conecte-se conosco


Política Nacional

Tarcísio ignora ‘Bolsodrigo’ e alavanca bolsonarismo na campanha

Publicado

Tarcísio Freitas fez elogios a Bolsonaro nas redes sociais
Marcelo Camargo/Agência Brasil – 20/12/2021

Tarcísio Freitas fez elogios a Bolsonaro nas redes sociais

Nos dias anteriores à convenção do Republicanos que vai oficializar a sua candidatura ao governo de São Paulo — hoje, às 10h, em São Paulo —, o ex-ministro Tarcísio de Feitas intensificou as menções e agrados ao presidente Jair Bolsonaro (PL) em discursos e publicações de redes sociais.

Depois de uma fase da pré-campanha em que deixou em segundo plano a ligação com o titular do Planalto, apresentando-se a um eleitorado mais de centro, a “rebolsonarização” de Tarcísio tem dois motivos principais: a constatação de que boa parte do eleitorado ainda não o associa ao presidente; e o movimento de Rodrigo Garcia (PSDB), com que Tarcísio disputa a faixa mais à direita, em direção aos eleitores de Bolsonaro no estado.

Na última semana, Tarcísio se referiu ao aliado ao menos 20 vezes no Twitter e Instagram e diversas outras em discursos. No período, 11 dos 13 tuítes enalteciam o ex-chefe ou os colocavam lado a lado, por exemplo. Um dos vídeos publicados mostra Tarcísio cantando “ O capitão do povo”, jingle em ritmo de sertanejo da campanha de Bolsonaro, num espaço karaokê da convenção no Rio. Em dois outros, eles aparecem juntos para convidar os apoiadores a eventos.

A convenção de hoje, organizada na Zona Norte da capital paulista, é vista dentro da campanha como peça-chave para grudar Tarcísio à imagem do presidente, que estará presente no evento. A equipe de comunicação pretende aproveitar o momento para produzir muitas imagens dos dois. Máscaras anti-covid estampadas com os rostos dos dois serão distribuídas no Expo Center Norte.

Aliados de Tarcísio têm a esperança de contar com a presença de Michelle Bolsonaro, mas a primeira-dama não havia confirmado a vinda até ontem. A participação de Gilberto Kassab, presidente do PSD, que passou a integrar a coalizão bolsonarista em São Paulo, é outra dúvida. O cacique deve apoiar o ex-presidente Lula (PT) no plano nacional, o que torna mais embaraçoso seu comparecimento a um evento com Bolsonaro.

“Eleitor vacinado”

Até meados de julho, a comunicação da pré-candidatura de Tarcísio vinha focando mais no currículo, na trajetória e no perfil do ex-ministro do que na associação com o presidente. A preocupação principal era afastar dele a pecha de “estrangeiro” em São Paulo. Pesquisas internas mostraram, segundo a equipe, que ainda há muitos paulistas que não o ligam a Bolsonaro — e quando isso acontece, dizem, as intenções de voto disparam.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Em 7 de julho, em um evento na sede do PSD em São Paulo no qual Kassab anunciou apoio a Tarcísio, aliados baseavam seu otimismo afirmando que, do outro lado, o adversário Fernando Haddad (PT) não crescia muito nos números quando associado ao nome de Lula, provavelmente porque a relação já é bastante conhecida do eleitor.

Até junho, porém, a avaliação no entorno de Tarcísio era que colá-lo à imagem de Bolsonaro causaria ganhos e perdas, já que o presidente era reprovado àquela altura por 49% dos paulistas, de acordo com o Datafolha, mas tinha 28% de aprovação — patamar suficiente para levar o ex-ministro ao segundo turno.

O aumento da “dose de bolsonarismo” na pré-campanha também respingou no discurso de Tarcísio. Conhecido pelo comedimento, ele defendeu “banir o fantasma do MST do Brasil” — tipo de declaração geralmente presente em falas de Bolsonaro — em um debate na Associação Comercial de Presidente Prudente. O comentário provocou críticas dos adversários.

O segundo motivo diz respeito ao fato de o governador Rodrigo Garcia e Bolsonaro terem ensaiado uma aproximação nos últimos dias, uma antecipação à hipótese de ser o tucano o candidato a enfrentar o petista Fernando Haddad no segundo turno. O tucano e o presidente negam qualquer encontro.

Na segunda-feira, Tarcísio reagiu às especulações e afirmou que a aproximação não deve prosperar. Para ele, não existe a hipótese de uma campanha “Bolsodrigo”.

“Está todo o mundo vacinado com relação a oportunismo (eleitoral), já se usou essa estratégia na eleição passada e viu onde é que deu. O eleitor bolsonarista está vacinado com isso e nós também. A gente vai estar muito presente com o Bolsonaro e mostrar que o presidente tem um palanque em São Paulo, e não é o do Rodrigo”, afirmou Tarcísio, em alusão ao “BolsoDoria”, movimento feito por João Doria para se aproximar do eleitor bolsonarista nas eleições de 2018.

Apesar de rechaçarem uma eventual aproximação de Bolsonaro e os tucanos em São Paulo, aliados de Tarcísio dizem que a repercussão da história também entrou no cálculo para a intensificação da presença do presidente na pré-campanha.


Fonte: IG Política

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política Nacional

Lula quer lotar ato em SP para impulsionar campanha de Haddad

Publicado

Lula fará ato ao lado de Haddad em São Paulo
Ricardo Stuckert

Lula fará ato ao lado de Haddad em São Paulo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem dito para interlocutores que quer lotar o ato que fará em São Paulo no próximo dia 18. Seu objetivo é agitar a militância e fazer com que todos do abracem a campanha do candidato ao governo Fernando Haddad (PT).

Lula reconhece que seu aliado é muito popular no estado, tanto que aparece em primeiro lugar nas pesquisas de intenções de votos, superando Rodrigo Garcia (PSDB) e Tarcísio de Freitas (Republicanos). Porém, ele acredita que, para vencer, será necessário enorme empenho da militância.

Não é segredo para ninguém que o maior sonho do PT é comandar pela primeira vez o São Paulo, já que a agremiação nasceu no estado. A única vez que o partido ficou próximo do Palácio dos Bandeirantes foi em 2002, quando José Genoino perdeu no segundo turno ao enfrentar Geraldo Alckmin.

Além disso, o ex-presidente quer demonstrar força popular e acredita que os atos são uma grande oportunidade. Não por acaso, após São Paulo, ele estará no Rio de Janeiro e Minas Gerais, os três maiores colégios eleitorais do país e que concentram 41% dos eleitores.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Continue lendo

Política Nacional

Bolsonaro tenta amenizar clima ruim entre filhos

Publicado

Bolsonaro foi escalado para impedir atritos entre Flávio e Carlos
Reprodução

Bolsonaro foi escalado para impedir atritos entre Flávio e Carlos

A relação entre Flávio e Carlos não é das melhores e tem deixado a equipe de Jair Bolsonaro (PL) bastante preocupada. O filho número dois se mudou para Brasília para ficar mais perto da campanha e há enorme temor que o clima piore a partir de agora. O presidente da República se comprometeu a conversar com a dupla para impedir episódios desagradáveis ao longo das próximas semanas.

A briga entre irmãos tem ocorrido por causa dos caminhos que cada um quer impor para a campanha. O senador Flávio tem uma visão mais política, então defende que seu pai escute mais os marqueteiros e profissionais da área, deixando de lado a ala ideológica.

Já o vereador Carlos bate na tecla que o grande diferencial do pai é o fato dele ser espontâneo. Na visão dele, o ideal era resgatar as estratégias adotadas em 2018, apostando em discursos ideológicos, como aborto, legalização das drogas e defesa da família.

Bolsonaro tem tentado agradar ambos os lados. A postura adotada pelo presidente é a seguinte: Na televisão, vai dialogar com os indecisos e com os eleitores que mais o rejeitam, como as mulheres e os mais pobres. Por isso defenderá as ações do seu governo, usando um tom moderado.

Quando estiver realizando lives nas redes sociais e participando de comícios, o mandatário irá agitar seus apoiadores, fazendo críticas aos seus adversários e aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Bolsonaro não quer que seus filhos se dividam durante a campanha e vai se equilibrar na corda bamba para manter a paz entre os dois. Porém, sua equipe não tem toda essa confiança.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana