conecte-se conosco


Esportes

Setembro amarelo alerta para risco do suicídio de esportistas

Publicado


.

A cada 45 minutos, a duração de um tempo de futebol, uma pessoa tira a própria vida no Brasil. O suicídio atinge principalmente jovens adultos (com idades entre 15 e 29 anos), no ápice da forma física, mas não livres da depressão e das angústias da mente. O tema ainda é um tabu dentro da sociedade e do mundo esportivo, podendo atingir tanto os que ainda lutam por conquistas e os que chegaram, teoricamente, ao lugar mais alto do pódio. Diante deste contexto, o Setembro Amarelo brilha como alerta, e a Organização Mundial de Saúde diz que, em 90% dos casos, os pacientes podem sair vitoriosos.

“Elas querem acabar com o sofrimento, não com a vida”, diz a psicóloga Sandra Bittencourt, ressaltando que é preciso falar sobre o tema sem julgamento e crítica. “A prevenção é a chave deste problema de saúde pública. Precisamos de coragem para discutir o assunto, seja com profissionais especializados ou em grupos de apoio, minimamente qualificados”.

Moradora de Jundiaí (SP), Sandra recorda do tempo em que viveu em frente ao Paulista Futebol Clube, quando não existiam celulares e os meninos saíam do alojamento do time para ir até o orelhão (antigo telefone público) para ligar para os parentes. “No fundo, todo mundo espera ser amado e a família é o primeiro grupo ao qual o indivíduo deseja pertencer. A maioria desses meninos é de origem pobre e há uma enorme pressão sobre eles pela ascensão social, para resgatar todos os familiares daquela condição”.

A psicóloga Camila Carlos, especialista na área esportiva, avalia que esta separação precoce do núcleo familiar precisa ser trabalhada com os adolescentes. “Essa é uma fase de impulsividade e de reestruturação de identidade. O jovem precisa aprender a lidar com a derrota, a frustração e, o principal, entrar no caminho do autoconhecimento. O fato de ele ser, ou desejar se tornar, um atleta de alto rendimento não o tira da condição de ser humano”.

Diego Tuber viveu o sonho de ser jogador de futebol, mas uma lesão no joelho o fez mudar o caminho, seguindo para a enfermagem do esporte e do paradesporto. “Transformei minha tristeza e disse pra mim que queria estar perto do esporte de algum modo. O funil no futebol é grande. O capitão do penta, o Cafu, passou por 13 peneiras até ser aceito. Depois de entrar, é preciso gerir a carreira e se preparar para ser um ex-atleta”, diz Tuber, que hoje também presta assessoria esportiva.

O maior campeão olímpico da história, dono de 28 medalhas na natação, Michael Phelps admitiu ter sofrido com depressão e pensado em suicídio quando ainda reinava nas piscinas. “A gente vive ilusões sociais e culturais. No fundo, depois da fama, do dinheiro, aparece aquele buraco existencial”, avalia Sandra, destacando que o nadador revelou ter encontrado um novo propósito a partir da chegada do primeiro filho. Na ocasião, o norte-americano disse ter encontrado o amor verdadeiro. “Cultivar essas raízes profundas é fundamental, escapando do paradigma materialista e consumista. Nós temos a cobrança de aparentar felicidade e um sucesso permanente, basta olhar as redes sociais. A gente tem dificuldade de falar da dor, mas é uma dimensão da vida, e a pandemia veio para nos trazer de volta para dentro de nossas casas”.

Edição: Fábio Lisboa

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esportes

Flamengo e Palmeiras duelam após decisão do TST favorável à CBF

Publicado


.

Menos de dez minutos antes do início da partida desta tarde entre Palmeiras e Flamengo, às 16h, o vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Vieira de Mello Filho, acatou pedido da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e confirmou a realização da partida, programada para ocorrer na tarde de hoje (27), em São Paulo. O vice-presidente do TST considerou que a decisão do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro de adiar a partida extrapolou os limites territoriais de competência do órgão.

Na tarde de ontem (26), o TRT carioca decidiu pelo adiamento do jogo, solicitado pelo Sindicato dos Empregados em Clubes, Estabelecimentos de Cultura Física, Desportos e similares do Estado do Rio de Janeiro (Sindeclubes), autor da ação para suspensão do confronto. Na manhã deste domingo (27), a  desembargadora Maria Helena Motta,  ratificou a decisão tomada ontem (26) pelo juiz Filipe Olmo, Em sua decisão liminar, o magistrado estipulou o pagamento de multa de R$ 2 milhões caso os atletas dos dois clubes entrem em campo, desrespeitando sua decisão

Após a manifestação da desembargadora, novamente a CBF entrou com recurso no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília (DF), pedindo a revogação da decisão.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Continue lendo

Esportes

Vasco empata com Bragantino e entra, provisoriamente, no G4

Publicado


.

Na manhã deste domingo (27), sob forte calor em São Januário, no Rio de Janeiro (RJ), Vasco e Bragantino fizeram uma partida morna dentro de campo. O empate em 1 a 1 levou o Vasco a retornar à zona de classificação de forma provisória – outros jogos desta tarde podem alterar o topo da tabela. O Cruzmalltino chegou a 18 pontos e, por enquanto, ocupa a quarta posição. Já o Bragantino, com 11 pontos em 12 partidas, segue na zona de rebaixamento, em 17º lugar.

O empate ficou de longe de traduzir o que foi a partida. As melhores chances foram dos visitantes, mas o Cruzmaltino começou melhor. O artilheiro Germano Cano quase abriu o placar, de cabeça, aos dois minutos.  Talles Magno chegou a balançar a rede, mas o lance foi corretamente invalidado pelo árbitro, já que o atacante estava impedido. Depois, o Bragantino ditou o ritmo da partida: aos 35 minutos, Alerrandro  perdeu a melhor chance da etapa inicial ao bater um pênalti, mas o goleiro Fernando Miguel fez uma bela defesa.

No segundo tempo, vieram os gols: o time carioca saiu na frente com o atacante Vinícius aos quatro minutos. Mal deu tempo de comemorar: no minuto seguinte, o Bragantino empatou. O meia Lucas Evangelista aproveitou uma bola rolada quase na marca do pênalti e deslocou o goleiro vascaíno Fernando Miguel. A equipe paulista continuou pressionando. Aos nove minutos, o zagueiro Léo Ortiz perdeu boa chance de cabeça depois de cobrança de escanteio. Aos 31, Alerrandro deixou escapar outra oportunidade de passar a frente no placar. Cara a cara com o goleiro Fernando Miguel, o atacante bateu mal. E o resultado ficou mesmo em 1 a 1.

Na próxima rodada, o Vasco visita o Atlético-MG, no domingo (04), em Belo Horizonte (MG).Já o Bragantino recebe o Corinthians no sábado (3), no estádido Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista. 

Edição: Cláudia Soaes Rodrigues

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana