futuro. Não é um crescimento fantasioso, maquiado ou apenas de discurso.

Sem dúvida alguma nossa Capital passa pela maior transformação dos seus últimos anos. Tudo isso é fruto de uma trabalho árduo, sério e responsável, liderado por um gestor que é declaradamente apaixonado por seu povo e sua terra. Esse é Emanuel Pinheiro. Um prefeito genuinamente cuiabano e que, com obras e ações, tem demonstrado o por que sua gestão alcançou 80% de aprovação popular.

O trabalho de Emanuel na Prefeitura de Cuiabá ganha ainda mais destaque quando lembramos que tudo que foi construído nos últimos quatros aconteceu sem nenhum apoio do Governo do Estado de Mato Grosso. Entrega de dois viadutos, mais de 250 quilômetros de pavimentação, construção de novas unidades de educação, de saúde, e do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), simplesmente o maior hospital público do Centro Oeste, criação do Contorno Leste.

Tudo isso sem nenhuma participação daqueles que se gabam por ter dinheiro caixa. Dinheiro esse que é do povo e deve sempre retornar para o povo, inclusive o cuiabano. Mas, a grande verdade é que Cuiabá passou os últimos anos esquecida pelo Governo do Estado. Governo esse que agora, um ano antes das eleições, magicamente lembrou-se que Cuiabá também faz parte do estado e voltou a tentar ludibriar a população com palavras bonitas e promessas vazias.

Obviamente a indiferença, inércia ou até mesmo boicote do Estado em relação a Cuiabá não foi o suficiente para que o prefeito Emanuel Pinheiro desistisse de colocar nossa Cidade Verde no caminho do desenvolvimento. Articulador nato, ele foi capaz de construir parcerias em todos os níveis. O bom relacionamento de Pinheiro com a iniciativa privada, instituições financeiras, parlamentares municipais, estaduais e federais, e inclusive com o Governo Federal, tem garantido a chegada dos investimentos necessários.

Outro ponto positivo para Emanuel é a sabedoria para montar uma equipe com o mesmo afinco e dedicação que o gestor possui. No poder público, quando uma equipe está alinhada com o ritmo de seu líder quem ganha é a população. Agora, em seu segundo mandato, ainda ganhou um vice tão apaixonado por Cuiabá quanto ele. Em nove meses de gestão, a Capital já colhe os frutos da sintonia entre Emanuel e José Roberto Stopa.

As obras, ações, parcerias, poder diálogo com os mais diversificados segmentos, fazem de Emanuel hoje uma liderança política consolidada. E isso é reconhecido por outras importantes lideranças, como o presidente do MDB Mato Grosso, deputado federal Carlos Bezerra, que nesta semana apontou o prefeito como seu provável sucessor à frente da sigla. Um reconhecimento sincero, de quem tem muito trabalho prestado, e que deixou a tentativa de boicote ao encontro de prefeitos comandado por Emanuel em segundo plano.

Emanuel é uma liderança capaz de expandir a alma realizadora implantada na Prefeitura de Cuiabá a nível estadual, sem perder sua raiz com a cidade que o abraçou e confiou em sua palavra. E é isso que o povo precisa. O povo não quer dinheiro em caixa. O povo quer ver seu dinheiro investido em mais qualidade de vida.

Zito Adrien é militante do MDB, atual secretário de Planejamento de Cuiabá, e já ocupou o cargo de vereador em quatro legislaturas.

 

Continue lendo

Opinião

JOSÉ DE PAIVA NETTO – Em favor da Vida, contra o suicídio

Publicado

Nos tempos atuais, não é difícil encontrar alguém desesperado, desiludido e desanimado, a indagar-se: “Quanta luta! Para quê? Será que vale a pena tudo isso? Se o mundo vai acabar – como dizem por aí –, para que continuar?”

Minhas Amigas e meus Irmãos, minhas Irmãs e meus Amigos, se esse é o seu caso, saiba que em primeiro lugar o planeta Terra não vai acabar tão cedo. Como aprendemos na Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, o que vai ter fim é o mundo da maldade, este estado de coisas terrível que QUASE está levando você à derrota. Veja bem que escrevi QUASE, e o fiz com todas as letras maiúsculas, porque você vai vencer tudo aquilo que o atormenta. Mas atenção: o fim do corpo não termina coisa alguma. “Não há morte em nenhum ponto do Universo”, dizia Alziro Zarur (1914-1979), saudoso Proclamador da Religião Divina. Quem pensa livrar-se do sofrimento pelo suicídio se defrontará com uma horrenda surpresa: vai encontrar-se mais vivo do que nunca, tendo de enfrentar as consequências desse ato de rebeldia contra a Vontade do seu Criador. Também ensinava Zarur que “o suicídio não resolve as angústias de ninguém”.

Em sua Cruzada Salvemos Vidas, a Religião do Terceiro Milênio trabalha intensamente para levar a todos o precioso conhecimento de que a existência é eterna. Assim sendo, declara-se contra o suicídio.

Suicidar-se não é apenas liquidar a própria vida. Diretamente, todo gesto que ofenda a Lei Divina é suicídio. O mau religioso é um suicida. Assim o é também o mau cientista, o mau político, o mau educador, o mau artista, o mau comunicador, o mau esportista; em suma, o ser humano mau. Todo aquele que perpetra atos contra seu semelhante é um suicida. Quem prejudica a Natureza, faz guerra, cultiva a maledicência, pratica a corrupção etc. o que mais é além de suicida?

Respeitar a existência, em qualquer um de seus estágios, é a Lei Máxima que devemos cumprir, não somente em respeito ao semelhante, mas, sobretudo, a nós mesmos, sob pena de criar um inferno particular, estado de consciência comparado à segunda morte, ou morte espiritual, de que nos fala a Bíblia Sagrada.

É conhecida esta divina verdade enunciada por Allan Kardec (1804-1869), o Codificador do Espiritismo: “Nascer, morrer, renascer (reencarnar), progredir continuamente: tal é a Lei”. Ninguém morre. Portanto, suicidar-se é uma loucura, mesmo que o neguem alguns defensores dele, que, de forma inconsequente, até incentivam a prática do suicídio. Pobres irmãos, que, usando mal os meios de comunicação, constroem também a sua própria desgraça futura ao levar tanta gente ao erro. Mas todo dia é dia de renovar nosso destino, pensamento que se encontra estampado ao pé do Trono e Altar de Deus, no Templo da Boa Vontade, em Brasília/DF. Você pode não crer na perenidade da Vida, mas deve conceder a si mesmo ou a si mesma o privilégio da dúvida. E se a Vida for de fato eterna? Já pensou nisso?

O suicídio golpeia a Alma

Em Jesus, a Dor e a origem de Sua Autoridade — O Poder do Cristo em nós (2014), destaquei que, ao escrever esse livro, meu intuito foi o de mostrar aos prezados leitores que a Dor nos fortalece e nos instrui a vencer todos os obstáculos, por piores que sejam. Por isso, suicidar-se é um tremendo engano. (…)

No encarte do CD da radionovela Memórias de um Suicida, afirmo que o suicídio é um ato que infalivelmente golpeia a Alma de quem o pratica. Ao chegar ao Outro Lado, ela vai encontrar-se mais viva do que nunca, a padecer opressivas aflições por ter fugido de sua responsabilidade terrena. Convém assinalar que sempre alguém fica ferido e/ou abandonado com a deserção da pessoa amada ou amiga, em quem confiava, seja aqui ou no Mundo da Verdade.

Igualmente, é de muito bom senso não olvidar que no Tribunal Celeste vigora o Amor Fraterno, mas não existe impunidade.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor. [email protected] — www.boavontade.com

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana