conecte-se conosco


Curiosidades

Visita de peso! Família encontra hipopótamo de três toneladas nadando em piscina

Publicado

hipopótamo arrow-options
Reprodução/Letaka Safaris

Animal, com cerca de três toneladas, aproveitou residência para tomar um banho de piscina

Uma família recebeu um hóspede inusitado durante a noite de Ano Novo: ao acordar no primeiro dia de 2020, os Reed encontraram um hipopótamo de três toneladas nadando na piscina de sua casa, localizada na cidade de Maun, em Botsuana.

Leia também: Cortejo fúnebre de general do Irã tem multidão e gritos de “morte à América”

Segundo informações do jornal britânico Daily Mail, Brent Reed, que é diretor do Letaka Safaris, encontrou o imenso hipopótamo fazendo sua própria ‘festa na piscina’ nas primeiras horas do dia 01 de janeiro.

Reed aproveitou o inusitado visitante para fazer algumas fotos e postar nas redes sociais.  “Não imaginávamos que ele fosse conseguir sair sozinho da piscina , mas descobrimos que sim, quando fomos acordados no meio da madrugada do dia 02 com aquele belo animal em nosso quintal”, disse ele ao periódico.

Acostumado com os grandes animais dos passeios que faz com a sua empresa de safáris, Brent lamentou a época de seca que a região do delta de Okavango, localizado no noroeste de Botsuana , está enfrentando: “o tempo tem sido bastante quente. Como o Rio Thamalakane secou, nossa piscina deve ter sido bastante convidativa para este grande macho se refrescar”.

Apesar do peso, o hipopótamo pode ser um dos animais mais perigosos da África , podendo alcançar velocidades de até 32 km/h na terra e com uma mandibula capaz de destruir muitos de seus predadores.

Leia também: Fora de controle, carro ‘voa’ de precipício e desaparece no mar nos EUA; assista

“Com estes animais, sempre existe algum tipo de risco, principalmente quando elee se sentem acuados. Entretanto, esse não mostrou qualquer sinal de agressividade e só aproveitou a piscina para se refrescar do calor”, afirmou Reed.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curiosidades

Mulher filma peça de carne “se mexendo” e viraliza; veja vídeo

Publicado


source
pedaço de carne
Tero / Twitter

Pedaço de carne parecia pulsar em cima de tábua

Registrado no estado de Pahang, na Malásia , o vídeo de uma peça de carne “se mexendo” em uma tábua de cortar viralizou nas redes sociais na terça-feira (4), poucos dias após a publicação feita por uma artista identificada como Tero no twitter.

“Por que a carne está se mexendo? Minha mãe está se recusando a cozinhar ela porque está com medo”, afirmou a mulher na publicação. Em seguida, ela ainda brincou e disse: “nós estamos só fingindo que isso não aconteceu”.

Em pouco tempo, alguns seguidores informaram que o vídeo registrava um fenômeno “natural” das carnes extremamente frescas. Elas ficariam pulsando por algum tempo até que as terminações nervosas do músculo parassem de funcionar.

“Ficamos chocadas porque não sabíamos sobre este fenômeno. Ela parou de mexer quando minha mãe decidiu colocar a carne no congelador”, afirmou. Apesar disso, a autenticidade do vídeo viral ainda não foi confirmada. Veja, abaixo, registro publicado por Tero:


Continue lendo

Curiosidades

Pesquisadores descobrem fungo que transforma cigarras em “zumbis”

Publicado


source
Cigarra
Pixabay

Fungo consome parte do corpo das cigarras.

Um grupo de pesquisadores dos Estados Unidos descobriram que uma população de cigarras está sendo infectada por um fungo parasita que as controlas e faz com que infectem outras espécies. Os grupos infectados foram apelidadas de “cigarras zumbis”.

Elas foram infectadas e estão sob influência do Massospora, um fungo com substâncias químicas similares às encontradas em cogumelos alucinógenos. Depois de infectar o hospedeiro, o fungo corre os órgãos genitais, a bunda e o abdômen das cigarras. Eles são subsistuídos por esporos que transmitem o fungo.

As cigarras infectadas pelo fungo foram descobertas em junho deste ano por pesquisadores da Universidade de West Virginia. Ao todo, foram encontradas três populações diferentes que entraram em contato com o fungo.

Entretanto, como as cigarras tem ciclos de vida de até 17 anos, mas vivem no subsolo por mais de uma década, os pesquisadores acreditam que será difícil estudar como o fungo age nos animais.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana