conecte-se conosco


Economia

VG firma termo de cooperação com o Estado para oferta de crédito ao pequeno empreendedor

Publicado

As operações podem oferecer o limite de até R$ 15 mil, com juros 0,37% ao mês, por 3 anos de prazo, e 6 meses de carência para qualquer atividade econômica

O prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat, firmou termo de cooperação com o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, na quarta-feira (23). A parceria celebrada por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Turismo e da Desenvolve MT visa a oferta de linhas de crédito voltadas ao fomento do empreendedorismo na cidade. As operações podem oferecer o limite de até R$ 15 mil, com juros 0,37% ao mês, por 3 anos de prazo, e 6 meses de carência para qualquer atividade econômica.

“O termo de cooperação com o governo do Estado de Mato Grosso é muito importante para atender demandas do pequeno empreendedor. Estamos avaliando R$ 1 mi de reais de aporte para pequenos empreendedores como forma de incentivo. É uma política nova, que beneficia até o cidadão negativado dando a ele a oportunidade de empreender”, sublinhou o prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat.

De acordo com César Miranda, a Agência Desenvolve MT é possui programas como Mulher Empreendedora, Jovem Empreendedor, além de linhas de créditos para bares e restaurantes. “Essa parceria possui capilaridade expressiva dentro do Município e, consequentemente, vai poder levar informações e apoiar esse empreendedor com toda a parte técnica para que ele tenha acesso às linhas de crédito. Estamos apoiando os mais necessitados que desejam empreender em sua atividade econômica”, frisou.

O Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Turismo, Charles Caetano, disse que, com a assinatura do termo de cooperação, será disponibilizada quantia significativa de recursos para que o pequeno empreendedor de Várzea Grande tenha linha de crédito para se estabelecer e montar seu negócio próprio ou reformar a estrutura existente.

“Estamos conversando com setores de Várzea Grande. Já reuni com presidentes de bairros, setor gastronômico e hoteleiro, tendo conhecimento deste aporte que vai chegar em Várzea Grande, para que possam estar aptos e se credenciar junto a Secretaria, situada no Shopping Várzea Grande, com equipe treinada para atender pequeno empreendedor com orientações, cadastro, conhecimento da linha de crédito a ser utilizada, gerando emprego e distribuindo renda na cidade”, observou Charles.

O montante do programa é em torno de R$ 200 milhões para todo Mato Grosso. Para Várzea Grande dependerá da demanda do empreendedor que está buscando a inserção e credenciamento junto à Secretaria, para ofertar recurso a ele. Já estamos mobilizando segmentos da cidade para conhecer e aderir ao programa de independência financeira”, explicou o Charles.

O secretário enfatizou ainda que os segmentos organizados já estão procurando a Secretaria. Qualquer cidadão ou empreendedor do município que tem interesse de se estabelecer e abrir negócio próprio, pode se dirigir a Secretaria, nos horários de 10h manhã até as 18h, no 2º piso do Shopping, e terá acesso a equipe técnica preparada para dar as orientações necessárias da adesão ao financiamento.

“A cidade faz as definições do que é prioridade para Município e define as linhas de crédito que busca. Temos portfólio com linha de créditos de investimentos para área de turismo, programa voltado para mulher e jovem empreendedor com juros subsidiados e prazos, qualquer segmento produtivo com faturamento até R$ 4 milhões a R$ 8 milhões, ele tem linha de acesso. Temos todas essas linhas, além de estudo que será colocado à disposição a partir de energia renovável, com investimentos de aproximadamente R$ 50 milhões”, disse César Miranda.

A agência está capitalizada com mais de R$ 200 milhões para fazer enfrentamento pós crise da covid-19. “Várzea Grande é reconhecida a parte cultural voltada ao turismo e artesanato fortíssimo, então vamos fomentar cadeias e estruturar novas. Nossa missão é atender o pequeno, trabalhamos com a MEI, recebemos R$ 30 milhões do Ministério do Turismo, a agência possui recursos próprios com fomento especial de investimentos de novos negócios e ampliação de negócios já existentes”, enfatizou César.

O senador da República, Wellington Fagundes, reiterou que a iniciativa entre a Prefeitura de Várzea Grande e o Governo do Estado de Mato Grosso é plausível, pois a cidade está em plena expansão. “Quando levamos recursos ao pequeno empreendedor é extremamente importante, porque estamos buscando fomentar o talento das pessoas. Essa iniciativa vai gerar mais empregos na pequena e microempresa. Pós-pandemia, quanto mais levar recurso na ponta para aquele que está começando junto com família.

Para ter acesso às linhas de crédito, o interessado deve acessar site Desenvolve MT e verificar as informações pertinentes ao programa que tem linhas de crédito para diversos segmentos econômicos. Em caso de restrições ao crédito (pessoa negativada), se quita a restrição e automaticamente fica habilitado ao crédito, sendo que do total 30% são destinados ao capital de giro e 70% aos investimentos. Débitos em aberto não impedem o acesso às linhas de crédito.

A Desenvolve MT tem cinco modalidades de linhas de crédito disponíveis para o empreendedor que busca investir em seus negócios, e podem ser utilizadas para compra de insumos, máquinas e equipamentos, obras de construção, reformas para modernização e ampliação de empreendimentos, entre outros.  Além da linha de crédito direcionada para o fomento do trade turístico, um dos setores atendidos fortemente pela agência durante a pandemia.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Valores a Receber: 2ª fase de consultas ainda segue sem data definida

Publicado

Valores a Receber: 2ª fase de consultas ainda segue sem data definida
José Cruz/Agência Brasil

Valores a Receber: 2ª fase de consultas ainda segue sem data definida

Prevista para começar no dia 2 de maio, a segunda fase de consultas ao “dinheiro esquecido” nos bancos — o Sistema de Valores a Receber, do Banco Central — segue sem data definida. A retomada foi adiada com a greve dos servidores da entidade monetária.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

“As consultas ao Sistema de Valores a Receber (SVR) estão temporariamente suspensas para aprimoramento”, informa o Banco Central no site do SVR.

A paralisação dos servidores, porém, terminou há 40 dias, e o BC ainda não divulgou uma data para a retomada das consultas.

Questionado, o BC afirmou que “o cronograma e as informações sobre a nova etapa do SVR serão divulgados oportunamente, com a devida antecedência”.

O Banco Central estima que há cerca de R$ 8 milhões em valores “esquecidos” nos bancos. Na primeira fase de consultas, cerca de R$ 4 milhões foram liberados.

A primeira fase de consultas se encerrou no dia 16 de abril, com a respecagem de valores esquecidos por brasileiros que haviam perdido o prazo para resgate. Na ocasião, eles puderam reagendar uma nova data para recuperar o dinheiro.

Para a segunda fase, o Banco Central anunciou algumas mudanças:

  • Não haverá mais necessidade de agendamento. O cidadão poderá pedir o resgate dos recursos no momento da primeira consulta;
  • O SVR contará com informações novas repassadas pelas instituições financeiras. Ou seja, mesmo quem já resgatou seus recursos e quem não tinha valores a receber na primeira etapa deve consultar novamente o SVR, pois os dados serão atualizados e pode haver recurso novo.

Nessa etapa, os cidadãos poderão consultar se possuem dinheiro esquecido nos bancos oriundo de:

  • Contas-correntes ou de poupança encerradas, com saldo disponível;
  • Tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que a devolução esteja prevista em Termo de Compromisso assinado pelo banco com o BC;
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito;
  • Recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados.


Fonte: IG ECONOMIA

Continue lendo

Economia

‘Basta aprovar reforma tributária’, diz Guedes sobre Auxílio de R$ 600

Publicado

'Basta aprovar reforma tributária', diz Guedes sobre Auxílio de R$ 600
Lorena Amaro

‘Basta aprovar reforma tributária’, diz Guedes sobre Auxílio de R$ 600

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira (17) que, para manter o valor do Auxílio Brasil em R$ 600 em 2023, “basta aprovar reforma tributária um dia após a eleição”. A declaração foi feita durante fórum da Tag Investimentos.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Ele também afirmou que uma possibilidade seria corrigir a tabela do Imposto de Renda e tributar lucros e dividendos.

O ministro argumentou que, até então, as despesas extras, incluindo as relativas ao auxílio emergencial, foram cobertas por receitas extraordinárias.

Também disse que os pacotes aprovados pelo governo nos últimos meses para auxiliar os mais pobres, como a “PEC Eleitoral”, estão “inteiramente pagos”, com uma estimativa de encerrar o ano com superávit primário.

Guedes afirma que seguirá no governo caso Bolsonaro seja reeleito

Durante o evento, Paulo Guedes também indicou que seguirá no governo caso o presidente Jair Bolsonaro (PL) vença as eleições em outubro. “Eu sou incansável quando acredito no que precisa ser feito”, afirmou ele.

Segundo ele, a aliança entre liberais e conservadores também deve continuar em um segundo mandato. “Vamos seguindo, estamos juntos.”

Economia

Guedes disse que as previsões que apontam para uma desaceleração da economia consideram um modelo antigo do país e não levam em conta as reformas realizadas nos últimos anos, com redução do papel do Estado. “Trocamos o eixo da economia brasileira”, declarou ele. 

Sobre a estimativa para o PIB de 2022, o ministro questionou a projeção feita pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), que prevê alta de 2,5%. “Acho que vai ser maior, mas não falo nada”, pontuou.


Fonte: IG ECONOMIA

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana