conecte-se conosco


Geral

TJ nega HC a sargento que recebeu R$ 800 e dois botijões para liberar caminhoneiro

Publicado

Sargento da Polícia Militar que recebeu R$ 800 e dois botijões de gás como ‘propina’ para liberar caminhão que transportava regularmente botijões de gás no município de Nova Bandeirantes (a 1.026 km ao norte de Cuiabá) teve o Habeas Corpus negado pelos magistrados da Primeira Câmara Criminal de Mato Grosso. O caso aconteceu em fevereiro deste ano e o militar seguirá preso, depois de prometer dar um ‘pipoco’ na vítima que lhe denunciou.

Conforme consta no processo, dois militares (3º sargento e um soldado) faziam rondas na estrada que dá acesso ao distrito de Japuranã, quando abordaram o motorista do veículo que transportava gás de cozinha. Por recomendação do sargento, o motorista foi encaminhado ao quartel por não apresentar a documentação exigida (notas fiscais). Neste momento, o sargento escreveu o número R$ 2 mil em um papel e sugeriu que esse seria o valor para liberar a carga.

A vítima disse que não teria a quantia exigida e nesse momento, uma nova proposta foi feita pelo sargento que teria dito que era ‘um negócio de pai para filho’ e baixou a quantia para R$ 1 mil. Sob ameaça de ter o caminhão apreendido, a vítima entregou R$ 800 e dois botijões de gás ao militar.

No quartel, ao ver a movimentação o tenente que estava trabalhando no local percebeu com estranheza o caso. Ao perguntar para o soldado sobre o que estava acontecendo teria recebido uma resposta evasiva, desconfiado foi até a vítima e lhe perguntou sobre o caso. Neste momento o motorista do caminhão relatou sobre o pedido de propina para a liberação do caminhão e da carga.

O tenente inquiriu o sargento sobre a acusação, que foi negada de prontidão. Todavia ao ser revistado o militar detinha da quantia exigida em propina (R$ 800), além do papel com o número 2 000 escrito e entregue ao caminhoneiro. Apesar da negativa os depoimentos das testemunhas eram uníssonas em direção contrária. No momento da apresentação da nota de culpa, o sargento teria dito que “vou responder a isso aqui, mas vou dar um ‘pipoco’ nesse cara”.

“Certamente se referindo a atirar com uma arma de fogo e atentar contra a vida dela, ameaça esta que foi proferida durante a apresentação da nota de culpa na presença do major, o que demonstra sua agressividade e, por consequência, sua periculosidade, relevando-se imperiosa medida que resguarde a ordem pública necessária para salvaguardar a conclusão da instrução criminal, mormente diante das prováveis ameaças de morte direcionadas à vítima, por ter confirmado na fase investigatória que foi compelida a entregar o referido valor em dinheiro para liberação de seu caminhão”, diz trecho dos autos.

Desta forma o juiz convocado para relatar o caso no segundo grau, Francisco Alexandre Ferreira Mendes Neto, observou a necessidade da prisão preventiva. “A prisão encontra-se fundamentada na garantia da ordem pública e conveniência da instrução criminal, consubstanciada na gravidade da conduta atribuída ao paciente, o qual – policial militar – teria exigido valor pecuniário para liberação de um veículo que não possuía qualquer irregularidade e, também, ameaçado a integridade física da vítima. A possibilidade de o paciente eventualmente ser condenado a cumprir sua pena em regime menos gravoso do que o fechado afigura-se insuficiente para lhe conferir a liberdade”, pontuou em seu voto seguido pelos demais membros da câmara julgadora.

 

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Provas do processo seletivo da Secretaria Estadual de Educação serão neste domingo; confira os locais

Publicado

Os profissionais admitidos irão desempenhar funções em carga horária de 30 horas semanais

As provas do Processo Seletivo Simplificado (PPS) da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) serão realizadas neste domingo (12) e contará com mais de 40 mil participantes. Os locais de prova foram divulgados nesta quarta-feira (8) pelo Instituto Nacional de Seleções e Concursos (Selecon), conforme o edital. Para acessar, basta clicar em Painel do Candidato e inserir o CPF e a senha. 

O seletivo visa a contratação temporária de profissionais que irão atuar na rede estadual de ensino, no ano letivo de 2022. Conforme levantamento da Seduc, foram registradas 41.680 mil inscrições.

Os profissionais admitidos irão desempenhar funções em carga horária de 30 horas semanais e contarão com salários de R$ 1.422,39 a R$ 4.436,54 ao mês. As provas serão realizadas no dia 12 de dezembro na Diretoria Regional de Educação (DRE), selecionada pelo candidato no ato de inscrição.

O processo tem como objetivo a seleção de professor, técnico administrativo educacional (TAE) e apoio administrativo educacional (AEE) para contratação temporária em demandas que não são caracterizadas como vagas de concurso, tais como aulas residuais e licença médica, para substituir servidores efetivos que, anualmente, são designados para funções como diretor, coordenador, secretário, assessor pedagógico na rede escolar.

O conteúdo programático será constituído por questões de língua portuguesa, informática básica, raciocínio lógico e matemática, conhecimentos gerais e específicos.

Para professor da Educação Básica haverá prova objetiva e discursiva. Os profissionais que irão atuar nas unidades especializadas (Tempo Integral, Educação Especializada, Sistema Prisional, Sistema Socioeducativo e Educação Quilombola), além de participar do processo seletivo simplificado, após a classificação final, deverão passar por avaliação de perfil e etapa eliminatória conduzida pela Seduc-MT, de forma a atender aos critérios específicos necessários para estas unidades.

Após aprovados, os profissionais deverão passar por avaliação semestral por desempenho, que irá analisar o cumprimento de requisitos mínimos como assiduidade, realização de diário de classe, plano de aula, entre outras obrigações.

Continue lendo

Geral

Radialista Cláudio Kiesqui morre aos 80 anos devido a complicações da Covid

Publicado

Idealizador do “Peladão”, Kiequi foi pioneiro na transmissão do futebol amador pelo rádio

Morreu na noite dessa quarta-feira (8), aos 80 anos, o radialista Cláudio Kiesqui, devido a complicações causadas pelo novo coronavírus (Covid-19). Ele estava internado em uma unidade hospitalar e devido a piora nas primeiras horas da manhã, precisou ir para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde chegou ser intubado, e morreu no início da noite.

Kiesqui foi o pioneiro na transmissão de futebol amador pelo rádio em Cuiabá, Várzea Grande e nos municípios da região. Durante décadas, transmitiu pela Rádio Industrial e outras emissoras, o programa “Amadorismo no Ar”.

Também foi o responsável pela implantação em Cuiabá, do “Peladão”, campeonato de futebol amador inspirado em uma competição de Manaus, no Amazonas, e que se tornou um dos destaques na primeira gestão do ex-prefeito Wilson Santos (PSDB). No governo de Pedro Taques, o torneio ganhou o Estado e tinha suas finais realizada na Arena Pantanal.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana