conecte-se conosco


Opinião

SUSANNA MARCHIONNI – Como melhorar a qualidade de vida por meio da educação e cultura

Publicado

De que forma a tecnologia aliada à educação e cultura pode mudar realidades e ofertar melhor qualidade de vida para a população? As respostas podem ser múltiplas, mas, os exemplos de sucesso, nem tanto. Na sociedade atual, para se conquistar um bem comum para todos é necessário, antes de tudo, pensar nas possibilidades de igualdade social entre as mais variadas classes. Não se pode pensar apenas nos recursos ofertados pelo poder público. É preciso mais: buscar alternativas, alterar padrões e, sobretudo, tornar as ações educativas e culturais da atualidade mais próximas da população.

Em Croatá, São Gonçalo do Amarante, na CE-341, KM 30, no coração da região do Vale do Curú, na primeira cidade inteligente inclusiva construída do zero, Smart City Laguna, conseguimos mostrar que é possível, em um mesmo local oferecer infraestrutura de alto padrão com acessibilidade e segurança, aliados à inovações e projetos voltados para o fortalecimento da comunidade, com a oferta de cursos de inglês, empreendedorismo, informática e artesanato. Ações que promovem o aprendizado coletivo entre os moradores e a comunidade do entorno. Essas iniciativas,  promovidas graças às ações da proptech Planet Smart City, já beneficiaram mais de 10 mil pessoas.

Parece pouco? Não é. O que pode mudar na vida e realidade dessas pessoas a partir desses cursos? Tudo. Informação, cultura, aprendizado e experiências estão ligados diretamente à possibilidade de se conquistar um lugar melhor nesse mundo, o que, por vezes, pode parecer tão difícil.  Além dos cursos, a cidade inteligente conta com um Hub de Inovação, projetado pelo Centro de Competência da proptech na Itália. O espaço compartilhado conta com internet gratuita, biblioteca, cinema, ateliê de costura e coworking compartilhado – onde qualquer pessoa consegue trabalhar com infraestrutura e internet de alta qualidade.

É preciso perceber o quanto um projeto de cidade inteligente, que abrange infraestrutura residencial em modelos específicos e necessários para que pessoas morem, trabalhem, estudem e tenham momentos de diversão, também pode ser um destaque na contribuição de um cenário educativo e cultural inclusivo de qualidade para a comunidade onde está inserida. Só para se ter uma ideia, o lugar abriga campo de futebol society, playgrounds, praças e calçadões. Há também mesas com tabuleiros de jogos de dama e xadrez para promover o divertimento de pessoas de qualquer idade. O espaço de jogos, inclusive, é acessível para pessoas deficientes e por ali vale a regra do compartilhamento. Enquanto alguns jogam nas mesas, outros podem usar a amarelinha tripla ou o labirinto pintado no chão.

Tudo pensado no bem-estar, na inclusão, valorização do ser humano nas suas mais intensas possibilidades de satisfação, crescimento pessoal, aprendizado e humanidade. A qualidade de vida pode e deve ser um objetivo, uma meta, um planejamento de experiências inesquecíveis e que valorizam o meio em que se está inserido.

Susanna Marchionni é a CEO da Planet Smart City no Brasil e co-fundou a empresa em 2015, ao lado de Giovanni Savio, CEO Global. Ela tem 27 anos de experiência no setor imobiliário e é a força motriz da empresa no Brasil, liderando a disseminação do conceito de cidade inteligente inclusiva no país. Susanna é responsável pela expansão da empresa no Brasil nos próximos anos.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opinião

Servidores terão que devolver valores pagos ilegalmente na compra de combustíveis por prefeitura

Publicado

Conselheiro-relator, Sérgio Ricardo

O Pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) determinou que três servidores restituam valores pagos irregularmente pela Prefeitura de Rondolândia na aquisição de combustíveis durante o exercício de 2016. As falhas foram apuradas em tomada de contas ordinária (TCO) julgada irregular na sessão ordinária de terça-feira (5).

De acordo com o relator do processo, conselheiro Sérgio Ricardo, o ex-secretário de finanças, responsável pelos pagamentos, agiu com um elevado grau de negligência ao não verificar que as notas não haviam sido atestadas pelo responsável pelo recebimento, propiciando que ocorressem pagamentos de despesas sem a regular liquidação.
Também foram condenados os responsáveis pela emissão das notas de liquidação e pela fiscalização do contrato. Para o conselheiro, o primeiro foi omisso ao analisar os processos de pagamentos, pois emitiu notas de liquidação de despesas sem que elas tivessem sido atestadas pelo responsável.
Já no segundo caso, explicou que, embora apenas uma das dezesseis notas fiscais irregulares tenha sido emitida durante o exercício do seu cargo, esta somou um valor elevado. “Devendo o servidor ser responsabilizado nos limites”, avaliou o conselheiro-relator.
Por outro lado, afastou a responsabilidade da ex-prefeita. “Uma vez que não está presente a figura do dolo ou erro grosseiro, já que as irregularidades somente poderiam ser identificadas mediante completa e minuciosa visão dos atos praticados pelos seus subordinados” explicou.
Dessa forma, acolheu parcialmente o parecer do Ministério Público de Contas e votou no sentido de julgar irregular a TCO, condenando solidariamente os três servidores mencionados à restituição ao erário. Emitiu ainda recomendações à atual gestão do município.

Continue lendo

Opinião

VANESSA MORAES -Labirintite e perda auditiva

Publicado

Labirintite é um termo usado para denominar uma doença que pode comprometer tanto a audição quanto o equilíbrio da pessoa.

É causada por uma infecção que atinge a audição e as principais funções do labirinto e suas estruturas, que são responsáveis pela audição (cóclea) e pelo equilíbrio do corpo (vestíbulo).

Ela tem uma ligação muito grande com problemas auditivos como é o caso do zumbido nos ouvidos, podendo em casos mais complexos, levar a perda auditiva temporária, que dura até que a inflamação seja completamente tratada.

A labirintite manifesta -se comumente antes ou após os 40-50 anos e isso acontece por causa das alterações metabólicas do organismo.

O principal sintoma da labirintite é a tontura, mas este é apenas um dos mais comuns. Outros sinais também, podem aparecer, como:

– Vertigem, tontura e desequilíbrio: a pessoa sente que tudo está rodando e há uma dificuldade de se manter em pé. Não é comum o desmaio, mas a recomendação é evitar deitar quando a tontura for excessiva;

– Audição diminuída: pode acontecer de forma mais grave ou mais suave, dependendo de cada caso;

– Perda da audição: pode ser de leve a aguda;

– Alterações gastrointestinais: da mesma forma como as náuseas, é possível ter prisão de ventre e outros desconfortos intestinais;

– Zumbidos no ouvido: é um som que é originado no ouvido ou na cabeça, produzindo extremo desconforto de difícil caracterização e tratamento;

– Náusea e vômitos: são os sintomas mais comuns (depois da tontura) e, para aliviá-lo, é importante consultar um médico otorrinolaringologista para prescrever a medicação correta;

– Sudorese: o excesso de suor acontece em decorrência de outros sintomas que, juntos, aumentam o mal-estar.

A fase mais aguda da doença pode surgir de repente, sem nenhum tipo de sintoma inicial, podendo durar minutos ou até dias. Quando a labirintite é desencadeada por gripe ou resfriado, os sintomas podem demorar mais para surgir, cerca de 1 ou 2 semanas, normalmente.

Quando a labirintite é totalmente causada pela inflamação do labirinto, é comum ocorrer perda auditiva. Quando ela acomete o ramo do nervo auditivo, caracterizando uma neurite vestibular, os sintomas são apenas tonturas e não há nenhum tipo de perda auditiva, pois o ramo coclear fica intacto nestes casos.

O labirinto é responsável por informar ao cérebro o deslocamento do corpo. Quando essas informações não são corretas entre labirinto, visão e outras partes do corpo, como ligamentos e músculos, o resultado é a tontura, onde há a sensação de desequilíbrio, escurecimento da visão, entre outros.

A grande relação entre o sistema do equilíbrio do corpo com a audição são as funções do sistema nervoso central. Muitas pessoas que apresentam problemas de equilíbrio tendem a apresentar, também, sintomas como zumbidos no ouvido, dificuldade para compreender a fala, diminuição da audição e desconforto ao ouvir sons intensos.

A causa pode auxiliar no tratamento desta forma, procure um médico especialista para o diagnóstico correto. As causas podem incluir também: infecções virais como resfriados, sarampo, gripe e febre irregular; crises alérgicas agudas; colesterol alto, pressão alta e diabetes; tumor cerebral algumas doenças neurológicas; disfunção da articulação temporomandibular (ATM); excesso de cigarro e bebidas alcoólicas; excesso de ansiedade e estresse excessivo.

São fatores considerados de risco para labirintite: idade; má alimentação, com excesso de gordura, por exemplo; altas taxas de ácido úrico; tabagismo; otites (que são infecções nos ouvidos); açúcar em excesso; hipoglicemia e diabetes; uso de medicamentos em excesso, como anti-inflamatórios e alguns tipos de antibióticos.

O tratamento costuma ser dividido em 3 etapas: 1- Tratamento dos sintomas: realizado com medicação;2-Tratamento da causa: que a investigação do que ocasionou o problema e realização de exames de audição; 3-Reabilitação do labirinto: a reabilitação é o tratamento fisioterápico da vertigem, ajuda o paciente a estimular o equilíbrio, que pode ser feito com ou sem medicação, dependendo da causa da labirintite.

Quando a pessoa está em crise é indicado não dirigir, evitar excesso de medicações e beber bastante líquido. Evitar situações estressantes e é primordial manter uma alimentação saudável. O cigarro e o álcool tendem a aumentar a labirintite.

É importante respeitar a medicação indicada pelo médico, mesmo que os sintomas cessem. Só se deve parar de tomar, após o período indicado.

Vanessa Moraes é fonoaudióloga e audiologista

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana