conecte-se conosco


Internacional

Trump ataca revolução cultural "de esquerda" no Monte Rushmore

Publicado


.

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, acusou na sexta-feira (3) “multidões furiosas” de tentar apagar a história com esforços para remover ou repensar monumentos a figuras históricas dos EUA e usou um discurso no Monte Rushmore para se colocar como baluarte contra o extremismo de esquerda.

Na sexta, sete Estados norte-americanos divulgaram número recorde de novos casos de Covid-19, e a pandemia avançou ainda mais no círculo interno de Trump. Kimberly Guilfoyle, uma funcionária sênior da campanha e namorada de Donald Trump Jr., testou positivo para o Covid-19 em Dakota do Sul antes do evento, de acordo com Sergio Gor, funcionário da campanha de Trump. O teste de Trump Jr. deu negativo, disse Gor.

O evento, que antecedeu o feriado de 4 de Julho, atraiu 7.500 pessoas aglomeradas em um anfiteatro ao ar livre. Muitas não usavam máscaras, desafiando conselhos das autoridades de saúde que instaram os norte-americanos a evitar grandes reuniões para retardar a disseminação do covid-19.

Trump não usou uma máscara em público e fez apenas uma referência limitada à pandemia em seus comentários.

Falando sob o famoso marco que representa quatro presidentes dos EUA, Trump alertou que as manifestações sobre a desigualdade racial ameaçavam as fundações do sistema político dos EUA.

“Não se engane, esta revolução cultural de esquerda foi projetada para derrubar a revolução norte-americana”, disse Trump. “Nossos filhos são ensinados na escola a odiar seu próprio país.”

Trump, um republicano que tem enfatizado uma abordagem de “lei e ordem” para as manifestações, se opôs a propostas de renomear as bases militares dos EUA que receberam o nome de generais confederados.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Internacional

Ativistas pró-democracia são presos em Hong Kong

Publicado


source
Jimmy Lai
Reprodução/Twitter

Empresário Jimmy Lai está entre as pessoas que foram detidas

Um grupo de ativistas pró-democracia foi preso pelas autoridades de Hong Kong nesta segunda-feira (10). O ato é visto como um movimento de repressão por parte do governo.

O governo utilizou a nova Lei de Segurança para prender os ativistas. A legislação, que foi aprovada e implementada pela China em junho deste ano, pune atos considerados como secessão, terrorismo e conspiração com forças estrangeiras. As penas podem chegar até à prisão perpétua.

Não foi divulgado o número total de prisões. Entretanto, foi divulgado que nomes como o da ativista Agnes Chow, criadora do grupo Demosisto, e Jimmy Lai, empresário de comunicações, estão entre os presos.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Internacional

Explosão em posto de combustíveis na Rússia deixa 13 feridos; veja o vídeo

Publicado


source
A explosão aconteceu na cidade de Volgogrado, na Rússia.
Reprodução/Twitter

A explosão aconteceu na cidade de Volgogrado, na Rússia.

Na manhã desta segunda-feira (10), uma explosão em um posto de combustíveis deixou ao menos 13 feridos na Rússia

O episódio ocorreu na cidade de Volgogrado, a antiga Stalingrado. Informações da imprensa local dizem que a explosão aconteceu em decorrência de um incêndio, que teria começado em um tanque de gás.

Entre os feridos, estão bombeiros que tentavam conter as chamas .

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana