conecte-se conosco


Mato Grosso

SES recebe 150 cápsulas de oxigenação do Senai e Solar Coca-Cola

Publicado


.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) recebeu 150 cápsulas para isolamento individual de leitos de pacientes da Covid-19 nesta sexta-feira (03.06). O equipamento pode reduzir o tempo de internação de pacientes e também a necessidade de encaminhamento à UTI, além de proteger os profissionais de saúde.

O material doado foi produzido por meio da parceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Mato Grosso (Senai MT) e a Solar Coca-Cola; os itens serão distribuídos para as unidades hospitalares ligadas à SES. 

“Esses equipamentos resguardam a vida do paciente e tornam mais segura a rotina do profissional de Saúde. Registro o meu agradecimento a todas as parcerias que, neste momento, somam esforços no enfrentamento à pandemia”, declarou o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo. 

De acordo com o gestor, o  Governo do Estado tem tomado diversas iniciativas desde o início da pandemia, visando ao enfrentamento da Covid-19 e, até o momento, já distribuiu mais de 20 milhões de reais em equipamento para os hospitais estaduais.

A cabine foi desenvolvida pela Samel, empresa amazonense de equipamentos hospitalares, e produzido pelo Senai-MT. O equipamento proporciona mais rotatividade nas vagas dos hospitais, diminuindo as chances de contaminação entre as pessoas. Na falta de quartos isolados, pacientes em leitos de UTIs podem dividir o mesmo quarto sem que ocorra a transmissão do vírus para pessoas saudáveis.

“É com gratidão que recebemos essas cápsulas de oxigênio. Essa iniciativa é muito importante para a melhoria no tratamento desses pacientes que precisam de um suporte ventilatório não invasivo. São equipamentos novos, que surgiram neste momento de pandemia: tecnologia e inovação ajudam muito o trabalho dos profissionais de saúde, bem como traz mais qualidade no tratamento dos pacientes”, avaliou a secretária Adjunta de Gestão Hospitalar da SES, Caroline Dobes.

A cápsula possui uma estrutura de PVC e é equipada com filtro de ar que permanece acoplada à cama do hospital, isolando a parte superior do paciente e evitando que ele acabe contaminando outras pessoas por meio de um mecanismo que retém o vírus. 

“Temos colocado toda nossa expertise à disposição no combate dessa doença. A indústria mato-grossense é extremamente solidária e tem liderado diversas ações no enfrentamento à pandemia. O uso das cápsulas de oxigenação faz parte de uma estratégia para atender doentes nos ambulatórios. Esses equipamentos não substituem os respiradores, mas são muito importantes”, pontua o presidente do Sistema Fiemt, Gustavo de Oliveira.

Já o diretor regional da Solar Coca-Cola, Flávio Scalco, destacou que a doação reflete o compromisso da marca com a população. “Em Mato Grosso, já realizamos doações de garrafas pets para envase de álcool, além de águas para unidades do sistema de saúde. Momentos críticos, como o que vivemos hoje, desafiam a todos e demandam ainda mais esforços e dedicação. Por isso, de acordo com as necessidades mais urgentes de cada local ou cada grupo, estamos realizando uma série de ações emergenciais para dar algum alívio aos que mais sofrem nesse momento”, destaca.

Na entrega do equipamentos, estiveram presentes a secretária adjunta de Gestão Hospital da SES, Carolina Dobes, e o deputado estadual e presidente do Observatório Socioeconômico da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Carlos Avallone, que intermediou a parceria entre o Senai MT e a Solar Coca-Cola.

Fonte: GOV MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Ano letivo nas escolas estaduais inicia com aulas online e off-line; saiba como foi

Publicado


.

A primeira semana das aulas online e off-line na rede estadual de ensino foi tranquila e com muito aprendizado – tanto dos alunos como dos professores -, conforme alguns gestores ouvidos. Utilizando a plataforma Microsoft Teams ou pelo aplicativo WhatsApp, professores e alunos tiveram o primeiro contato com as aulas online pelos celulares ou estão estudando nas apostilas impressas.

Na Escola Estadual Vinícius de Moraes, localizada no município de Apiacás (a 1.010 quilômetros ao norte da Capital), o resultado foi considerado dentro do esperado, pois alguns professores e alunos tiveram que se ajustar a plataforma Microsoft Teams usada nas aulas online juntamente com o aplicativo WhatsApp.

“Para aqueles com inconsistência no Teams, o professor colocar a aula gravada no WhatsApp, com as atividades a serem realizadas. Em alguns casos, a realização das tarefas é comprovada por foto que o aluno envia do caderno. E temos também as apostilas que foram entregues”, salienta a diretora Jaqueline Marrafão.

A professora Cirlei Aparecida Silva, que leciona para 16 alunos uma turma do 2º ano do ensino fundamental teve problemas técnicos somente no primeiro dia de aula. Uma semana antes, Cirlei fez um teste com a apresentação dos alunos se apresentando aso colegas, o que os motivou mais ainda para o início das atividades não presenciais.

Na terça-feira (04.08), as aulas ocorreram normalmente. “Tudo tranquilo, com explicação de conteúdo, participação dos alunos com questionamentos e resolução das tarefas propostas. Os estudantes sem acesso à internet, atendo via ligação telefônica”, destaca. Dos 16 alunos da turma quatro utilizam o material impresso. Para a professora, as aulas online, ainda é uma novidade e, para isso, tem que pensar em estratégias novas.

A EE Rui Barbosa, tem cerca de 470 alunos matriculados sendo ensino fundamental na sede da unidade escolar, ensino médio nas escolas de campo e fundamental e médio nas comunidades indígenas. “Nas salas indígenas, temos que levar apostilas, pois a comunidade só dispõe de uma hora de geral e não há sinal de celular”, explica a diretora Jaqueline.

Na EE Mundo Novo, em Alta Floresta (a 803 quilômetros ao norte de Cuiabá), a diretora Darlene Cristina Delarincy classificou de uma semana muito produtiva, o início das aulas online e off-line. A gestora e os professores estavam na expectativa das aulas remotas.  

“Nossos professores participaram do curso de formação para dominar a nova tecnologia. Quem aprende primeiro, ajuda os demais. E assim iniciamos as aulas não presenciais. Com alunos usando notebook, quem não tem foi pelo celular. Para alunos sem acesso à internet, disponibilizamos as apostilas com acompanhamento via telefone”, salienta.

A diretora acrescenta que, pela plataforma, os alunos conseguem ter a explicação do professor e também tem os grupos de WhatApp da sala – cada turma tem o seu sob coordenação dos professores e equipe técnica.

Como tudo é novidade, professores utilizaram metodologias diferentes – com links no Youtube, outros com material disponibilizado no WhatsApp, tanto áudio como vídeos pequenos e imagens.

“Tivemos professores fizeram a correção das atividades interagindo com os alunos. No caso do WhatsApp, as chamadas são somente para grupo de oito. Então, o professor dividiu a sala em oito e assim vão indo criando sempre uma novidade que motiva os alunos”, comemora.

Nas primeiras séries, que a equipe gestora está dando atenção especial, as mães disponibilizaram o telefone, e com isso, conseguido ter um retorno satisfatório. No final, os alunos avaliaram a aula com vídeos curtos.

Várzea Grande

Em Várzea Grande, a coordenadora pedagógica Jandira Célia Martins Souza, da EE Fernando Leite de Campos, uma das maiores do município, explica que a primeira semana foi de ajustes, uma vez que os alunos e professores tiraram as dúvidas mais frequentes, mesmo durante as aulas. Nesse período, foram criados os grupos de WhatsApp de alunos e pais para que tirassem as dúvidas.

“Enfim, uma semana de estruturação de nossas aulas. Acredito que a maior parte das dúvidas foram esclarecidas. Os maiores acessos foram dos alunos do ensino médio”, frisa Jandira. 

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Seduc inicia terceira etapa de entrega dos kits de alimentação escolar para estudantes

Publicado


.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) inicia esta semana a distribuição da terceira etapa dos kits de alimentação escolar para famílias de alunos da rede estadual. Nesta etapa, serão beneficiadas cerca de 300 mil famílias, com investimentos na ordem de R$ 13 milhões, recursos dos governos estadual e federal.

A cestas contém arroz, feijão, carne, leite, verduras (como cenoura, chuchu, beterraba, maxixe, quiabo e abobrinha), frutas e tubérculo (mandioca ou batata).

Conforme orientativo da Seduc, encaminhado às unidades escolares, a forma de distribuição dos kits deverá garantir que não haja aglomerações nas unidades escolares, sempre seguindo as recomendações das autoridades em saúde. Diante disso, as escolas já estão se preparando para as entregas e vão comunicar aos pais ou responsáveis sobre o dia e horário para a retirada dos kits.

A equipe gestora do Centro de Educação de Jovens e Adultos Creuslhi de Souza Ramos, do município de Confresa (a 1.160 quilômetros de Cuiabá) preparou um vídeo para informar à comunidade escolar sobre a entrega dos kits.

O diretor da escola, Eraldo Pereira, explica que o vídeo foi divulgado nas redes sociais, como youtube, facebook e também nos grupos de whatsapp. “A escola já tinha alguns produtos não perecíveis, que sobraram da etapa passada, e agora adquirimos apenas os itens que faltavam, como verduras, frutas e carnes. As nossas cestas já estão prontas para serem entregues aos nossos alunos”, ressaltou o diretor.

O pagamento dos kits de alimentação escolar é feito com os recursos financeiros do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), conforme Resolução nº 02 de 2020 do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Os recursos já estão disponíveis nas contas dos Conselhos Deliberativos das Comunidades Escolares (CDCEs) para a aquisição dos alimentos.

Pelo menos 30% do recurso deverá ser destinado para a aquisição de produtos da agricultura familiar, beneficiando assim a cadeia produtiva dos pequenos agricultores do Estado de Mato Grosso.

Desde o mês de maio, quando começaram as entregas nas escolas, 361,3 mil kits já foram distribuídos às famílias dos estudantes que necessitam da merenda escolar.

“Nesse período de pandemia, em que as aulas presenciais estão suspensas, a Seduc adotou medidas para garantir a continuidade do direito do aluno à alimentação escolar, destaca a secretária de Estado de Educação, Marioneide kliemaschewsk.

Para a definição do valor de cada kit, foi utilizado como critério o custo médio dos alimentos, apurado por meio dos processos de pregão e chamada pública realizados pelos municípios para o ano letivo de 2020.

Dúvidas e informações podem ser obtidas pelo e-mail alimentaçã[email protected]

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana