conecte-se conosco


Educação

Universidades abrem inscrições para vestibular indígena unificado

Publicado


A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) estão com inscrições abertas para o vestibular indígena. A partir deste ano, o processo seletivo das duas instituições será o mesmo. Os candidatos farão apenas uma inscrição, indicando até dois cursos, um em cada universidade. O prazo vai até 20 de janeiro.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas no site da Comvest. Os editais com as regras e as vagas por curso e o calendário completo do processo seletivo estão disponíveis tanto no site da UFSCar quanto no da Unicamp.

Na UFSCar, esta será a 15ª edição da modalidade de ingresso para estudantes indígenas e na Unicamp, a quarta. A Unicamp oferece 130 vagas, distribuídas em todos os cursos da universidade, e a UFSCar, até duas vagas, em 65 diferentes opções de cursos.

Para participar, os candidatos deverão comprovar que pertencem a uma das etnias indígenas do território brasileiro, por meio da documentação especificada no edital, a ser entregue no dia da prova do vestibular. Além disso, os participantes não podem ter cursado nenhum período do ensino médio em escola particular. Um dos pré-requisitos é ter feito o ensino médio integralmente na rede pública, ou em escolas indígenas reconhecidas pela rede pública de ensino, ou ter obtido a certificação em exames oficiais, como o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). Caso sejam aprovados no vestibular, os estudantes terão de comprovar as exigências, apresentando no ato da matrícula toda a documentação exigida.

A prova para ambas universidades será a mesma e poderá ser feita em Bauru e Campinas (SP); Dourados (MS); Manaus, São Gabriel da Cachoeira e Tabatinga (AM) e no Recife no dia 13 de março. Para prestar o exame, os candidatos deverão apresentar o registro administrativo de nascimento de indígena (Rani), a declaração de etnia e de vínculo com a comunidade indígena original e a carteira de identidade, desde que conste a origem e etnia do candidato.

A prova será em português. O programa de estudos para a prova está disponível no edital do exame. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail [email protected]

Edição: Nádia Franco

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

MEC abre inscrições para o Programa de Bolsa Permanência 2022

Publicado


O Ministério da Educação autorizou a abertura de novas inscrições no Programa de Bolsa Permanência (PBP) para 2022. O benefício, de R$ 900, é pago para estudantes indígenas e quilombolas, matriculados em cursos de graduação presencial ofertados por instituições federais de ensino superior.

De acordo com a portaria publicada na edição desta sexta-feira (21) do Diário Oficial da União, as inscrições deverão ser realizadas pelo Sistema de Gestão da Bolsa Permanência (SISBP), no período de 24 de janeiro a 28 de fevereiro.  

A análise da documentação comprobatória de elegibilidade do estudante e a aprovação do cadastro no SISBP deverão ser realizadas pelas instituições federais de ensino superior, no período de 24 de janeiro a 31 de março.

Até a mesma data, será feita, também, a análise da documentação comprobatória de elegibilidade do estudante ao programa e a aprovação do respectivo cadastro no sistema pelas instituições federais de ensino superior.

Segundo o MEC, a distribuição de vagas disponíveis considerará o quantitativo de alunos matriculados e de alunos cadastrados no programa, por instituição, no término do exercício anterior.

O Programa de Bolsa Permanência foi criado em 2013 e busca enfrentar as desigualdades sociais e étnico-raciais, garantindo a permanência e diplomação dos estudantes de graduação em situação de vulnerabilidade.

Edição: Aline Leal

Continue lendo

Educação

Belém adia volta presencial às aulas na rede pública de ensino

Publicado


A prefeitura de Belém adiou o retorno 100% presencial na rede pública de ensino da capital paraense. A decisão foi tomada nesta quinta-feira (20) pela Secretaria Municipal de Educação, após a identificação de casos de síndromes gripais entre trabalhadores da educação.

Gestores de escolas municipais receberam ofício da pasta detalhando como será o retorno.

As aulas serão retomadas na próxima segunda-feira (24), data que já estava prevista, mas apenas no formato remoto. A partir do dia 31, o retorno começa a ser presencial, de maneira gradual, com 50% dos estudantes dos anos finais do ensino fundamental (do 6º ano 9º ano), da 3ª e da 4ª totalidade da educação de jovens, adultos e idosos (Ejai) e do ensino médio (Fundação Escola Bosque).

Em 7 de fevereiro, começam as aulas presenciais para 100% dos estudantes dos anos finais do ensino fundamental (do 6º ao 9º anos), da 3ª e da 4ª totalidade da Ejai e do ensino médio; e para 50% dos estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental (do 1º ao 5º anos) e da 1ª e da 2ª totalidade da Ejai.

No dia 14 de fevereiro, têm início as aulas presenciais para 100% dos estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental (do 1º ao 5º anos) e da 1ª e da 2ª totalidade da Ejai; e para 50% dos estudantes da educação infantil. Por fim, no dia 21 de fevereiro, recomeçam as aulas presenciais para 100% dos estudantes da educação infantil.

Segundo a prefeitura, o calendário anunciado poderá sofrer alterações conforme as orientações dos órgãos de vigilância sanitária.

A expectativa da Secretaria de Educação é que, enquanto não retornam ao ensino presencial, as crianças de 5 a 11 anos matriculadas na rede pública da capital tenham tempo de se vacinar contra covid-19.

Edição: Nádia Franco

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana