conecte-se conosco


Geral

Várzea Grande abre pré-cadastro de vacinação para pessoas com comorbidades de 50 a 59 anos

Publicado

Várzea Grande abriu pré-cadastro para vacinação contra a COVID 19, para aqueles com idade entre 50 à 59 anos e com comorbidades e seguindo os critérios estabelecido pelo Ministério da Saúde através do Plano Nacional de Imunização (PNI):
• Pessoas com Síndrome de Down, independente de idade (a partir de 18
anos);
• Pessoas com doença renal crônica em diálise, independente de idade (a
partir de 18 anos);
• Gestante com ou sem comorbidades, independente de idade (a partir de
18 anos);
• Pessoas com comorbidades de 50 a 59 anos;
• Pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de
Benefício de Prestação Continuada (BPC) de 50 a 59 anos.

As inscrições podem ser feitas através do site oficial do município no endereço www.varzeagrande.mt.gov.br no banner no topo do site, IMUNIZAÇÃO VÁRZEA GRANDE – PRÉ CADASTRO PARA VACINAÇÃO CONTRA COVID 19.
Após o Cadastro a pessoa poderá consultar através do número do seu CPF o seu agendamento da vacinação contra o COVID-19 (data e hora) com o prazo de até 3 dias úteis.  Após este período ele deverá entrar em contato
pelo 0800 647 4121.
Deverá ser apresentado OBRIGATORIAMENTE os seguintes documentos no momento da vacinação:

• Documento com foto;
• Cartão do SUS;
• Comprovante de endereço.

Deverá ser entregue no ato da vacinação, LAUDO MÉDICO, comprovando a comorbidade, com data inferior a 90 dias da data da emissão.
O laudo deverá conter o CID 10 e assinatura do médico com seu CRM. Com a omissão de qualquer um destes documentos a pessoa não será vacinada. “Queremos e vamos avançar. Na medida que novas doses de vacina chegarem à ordem é para acelerar a imunização e dedicar esforços, no sentido, de proteger nossa população”, disse o prefeito Kalil Baracat que tem insistentemente cobrado das demais autoridades uma definição quanto a uma rotina na entrega das vacinas para que os municípios, que na prática são aqueles que aplicam as doses, possam planejar sua atuação.
Segundo Kalil Baracat o que interessa neste momento é a imunização das pessoas diante da pandemia da COVID 19. “Queremos salvar vidas. Neste momento é o que importa e depois voltarmos a vida ao normal”, disse ele.
Atualmente Várzea Grande tem cinco pontos de vacinação, sendo três fixos e dois drive-thru e existindo vacina e larga escala não descarta abrir novos pontos.
Em parceria com a Clínica Médica do Centro Universitário Várzea Grande (UNIVAG), a Prefeitura de Várzea Grande mantém um Ponto Fixo e um Drive-Thru, sendo que ali também se realiza o Corujão da Vacinação que é uma das opções mais procuradas pela população que tem meios de locomoção assegurados.
Já em parceria com a Assembleia Legislativa de Mato Grosso, são outros dois pontos, um fixo no Miniestádio do Jardim dos Estados e Drive-thru no Parque Berneck.
Fora isto, existe ainda um ponto fixo no Ginásio de Esportes Júlio Domingos de Campos (FIOTÃO), que se tornou estratégico por estar ao lado do Terminal André Maggi, por onde circulam uma média de 75 mil pessoas diariamente e que necessitam do transporte coletivo. “Nós temos Várzea Grande dividida em quatro áreas que são cobertas por
estes pontos de vacinação e toda uma logística foi montada para atender essa demanda que envolve a Guarda Municipal por causa da segurança, a Vigilância em Saúde, a Vigilância Epidemiológica e um volume de mais de
150 pessoas da Secretaria Municipal de Saúde, principalmente trabalhadores da saúde para realizar um bom atendimento e de confiança para cada pessoa vacinada”, disse o secretário de Saúde de Várzea

 

 

publicidade
1 comentário

1 comentário

  1. Claudemar braatz de morais disse:

    Guando vai comesar a vascinação das pessoas que tem 45 anos

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Ministério da Justiça leiloa fazendas avaliadas em mais de R$ 8 milhões em MT

Publicado

Bens foram apreendidos por determinação judicial e serão leiloados no dia 18 de junho

O Ministério da Justiça e Segurança Pública vai leiloar, no dia 18 de junho, duas fazendas em Mato Grosso, oriundas de crimes de lavagem de dinheiro, ocultação de bens, direitos ou valores provenientes da “Operação Spectrum”. A fazenda Jupinda II está avaliada em mais de R$ 1 milhão, já a Pôr do Sol III, em cerca de R$ 7 milhões.

Além de leilões dos bens apreendidos do tráfico de drogas, o ministério passou a utilizar a estrutura da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) para efetuar a venda de itens oriundos do enriquecimento ilícito envolvendo outros crimes, como corrupção e lavagem de dinheiro, com perda de patrimônio em favor da união.

Só em Mato Grosso já foram arrecadados mais de R$ 42 milhões, em 18 leilões realizados desde 2020, com venda de mais de 2,6 mil ativos. O recurso arrecadado é destinado aos cofres públicos. Quando é oriundo de crimes relacionados ao tráfico de entorpecentes, abastece o Fundo Nacional Antidrogas (Funad), que financia projetos que reforçam a segurança pública e o combate às drogas no país.

Continue lendo

Geral

MP cobra ações imediatas para evitar novo desastre ambiental nas baías Chacororé e Siá Mariana no Pantanal

Publicado

As baías de Chacororé e Siá Mariana já enfrentam situação caótica antes mesmo do período das secas

Antes mesmo do período mais crítico da seca, as baías Siá Mariana e Chacororé, na região do Pantanal Mato-grossense, já enfrentam situação caótica. Nesta terça-feira (15), a prefeita do município de Barão de Melgaço, Margareth de Munil, o presidente da Câmara de Vereadores de Santo Antônio de Leverger, Rômulo Queiroz das Neves, e os deputados estaduais Allan Kardec, Max Russi e Carlos Avalone se reuniram com o promotor de Justiça Joelson de Campos Maciel para discutir a adoção de medidas urgentes para minimizar os impactos ambientais nos dois mananciais. O secretário-executivo da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Alex Sandro Antonio Marega também participou das discussões.

Segundo o promotor de Justiça, durante o encontro foram discutidas “medidas urgentes para mitigar a agonia por que passa a Baía de Chacororé, cuja seca já começa a atingir também a Baía de Siá Mariana”. Entre as medidas propostas estão a criação de um gabinete de gerenciamento de crise ambiental; organização e atuação de força tarefa envolvendo todos da região afetada para que se acompanhe urgentemente a desobstrução dos canais que alimentam as baías; bombeamento de água para aumentar o fluxo de passagem interrompido em alguns locais na MT 040 e utilização de maquinário de voluntários para limpeza dos canais, com acompanhamento técnico da Sema.

Foi sugerida também a intensificação do diálogo com a comunidade local para ouvi-la diretamente nesses problemas, com o envolvimento de Furnas, que administra a Usina de Manso, para aumentar a vazão e melhorar o fluxo de água para o pantanal, dentre outras medidas.

AÇÃO CIVIL PÚBLICA – O promotor de Justiça explicou que já existe Ação Civil Pública, com pedido liminar, requerendo ao Poder Judiciário que determine ao Estado a adoção de várias providências com vistas à resolução concreta e continuada de problemas e/ou crimes ambientais relacionados à redução do volume de água dos mananciais. A ação foi distribuída em 29 de março, mas ainda não houve decisão relativa ao pedido liminar até agora.

Na ação, o MP destaca problemas como o assoreamento da área úmida dos ribeirões Cupim e Água Branca, em ambas as margens da rodovia MT-040; obstrução do fluxo de água na rodovia MT-040, em razão da elevação do aterro, instalação de manilhas acima do nível de base e da própria insuficiência das estruturas de drenagens para atender ao regime hidrológico característico do bioma pantaneiro; construção de aterros, barragens, drenos e diques em diversas propriedades; obstrução de corixos; alterações na qualidade da água e na vazão do rio Cuiabá relacionadas à dinâmica de operação do reservatório do APM Manso; e existência de estradas vicinais e de acesso às propriedades construídas sem a adoção da técnica adequada.

O MPMT cita ainda o aumento do desmatamento em Área de Preservação Permanente (APP) dos cursos hídricos e nas cabeceiras (nascentes); ocupações irregulares e a agricultura e pastagem intensiva em APP. A instituição requereu ao Poder Judiciário que determine ao Estado o cumprimento do plano de manejo sustentável da Estrada Parque MT 040, “Estrada Verde”, e a suspensão da análise/aprovação de processos de licenciamento ambiental e da emissão de outorgas referentes a novos aproveitamentos hidrelétricos de qualquer porte (PCH/UHE), notadamente, daqueles que ainda não estão em operação comercial, em toda a bacia do Rio Cuiabá, até que se estabeleça estudo detalhado junto à Agência Nacional de Águas sobre o tema, aplicando o princípio da prevenção.

Solicita também a expedição de mandado judicial para autorizar a entrada dos órgão da Administração Estadual em todas as propriedades particulares onde há dano ambiental, de natureza criminosa ou não, que comprometa o abastecimento de água nas baías de Chacororé e Siá Mariana, tudo sendo acompanhado por técnicos da Sema, Batalhão Ambiental e o Juvam, conforme o caso.

UNIDADE DE CONSERVAÇÃO – A Assembleia Legislativa deu mais um passo importante para a aprovação, em primeira votação, de projeto de lei que transforma as baías Chacororé e Siá Mariana em Unidades de Conservação, cujo autor da matéria é o deputado Allan Kardec. O promotor de Justiça Joelson Campos Maciel destacou a importância da iniciativa.

“Transformar Chacororé em uma unidade de conservação é o grande sonho de qualquer ambientalista. O meio ambiente ficaria muito feliz e aí sim teríamos instrumentos legais para diminuir os impactos no local, uma vez que a baía não tem hoje proteção específica”, afirmou o promotor.

 

 

 

 

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana