conecte-se conosco


Saúde

Vitamina D pode diminuir risco de morte por Covid-19, diz estudo

Publicado


source
vitamina D
Getty Images

Taxas de vitamina D no corpo pode interferir na infecção por Covid-19

Um estudo realizado por pesquisadores da Escola de Medicina da Univerisdade de Boston, nos Estados Unidos, e publicado pelo periódico científico PLOS ONE, apontou que a quantidade de vitamina D em cada organismo pode surtir um efeito protetor contra casos graves da Covid-19 .

De acordo com a pesquisa, pacientes com pelo menos 25-hidróxi-vitamina D apresentaram uma redução no risco de dificuldade respiratória e morte. Além disso, outro estudo, publicado na rede JAMA Network, afirma que pessoas com deficiência de vitamina D foram mais facilmente diagnosticadas com a doença.

O resultado ainda apresenta uma justificativa – além de razões socioeconômicas – para a forma como a Covid-19 afeta com maior gravidade as pessoas negras em comparação às brancas, já que a pele preta precisa de mais tempo de exposição ao sol para que a vitamina D seja criada no organismo .

Apesar da descoberta, a pesquisa ainda não é considerada definitiva por demandar um número maior de pesquisas para que a recomendação seja segura. Os cientistas destacam ainda que não há evidências de que níveis de vitamina D acima da média – em níveis maiores do que o ideal para o corpo – surtam qualquer efeito contra a doença.

Fonte: IG SAÚDE

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministério da Saúde divulga números atualizados da pandemia

Publicado


Segundo o último boletim do Ministério da Saúde, divulgado hoje (24), o Brasil acumula 5.380.635 casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Nas últimas 24 horas foram 26.979 novos casos. De acordo com balanço pelo Ministério da Saúde, a doença já matou 156.903 pessoas – 432 novos óbitos desde ontem (23).

Ainda segundo o balanço, 4.817.898 pessoas (89,5% dos casos registrados) já se curaram da doença e 405.834 estão sob acompanhamento. A frequência de óbitos por covid-19 está em 2.560 mortes a cada 100 mil pessoas contaminadas.

O balanço do Ministério da Saúde é feito a partir de registros reunidos pelas secretarias estaduais de saúde e enviados à pasta para consolidação.

São Paulo

O estado de São Paulo registrou 38.726 mortes e 1.089.255 casos confirmados de covid-19 neste sábado (24). Entre o total de casos diagnosticados da doença, 972.113 pessoas estão recuperadas, sendo que 119.027 foram internadas e tiveram alta hospitalar.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 40,2% na Grande São Paulo e 39,7% no estado. O número de pacientes internados é de 7.165, sendo 3.988 em enfermaria e 3.177 em unidades de terapia intensiva (UTIs), conforme dados da Secretaria de Saúde do estado divulgados pela manhã.

Hoje, os 645 municípios têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo 586 com um ou mais óbitos. A relação de casos e óbitos confirmados por cidade pode ser consultada no site do governo estadual.

Perfil da mortalidade

Entre as vítimas fatais, 22.293 são homens e 16.433 mulheres. As mortes continuam concentradas em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 76,4% das mortes.

Considerando as faixas etárias, a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (9.943), seguida pelas faixas de 60 a 69 anos (9.119) e 80 e 89 anos (7.939). 

Entre as faixas de menor mortalidade, estão os menores de 10 anos (44), 10 a 19 anos (69), 20 a 29 anos (324), 30 a 39 anos (1.102).

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (59,8% das mortes), diabetes mellitus (43,3%), doenças neurológicas (10,9%) e renal (9,6%), pneumopatia (8,3%).

Outros fatores identificados são obesidade (8,1%), imunodepressão (5,5%), asma (3%), doenças hepáticas (2,1%) e hematológica (1,8%), Síndrome de Down (0,5%), puerpério (0,1%) e gestação (0,1%). Esses fatores de risco foram identificados em 31.115 pessoas que morreram por covid-19 (80,3%).

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

Saúde

Pelo 4°dia seguido, Brasil registra queda na média móvel, que fica em 461

Publicado


source
covid
Mariana Alvim – Da BBC News Brasil em São Paulo

Pelo 4°dia seguido, Brasil registra queda na média móvel, que fica em 461

A Média móvel de óbitos por Covid-19 caiu pelo 4° dia seguido e ficou em 461, mas Brasil chega próximo da marca de 157 mil mortes pela doença. Nas últimas 24 horas, o país registrou mais 434 novas mortes causadas pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) , fazendo o total subir para 156.903. Já o número de contaminações chegou aos 5.380.635 milhões. Desse total, 27.700 infectados só de ontem para hoje.

A contagem de casos é realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde e divulgada diariamente pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

O ranking de número de mortes segue liderado pelo estado de São Paulo, que tem 38.726 óbitos causados pela Covid-19. O Rio de Janeiro continua em segundo lugar, com 20.171 mortes, seguido por Ceará (9.246), Minas Gerais (8.732) e Pernambuco (8.542).

Os estados que registram maior número de casos são: São Paulo (1.089.255), Minas Gerais (347.006), Bahia (344.014), Rio de Janeiro (298.823) e o Ceará (269.392).

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana