conecte-se conosco


Cuiabá

Veja os dados do painel Covid-19 desta sexta-feira (10)

Publicado


.

Nesta sexta-feira (10), Cuiabá tem 6100 casos confirmados de Covid-19 de residentes no município e 1428 de não residentes, mas que estão sendo atendidos na capital. Dos confirmados, 1208 já estão recuperados da doença e houve 302 óbitos de residentes e 144 de não residentes.

Na rede hospitalar há 329 pacientes confirmados com Covid-19 internados, sendo 215 na UTI e 114 em enfermaria. Também estão internados 208 pacientes com suspeita da doença, sendo 93 na UTI e 115 em enfermaria. Do total de pessoas internadas em UTI, 222 são de residentes em Cuiabá e 86 de residentes de outros municípios. Do total de internados em enfermaria/isolamento, 185 pessoas são de Cuiabá e 44 de outros municípios.

Hoje Cuiabá registrou mais 14 óbitos de residentes, chegando a um total de 302 mortes. O prefeito Emanuel Pinheiro e o secretário municipal de Saúde, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho lamentam profundamente todos estes óbitos.

Segue abaixo a relação dos óbitos:

-Homem, 52 anos, internado em hospital privado. Tinha hipertensão. Foi a óbito em 08/07.

-Mulher, 75 anos, internado em hospital público. Tinha hipertensão. Foi a óbito em 08/07.

-Mulher, 71 anos, internada em hospital privado. Não foi divulgado se tinha comorbidade. Foi a óbito em 09/07.

-Mulher, 79 anos, internada em hospital privado. Tinha hipertensão e diabetes. Foi a óbito em 09/07.

-Homem, 70 anos, internado em hospital público. Tinha hipertensão e diabetes. Foi a óbito em 09/07.

-Mulher, 78 anos, internada em hospital público. Tinha hipertensão e diabetes. Foi a óbito em 09/07.

-Homem, 41 anos, internado em hospital público. Não foi divulgado se tinha comorbidade. Foi a óbito em 09/07.

-Mulher, 73 anos, internada em hospital público. Tinha hipertensão e diabetes. Foi a óbito em 10/07.

-Homem, 75 anos, internado em hospital público. Tinha hipertensão, cardiopatia e doença pulmonar. Foi a óbito em 10/07.

-Mulher, 86 anos, internada em hospital privado. Tinha hipertensão e obesidade. Foi a óbito em 10/07.

-Homem, 55 anos, internado em hospital privado. Não foi divulgado se tinha comorbidade. Foi a óbito em 08/07.

-Homem, 56 anos, internado em hospital público. Não foi divulgado se tinha comorbidade. Não foi divulgada a data do óbito.

-Mulher, 87 anos. Não foi divulgado onde estava internada. Não tinha comorbidades. Foi a óbito em 10/07.

-Homem, 71 anos. Não foi divulgado onde estava internado. Tinha hipertensão e diabetes. Foi a óbito em 10/07.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cuiabá

Morre aos 58 anos Adir Sodré, um dos mais irreverentes e premiados artistas pláticos mato-grossenses osso

Publicado

Cuiabá prdeu um dos ais talentosos e premidos artistas plásticos

Um dos mais irreverentes e talentosos artistas plásticos do País, principalmente de Mato Grosso, o rondonopolitano Adir Sodré morreu nesta segunda-feira 10, possivelmente após ser acometido por um infarto fulminante, quando se preparava para regar plantas em sua casa.

Artista premiado nacional e internacionalmente, Adir Sodré deixa a arte órfã e milhares de fãs, aos 58 anos, com trabalho elogiado pelos críticos ais exigentes. Nascido em Rondonópolis em 1962, Sodré estudou artes contemporâneas no renomado ateliê Livre da Fundação Cultural, em Cuiabá, apreendendo técnicas do não menos reconhecido Humberto Espíndola e Dalva de Barros e criou e participou deum seleto grupo de amantes da ‘nova arte’, onde estiveram também Gervane de Paula e outros artistas um grupo que procura renovar a arte mato-grossense.

Foram inúmeros trabalhos onde seu forte estilo, com dosagens geniais das cores, participando de exposições individuais, muitas das quais promovidas e organizadas pelo Museu de Arte e de Cultura Popular da Universidade Federal do Mato Grosso (MACP/UFMT). Participou também, entre outras, das coletivas Como Vai Você, Geração 80?, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage), Rio de Janeiro, em 1983, e Modernidade, Arte Brasileira no Século XX, no Museu de Arte Moderna de Paris, em 1987. Em sua produção aborda temas relacionados à cultura regional e questões acerca dos povos indígenas.

Talentoso, o artista logo transpôs fronteiras, com trabalhos aplaudidos no Brasil e no exterior. Com cores fortes e irreverência, mesclava o sagrado e o profano em suas telas, com cores multicoloridas e malícia, que era uma das marcas do artista. O local do velório do artista ainda não foi informado.

Continue lendo

Cuiabá

Prefeito lamenta morte do artista plástico Adir Sodré

Publicado


.

É com extremo pesar que o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, recebeu a notícia da morte do artista plástico mato-grossense Adir Sodré. O pintor e desenhista faleceu na tarde desta segunda-feira (10), em sua própria residência, na Capital. Segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), ele teve um infarto no local. 

Adir Sodré foi um dos parceiros da Prefeitura de Cuiabá no projeto Cidade Viva, que possibilitou que o cinza do concreto armado de várias estruturas fosse transformado em um colorido que representa o povo cuiabano. O viaduto do Despraiado, por exemplo, foi um dos locais que recebeu o toque inspirado de Sodré.

“Infelizmente, perdemos um dos maiores nomes na nossa arte. Adir sempre demonstrou todo seu orgulho por Cuiabá em suas obra. Por meio de suas pinturas, Cuiabá foi transportada para outras cidades, estados e países. Além de um grande artista era uma pessoa muito querida. Nesse momento de dor, nosso desejo é de que o Senhor conforte os familiares, amigos e admiradores”, lamentou o prefeito. 

Adir Sodré de Souza nasceu em Rondonópolis-MT, em 1962, e mudou-se para Cuiabá logo aos 15 anos de idade. O artista frequentou o ateliê livre da Fundação Cultura na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), onde foi orientado por Humberto Spíndola e Dalva Maria de Barros. Sodré é considerado um dos maiores expoentes das artes visuais de Mato Grosso. 

Em Cuiabá, sua marca é encontrada em diferentes pontos da cidade. Com uma irreverência inconfundível, suas obras registram todo o regionalismo da tricentenária Capital. Também abordou em sua trajetória a sexualidade e uma temática de protesto com obras ligadas aos povos indígenas e a invasão causada pelo turismo em determinadas regiões do Brasil. 

O secretário municipal de Cultura, Francisco Vuolo, também lamentou a morte do artista. “Com imenso pesar recebo a notícia do falecimento de Adir Sodré, um das maiores referências da cultura em nossa história. A sua arte sempre será lembrada e que sua irreverência seja sinônimo de carinho, alegria e respeito para a inspiração da boa arte para as futuras gerações. Meus profundos sentimentos à todos familiares do nosso querido Adir ”, disse. 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana