conecte-se conosco


Carros e Motos

VW Golf nacional desvaloriza mais do que o importado, aponta estudo

Publicado

Motor Show

VW Golf prata arrow-options
Divulgação

VW Golf fabricado no Brasil tem uma média de desvalorização mais alta que os que vieram importados

Um estudo realizado pela KBB Brasil, empresa especializada na precificação de automóveis novos e usados, aponta que alguns carros nacionalizados nos últimos anos desvalorizaram mais do que as unidades importadas do mesmo modelo. Um exemplo é o VW Golf feito em São José dos Pinhais (PR), que perdeu 10,30% do seu valor, ante os 4,24% do Golf importado.

LEIA MAIS: VW terá 99 unidades do Golf híbrido no Brasil, a partir do segundo semestre

Além do VW Golf , a KBB Brasil comparou a perda de valor de outros seis modelos na mesma situação: Range Rover Evoque, Mini Countryman, Audi A3 Sedan , Mercedes-Benz Classe C e GLA, e BMW Série 3.

LEIA MAIS: VW Golf GTI 2019:  a lenda do único esportivo do segmento no Brasil

Desses, apenas o BMW apresentou desvalorização maior nas unidades importadas. Desvalorização é a comparação do preço atual de um veículo com os valores aplicados pelo mercado à mesma versão fabricada em anos anteriores. Confira abaixo a tabela completa.

Leia Também:  Veja 5 infrações de trânsito que você comete sem saber
Nacionais
Desvalorização
Nacionais
Desvalorização
Importados
Importados
Audi A3 Sedan
Attraction 1.4 TFSI
-13,01%
-3,84%
AUDI A3 Sedan Attraction 1.4 TFSI
VW Golf Highline 1.4 TSi FLEX Automático
-10,30%
-4,24%
VW GOLF Highline
1.4 TSi DSG
Mercedes-Benz C 180 Avantgarde
-12,95%
-7,35%
Mercedes-Benz C 180 Avantgarde
Mini Countryman
-9,06%
-6,00%
Mini Countryman
Mercedes-Benz
GLA 200
-11,46%
-11,05%
Mercedes-Benz
GLA 200
Range Rover Evoque SE Dynamic
-9,42%
-9,40%
Range Rover Evoque Dynamic
BMW 320i Sport Flex
-6,65%
-7,18%
BMW 320i Sport Flex

Fonte: IG Carros
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Carros e Motos

Harley-Davidson apresenta os novos modelos da linha 2020

Publicado

source
Novas Harley-Davidson da linha 2020 arrow-options
Divulgação

Modelos da linha 2020 como a Road Glide Limited (foto) chegam para ditar novos parâmetros de tecnologia na marca

A Harley-Davidson acaba de anunciar sua linha de modelos para o ano de 2020, com a apresentação oficial agendada para a segunda semana de setembro na Califórnia (EUA). Além da primeira moto elétrica da marca, LiveWire, a Low Rider S — com o motor Milwaukee-Eight 114, que passa a integrar a família Softail — e a CVO Tri Glide — com novas tecnologias, como o controle de tração, e o sistema HD Connect, que permite o pareamento da central da moto com o smartphone (também presente na elétrica — são as maiores novidades. Tirando a LiveWire, já confirmada para vir ao Brasil no ano que vem, falta saber sobre a chegada das outras duas.

LEIA MAIS: Harley-Davidson de Elvis Presley deverá ser a moto mais cara do mundo em leilão

Ainda assim, a nova  Road Glide Limited também compõe os maiores destaques, substituindo a  Harley-Davidson Road Glide Ultra para 2020 no segmento das motos de luxo, voltadas a grandes viagens. Quanto ao modelo, agora está disponível com uma nova Opção de acabamento preto, também integrado ao pacote de opcionais da linha Ultra Limited 2020. Vale destacar, além disso, que o sistema ABS Brembo da Harley, que anteriormente era uma opção disponível em alguns modelos de turismo, agora é padrão em todos os modelos dessa categoria.

Leia Também:  Longe do Brasil, Peugeot 2008 é revelado em sua nova geração

O centro das atenções

Harley-Davidson arrow-options
Divulgação

Harley-Davidson LiveWire segue a mais chocante, por representar uma revolução no line-up da fabricante

A LiveWire é, definitivamente, a grande divisora de águas na história da marca. O novo design futurista não é só parte da estratégia da Harley-Davidson de renovar seus negócios nos EUA até 2027, mas também de estabelecer a marca como líder na eletrificação do transporte em duas rodas. É com isso que, a partir dela, a marca revelou que outras motocicletas elétricas deverão chegar logo em seguida.

LEIA MAIS: Ducati terá duas novas Scrambler 2020 que chegam em outubro nos EUA e Europa

Dados oficiais de desempenho revelam que é capaz de acelerar até 100 km/h em 3,5 segundos. O propulsor elétrico não faz uso de embreagem, nem troca de marchas, simplificando a condução para novos pilotos. Além disso, as frenagens regenerativas de energia adicionam carga à bateria, item responsável por garantir os 180 km de autonomia que a H-D divulga.

Através do sistema Connect, o piloto se informa sobre o status da carga de bateria, autonomia disponível, locais onde há estações de recarga para a bateria, alerta de violação e localização do veículo, notificações de atendimento e lembretes de revisões. Entre outros equipamentos, também se encontram os que auxiliam a condução. Entre eles, o controle eletrônico de chassi, freios ABS e controle de tração.

Leia Também:  Avaliação: Ferrari 488 Pista é um esportivo impecável

LEIA MAIS: Novo scooter Honda ADV 300 será mostrado em novembro com mais custo-benefício

Ainda quanto ao controle, o seu motor está localizado na parte inferior da motocicleta para baixar o centro de gravidade, ajudando na agilidade da moto em todas as velocidades e tornando mais fácil o controle quando parada. Por fim, para não deixar a desejar no quesito ronco, o motor promete, segundo a fabricante “um novo som característico da Harley-Davidson ao acelerar e ganhar velocidade”.

Fonte: IG Carros
Continue lendo

Carros e Motos

Nissan Frontier leva quatro estrelas em teste de colisão

Publicado

source

Motor Show

Nissan Frontier arrow-options
Divulgação

Nissan Frontier foi submetida ao teste do Latin NCAP, órgão que regula a segurança automotiva no continente

A Nissan Frontier obteve quatro estrelas de um total de cinco possíveis na última bateria de testes de colisão promovida pelo Latin NCAP, cujos resultados foram divulgados nesta quarta-feira (21).

LEIA MAIS: Argo e Cronos levam três estrelas em testes do Latin NCAP

A unidade da Nissan Frontier testada não estava equipada com os airbags laterais e de cortina, presentes apenas na versão de topo LE. Já a carroceria teve a estrutura considerada instável. Mesmo assim, a proteção aos passageiros adultas teve proteção considerada “marginal” apenas para os joelhos do motorista no impacto frontal. Na colisão lateral, a proteção aos ocupantes foi considerada “boa”.

LEIA MAIS: Nova geração do Corolla recebe nota máxima em testes de colisão

Outros modelos

Chevrolet Cruze arrow-options
Divulgação

O Chevrolet Cruze também foi submetido a uma nova bateria de testes com bons resultados

O Latin NCAP avaliou também na mesma bateria de testes os Toyota Hilux e SW4 e o Chevrolet Cruze. A picape média e a SUV da marca japonesa, que haviam obtido a pontuação máxima em 2015, tiveram o resultado confirmado em novos testes de impacto lateral e de poste. Vale destacar que os dois modelos estão equipados com airbags laterais, de cortina e para os joelhos do motorista em todas as versões, desde o lançamento da linha 2020.

Leia Também:  Xiaomi, marca de celular, lança SUV médio que custa o equivalente a R$ 52mil

LEIA MAIS: Fiat Toro recebe quatro estrelas em testes de colisão

Já o Chevrolet Cruze , que havia sido avaliado pela primeira vez no ano passado, passou por uma nova avaliação com os airbags laterais e de cortina e garantiu as cinco estrelas na proteção do ocupante adulto.

Fonte: IG Carros
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana