conecte-se conosco


Meu Pet

Tem um cachorro grande? Cuidado com a torção gástrica

Publicado

Um problema muito comum em cães de grande porte é a torção gástrica. Muitos pets de raças como Dogue Alemão , Terranova, Dálmata e outros sofrem com esta condição que se não diagnosticada rapidamente, pode ser fatal.

Leia também: Saiba quais são os perigos dos tratamentos caseiros para os pets

dogue alemão
shutterstock

Torção gástrica é comum em cachorro grande, como o Dogue Alemão


Para esclarecer dúvidas sobre a torção gástrica o professor do curso de Medicina Veterinária da Anhanguera de Niterói, Aluízio Nunes dos Santos fala sobre como o problema acontece e o que fazer para evita-lo.

Segundo Aluízio, o maior vilão é a velocidade em que o  cachorro grande come. “Quantidades exageradas de alimentos, velocidade de ingestão deles e a prática de exercícios logo após a alimentação são fatores que predispõe a dilatação do estomago seguida da torção deste órgão em seu próprio eixo levando ao comprometimento da vascularização gástrica”, explica.

E, se não socorrido logo, o pet pode falecer. “É um quadro agudo e emergencial que pode levar o paciente a óbito entre 6 e 12 horas caso não seja diagnosticado e receba implementação de uma estratégia terapêutica”, conta Aluízio.

Leia Também:  Shopping em São Paulo inaugura banco de doação de sangue animal

Leia também: Perigos presentes dentro de casa para seu animal de estimação

Para diminuir os riscos da torção o veterinário recomenda os seguintes passos:

  • Fracionar a quantidade de ração, evitando que o animal faça apenas uma refeição ao dia. Duas ou três porções diárias seria o ideal;
  • Diminuir a quantidade de líquidos ingeridos de uma só vez inclusive na hora das refeições. Água oferecida em mangueiras faz com que o animal acabe por fim ingerindo ar juntamente com o líquido, levando a distensão estomacal;
  • Rações pobres em fibras e com altas taxas de fermentação como amido, grãos e alimentos ricos em hidrato de carbono devem ser evitados para compor a dieta do animal;
  • Evitar que o animal se exercite após as refeições como correr e pular.

Sintomas

Aluízio diz que o principal sintoma é o tamanho do abdômen do animal. “A distensão abdominal é marcante, porque o acúmulo de gases faz com que esta parte do animal aumente cada vez mais causando um desconforto. Além disso, o cão pode apresenta dificuldade respiratória, excesso de salivação, aumento da frequência cardíaca, tentativas de vômito e flatulência, palidez de mucosas orais e oftálmicas e apatia.” Em casos mais graves, o pet pode até desmaiar.

Leia Também:  Mulher adota bode de estimação para evitar que ele seja sacrificado

Leia também: Projeto de lei permite a visita de pets em hospitais do Mato Grosso

Apesar de ser mais comum em cães de grande porte , a torção não é exclusiva deles. “Existe uma predisposição para animais de raças grandes por causa da anatomia destes animais em que o tórax e a cavidade abdominal são bastante profundos, e isso que agrava a ocorrência desta patologia nestas determinadas raças”, afirma. “Animais de pequeno porte podem ser acometidos eventualmente, porém é mais incomum”, completa o veterinário.

Fonte: Canal do Pet
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Meu Pet

Cães da raça spitz alemão ajudam mulher a sair da depressão e ganham quarto

Publicado

source

O ditado “o cão é o melhor amigo do homem” passou a fazer muito sentido para Daniela Sato depois que ela começou a conviver com spitz alemães. Quando se divorciou, nada parecia dar certo. Pelo contrário: Daniela via sua vida afundando. “Tinha largado tudo pelo meu ex-marido e agora eu estava sozinha”, conta. “A partilha de bens também não saia e tudo ia me afundando mais na depressão” – ela estava cada vez mais deprimida e nada conseguia tirá-la daquele estado.

Leia também: Dispositivo evita que tutor esqueça que já deu ração ao cachorro

Para tentar se distrair, Daniela abriu uma empresa: um petshop online especializado em mini coelhos. “Mas em 2015 a loja passou por uma crise, e isso também me jogou para baixo”, conta. “Como última opção, pensei em comprar um cachorro. Uma amiga até me indicou um criador”, e essa foi a ideia que finalmente faria Daniela se recuperar.

Os cães de Daniela arrow-options
Daniela Sato/ Arquivo pessoal

Os cães de Daniela


Hoje, ela tem seis cães da raça spitz alemão , Cookie, Shoyu, Mel, Jujuba, Gohan e Azuki, e um deles foi resgatado de situação de maus-tratos. “Eles foram como terapia para a minha depressão”, contou. O segundo baque na vida dela foi quando descobriu que não poderia ter filhos, um sonho de longa data. “Quando descobri que não podia mais engravidar sem a possibilidade de morte eles me ajudaram a enfrentar essa condição”, completa.

Leia Também:  Gatinha curiosa fica com a cabeça presa em brinquedo infantil

Nessa fase, a tutora teve outra ideia para tentar esquecer o problema: decorar um quarto de sua casa para seus cães . Parecido com um quarto de criança, o cômodo tem armário cheio de roupinhas, brinquedos, caminhas e o que mais os cachorros gostarem. “Ao mesmo tempo eles tiveram um crescimento enorme no Instagram e recebiam muitas coisas. Precisávamos deixar tudo mais organizado”, explica.

Leia também: Veterinária diz se pintar o pelo do cachorro é seguro ou não

Quarto dos cães arrow-options
Daniela Sato/ Arquivo pessoal

Quarto dos cães


Mas os cães não ficam presos durante o dia todo no quarto, pelo contrário. “Ficam lá quando querem ficar mais quietos durante o dia… ou brincando.” Durante a noite, dormem com Daniela, e tem acesso a casa toda, sem exceção.


Os passeios não são muito comuns para os Spitz , já que o medo de roubos é grande. “Mas tentamos ao máximo sair com eles”, conta. Já para viajar é um pouco mais complicado com uma família desse tamanho.

Armário cheio de roupinhas arrow-options
Daniela Sato/ Arquivo pessoal

Armário cheio de roupinhas



Leia também: Iguinho visita evento e faz sua estreia como influencer; veja fotos

Com seis cães, os cuidados veterinários são muitos, mas principalmente para dois especiais: um é diabético e tem muitas alergias. O outro viveu a vida toda dentro de uma gaiola até ser resgatado por Daniela, e por isso suas patas atrofiaram. E, além dos cães, ela também resgatava coelhos. “Já cheguei a ter seis coelhos. Hoje tenho apenas três”, completa.

Ver essa foto no Instagram

Insira sua legenda.

Uma publicação compartilhada por The House of poms – Dani Sato (@thehouseofpoms) em 4 de Jul, 2019 às 11:54 PDT


Fonte: Canal do Pet
Continue lendo

Meu Pet

Gato de hospital veterinário ganha festa de Bar Mitzvah

Publicado

source

Julio é um gatinho de 13 anos que mora em um hospital veterinário , o Care Animal Hospital, na Flórida. Como o bichano vem de uma família cheia de tradições, como diz a postagem em sua homenagem no Facebook, e por isso seu aniversário de 13 anos foi especial: um Bar Mitzvah, a tradicional celebração judaica de quando um menino é considerado maduro pela comunidade.

Leia também: “Ataque” em gato gordo gera fotos sensacionais; veja

Bar Mitzvah de Julio arrow-options
Facebook/ Care Animal Hospital

Bar Mitzvah de Julio


Segundo a Care Animal Hospital, a festa foi o “Purr Mitzvah” de Julio. Com roupa temática e até Torá – o livro típico da religião judaica. Aparentando estar muito feliz com seu aniversário nas fots, o gato recebeu até uma placa escrita “Mazel Tov” (boa sorte em hebraico).

Mas o gatinho já havia feito sucesso antes da festa. Julio aparece sempre no Facebook do Hospital Veterinário onde mora, e uma das publicações mais engraçadas com o felino é uma do “Desafio do Rei Leão ”, em que o levantam enquanto outros funcionários o veneram.


Fonte: Canal do Pet
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana