conecte-se conosco


Tecnologia

TikTok vai lançar rede social igual ao Instagram? Entenda

Publicado

Dona do TikTok planeja nova rede social, mas para o mercado chinês
Unsplash/Kon Karampelas

Dona do TikTok planeja nova rede social, mas para o mercado chinês

Nesta semana, internautas começaram uma campanha para que o Instagram volte a ser uma rede social apenas de fotos, depois da plataforma começar a priorizar vídeos, entregando um feed muito parecido com o do TikTok . A campanha contou com  celebridades como Kylie Jenner e Kim Kardashian . Agora, circula nas redes sociais a notícia de que o TikTok vai “se vingar” e criar uma rede social apenas de fotos.

A notícia, na verdade, é do início do mês e não é tão relacionada com o Instagram quanto parece. Em 11 de julho, o jornal South China Morning Post revelou um registro da ByteDance, empresa chinesa dona do TikTok, a respeito do lançamento de uma nova rede social.

A plataforma se chamaria Kesong, que significa croissant em chinês, e teria o foco em fotos, assim como o Instagram era antes das recentes mudanças. De acordo com o registro, o objetivo da rede social seria as pessoas compartilharem suas vidas e seus hobbies.

Segundo os documentos obtidos pelo South China Morning Post, o lançamento do Kesong acontecerá em breve, ainda no verão do hemisfério norte. Ao que tudo indica, porém, a rede social será lançada apenas na China, mercado no qual o Instagram sequer funciona.

O objetivo da ByteDance, portanto, seria competir com o Xiaohongshu, uma rede social parecida com o Instagram que é bastante popular na China – atualmente, ela tem mais de 200 milhões de usuários ativos mensais. Em 2018 e em 2019, a empresa já tentou criar plataformas similares para competir com o Xiaohongshu, mas elas não fizeram sucesso e foram descontinuadas.

Fonte: IG TECNOLOGIA

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tecnologia

RJ é uma das próximas cidades a receber o 5G; 15 capitais vão atrasar

Publicado

Problemas de infraestrutura vão atrasar 5G
Unsplash/Jakub Pabis

Problemas de infraestrutura vão atrasar 5G

Na próxima terça-feira (16), as cidades de Curitiba (PR), Goiânia (GO) e Salvador (BA) vão receber o 5G . Depois delas, as próximas capitais a terem a liberação da faixa referente à quinta geração de internet são Florianópolis (SC), Palmas (TO), Rio de Janeiro (RJ) e Vitória (ES). Já o prazo para as demais capitais foi prorrogado em 60 dias.

A decisão foi tomada nesta sexta feira (12) pelo Gaispi, grupo da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) responsável pela implantação do 5G no Brasil.

Florianópolis, Palmas, Rio de Janeiro e Vitória devem receber o 5G até o dia 29 de agosto. As demais capitais, porém, poderão receber a rede até o dia 28 de outubro.

O prazo foi prorrogado pelo Gaispi nesta sexta por motivos técnicos. Antes, todas as capitais brasileiras deveriam ter a faixa do 5G liberada até o final de agosto, ou seja, a prorrogação foi de 60 dias. O prazo para implementação comercial, que era no fim de setembro, saltou para 27 de novembro.

Segundo a Anatel, a prorrogação aconteceu para permitir a conclusão das ações de desocupação da faixa e mitigação de eventuais interferências na recepção das estações do Serviço Fixo por Satélite. Se as questões de infraestrutura forem resolvidas antes do prazo, as cidades podem ter o 5G liberado antes.

Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

Tecnologia

Facebook e Instagram rastreiam usuários quando eles clicam em links

Publicado

Meta rastreia usuários
Unsplash/Dima Solomin

Meta rastreia usuários

O navegador próprio do Instagram e do Facebook consegue rastrear dados completos dos usuários, de acordo com uma análise do pesquisador Felix Krause.

Quando um usuário clica em qualquer link no aplicativo do Instagram ou do Facebook, ele não é redirecionado para outros navegadores, como o Safari ou o Google Chrome, mas permanece em um navegador interno à rede social em questão. É justamente nessa página que a Meta consegue rastrear dados dos usuários.

“O aplicativo do Instagram injeta seu código de rastreamento em todos os sites exibidos, inclusive ao clicar em anúncios, permitindo que eles monitorem todas as interações do usuário, como todos os botões e links tocados, seleções de texto, capturas de tela, bem como quaisquer entradas de formulário, como senhas , endereços e números de cartão de crédito”, afirma Krause. Sua análise foi feita nos aplicativos para iOS.

Ao The Guardian, a Meta admitiu que usa o código para rastrear usuários, mas disse que não viola as regras da App Store de segurança dos usuários e que dados como senhas e números de cartão só são salvos se o usuário optar pelo preenchimento automático.

Krause defende que a Meta não conseguiria ter esse nível de rastreamento dos usuários se os sites fossem acessados em outros navegadores. Segundo ele, em outros navegadores, a empresa não conseguiria adicionar o rastreador em qualquer site seguro. Já na própria plataforma, a ferramenta “funciona para qualquer site, independentemente de estar criptografado ou não”.

O pesquisador sugere que Instagram e Facebook ofereçam aos usuários a opção de abrir links nos navegadores de sua preferência.

Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana