conecte-se conosco


Turismo

Veja o que fazer em Ilha Grande e quais locais você não pode deixar de visitar

Publicado

A cidade de Paraty e a Ilha Grande, distrito de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, se tornaram os mais  novos Patrimônios Mundiais da UNESCO no Brasil no dia 5 de julho de 2019. E se você gosta de visitar lugares de importância universal, descobrir o que fazer em Ilha Grande pode ser uma boa ideia.

Garoto praticando snorkeling na Lagoa Azul, em Ilha Grande
shutterstock

Quem procura o que fazer em Ilha Grande pode esperar por muita praia, sol, snorkeling e natureza

Com muita história e natureza – representadas por seu centro histórico, seus parques e suas reservas biológicas – não é à toa que Ilha Grande entrou para o rol da UNESCO como um patrimônio misto, de cultura e história.

Seja fazendo trilhas ou camping ilha adentro, relaxando na praia, mergulhando no litoral ou aproveitando as atrações da Vila do Abraão, não faltam opções de lazer para quem procura o que fazer em Ilha Grande . Confira no infográfico: 

E para conhecer um pouco mais sobre esse destino paradisíaco você pode ver quais os principais pontos turísticos dele no mapa acima – basta clicar em “Descubra Ilha Grande” para começar.

O que fazer em Ilha Grande para conhecer melhor o local

Turista coçando a cabeça, pensativo
shutterstock

Existem várias opções de transporte para quem quer desbravar o novo Patrimônio Mundial da UNESCO no Brasil

Chegar no mais novo Patrimônio Mundial da UNESCO no Brasil não é difícil. Tanto em Angra dos Reis como em Mangaratiba, você pode pegar uma barca para a Ilha Grande sem ter de desembolsar uma fortuna. Não é à toa que ela também pode entrar para a sua lista de passeios de bate e volta saindo da cidade do Rio de Janeiro .

Mas e quando você chegar lá? Como poderá conhecer melhor a ilha? Para sua sorte, existem diversas opções para desbravar o local por terra e por mar.

A primeira delas é contratar algum dos passeios de barco ou escuna que costumam sair da Vila do Abraão. Você pode optar por dar a volta completa na ilha ou então por ver apenas uma parte dela. Também é possível contratar barcos que vão para destinos individuais, caso você já tenha um destino em mente quando visitar o distrito de Angra dos Reis.

Leia Também:  Turistas ficam assustados após vidro rachar em atração mais alta de Chicago

A vantagem dessa alternativa é poder contemplar o litoral a uma certa distância em meio às águas do litoral de Ilha Grande, com direito a algumas em certas praias mais famosas ou pitorescas.

Se preferir, por outro lado, explorar o interior da ilha, é só aproveitar as diversas trilhas que conectam os principais pontos turísticos de lá. Algumas praias de Ilha Grande , inclusive, só podem ser acessadas por meio de trilhas, como é o caso da Praia de Dois Rios ou a Praia do Caxadaço.

As trilhas também te levam a pontos importantes na região de Mata Atlântica desse destino turístico, como o Pico do Papagaio ou a Cachoeira da Feiticeira.

Por fim, outra coisa que é muito comum no local é a prática de camping. A Vila do Abraão é um dos principais pontos para quem gosta disso, junto à Praia do Aventureiro. Em alguns locais, no entanto, esta prática é proibida, à exemplo da Praia de Lopes Mendes.

1. Encontrar um momento de paz nas praias

Faixa de areia branca na Praia de Lopes Mendes, em Ilha Grande
shutterstock

A Praia de Lopes Mendes, de águas claras e areia branca, é uma das praias de Ilha Grande mais queridas pelos turistas

Um dos pontos fortes de Ilha Grande é, sem dúvidas, a variedade de praias que ela oferece aos turistas. De 11 localidades com mais de 500 avaliações no site de viagens TripAdvisor , 10 delas têm ao menos 4 de 5 pontos.

Os destaques, neste caso, vão para a Praia do Aventureiro, para a Praia de Lopes Mendes e para a Lagoa Azul, todas no top 10 de atividades em Ilha Grande, de acordo com o site. Outra praia importante para o turismo local é a de Araçatiba, na enseada de mesmo nome.

Cada qual com suas características, as praias de Ilha Grande são ótimos refúgios para quem quer descansar ao sol dar uma caminhada na areia para desestressar.

2. Dar mergulhos pelas águas do litoral

Praia em Ilha Grande
shutterstock

As águas de diversas praias de Ilha Grande são propícias para a prática de mergulho e snorkeling, então fique ligado

E se você se sente mais à vontade na água do que em terra firme, não se preocupe: você também encontrará o que fazer em Ilha Grande. De mergulho a snorkeling, é possível explorar as águas que cercam o distrito de Angra dos Reis.

Leia Também:  Comer fogo e virar sereia! Dez viagens diferentes para fazer com o Airbnb

O melhor ponto para o snorkeling é a Lagoa Azul, mas a atividade também é forte em outras regiões como a Lagoa Verde ou a Enseada do Bananal. Por outro lado, para quem gosta de um mergulho mais profundo, existem diversas agências especializadas na atividade que podem te auxiliar nessa missão.

3. Praticar esportes aquáticos e dar passeios a barco

Pranchas de surfe pintadas com a bandeira do Brasil fincadas na areia da praia em Ilha Grande
shutterstock

Esportes aquáticos, como o surfe, são alguns dos principais atrativos para quem procura o que fazer em Ilha Grande

Ainda nas praias de Ilha Grande, os turistas também podem embarcar em passeios de barco ou se aventurar com esportes aquáticos que vão de surfe a passeio de caiaque e wakeboard.

Uma das praias preferidas para o surfe na região é a Praia do Aventureiro, enquanto os passeios a barco percorrem diversos pontos da ilha – e se você preferir pode, inclusive, alugar sua própria embarcação.

4. Fazer trilhas e explorar o ecoturismo em Ilha Grande

Mulher de pé no topo do Pico do Papagaio, em Ilha Grande
shutterstock

Trilhas como as que levam ao topo do Pico do Papagaio têm fortalecido o turismo para além das praias de Ilha Grande

Praia, sol e mar podem ser ótimas ideias para as férias, mas não é só o Patrimônio Mundial da UNESCO em Angra dos Reis tem a oferecer. Ilha Grande também está repleta de trilhas e oportunidades de turismo em meio à natureza.

Um dos locais que oferece esse tipo de passeio é o Parque Estadual Marinho do Aventureiro, na Praia do Aventureiro. Uma de suas principais trilhas é a do Mirante do Sundara, que proporciona uma vista panorâmica da região da Praia do Aventureiro.

Outro parque que ajuda a conectar os turistas com a natureza é o Parque Estadual da Ilha Grande, que cobre uma área equivalente a 62,5% da ilha, englobando pontos como a Vila do Abraão, a Praia de Araçatiba, a Praia do Aventureiro, a Praia de Lopes Mendes e a Freguesia do Santana. 

Seu ecossistema é composto por vegetações como a Mata Atlântica, a restinga e o mangue, totalizando mais de duas mil espécies de plantas e tornando-o um ponto turístico indispensável para explorar a natureza do litoral fluminense.

Leia também: Paraty: dos passeios tradicionais a dicas para curtir além do centro histórico

5. Descobrir a história nas ruas da Vila do Abraão

Rua da Vila do Abraão que leva à Igreja de São Sebastião
shutterstock

A Vila do Abraão é o principal assentamento local, e traz muita história para quem procura o que fazer em Ilha Grande

Por fim, quem procura o que fazer em Ilha Grande pode se encantar com a Vila do Abraão, principal povoado da ilha. Das ruínas de um hospital de quarentena do início do século XX à Igreja de São Sebastião e o Aqueduto da Ilha Grande, essa vila está repleta de histórias para contar – então reserve já sua viagem e conheça um pouco mais desse paraíso reconhecido pela UNESCO.

Fonte: IG Turismo
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Turismo

Viagem no tempo pertinho da capital: veja o que fazer em Paranapiacaba

Publicado

Encontrar o que fazer em Paranapiacaba não é difícil. Apesar do tamanho diminuto, o distrito de Santo André que surgiu para abrigar os trabalhadores da São Paulo Railway no Século XIX oferece atividades diversas, que vão do Festival de Inverno de Paranapiacaba até trilhas em meio à natureza – e ainda pode ser uma boa opção para um bate e volta saindo de São Paulo .

Réplica do Big Ben na cidade de Paranapiacaba arrow-options
shutterstock

Não é difícil encontrar o que fazer em Paranapiacaba, um pedaço da Inglaterra no estado de São Paulo

E para dar ainda mais fôlego ao turismo na região, entidades como a World Monuments Fund (WMF), dedicada à preservação de sítios históricos, têm ajudado nos esforços de revitalização do distrito, fornecendo cada vez mais opções para quem procura o que fazer em Paranapiacaba .

Desde o início do Século XXI, segundo o site do WMF, foram restaurados diversos monumentos, como a Casa Fox, o Castelinho, o Lyra Serrano Club e o Antigo Mercado. 

Mas os esforços não pararam por aí. Segundo a prefeitura de Santo André, neste final de semana, data que também marca o início do 19º Festival de Inverno de Paranapiacaba , deve ser reinaugurada a torre do relógio, que estava parada há mais de 10 anos.

E já que o Festival de Inverno foi mencionado, nada mais justo do que começar o roteiro turístico nesse distrito do Grande ABC por ele.

O que fazer em Paranapiacaba #1: o Festival de Inverno

Artistas se apresentando em praça de Paranapiacaba no Festival de Inverno arrow-options
Reprodução/Facebook

O Festival de Inverno de Paranapiacaba reúne shows, aulas abertas e intervenções artísticas durante o final de julho

Todo ano, há quase duas décadas, é realizado o Festival de Inverno de Paranapiacaba. Nele, são feitas apresentações musicais, exposições e intervenções culturais.

O festival costuma acontecer nos últimos finais de semana de julho, e visa enaltecer o patrimônio da vila inglesa projetada pelo filósofo Jeramy Bentham. Em 2019, serão cerca de 100 atrações, que incluem também oficinas e aulas abertas.

Além da réplica do Big Ben , será entregue também a Casa Escola Solidária, que funcionará no Antigo Galpão. De acordo com informações da Prefeitura de Santo André, serão realizadas uma série de atividades desenvolvidas pelo Fundo Social de Solidariedade em parceria com secretarias da Prefeitura.

Leia Também:  Cordilheira na Eslováquia lidera lista de melhores destinos da Europa em 2019

Leia também: Quais destinos turísticos estão em alta no Brasil e que fazer em cada um deles

O que fazer em Paranapiacaba #2: ecoturismo

Pedras empilhadas naturalmente em trilha de Paranapiacaba arrow-options
shutterstock

Para quem gosta de ecoturismo, as trilhas nos arredores do distrito do Grande ABC são uma oportunidade imperdível

Mas o Festival de Inverno de Paranapiacaba não é o único atrativo de lá. O distrito do Grande ABC também é procurado por turistas que gostam de ficar em contato com a natureza, pois seu entorno oferece diversas trilhas para explorar a Serra Paulista, e um dos principais locais para penetrar a Mata Atlântica é o Parque Nascentes de Paranapiacaba.

Nele podem ser encontrados exemplares de várias espécies de samambaias, bromélias e orquídeas. A fauna também é diversa, com animais como sanhaços, pica-paus, morcegos, bichos-preguiça, etc.

De acordo com o site da Prefeitura de Santo André, o local funciona de terça a sexta-feira das 8h30 às 15h30 e das 8h às 16h45 aos feriados e finais de semana. O serviço de monitoria para explorar as trilhas deve ser contratado à parte no local ou com agendamento prévio, e seu preço pode variar de acordo com as agências e monitores contratados.

O que fazer em Paranapiacaba #3: pontos turísticos históricos

Quem gosta de história também deve ficar bem servido na hora de encontrar o que fazer em Paranapiacaba. São diversos pontos turísticos históricos no distrito, alguns deles parte da programação do Festival de Inverno de Paranapiacaba.

O Museu Castelo, que opera no revitalizado Castelinho, já foi a casa do engenheiro-chefe da ferrovia. Atualmente, segundo o site da Prefeitura de Santo André, ele conta com um acervo composto por móveis e peças que revelam a história da ferrovia que ligava Paranapiacaba ao resto do estado.

E as memórias dos habitantes do distrito do Grande ABC também são eternizadas na Casa Fox, outro ponto turístico que se beneficiou do programa de revitalização realizado pelo WMF e pelas autoridades locais.

Leia Também:  10 coisas bizarras avistadas nos aeroportos pelo mundo

Além desses dois pontos, o Museu Funicular é outro local que conta as histórias do distrito. Nele, estão expostas locomotivas, vagões e máquinas de manutenção que eram utilizadas no auge da ferrovia.

Outros pontos importantes para conhecer a história de Paranapiacaba são a já mencionada réplica do Big Ben, o Antigo Mercado – que tornou-se um espaço multicultural após ser restaurado -, e a Igreja Bom Jesus de Paranapiacaba, o principal marco da Parte Alta da vila inglesa.

Como ir para Paranapiacaba?

Ponto do mapa do transporte público que mostra a estação do expresso turístico de Paranapiacaba arrow-options
shutterstock

O distrito do Grande ABC pode ser acessado por meio de transporte público, por carro ou então pelo expresso turístico

Agora que você já sabe o que fazer em Paranapiacaba, é hora de descobrir como chegar lá, uma etapa tão importante quanto a primeira. Mas não se preocupe: o trajeto é simples, e pode inclusive ser feito por meio do transporte público.

Se você estiver a fim de experimentar essa ideia, basta pegar, em São Paulo, a Linha 10 (Turquesa) da CPTM até a estação final, em Rio Grande da Serra. De lá, é só pegar o ônibus 424 da EMTU (Viação Ribeirão Pires) com destino a Paranapiacaba.

Para quem é de Santo André, o trecho é ainda mais simples. Do Terminal Rodoviário Prefeito Saladino sai o ônibus 040, também da Viação Ribeirão Pires, cujo ponto final é em Paranapiacaba.

Outra opção é pegar o expresso turístico, no qual os turistas embarcam em dois carros da década de 50, tracionados por uma locomotiva totalmente reformada da mesma época.

O roteiro é realizado somente aos domingos a partir de dois pontos do trajeto. De acordo com o site da CPTM, o passageiro pode embarcar na Estação da Luz às 8h30  ou às 9h na Estação Prefeito Celso Daniel, na Linha 10 Turquesa. O retorno é feito às 16h30.

Mas se ir de carro é a sua preferência, é bom se preparar para pegar a estrada. Indo pela Via Anchieta, na pista marginal sentido Riacho Grande, você deve entrar na Estrada Velha do Mar no sentido Ribeirão Pires, na altura do km 29.

Leia também: Paz, aventura e história: veja o que o Circuito das Águas pode te oferecer

Em seguida, é preciso acessar a Rodovia Índio Tibiriçá e percorrê-la até o km 45,5, onde você pegará a alça de acesso para a Rodovia Antonio Adib Chamas para descobrir pessoalmente o que fazer em Paranapiacaba .

Fonte: IG Turismo
Continue lendo

Turismo

50 anos do homem na lua: Airbnb aluga “casas de outro planeta” a US$ 11

Publicado

Neste sábado, dia 20 de julho, serão comemorados os 50 anos do pouso do homem na Lua, e para celebrar esse marco tão importante na ciência mundial, o Airbnb selecionou cinco casas ao redor do mundo para que os turistas tenham uma experiência única.

Leia também:  R$ 96 mil a diária! Conheça o resort da lua de mel de Joe Jonas e Sophie Turner

Por US$ 11 (aproximadamente R$ 41) à noite, mais taxas e impostos aplicáveis, a pessoa pode ter a experiência no homem na Lua . O preço é uma referência à nave Apollo 11, que levou os astronautas ao espaço na missão em 1969.

As casas disponíveis pelo Airbnb terão datas limitadas nos meses de agosto, setembro, outubro e novembro. As reservas começam a ser feitas a partir do dia 20, às 18h (horário de Brasília).

Se você se interessou e quer ter uma experiência de outro planeta, confira abaixo todas as acomodações que estarão disponíveis na comemoração:

Réplica da Apollo 11 – Pukaki, Nova Zelândia

réplica apollo 11 arrow-options
Divulgação/Airbnb

Réplica da Apollo 11 na Nova Zelândia está livre para aluguel

Não tem maneira melhor de comemorar a ida à Lua do que se hospedar na Apollo 11 . Uma réplica construída na Nova Zelândia está entre as acomodações do aniversário. Peter, o anfitrião, construiu a cápsula com equipamentos para suprir as necessidades básicas e ,ao deitar na cama, é possível contemplar as estrelas.

Leia Também:  Comer fogo e virar sereia! Dez viagens diferentes para fazer com o Airbnb

O local tem disponibilidade para acomodação entre 13 a 15 e 27 a 29 de setembro de 2019.

Observação de estrelas – Twentynine Palms, Califórnia (EUA)

casa observatório arrow-options
Divulgação/Airbnb

Um casa deserta com um observatório único chama atenção na Califórnia

Combinando arte e ciência essa casa parece um portal para entrada na galáxia. Pequena e aconchegante, ela tem muita iluminação natural e possui um quarto com um observatório de estrelas único do mundo, perfeito para assistir a chuvas de meteoros.

A disponibilidade para reservas é dos dias 09 a 11 e 16 a 18 de agosto de 2019.

Disco voador futurista – Redberth, Reino Unido

casa de óvinis arrow-options
Divulgação/Airbnb

Casa em formato de disco voador é destaque nos aluguéis da Airbnb para os 50 anos do homem na lua

Nada mais intergaláctico do que óvnis, não é? E por que não se hospedar em um disco voador? A casa disponível no Airbnb tem formato de uma nave espacial e é equipada com camas, uma área de jantar e até jogos clássicos para o entretenimento. Uma estadia de outro planeta.

Leia Também:  Passageiro encontra insetos em pão comprado no aeroporto e desabafa: “Nojento”

Para quem quer ser E.T. por uma noite a disponibilidade de aluguel é para os dias 27 a 29 e 4 a 6 de outubro de 2019.

Acampamento lunar – Joshua Tree, Califórnia (EUA)

acampamento lunar arrow-options
Divulgação/Airbnb

Acampamento lunar tem diversas atrações para o hóspede

Com mais um destino nos Estados Unidos, o turista terá a experiência total de um retiro lunar. E não é qualquer coisa. O complexo tem academia, rede, fogueira e churrasqueira. É indicado para relaxar, explorar e inovar, além de ser uma casa autossustentável e alimentada inteiramente por painéis solares.

O aluguel pode ser feito entre os dias 16 a 18 de agosto e 6 a 8 de setembro de 2019.

Aeronave isolada – Escócia, Reino Unido

aeronave na escócia arrow-options
Divulgação/Airbnb

Uma cápsula com paredes de vidro para observação das constelações fecha os locais dos 50 anos do homem na lua

O mais afastado do mundo possível, a aeronave escocesa está localizada em uma ilha e o espaço ao redor lembra uma pintura. Apesar do isolamento, o local está equipado com tudo o que é necessário para a sobrevivência básica, como máquina de café expresso e lareira. Da acomodação é possível observar as constelações da Ursa Maior e o Cinturão de Órion.

Leia também:  Dormir ou voar? Hotel japonês constrói quarto com simulador de voo

A última opção para se sentir no clima do  homem na Lua tem datas disponíveis para 24 a 26 de outubro e 21 a 23 de novembro de 2019.

Fonte: IG Turismo
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana