conecte-se conosco


Nacional

Wilson Witzel plagiou trechos de dissertação de mestrado, diz site

Publicado

source
Wilson Witzel arrow-options
Roberto Casimiro / Agência O Globo

Wilson Witzel apresentou sua dissertação de mestrado em 2010

A dissertação de mestrado em Direito Processual Civil do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, tem mais de 60 parágrafos copiados de outros autores, segundo investigação da BBC News Brasil . De acordo com o site, há no trabalho de Witzel até mesmo um artigo e um capítulo copiados na íntegra.

Leia também: Governador de Minas Gerais homenageia a si mesmo

O ex-juiz Wilson Witzel defendeu sua dissertação em 2010 na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). O trabalho “Medida Cautelar Fiscal” trata da cobrança de dívidas fiscais por via judicial. Nele, de acordo com a apuração da BBC , 63 parágrafos são copiados de seis autores. 

Entre estes autores, cinco sequer são citados na bibliografia da dissertação. O único cujo nome aparece nas referências, é citado por outro texto, não o utilizado por Witzel. Somados, os trechos copiados equivalem a 19 das 118 páginas do miolo. Isto representa 16% do trabalho.

Leia Também:  Polícia Federal abre inquérito para apurar morte de indígena Waiãpi, no Amapá

Leia também: Deputados protocolam pedido de CPI para investigar Sergio Moro

À BBC , a assessoria de Wilson Witzel afirmou que “como toda obra acadêmica, a tese de Witzel se utiliza de citações de diferentes autores e fontes que compõem a abordagem teórica sobre o tema”. Os trechos em questão, no entanto, não citam as fontes.

Em nota, a UFES informou que investigará o caso.

Fonte: IG Nacional
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Nacional

Trump impõe sanções contra o Banco Central do Irã após ataque na Arábia Saudita

Publicado

source
Donald Trump discursando arrow-options
Divulgação/Official White House/Shealah Craighead

Trump disse que Irã ‘parece ser’ responsável por ataques na Arábia Saudita, mas que ‘não quer guerra’

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump disse, nesta sexta-feira (20), que os Estados Unidos impuseram sanções contra o Bando Central do Irã, quase uma semana após os ataques a instalações petrolíferas na Arábia Saudita, que autoridades americanas e sauditas atribuíram a Teerã. A declaração foi dada a repórteres na Casa Branca.

Trump não deu outros detalhes sobre as sanções, mas disse, mesmo assim, que elas são “as maiores já impostas contra um país” e que “isso nunca foi feito neste nível”. O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, disse que as novas sanções cortam a última fonte de recursos ainda restante para o Irã.

Leia também: “Irã é responsável por ataques na Arábia Saudita”, diz Mike Pompeo

Apesar das declarações, ainda não está claro como as medidas aumentam as punições a Teerã, que já é alvo de uma política de “pressão máxima” do governo americano, com o objetivo de reduzir a zero as exportações de petróleo da República Islâmica.

Leia Também:  Interferência de Bolsonaro na PF quase resulta em demissão do diretor-geral

Questionado sobre a possibilidade de uma resposta militar ao Irã, Trump sugeriu querer evitar uma guerra, mas disse que os Estados Unidos estavam sempre preparados e que um ataque militar poderia ser uma resposta adequada.  No começo desta semana, ele disse considerar “a resposta final”, em possível alusão a um ataque.

O Irã negou qualquer envolvimento no ataque de 14 de setembro, que abalou os mercados globais de petróleo e aumentou as tensões entre Washington e Teerã. As explosões foram reivindicadas pelos rebeldes houthis do Iêmen, aliados do Irã, que há quatro anos enfrentam uma ofensiva liderada pela Arábia Saudita para desalojá-los do poder.

Nesta sexta-feira, autoridades sauditas levaram a mídia para inspecionar as instalações afetadas. A Arábia Saudita responsabiliza Teerã pelos ataques, versão endossada pelo secretário de Estado americano, Mike Pompeo, que chamou os ataques de “atos de guerra”.

Trump, que falou com repórteres na Casa Branca ao receber o primeiro-ministro australiano Scott Morrison, disse que deseja uma solução pacífica para o conflito.

Leia Também:  Prisão de militar flagrado com cocaína na comitiva de Bolsonaro inspira memes

Fonte: IG Nacional
Continue lendo

Nacional

NASA quase ‘perdeu’ asteroide gigante que passou próximo da Terra

Publicado

source
Asteroide caindo arrow-options
Divulgação/Nasa

Asteroide de 100 metros de largura passou muito perto da Terra.

De acordo com e-mails internos divulgados por um relatório do Buzzfeed News, a NASA quase ‘perdeu’ um asteroide gigante que passou próximo da Terra em julho deste ano. Segundo a agência americana, o corpo celeste tinha cerca de 100 metros de largura.

Leia também: China mostra mais fotos do material misterioso na face oculta da Lua 

Batizado de “2019 OK”, o asteroide passou a cerca de 40.400 milhas da Terra , o que equivale a cerca de 65.000 quilometros. Por mais que pareça grande, essa distância é pequena, em termos astrônomicos.

Os e-mails obtidos pelo portal americano mostram que a NASA só soube da passagem do asteroide pela Terra horas antes do evento acontecer. Segundo o Mirror, o corpo celeste foi descoberto por um observatório no Brasil, que alertou a NASA. A agência não sabe explicar como a rocha passou pela sua rede de captura e observação.

Fonte: IG Nacional
Leia Também:  “Vira a página”, diz Mourão ao ser questionado sobre ataques de Carlos Bolsonaro
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana