conecte-se conosco


Direitos Humanos

SP: 15% das pessoas com deficiência nunca tiveram um emprego

Publicado


Cerca de 15% das pessoas com deficiência no estado de São Paulo nunca tiveram acesso ao mercado de trabalho. Quase 20% sentem que as empresas não as veem como profissionais em potencial, prestando atenção à sua deficiência, e não à sua habilidade. Os dados fazem parte da pesquisa Pessoa com Deficiência e Emprego, da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência do estado de São Paulo, lançada ontem (3).

Mesmo entre aqueles que tiveram acesso ao mercado de trabalho, 65,9% relataram ter encontrado dificuldades para ingressar. Para a secretaria, o dado confirma a dificuldade dos trabalhadores com deficiência em encontrar vagas de trabalho compatíveis com suas funcionalidades e competências profissionais.

O levantamento mostrou que 46,47% dos entrevistados tinham renda por meio do mercado formal ou informal de trabalho, 35,05% estavam desempregados, 12,53% recebiam benefícios assistenciais e 3,02% estavam aposentados.

Em relação aos principais motivos para ingressar no mercado de trabalho, 22,6% afirmaram buscar independência financeira, 20,81% tinham o anseio de construir uma carreira profissional e 18,22% buscavam ajudar nas despesas de casa.

Sobre a qualificação profissional, 83,26% das pessoas com deficiência que responderam à pesquisa demonstraram ter interesse em cursos de qualificação profissional, tendo como preferência cursos em formato online (55,41%) no período noturno (54,49%).

A pesquisa entrevistou mais de 8 mil pessoas com deficiência em 282 municípios do estado de São Paulo, no período de dezembro de 2020 a janeiro de 2021. A maioria dos respondentes morava na capital e região metropolitana.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte:

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Direitos Humanos

Cadastramento de Fundos da Criança e do Adolescente termina amanhã

Publicado


Termina amanhã (28) o prazo para o cadastramento de fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente. Os gestores municipais e estaduais interessados devem preencher formulário eletrônico disponibilizado no site do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

De acordo com a pasta, com o cadastro, é possível sistematizar e regularizar os fundos que estão habilitados a receber doações dedutíveis do Imposto de Renda. Assim, os estados e municípios estarão aptos a captar recursos com a finalidade de financiar ações, programas e projetos voltados para a promoção, proteção e defesa dos direitos de crianças e adolescentes.

Para apoiar os gestores no preenchimento do cadastro, o ministério disponibiliza dois canais exclusivos, pelo telefone (61) 2027 3104 ou pelo e-mail [email protected]

Os Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente (FDCA) foram criados pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), de 1990. Anualmente, a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente realiza o cadastramento desses fundos para atualizar a lista dos estados e municípios que estão em situação regular.

Para serem incluídos no cadastro nacional, os fundos municipais, estaduais e do Distrito Federal devem ter o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica CNPJ com natureza jurídica 132-5 (Fundo Público da Administração Direta Estadual ou do Distrito Federal) e 133-3 (Fundo Público da Administração Direta Municipal) e situação cadastral ativa.

Também é obrigatório ter no nome empresarial ou nome de fantasia, expressão que estabeleça claramente a condição de Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente. Devem ainda apresentar conta bancária aberta em instituição financeira pública e associada ao CNPJ informado. Os recursos destinados aos fundos são gerenciados pelos conselhos de Direitos da Criança e do Adolescente de cada ente.

Edição: Maria Claudia

Fonte:

Continue lendo

Direitos Humanos

Mulheres com câncer ganham micropigmentação de sobrancelhas

Publicado


Para resgatar a autoestima de mulheres com câncer, a 2ª edição da Tattoo Week vai promover uma ação de doação de micropigmentação de sobrancelhas para 30 mulheres que se inscreverem pelo site. Muitas mulheres que se submetem à quimioterapia perdem as sobrancelhas e a técnica de micropigmentação ajuda a devolver os traços.

Podem se inscrever mulheres de menor renda que terminaram as sessões de quimioterapia há 40 dias ou mais e que tenham autorização médica para o procedimento. A Tattoo Week vai sortear os 30 procedimentos gratuitos entre as mulheres que se cadastrarem.

A iniciativa é uma parceria da organização do evento com o Instituto Brasil + Social, através do Projeto Driblando o câncer, no Outubro Rosa, mês de conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e mais recentemente sobre o câncer de colo do útero.

Em entrevista à Agência Brasil, a CEO da Tattoo Week, Esther Gawendo, disse que podem se inscrever mulheres de todo o Brasil, já que foi feito acordo com tatuadores de diversas partes do país. “Em primeiro lugar, [a ação] quer devolver a autoestima das mulheres que venceram essa grande batalha contra o câncer. Nosso objetivo também é mostrar que dentro da tatuagem podem ser empregadas outras técnicas”, disse ela.

O evento

A Tatoo Week, maior evento de tatuagem do mundo, acontece de forma híbrida neste ano. Para evitar aglomerações, o público só poderá acompanhar o evento pelo Youtube da Tattoo Week, mas haverá também uma programação presencial, com a participação de jurados, na Casa de Cultura Black Princess, em Pinheiros, na capital paulista.

O evento acontece entre de 29 a 31 de outubro, das 12h as 22h e apenas será permitida a entrada de pessoas com comprovante de imunização completa, há mais de 15 dias, contra a covid-19.

Na edição deste ano, um dos destaques é a tatuagem cosmética e reparadora. Também haverá cursos gratuitos e entrevistas com médicos, que vão falar sobre câncer de mama e câncer de próstata.

“Há uma parte educacional, com cursos gratuitos de marketing, finanças e fotografia para os profissionais da área [tatuagem, piercing e pigmentação] não só para os inscritos como também para os que estiverem acompanhando por meio do YouTube. Temos também uma parte de cursos de primeiros socorros que serão transmitidos gratuitamente pelo YouTube”, disse Esther.

Mais informações sobre o evento podem ser encontradas no site da Tattoo Week.

Edição: Denise Griesinger

Fonte:

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana