conecte-se conosco


TCE MT

Webinar sobre a metodologia BIM é promovido pelo Ibraop

Publicado


Divulgação Ibraop

O próximo debate virtual promovido pelo Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas (Ibraop) já tem data: será nesta sexta-feira, 30 de julho, às 14h30, com transmissão ao vivo pelo canal do Youtube do Ibraop.

O tema central do webinar é a metodologia BIM (Building Information Modeling – Modelagem de Informação da Construção).

Aproveite para se inscrever no canal do Youtube do Ibraop e acionar o alerta (sino) para receber notificações sempre que um novo evento ou vídeo for publicado. Acesse www.youtube.com.br/ibraoptv.

A utilização da Metodologia BIM (Building Information Modeling ou Modelagem de Informação da Construção) e das NBASPS (Normas Brasileiras nas Auditorias do Setor Público) para o planejamento de auditorias em obras e serviços de engenharia. É esse o tema da apresentação a ser feita pelo auditor de Controle Externo do Tribunal de Contas dos Municípios de São Paulo (TCMSP), Fernando Celso Morini, no debate virtual do Ibraop.

A palestra, segundo Morini, é a junção de dois mundos. “A metodologia BIM busca a melhoria os projetos de uma obra, otimizando seu resultado final, tanto em termos financeiros quanto operacionais”, explicou. “Do outro lado, ainda não muito explorado pelos auditores, estão as Normas Brasileiras nas Auditorias do Setor Público – que são a tradução das normas internacionais, adaptadas à realidade brasileira, para direcionar a auditoria em suas diversas fases”.

Ainda de acordo com o engenheiro – que também é Diretor Administrativo Adjunto do Ibraop – sua apresentação defende a união das especificações da modelagem BIM e dos direcionamentos das NBASPS em um planejamento de auditoria. “Isso é muito importante! Quando um auditor planeja o seu trabalho, ao executá-lo, o fará com a maior qualidade possível”, concluiu.

Fernando Celso Morini é graduado em Engenharia Civil e Contabilidade (Escola Politécnica e FEA na Universidade de São Paulo), e pós-graduado em Administração de Empresas com ênfase em TI (FGVSP) e em Gestão de Cidades (Escola Politécnica da USP). Além de diretor do Ibraop, é Vice Presidente Regional Sudeste/Sul da ANTC e Presidente da AudTCMSP. Antes de ser auditor do TCMSP, atuou na mesma função no TCESP. Ainda dentro do Setor Público, atuou como Engenheiro da Sabesp, Contador na CPTM e Pesquisador do IBGE. No Setor Privado, atuou como Engenheiro Civil  no acompanhamento de Edificações e Auditor de Tecnologia da Informação e Compliance Officer no Sistema Bancário.

A auditora de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo (TCE-ES), Ana Emília Brasiliano Thomaz, irá apresentar as possibilidades e desafios da metodologia BIM para o controle externo no debate virtual organizado pelo Ibraop.

De acordo com a auditora, a adoção da metodologia BIM na área pública se coloca como uma oportunidade de sanar problemas antigos apontados nas auditorias de execução das obras. “Esses problemas repercutem em paralisações de obras, desperdício de recursos públicos e imprevisibilidade no real custo da obra no momento de seu planejamento”, explicou Ana Emília, que acredita que, com o advento da nova lei de licitações, o uso da metodologia BIM pelos órgãos públicos  tende a aumentar num curto espaço de tempo, “o que traz o desafio de avaliação de seu impacto nas ações de controle externo”.

Ana Emília Brasiliano Thomaz é graduada e mestre em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Espírito Santo, com dissertação sobre Engenharia simultânea aplicada à gestão de projetos de edificações públicas. Pós-graduada em Gestão de Cidades pela Unidade Educacional de Ensino e Pesquisa e Extensão do Espírito Santo LTDA – UNIVES. Possui experiência em fiscalizações de obras e serviços de engenharia e instrução processual no TCE-ES e em gestão de projetos integrados de urbanização de assentamentos informais.

Assessoria de Comunicação Ibraop

Fonte: TCE MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TCE MT

Titular da SAI representa TCE-MT em Conferência Preparatória para Conae-SC

Publicado


Clique para ampliar

A titular da Secretaria de Articulação Institucional e Desenvolvimento da Cidadania (SAI) do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), Cassyra Vuolo, é uma das palestrantes da Conferência Preparatória que antecede a Conferência Nacional da Educação de Santa Catarina (Conae-SC). O encontro será realizado na segunda-feira (27) às 16h.

Na ocasião, serão debatidos assuntos como planos de educação, controle social, peças orçamentárias e direito à educação, além de gestão e transparência no financiamento da educação.

O evento é uma realização do Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE-SC) em parceria com o Fundo Nacional de Educação (FNE) e o Fundo Estadual de Educação de Santa Catarina (FEE).

Também participam o conselheiro substituto do Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE-SC) e membro do Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (IRB), Gerson dos Santos Sicca e o representante da Associação dos Administradores Escolares de Santa Catarina, João Carlos da Gama.

Fonte: TCE MT

Continue lendo

TCE MT

Pleno aprecia auditoria de conformidade em secretaria de estado

Publicado


Tony Ribeiro/TCE-MT

O Pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) apreciou auditoria de conformidade instaurada para apurar possíveis irregularidades no não parcelamento do objeto do pregão eletrônico 48/2015, realizado pela então Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan).

O processo, sob relatoria do conselheiro Antonio Joaquim, diz respeito ao exercício de 2015 e averiguou se o procedimento licitatório estava em conformidade com as legislações Federal e Estadual.

Durante a sessão ordinária remota de terça-feira (21), ao fazer a leitura do voto, o relator chamou a atenção para o fato de que, em inspeção realizada pela equipe técnica, foi constatada a ausência de justificativa de inviabilidade técnica e econômica para o não parcelamento do objeto.

“Entendo que a administração deveria ter realizado um estudo antecipado comprovando que o não parcelamento do objeto teve preço mais vantajoso”, ponderou. Diante disso, emitiu determinações para que a atual gestão da Pasta adote as medidas cabíveis.

Clique aqui e confira o vídeo completo do julgamento.

Secretaria de Comunicação/TCE-MT
E-mail: [email protected]
Flickr: clique aqui

Fonte: TCE MT

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana