conecte-se conosco


Nacional

Suzane von Richtofen perde semestre na faculdade após 10 faltas seguidas

Publicado

SUZANE arrow-options
Reprodução

Suzane Von Richthofen perdeu o semestre por faltar dez dias seguidos

A detenta Suzane von Richtofen , condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais, perdeu o semestre na faculdade após faltar às aulas por dez dias consecutivos.  Ela havia sido aprovada no Instituto Federal de São Paulo (IFSP), no curso de gestão de turismo.

Leia mais: “Tenho fé em Deus que vou provar que os processos são mentiras”, diz Lula

O regulamento da instituição considera como desistentes os estudantes que não realizarem a matrícula ou não comparecerem nos primeiros dez dias de aula sem justificativa. Suzane tenta na Justiça a permissão para frequentar as aulas após ser aprovada em oitavo lugar no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que utiliza a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Suzane está presa na Penitenciária Feminina de Tremembé , a 45 km do IFPS. Em nota, a instituição afirmou que “caso ela seja liberada após os 10 dias úteis, uma justificativa deverá ser analisada”. No entanto, até o momento o instituto não teve informações da Justiça sobre o caso, segundo o jornal Estado de Minas. O Tribunal de Justiça informou que o processo corre sob sigilo. 

Leia também: Bolsonaro assina decreto para envio de Forças Armadas ao Ceará

Essa é a terceira vez que Suzane consegue aprovação no vestibular. Nas vezes anteriores ela tentou cursar administração na Universidade Anhanguera de Taubaté e na faculdade católica de Dehoniana. As tentativas aconteceram em 2016 e 2017. A detenta não conseguiu se matricular por represálias dos colegas de classe. 

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Nacional

Sabesp é obrigada a fornecer água a favelas em meio a pandemia

Publicado


source
Favela do Heliópolis em São Paulo arrow-options
Reprodução/Facebook Heliópolis

Favela do Heliópolis em São Paulo

Uma liminar da Justiça de São Paulo nesta terça-feira (7) obrigou a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) a abastercer as favelas com água durante a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). A decisão determinou que um cronograma de trabalho deverá ser apresentado pela companhia em até 72 horas.

Depois que esse calendário for apresentado, a companhia terá cinco das para comprovar as medidas tomadas. Em caso de descumprimento, foi estipulada uma multa de R$ 100 mil por dia.

Leia também: Prefeitura São Paulo vai acabar com serviço para usuários da cracolândia

A decisão é provisória, o que significa que ela pode ser revertida conforme o andamento e o julgamento do mérito do processo. Ela diz que, em meio a pandemia, a falta d’água impede medidas básicas de prevenção, como lavar as mãos, e atende a uma ação civil pública movida pelo Ministério Público paulista.

“O perigo na demora evidencia-se em face do risco de colapso do sistema hospitalar com um cenário de contaminação expandida pela negativa de oferta de item básico a uma parcela expressiva da população, além do risco óbvio de atingimento das vidas de inúmeras pessoas​”, diz a decisão assinada pela juíza Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi.

Leia também: Ministério da Saúde não sabe quantos testes de Covid-19 foram feitos

Segundo balanço desta terça-feira (7) do Ministério da Saúde, o Brasil tem 667 mortes e 13.717 casos confirmados de Covid-19. Essa foi a primeira vez que o levantamento divulgou mais de 100 novas mortes. O número foi de 114.

O estado de São Paulo é o que tem mais mortes, com 371 das 667 ocorrências. A letalidade é de 6,5% no estado. No quadro de casos confirmados, ele também lidera a lista. O estado tem 5.682 pessoas infectadas pelo coronavírus.

Continue lendo

Nacional

Prefeitura São Paulo vai acabar com serviço para usuários da cracolândia

Publicado


source
Cracolândia%2C em SP arrow-options
Rovena Rosa/Agência Brasil

Ambiente da cracolândia favorece disseminação do novo coroanvírus

A Prefeitura de São Paulo vai encerrar o serviço de atendimento a usuários de  drogas na cracolândia , na região central da capital, em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). A data para o encerramento ainda não foi confirmada, mas um novo serviço será aberto no bairro do Glicério, que fica a dois quilômetros da localização do Atende 2 (unidade de Atendimento Diário Emergencial).

Leia também: 173 pacientes internados por Covid-19 receberam alta nas últimas 24 horas

A Defensoria Pública do estado entrou com uma ação para vetar o encerramento e entidade defensoras dos Direitos Humanos e que trabalham com redução de danos de usuários de drogas acreditam que a mudança vai causar confusão no local.

Segundo boletim divulgado nesta terça-feira (7) pelo Ministério da Saúde, o Brasil tem 667 mortes e 13.717 casos confirmados de Covid-19 . Em comparação com as informações de ontem, essa foi a primeira vez que o número de confirmados de óbitos por infecções passou de 100. Foram 114 mortes.

A preocupação é que, com o fim dos serviços na região da cracolândia, as condições sanitárias no local piorem, favorecendo a disseminação dos casos da Covid-19.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana