conecte-se conosco


Agro News

Valor da Produção Agropecuária para 2020 é estimado em R$ 674,10 bilhões

Publicado

O resultado do levantamento da safra de grãos impactou favoravelmente no Valor da Produção da Agropecuária (VBP) deste ano, estimado em R$ 674,10 bilhões, e representa um acréscimo real de 6,7% em relação a 2019. As taxas de crescimento previstas são de 6,4% para as lavouras e 7,3% para a pecuária. 

As informações de safras divulgadas nesta semana pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) e pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indicam desempenho favorável para a safra de grãos. Até o momento, não tem havido problemas climáticos nas principais regiões produtoras e as previsões são de uma safra de 251 milhões de toneladas segundo a Conab, e 246,7 milhões de toneladas segundo levantamento do IBGE. Esses números são recordes para a produção brasileira de grãos.

“Soja, milho e café são os principais estimuladores do crescimento do VBP e contribuem com 59% do valor total das lavouras analisadas”, avalia o coordenador-geral de Avaliação de Políticas e Informação do Departamento de Financiamento e Informação da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), José Garcia Gasques.

Os aumentos de valor em relação ao ano passado devem ser de 25,7% no café, 13,5 % no milho, e 14,3% na soja. “Deve-se destacar a relevância das exportações para os resultados do milho e soja”, salienta Gasques.

No informativo de fevereiro, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) mostra que na safra 2019/2020, os embarques da soja brasileira devem ser de 77 milhões de toneladas e as dos Estados Unidos, 49,77 milhões de toneladas. A produção de soja prevista é de 125 milhões de toneladas para o Brasil, e de 96,8 milhões de toneladas para os Estados Unidos, conforme levantamento do USDA.

Outra importante contribuição vem sendo dada pela pecuária, especialmente, bovinos, com aumento de 12,4% no VBP, suínos, 24% e frango, 3,1%. O leite e os ovos, em situação desfavorável, mostram retração do VBP neste ano.

De acordo com o estudo coordenado por Gasques, um grupo de produtos vem apresentando redução real de valor da produção, como o algodão, banana, batata inglesa, cana-de-açúcar, feijão, laranja, tomate e trigo. “Como, em geral, não são retrações fortes, é possível que as posições negativas mudem no decorrer do ano”, alerta o pesquisador.

Os resultados regionais mostram, como em relatórios anteriores, que Centro-Oeste, Sul e Sudeste lideram as contribuições ao VBP de 2020, com taxas de 31,95%, 26,9% e 25%, respectivamente.

De acordo com o estudo da secretaria, um dos destaques neste mês é que o estado do Paraná, grande produtor de grãos e pecuária, especialmente frangos, superou São Paulo. A cana-de-açúcar perdeu relevância ao longo dos anos nesse estado.  

Participação dos Estados no Valor Bruto da Produção

vbp fevereiro.png

Fonte: DFI/SPA/Mapa

O que é VBP

O VBP mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento. Calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária, e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil. O valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getúlio Vargas. A periodicidade é mensal. 

>> Veja aqui resumo do VBP 2020

>> Veja aqui VBP por região

>> Veja aqui VBP por produto

 

Informações à imprensa
Coordenação-geral de Comunicação Social
Inez De Podestà
[email protected]  

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agro News

Sustentabilidade da Aprosoja apresenta balanço do CT etapa milho

Publicado


Sustentabilidade

Sustentabilidade da Aprosoja apresenta balanço do CT etapa milho

As etapas de soja e milho são referentes aos meses de janeiro a setembro deste ano

01/12/2020

A Comissão de Sustentabilidade da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) se reuniu na sexta-feira (27.11), por meio de videoconferência, para apresentar o balanço do Circuito Tecnológico 2020. Este ano os trabalhos iniciaram em janeiro e foram até abril na etapa milho. Cento e setenta e sete propriedades foram visitadas e mais de 300 amostras de fertilizantes coletadas, chegando a um resultado de cerca de 22% por cento de reprovação em pelo menos 1 elemento.

Já na etapa soja, que foi de abril a setembro as visitas ocorreram em mais de 717 propriedades, em 97 municípios. Ao todo, 1611 amostras coletadas com mais de 17% de reprovação em pelo menos um elemento.

A gerente de Sustentabilidade Socioambiental da Aprosoja, Marlene Lima, afirmou que a preocupação era de não poder atender as demandas por conta da pandemia. “Mudamos a estratégia e tivemos um resultado surpreendente. Agendamos as visitas de acordo com os chamados dos produtores rurais para entrarmos nas propriedades, com isso aumentou o número de atendimento. Realizamos 2700 coletas de fertilizantes, e visitamos quase 2 mil propriedades. Entre 15 e 20 dias os participantes já recebiam o laudo das amostras pelo whatsApp.

A pesquisa de satisfação também foi outra supressa, afirma Marlene. “O produtor rural considerou de forma positiva nosso trabalho e tivemos 100% de satisfação”, pontuou.

O encontro contou com a participação do consultor técnico de Vinhedo-SP, José Francisco da Cunha, e de 35 produtores rurais, além do delegado coordenador de Jaciara, Celestino Piotto e supervisores da Aprosoja.

Para mais informações sobre o balanço do Circuito Tecnológico etapa milho e soja entrar em contato com a Comissão de Sustentabilidade da Aprosoja, por meio do telefone: (65) 3644-4215.

 

Fonte: Ascom

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Continue lendo

Agro News

ETANOL/CEPEA: Indicadores recuam no encerramento de novembro

Publicado


Cepea, 1º/12/2020 – A última semana de novembro foi marcada por ritmo menor de negócios envolvendo os etanóis hidratado e anidro, com apenas volumes pontuais sendo adquiridos por distribuidoras. Segundo pesquisadores do Cepea, nem mesmo a valorização da gasolina A foi suficiente fazer os compradores voltarem ao mercado. Diante disso, os preços se enfraqueceram no mercado paulista no encerramento do mês. O Indicador CEPEA/ESALQ do etanol hidratado (preço ao produtor) foi de R$ 2,0707/litro (sem ICMS e sem PIS/Cofins) entre 23 e 27 de novembro, leve baixa de 0,18% em relação ao da semana anterior. No caso do etanol anidro, o Indicador CEPEA/ESALQ foi de R$ 2,4184/litro (sem PIS/Cofins), redução de 0,08% no mesmo período. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana