conecte-se conosco


Economia

‘Urubu do Pix’ promete dinheiro fácil, mas é golpe

Publicado

Mais uma isca na rede: 'urubu do Pix' promete dinheiro fácil e rápido. Fuja, é golpe
Redação 1Bilhão Educação Financeira

Mais uma isca na rede: ‘urubu do Pix’ promete dinheiro fácil e rápido. Fuja, é golpe

A promessa de dinheiro fácil e rápido, além de memes engraçados utilizando o nome de “urubu do Pix “, têm servido de isca para aplicar golpe nas redes sociais utilizando uma ferramenta diferente do ataque hacker, quando o dispositivo é invadido por vírus, por exemplo. A arma do crime cibernético, neste caso, é a engenharia social, técnica que pode ser feita de forma on-line, por meio de perfis falsos nas redes ou, ainda, usando a interação humana e o uso de malwares, como no caso das ligações telefônicas.

O objetivo desse golpe é manipular as pessoas, oferecendo “oportunidades únicas” por tempo limitado ou gratuidades e até preços mais em conta. Só que, no fim das contas, tudo não passa de fraude. E ninguém está livre de passar por isso, segundo especialistas em segurança cibernética. Isso porque não existe um perfil específico para as táticas da engenharia social, considerando a quantidade de informações pessoais existentes hoje nas redes sociais.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

Como funciona o golpe do ‘urubu do Pix’

Uma página com muitos seguidores no microblog posta uma oferta de outro mundo: nela, o usuário que fizer a transferência de um determinado valor via Pix terá esse valor multiplicado e devolvido em minutos. Só que o dinheiro não volta, e o usuário pode ficar com uma dor de cabeça maior ainda: o falsário pode roubar os dados pessoais. Isso porque muitas pessoas utilizam número de CPF ou de telefone como chave do Pix.


O anúncio traz um link que leva ao WhatsApp, e é por esse meio que o golpe é aplicado. Para dar credibilidade à engenharia social, os falsários fazem o envio de um “valor teste” para que o usuário caia na emboscada. Os perfis utilizam ainda agradecimento de retorno financeiro com o “urubu do Pix”.

“Esse golpe promete lucros exorbitantes às vítimas. Via de regra, recomenda-se que os usuários desconfiem de ofertas muito vantajosas, como rendimentos altos em um curto período de tempo”, explica Cristian Souza, professor no Instituto Daryus de Ensino Superior Paulista (Idesp) e consultor de Cyber Security da Daryus Consultoria.

Um perfil no Twitter chega a oferecer uma tabela com valores. Para uma aplicação de R$ 1 mil, o retorno seria de R$ 7.500; para R$ 2 mil, de R$ 15 mil. E sinaliza embaixo: seguro, prático e rápido. Outro internauta agradece e recomenda o “urubu do Pix” e coloca uma imagem em baixa resolução da cilada.

Como se proteger de engenharia social?

• Evite clicar em links ou anúncios que prometem prêmios, comumente enviados por aplicativos de mensagem ou via SMS.

• Para quem foi vítima do golpe, recomenda-se anotar os dados da transação e registrar um boletim de ocorrência na delegacia de polícia.

• Evite publicar informações pessoais ou de trabalho. Deixe apenas o essencial em redes específicas para isso, como é o caso do LinkedIn.

• Não aceite ajuda de estranhos: ligações que oferecem ajuda e oportunidades surreais também são tentativas de golpe. Nunca passe seus dados pessoais e sempre confira os canais oficiais de atendimento.

• Use e atualize o antivírus: seja no seu computador pessoal ou do trabalho, verifique se os softwares de proteção estão em dia e se a empresa oferece outras ferramentas como VPN e verificação em duas etapas.

• Cuidado ao instalar ferramentas em sua máquina. Não baixe programas e softwares de sites suspeitos e sem conhecimento. Eles podem ser ilegais ou, ainda, estarem contaminados por malware.

• Ative a confirmação em duas etapas. Sempre que possível, deixe a verificação ativa nos seus aplicativos, especialmente redes sociais e apps de bancos e contas digitais.

O que dizem as redes

Procurado, o Twitter informou que “suspendeu aquelas que estavam em violação de suas políticas”. E acrescentou que é possível denunciar contas ou conteúdos por meio da Central de Ajuda do Twitter ou no próprio aplicativo.

Já o WhatsApp declarou que “não permite o uso do seu serviço para fins ilícitos ou não autorizados, como violar direitos de terceiros, incitar ou encorajar condutas ilícitas e inadequadas, incluindo a coordenação de danos reais”. E acrescentou que, se um usuário viola os Termos de Serviço ou as Políticas do aplicativo, o WhatsApp pode tomar medidas em relação a esta conta, como desativá-la ou suspendê-la.

“Por utilizar criptografia de ponta a ponta como padrão, o WhatsApp não tem acesso ao conteúdo das mensagens trocadas entre usuários e não realiza moderação de conteúdo”.

Como denunciar?

O aplicativo explica que a denúncia pode ser feita diretamente nas conversas, por meio da opção “Denunciar” disponível no menu do aplicativo (Menu > Mais > Denunciar) ou pressionando uma mensagem por mais tempo e acessando Menu > Denunciar.

“Os usuários também podem enviar denúncias para o e-mail [email protected], detalhando o ocorrido com o máximo de informações possível e até anexando uma captura de tela”, diz em nota.

Fonte: IG ECONOMIA

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

BB lança linha para compra de meios de transporte pouco poluentes

Publicado

Os interessados em comprar meios de transporte que gastem pouco ou nenhum combustível podem contar com uma linha de crédito. O Banco do Brasil (BB) lançou hoje (16) a linha BB Crédito Mobilidade, que financiará itens como bicicletas, patinetes, scooters elétricas ou mecânicas e motos abaixo de 125 cilindradas em até cinco anos.

Até 100% do valor da nota fiscal do produto pode ser financiado, desde que limitado a R$ 20 mil, o teto da linha. A linha tem prazo de até 60 meses, com o pagamento da primeira parcela podendo ocorrer até 59 dias após a contratação. Os juros mínimos serão de 1,83% ao mês (24,31% ao ano). As prestações são debitadas em conta, na data escolhida pelo cliente.

A contratação está disponível para os clientes pessoa física, que podem contratar pelo aplicativo do Banco do Brasil. Basta ir ao menu “Empréstimos”, escolher a opção “Contratar Financiamentos” e clicar em “BB Crédito Mobilidade”. Os bens são fornecidos por meio de empresas que têm convênio firmado com o Banco do Brasil.

De acordo com o BB, a nova linha aumenta o compromisso da instituição com iniciativas com resultados sociais e ambientais positivos. Segundo balanço divulgado pelo banco na semana passada, as operações de crédito sustentáveis atingiram R$ 292,2 bilhões no fim do primeiro semestre, com alta de 13,3% em 12 meses. Recentemente, o banco reduziu os juros para os financiamentos de carros híbridos e elétricos.

Edição: Bruna Saniele

Fonte: EBC Economia

Continue lendo

Economia

Ministro: teto do ICMS pode ser revisto se estados perderem receita

Publicado

A equipe econômica poderá rever o teto do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), caso os estados provem perda de arrecadação, disse hoje (16) o ministro da Economia, Paulo Guedes. Ele participou de audiência de conciliação entre estados e a União, promovida pelo ministro Gilmar Mendes, relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF).

A participação de Paulo Guedes não estava prevista na agenda oficial. Durante o discurso, o ministro disse que as unidades da Federação continuam com o caixa cheio e que eventuais perdas de receita com a fixação do teto do ICMS poderão resultar numa revisão da proposta.

“Vamos ver o saldo antes de a gente brigar. É extraordinariamente sábia a decisão do ministro Gilmar [Mendes]. Vamos ver os números? Se os números mostrarem que houve aumento de arrecadação forte, apesar da redução das alíquotas, então segue o jogo. Se, ao contrário, mostrar que houve prejuízo à Federação, eu mesmo vou ficar envergonhado e vou querer rever”, declarou Guedes. “Ninguém sacrificou [os gastos em] saúde e educação”, continuou.

Em junho, o Congresso aprovou a fixação do teto do ICMS de 17% a 18% sobre combustíveis, energia elétrica, transportes e comunicações. O Comitê Nacional de Secretários de Fazenda (Comsefaz), que representa as Secretarias Estaduais de Fazenda, rechaça a versão do governo e alega que as unidades da Federação perderão R$ 92 bilhões por ano com o teto.

Segundo Guedes, a redução de impostos indiretos (que incidem sobre o consumo), como o ICMS está sendo compensada pela falta de correção da tabela do Imposto de Renda, cuja receita é partilhada com estados e municípios. “A arrecadação de Imposto de Renda está subindo bastante, o que acaba equilibrando a balança”, declarou.

Repasse de ganhos

O ministro da Economia voltou a afirmar que as desonerações em vigor neste ano visam a repassar para a população a arrecadação extraordinária com a recuperação da economia. “Além do ICMS, reduzimos impostos como o IPI [Imposto sobre Produtos Industrializados]. [Mesmo assim], estamos com um [resultado] fiscal muito forte, nunca foi tão forte”, declarou.

Guedes negou existir qualquer conflito entre a União e os estados. Lembrou que, nos últimos anos, o governo federal fechou um acordo em relação à Lei Kandir, transferiu cerca de R$ 11 bilhões da cessão onerosa do pré-sal aos governos locais e concedeu um pacote de ajuda durante a pandemia de covid-19.

“Todo mundo deve ter uma posição mais confortável hoje. Agora, começam a se acumular distorções, como o piso da enfermagem, que talvez se torne insustentável para os municípios em algum momento”, concluiu Guedes. Sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro no início do mês, o piso estabeleceu salário mínimo de R$ 4.750 para enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem e parteiras. O presidente vetou um artigo que previa reajuste anual pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Edição: Bruna Saniele

Fonte: EBC Economia

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana