conecte-se conosco


Policial

Suspeito de lesão corporal e furto contra mulher é preso em flagrante em Lucas do Rio Verde

Publicado

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Lucas do Rio Verde, prendeu em flagrante nesta quarta-feira (1º) um homem de 28 anos por elsão corporal e furto.

A equipe do Núcleo de Atendimento à Criança, Mulher e Idoso e Mulher flagrou o suspeito quando ele atacou a vítima e a empurrou contra um ponto de ônibus após furtar seu aparelho celular.

De acordo com o delegado Eugênio Rudy, a ação faz parte da Operação Impunidade Zero, de combate aos crimes de violência doméstica.

O suspeito foi autuado em flagrante por lesão e furto e encaminhado para audiência de custódia da Justiça.

Fonte: PJC MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Policial

Operação cumpre sequestro de bens e suspende escritório de contabilidade usado para fraudar o fisco estadual

Publicado

Uma arma, dezenas de munições, aparelhos eletroeletrônicos e documentos contábeis estão entre os materiais apreendidos pela Polícia Civil de Mato Grosso durante a Operação Bomba Fantasma, deflagrada nesta quarta-feira (06.07) para cumprimentos de mandados judiciais contra um grupo investigado pela Delegacia de Crimes Fazendários por fraudes contra o fisco estadual.

Foram cumpridas ordens judiciais em três cidades – Rondonópolis e Pedra Preta, em Mato Grosso, e Goiânia, em Goiás. Nos endereços alvos, as equipes da Polícia Civil cumpriram 13 mandados de buscas, 12 bloqueios de veículos dos investigados, quatro sequestros de imóveis, uma suspensão de escritório de contabilidade, além do bloqueio de contas bancárias.

Entre as apreensões estão quase 72 munições, dois carregadores e uma pistola encontradas em um dos postos de combustíveis alvos da operação, na cidade de Pedra Preta.

Os elementos coletados durante a investigação embasaram as representações feitas pelo delegado Rafael Scatolon contras os alvos investigados após parecer favorável da 14ª Promotoria de Cuiabá, e deferimento pela juíza Ana Cristina Silva Mendes da 7ª Vara Criminal da Capital. O bloqueio das contas bancárias foi realizado no valor correspondente ao crédito tributário devido, de R$ 42 milhões.

Investigação

A investigação coordenada pela Defaz com a colaboração do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira) e Secretaria de Estado de Fazenda desarticulou uma organização criminosa constituída por núcleos formados por empresários do segmento de combustíveis e empresas de transportes, cujo objetivo era a venda de notas fiscais a transportadoras para aproveitamento de crédito fiscal.

Foi identificado que, em 2018, pelo menos quatro postos de combustíveis venderam milhares de litros de diesel a transportadoras, sem a efetiva circulação da mercadoria, ou seja, sem o abastecimento na bomba. 

A auditoria realizada pela Coordenadoria de Fiscalização de Combustível, Comércio e Serviços da Sefaz e o aprofundamento das investigações pela Defaz demonstraram que dos quatro postos, três pertencem ao mesmo grupo de empresários e um posto, localizado em Alto Garças, no sul do Estado, foi responsável pela venda de mais de 10 milhões de litros de óleo diesel, sem que fosse adquirido um único litro para seu estoque, reforçando apenas a venda da nota fiscal fictícia.

Segundo o delegado titular da Defaz, Walter de Melo Fonseca Júnior, a investigação conseguiu identificar que o grupo econômico contava com a participação direta de um escritório de contabilidade, que funcionava como um “QG” para emissão das notas fiscais das vendas realizadas. A Polícia Civil apurou ainda que transportadoras foram beneficiadas com o esquema criminoso, sendo que três delas pertencem a um mesmo grupo econômico.

A operação Bomba Fantasma contou com apoio das unidades da Diretoria de Atividades Especiais – DRE, DECCOR e GCCO, Delegacias da Polícia Civil em Rondonópolis, Politec-MT e Gerência de Operações de Inteligência da Polícia Civil de Goiás.

 

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Policial

Polícia Civil investiga mãe que quebrou dedo da filha em Lucas do Rio Verde

Publicado

A Polícia Civil, por meio do Núcleo de Atendimento à Criança, Adolescente, Idoso e Mulher de Lucas do Rio Verde (354 km ao norte de Cuiabá), instaurou inquérito policial para apurar a conduta de uma mãe que quebrou o dedo da filha de 7 anos, enquanto a agredia como forma de correção.

A mulher, de 34 anos, poderá responder pelo crime de lesão corporal qualificada.

As diligências iniciaram após a equipe da Polícia Civil ser acionada, na terça-feira (05.07), por funcionários do Hospital São Lucas, os quais informaram que tinha dado entrada na Unidade de Saúde uma criança com fratura em um dos dedos.

As investigadoras do Núcleo de Atendimento foram ao local, onde conversaram com a mãe da vítima, que alegou que estava agredindo a filha com chineladas, para corrigi-la, quando a criança colocou a mão na frente, ocorrendo a fratura.

Diante dos fatos narrados, as policiais conduziram a mãe da menina até a Delegacia de Lucas do Rio Verde, onde ela foi ouvida pelo delegado Eugênio Rudy Júnior.

Após prestar os devidos esclarecimentos, a suspeita foi liberada e sendo instaurado inquérito policial para apurar a conduta da mãe em relação à criança.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana