conecte-se conosco


Tecnologia

Uber começa a testar serviço mensal de assinatura para todos seus aplicativos

Publicado

IstoÉ Dinheiro

pessoa segura celular aberto no aplicativo uber. ao fundo da imagem, há carros estacionados arrow-options
shutterstock

Uber testa serviço de assinaturas

O próximo passo para a Uber fidelizar seus clientes será em forma de um serviço de assinatura que engloba todos os seus aplicativos – o serviço de transportes, Uber Eats e JUMP Bikes , serviço de aluguel de bicicletas da empresa presente nos Estados Unidos segundo o site TechCrunch. A empresa começará a testar um passe mensal de US$ 24,99 nas cidades de San Francisco e Chicago que dará aos assinantes desconto em todos as corridas pelo aplicativo, entrega grátis no Eats e aluguel gratuito das bicicletas e scooters elétricas da JUMP.

Veja os cinco melhores carros para motoristas de aplicativo

Em outros locais dos Estados Unidos, a empresa ainda oferece um pacote mais barato com descontos nas viagens e entrega grátis no Eats em compras acima de determinado valor. A empresa confirmou os rumores em nota para o TechCrunch que diz “dos carros às refeições e tudo entre eles, nós estamos sempre buscando maneiras de transformar a Uber em sua primeira opção para necessidades diárias”.

Leia Também:  Google Maps vai começar a informar se ônibus e trens estão cheios

Desde outubro de 2018 o aplicativo oferece nos Estados Unidos o Ride Pass , serviço de assinatura de US$ 24,99 ao mês que garante aos usuários descontos em todas suas corridas feitas no app. Esta, porém, é a primeira vez que a empresa estuda seriamente a junção de todos os produtos da companhia em uma única assinatura .

Uber Brasil ainda não se manifestou sobre a possibilidade de chegada do serviço ao Brasil.  

Veja também:  Uber Eats, Rappi e Ifood: conheça as diferenças entre os aplicativos de delivery

Fonte: IG Tecnologia
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Tecnologia

WhatsApp: aprenda a usar negrito, itálico, rasurado e mudar a fonte

Publicado

source

Olhar Digital

smartphone com whatsapp arrow-options
shutterstock

WhatsApp permite enviar textos com itálico, negrito, rasurado e até trocar a fonte; aprenda

Muitos usuários não sabem, mas o  WhatsApp disponibiliza alguns truques que podem deixar a troca de mensagens mais interessante, como a opção de colocar o texto em negrito , itálico , com efeito rasurado  e até mesmo com outra fonte .

Proteja-se: golpe rouba conta WhatsApp e já afetou 8,5 milhões de brasileiros

Veja aqui como usar cada um dos recursos:

Alterar a fonte

O app permite que o usuário altere a fonte tradicional para uma monoespaçada, ou seja, que as letras ocupam o mesmo espaço. 

Para utilizar esse recurso é necessário localizar o ícone de acento grave, e colocar três antes e depois da mensagem. Exemplo: “`insira seu texto aqui“`.

Negrito

O texto em negrito é muito utilizado para enfatizar uma palavra ou frase.

Tudo o que o usuário deve fazer é colocar um asterisco em cada extremo da palavra ou frase de destaque. Exemplo: *insira seu texto aqui*.

Whatsapp vai banir usuários que não tenham idade mínima permitida para usá-lo

Leia Também:  Google Maps vai começar a informar se ônibus e trens estão cheios

Itálico

Ele funciona da mesma forma que o truque do negrito, mas utiliza símbolos diferentes. Para essa função é usado o underscore (mais conhecido como underline ). Exemplo:  _insira seu texto aqui_.

Texto riscado

Para criar um texto com efeito riscado , o usuário deve inserir o símbolo do til no começo e final do texto. Exemplo: ~insira seu texto aqui~.

Fonte: IG Tecnologia
Continue lendo

Tecnologia

Proteja-se: golpe rouba conta WhatsApp e já afetou 8,5 milhões de brasileiros

Publicado

source

Olhar Digital

telefone celular arrow-options
shutterstock

Cibercriminosos conseguem roubar conta de WhatsApp e se passar por usuário

A clonagem de WhatsApp é um golpe que pode trazer transtornos graves à vítima, permitindo que ela seja imitada por alguém com más intenções, facilitando, por exemplo, a extorsão de amigos e familiares.

Para piorar, essa modalidade de ataque tem se tornado mais comum: segundo levantamento da empresa de segurança PSafe, cerca de 8,5 milhões de brasileiros já foram atingidos por um golpe do tipo.

WhatsApp fica instável na noite desta segunda-feira

Ainda segundo a empresa, o Dfndr Lab, divisão especializada em segurança digital ligada ao aplicativo de antivírus Dfndr, detectou apenas neste ano mais de 134 mil tentativas de roubo de contas de WhatsApp.

O método de ataque mais comum, segundo Emilio Simoni, diretor do laboratório, envolve enganar a vítima a fornecer o código de autenticação. O cibercriminoso cadastra o número em um aparelho, mas o código é enviado por SMS para o celular da vítima , ao qual o golpista normalmente não tem acesso direto.

Leia Também:  Google Maps vai começar a informar se ônibus e trens estão cheios

Hackers conseguem alterar mensagens no WhatsApp, diz empresa de segurança

Por isso, ele tenta entrar em contato com a vítima para fazer com que ela diga o código alegando algum motivo falso, normalmente ligado a segurança. Ao fornecer esse dado, o WhatsApp é bloqueado no celular da vítima e o cibercriminoso passa a ter controle da conta.

Esse não é o único método, no entanto. Uma técnica famosa é o “SIM Swap”, no qual o golpista obtém um chip de celular com o número da vítima, o que pode ser feito enganando um atendente da operadora ou simplesmente o subornando. A partir daí, ele pode usar o WhatsApp de outra pessoa livremente no seu smartphone.

De acordo com o estudo da PSafe, o principal prejuízo destes ataques foram o vazamento de conversas privadas , reportado por 26,7% dos entrevistados. Bem perto, na segunda colocação, está o envio de links com golpes para contatos, com 26,6% das respostas.

Outros relatos envolvem solicitações de dinheiro aos amigos (18,2%), perda da conta do WhatsApp (18,0%); e chantagem (10,5%).

Leia Também:  HospedagemWordPress é a melhor opção para seu site; saiba por que

Como evitar

A forma mais fácil de evitar esse tipo de ataque é jamais informar para ninguém o número de autenticação que chega por SMS.

É preciso ativar a verificação em duas etapas para manter meu login seguro?

Outra opção, consideravelmente mais segura, é cadastrar a autenticação em duas etapas , o que garante que, mesmo que alguém tenha o código de verificação do WhatsApp em mãos ele ainda precisará de uma senha previamente cadastrada, o que é mais difícil de ser obtido.

Fonte: IG Tecnologia
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana