conecte-se conosco


Entretenimento

Stalker’ deve responder na Vara Criminal por tentativa de invasão à casa de Diogo Nogueira

Publicado

A atriz Paolla Oliveira, namorada do cantor, era alvo do homem que, segundo ela, já a perseguia há meses; MP aponta “inúmeros delitos”

Terra – Alguns meses após o casal Paolla Oliveira e Diogo Nogueira ser perseguido pelo português Luís Mário Monteiro Piçarra, o inquérito que indiciou o suspeito pelo crime de stalking foi redistribuído para uma vara criminal. As informações foram divulgadas por O Globo.

A juíza Simone Cavalieri Frota, do IX Juizado Especial Criminal da Capital do Rio de Janeiro, destacou que o procedimento foi instaurado para investigar o caso não apenas como perseguição, mas como injúria e lesão corporal. Por esse motivo, ocorreu a mudança para a vara criminal, já que esses itens ultrapassam os limites da pena prevista no artigo 61 da Lei 9.099/95, que estabelece as infrações penais de menor potencial ofensivo.

Segundo parecer do promotor Márcio Almeida Ribeiro da Silva, no inquérito há “inúmeros delitos” a serem melhor apurados, principalmente porque Paolla alega que é perseguida há meses. O homem tentou invadir a casa de Diogo Nogueira, namorado da atriz, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. O sambista conseguiu conter o ‘stalker’.

Segundo O Globo, no inquérito Paolla Oliveira contou que já estava sendo perseguida pelo fã há cerca de três meses, por meio de mensagens na sua conta no Instagram. Nos textos, ele chegava a marcar páginas de órgãos oficiais, como Polícia Civil, Polícia Federal e Bope. Em depoimento, a atriz também revelou que, no ano passado, ele chegou a se declarar pela rede social e dizer que viria ao Brasil para vê-la.

Em nota enviada ao Terra, o Ministério Público do Rio de Janeiro confirma que os autos do procedimento foram remetidos ao Juízo Criminal, e, oportunamente, serão apurados pela Promotoria de Investigação Penal com atribuição natural.

Segundo o órgão, as informações sobre os crimes, em tese, praticados, foram prestadas pelos ofendidos em sede policial, bem como através de petição nos autos. O declínio de competência se deu em razão de o somatório das penas dos delitos superar o limite da competência do Juizado Especial Criminal e pela necessidade de apuração detalhada dos fatos.

Casal prestou queixa após perseguição

O casal prestou queixa na 16ª DP da Barra após o ocorrido, e pediu uma medida protetiva contra o homem.

“Houve uma sequência de ameaças e xingamentos ao casal, que foi deflagrada numa tentativa de invasão à residência do Diogo. Ambos foram até uma delegacia de polícia local para uma queixa formal e a partir desse episódio, uma medida protetiva foi instaurada”, disse a assessoria de imprensa de Paolla Oliveira quando houve o caso. “As ameaças continuaram, mas o caso está sendo investigado pelos órgãos competentes”, finalizou a nota.

O delegado responsável pelo caso falou para a coluna de Fábia Oliveira: “Ele acusou a Paolla de ter furtado o celular dele. É uma pessoa que aparenta ser descompensada e a gente não o encontrou mais. Ele não tem paradeiro, pois está usando Airbnb e hotel. Chegamos a encontrá-lo em alguns hotéis, porém, não mais.”

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Entretenimento

WhatsApp: é golpe mensagem que oferece Pix de R$ 50 no Dia dos Pais

Publicado

 

Golpe circula no WhatsApp
Unsplash/Mourizal Zativa

Golpe circula no WhatsApp

Circula no WhatsApp um golpe que promete dar os usuários um Pix de R$ 50 em comemoração ao Dia dos Pais. Se a vítima for até o fim da fraude, dinheiro nenhum é pago e dados pessoais são roubados.

O golpe foi descoberto pela empresa de cibersegurança Kaspersky, que alerta para o seu funcionamento. A mensagem que circula no WhatsApp afirma que um banco pagará R$ 50 para celebrar o Dia dos Pais.

Se o usuário clica no link recebido, ele se depara com a seguinte mensagem: “Parabéns, você ganhou!”. No site falso, a vítima é incentivada a compartilhar sua chave Pix para receber o pagamento, além de ser obrigada a compartilhar o link com outras pessoas no WhatsApp.

De acordo com a Kaspersky, o objetivo dos golpistas é justamente roubar a chave Pix dos usuários, que geralmente é o número de celular ou o CPF. Com essas informações, é possível aplicar outros golpes, como o da clonagem do WhatsApp.

“Temos visto cada vez mais esquemas de  phishing [quando uma mensagem falsa induz o usuário a alguma ação, como clicar em um link] se utilizarem de datas especiais para enganar pessoas”, afirma Fabio Assolini, diretor da Equipe Global de Pesquisa e Análise da Kaspersky para a América Latina.

“Adicionar o compartilhamento em uma das etapas torna a fraude ainda mais perigosa, pois eles fazem com que a vítima envie o golpe para amigos e parentes, transmitindo credibilidade ao link fraudulento. O ideal é que o usuário fique atento ao que receber qualquer conteúdo nos aplicativos de mensagens e não compartilhe promoções sem antes verificar nos sites oficiais”, orienta o especialista.

Como não cair em golpes no WhatsApp

As dicas para não cair nessa fraude são as mesmas para evitar cair em outros golpes que circulam no mensageiro e em outras plataformas. Confira:

  • Suspeite sempre de links recebidos por e-mails, SMS ou mensagens de WhatsApp;
  • Sempre verifique o endereço do site para onde foi redirecionado, endereço do link e o e-mail do remetente para garantir que são genuínos antes de clicar, além de verificar se o nome do link na mensagem não aponta para outro hyperlink;
  • Verifique se a notícia é verdadeira acessando o site oficial da empresa ou organização ou os perfis nas redes sociais;
  • Se não tiver certeza de que o site é real e seguro, não insira informações pessoais;
  • Mantenha um antivírus instalado e atualizado – veja aqui opções grátis para Android .

Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

Entretenimento

Sem convites desde 2019, Rosamaria Murtinho reclama da falta papéis na TV

Publicado

DA ISTOÉ

Rosamaria Murtinho ficou conhecida por vários papéis na dramaturgia, como Zuleica na primeira versão de “Pantanal” e Margot em “Chocolate com Pimenta”.

Contudo, aos 86 anos, a atriz revela que não é chamada para trabalhar desde 2019. A entrevista, para o Extra, foi publicada nesta quarta-feira (10). “Estou doida para que me chamem para alguma coisa. Estou com 86 anos e posso fazer perfeitamente papéis de mulheres mais velhas. Tenho o rosto marcado pelo tempo, e isso é um valor. Não entendo por que chamam atrizes mais novas para fazer esse tipo de personagem usando maquiagem”, comentou.

Foi em Pantanal, inclusive, que ela participou do que chamou de “a maior cena da carreira” dela. “Imagina: a personagem precisa contar para o marido que o filho está morto depois de ser envolvido por uma cobra”, relembrou.

“A Zuleica da primeira versão era uma mulher sem grandes conflitos. Acho que a mudança para uma personagem preta traz novas camadas, já que tem a questão do racismo na trama. A Aline Borges, atriz que faz a personagem agora, chegou a me procurar, querendo falar comigo. Estou gostando muito de ver essa história. É uma grande novela, que marcou uma época”, disse.

A artista, que é casada com o ator Mauro Mendonça, falou sobre o seu estado de saúde. “Depressão é coisa muito séria. Só quem já passou por isso sabe o que é. E acho importante falar, porque as pessoas precisam se cuidar. Quem passa por isso precisa sempre de ajuda dos outros. Na vida, a gente só nasce e morre sozinho. Mas agora já estou melhor”, analisou.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana