conecte-se conosco


Carros e Motos

Volvo XC60 híbrido ganha opção de interior em tecido sustentável

Publicado


source
Interior em tecido sustentável do Volvo XC60 leva 30% de lã e 70% de poliéster reciclado
Divulgação

Interior em tecido sustentável do Volvo XC60 leva 30% de lã e 70% de poliéster reciclado

Você viu?

A Volvo passa a oferecer no mercado brasileiro o XC60 Híbrido com a opção de interior forrado em um tecido sustentável, feito com 30% de lã e 70% de poliéster reciclado.

De acordo com a Volvo , o poliéster reciclado tem como origem garrafas PET, lixo plástico retirado de oceanos e até roupas decartadas. A nova opção está disponível na versão Inscription do SUV e pode ser encontrado nas tonalidades Charcoal Midnight Zink Wool Blend, que traz tons em cinza claro e a Charcoal Slate Wool, em cinza mais escuro.

“Além de estarmos disponibilizando mais duas opções de tecido exclusivas a nossos clientes, o novo interior do XC60 Recharge Inscription traz muito mais conforto, já que o novo material traz conforto térmico e mais respirabilidade, garantindo muito mais comodidade para o dia a dia”, explica Bruno Galli, gerente de Produto e Preço da Volvo Car Brasil.

Chamado oficialmente pela fábrica de XC60 Recharge Inscription T8 , o XC60 híbrido combina um motor 2.0 a gasolina de 320 cv com um propulsor elétrico de 87 cv, para desenvolver a potência máxima de 407 cv. O sistema de tração é integral.

Além dos novos bancos sustentáveis, que são combinados a itens como os itens de acabamento em metal e cristal Orrefors, a lista de equipamentos do modelo inclui sistema de som com 10 alto-falantes e subwoofer de 255 watts, sistema multimídia com tela de 9″, sete airbags, faróis de LED, bancos dianteiros com ajuste elétricos, memória e aquecimento, direção semiautônoma e chave adicional que limita a velocidade máxima do veículo.

O preço de tabela é de R$ 369.950. O XC60 com o novo interior sustentável ficará exposto até fevereiro na loja Volvo do CJ Shops, em São Paulo (SP). O estoque é limitado e as encomendas podem ser feitas em qualquer concessionário da marca sueca no Brasil.

Fonte: IG CARROS

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carros e Motos

Veja 5 variações do Jeep Renegade que não temos no Brasil

Publicado


source

Lançado em 2014 no mercado internacional, o Jeep Renegade chegou ao mercado brasileiro em março do ano seguinte, como o primeiro modelo produzido na nova fábrica de Goiana (PE). Menor SUV da marca americana conhecida pelos seus veículos utilitários, o Renegade foi também o primeiro Jeep brasileiro em mais de 30 anos, encerrando o jejum deixado pelo fim da produção do CJ-5, em 1983.


O Jeep Renegade foi oferecido desde o início no Brasil em versões equipadas com o motor 1.8 flex da família E.torQ, que podia ser combinado somente à tração dianteira, e também o 2.0 turbodiesel da linha TigerShark, sempre casado ao sistema de tração 4×4.

A trajetória do SUV compacto da Jeep por aqui  é marcada pelas séries especiais com visual bem diferenciado, como o Willys (2019) cujos detalhes de estilo remetiam ao modelo MB da época da Segunda Guerra Mundial. Esse padrão se repetiu no exterior, com algumas edições limitadas e versões de linha que nunca foram oferecidas por aqui. Confira algumas delas a seguir.

1 – CJ-5 Renegade

Jeep CJ-5 Renegade: clássico da marca vem com motor V8 a gasolina entre os equipamentos de série
Divulgação

Jeep CJ-5 Renegade: clássico da marca vem com motor V8 a gasolina entre os equipamentos de série


O SUV compacto Renegade não foi o primeiro carro da Jeep a utilizar este nome. A mesma nomenclatura foi empregada para designar um pacote de equipamentos dos modelos CJ-5 e CJ-7 feitos nos Estados Unidos nos anos 1970 e 1980.

O CJ-5 Renegade trazia um visual menos espartano que o do carro original, com faixas laterais, cores mais chamativas e rodas de liga leve de série. Já o motor era um 5.0 V8, capaz de desenvolver 152 cv.

Renegade Van

Jeep Renegade Van: versão feita para levar carga acaba sendo um utilitário que pode vir com motor turboodiesel
Divulgação

Jeep Renegade Van: versão feita para levar carga acaba sendo um utilitário que pode vir com motor turboodiesel


Um produto que é relativamente comum em alguns países europeus são os SUVs e outros tipos de veículos de passeio em versões para uso comercial. Nem o Jeep Renegade escapou desta tradição.

Você viu?

Entre 2015 e 2018, o SUV vendido no mercado holandês na versão Van, que trocava os vidros traseiros por chapas de aço e ganhava uma divisória interna para separar os assentos dianeiros do compartimento de carga. A gama de motores era bem completa, com opções a diesel e gasolina, incluindo o mesmo 2.0 turbodiesel das versões mais caras no Brasil.

Renegade do Batman

Jeep Renegade
Divulgação

Jeep Renegade “Dawn of Justice”: série limitada faz alusão ao Batman, um dos super-heróis mais famosos do cinema


Em 2016, a Jeep lançou nos Estados Unidos o Renegade “Dawn of Justice” , numa referência ao filme “Batman vs Superman: A Origem da Justiça”, lançado naquele mesmo ano.

A carroceria preta era combinada a rodas e detalhes de acabamento na mesma tonalidade, para dar ao modelo um ar próximo ao do Batmóvel, além de receber um logotipo estilizado com o símbolo do Homem-Morcego. O Renegade do Batman estava equipado com um motor 1.6 turbodiesel de 120 cv.

Renegade “Tough Mudder”

Jeep Renegade Tough Mudder: outra série especial que não chegou a ser vendida no mercado brasileiro
Divulgação

Jeep Renegade Tough Mudder: outra série especial que não chegou a ser vendida no mercado brasileiro


Em parceria com os organizadores do evento de resistência física  Tough Mudder , a Jeep lançou em 2017 nas ilhas britânicas uma edição limitada do Renegade com este nome.

Na série especial, o motor 2.0 turbodiesel, mas em uma versão de 140 cv, era combinado à tração 4×4 e ao câmbio automático de nove marchas, enquanto o para-choque frontal era o mesmo da versão Trailhawk. Outro diferencial eram as rodas de 17″ com pneus do tipo M+S, próprios para uso em lama e neve.

Renegade Upland

Jeep Renegade Upland: versão mais acessível lançada na Europa em 2017 tinha cores chamativas
Divulgação

Jeep Renegade Upland: versão mais acessível lançada na Europa em 2017 tinha cores chamativas


O Renegade Upland foi lançada na Europa em 2017, como uma variação mais acessível do Renegade para uso fora-de estrada. Trazia o mesmo para-choque dianteiro da versão Trailhawk e a tração 4×4, porém combinada à versão de 140 cv do motor 2.0 turbodiesel.

A mesma ideia básica acabou sendo empregada no mercado brasileiro pela Jeep no Renegade Moab, que traz uma lista de equipamentos mais enxuta, mas combinada ao mesmo conjunto mecânico do Trailhawk, composto pelo 2.0 turbodiesel de 170 cv, câmbio automático de nove marchas e tração 4×4.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros e Motos

Honda lança primeiro carro autônomo de nível 3 no Japão

Publicado


source
Honda Legend 2022 representa mais um avanço quando o assunto é carro autônomo no mercado global
Divulgação

Honda Legend 2022 representa mais um avanço quando o assunto é carro autônomo no mercado global


A Honda apresenta no Japão o primeiro sistema de direção autônoma de nível 3 do mundo. O equipamento faz a sua estreia no sedã de luxo Legend, atualmente o modelo de topo da marca no país asiático.


A função recebeu o nome de Traffic Jam Pilot é faz parte do pacote de equipamentos tecnológicos Honda Sensing Elite. Enquanto os autônomos de nível 2 exigem que o motorista se mantenha sempre atento ao volante, no nível 3 o carro já é capaz de dispensar o motorista em condição de tráfego lento em vias expressas, permitindo que o condutor assista até um filme na tela da central multimídia.

Você viu?

Em caso de necessidade, o veículo pode solicitar a retomada do controle de direção pelo motorista. Mas caso ele não reaja, o próprio Traffic Jam Pilot é capaz de desacelerar o automóvel e fazer as mudanças de faixa até a parada do carro no acostamento, como pode ser visto no vídeo abaixo.


Para conseguir comercializar a tecnologia, a Honda teve que obter uma autorização especial do Ministério Japonês de Terras, Infraestrutura, Transporte e Turismo, que exigiu a instalação no veículo de uma espécie de caixa preta para gravar dados do sistema autônomo nos últimos seis meses — incluindo se o motorista falhou em reagir a um alerta de retomada de comando — e a colocação de um adesivo indicativo na traseira do veículo.

Para operar, o Traffic Jam Pilot utiliza dados coletados pelo sistema de navegação via satélite e mapas tridimensionais de alta definição, além de uma rede de sensores que monitoram os arredores do veículo em um ângulo de 360°, enquanto uma câmera monitora as condições do condutor.

A tecnologia passou por uma bateria de testes de aproximadamente 1,3 milhão de quilômetros e é baseada em redundância, permitindo que a sua operação siga mesmo com defeito em um dos componentes.

A Honda foi a única montadora a insistir no sistema autônomo de nível 3. Outros fabricantes que haviam anunciado o desenvolvimento deste tipo de tecnologia, como a Audi, decidiram pular esta etapa e ir diretamente para o desenvolvimento de sistemas autônomos de nível 4, que diferente do equipamento presente no sedã Legend vão permitir que o motorista esqueça da direção também em condições de tráfego normal.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana