conecte-se conosco


Mato Grosso

SES fortalece município de Alto Araguaia nas ações de promoção da amamentação

Publicado

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), por meio da Coordenadoria de Promoção e Humanização da Saúde (Cophs), fortalece os municípios de Mato Grosso para que promovam ações de proteção e apoio à amamentação. A cidade de Alta Araguaia é um dos municípios com iniciativas bem-sucedidas voltadas para a temática, com o Programa Cegonha Araguaiense.

O Programa viabiliza o acompanhamento da mãe que reside em Alto Araguaia. A primeira fase da ação ocorre no pré-natal, parto, pós-parto e segue até os 28 dias de puerpério. São realizadas visitas domiciliares de apoio à amamentação, estendendo também o apoio no ambiente de trabalho da mulher trabalhadora que amamenta.

Além disso, há a entrega de um kit maternidade que incentiva as mulheres a participarem das rodas de conversas. O material é oferecido como incentivo à amamentação exclusiva por 6 meses, continuando até os 2 anos ou mais, como preconiza o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde.

Nas duas etapas do programa, a mãe é apoiada em seu psicológico, físico, econômico e nutricional. Para a coordenadora da Cophs, Rosiene Rosa Pires, essas ações reforçam o compromisso da pasta em mobilizar os municípios mato-grossenses para o fortalecimento das ações estratégicas de promoção, proteção e apoio à amamentação e alimentação complementar saudável.

“Nosso papel é implementar, junto às cidades, ações estratégicas de avaliação e monitoramento, além de realizar reuniões de incentivo e mobilizações sociais para que a população abrace a causa”, explica Rosiene.

O responsável pela equipe de Promoção do Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável (Epamacs), Rodrigo Carvalho, ressalta que é por meio das Secretarias Municipais de Saúde que a informação chega aos pais. “Alta Araguaia fez o dever de casa e está tendo êxito na realização de promoção à amamentação. O principal beneficiado com isso é a criança, que terá uma vida mais saudável”, pontua.

O gestor municipal que tem interesse na temática, mas tem dúvidas sobre como trabalhar em sua cidade, pode entrar em contato com a SES para receber as orientações necessárias e, se preciso, agendar uma capacitação. “Estamos à disposição para auxiliar no que for preciso”, diz Rodrigo.

Programa Cegonha Araguaiense

O Programa Cegonha Araguaiense é desenvolvido pelas Secretarias Municipal de Saúde (SMS) e de Assistência e Desenvolvimento Social (Seads) de Alto Araguaia. Em 2021, foi constatada uma adesão de 90% das mulheres amamentando seus filhos exclusivamente até os 6 meses de vida.

De acordo com a presidente da Comissão de Apoio ao Aleitamento Materno (CAAM) da SMS de Alto Araguaia, Shirley Lopes, o programa nasceu devido ao alto número de doações de fórmulas infantis para crianças de 0 a 6 meses, em 2017, que deveriam estar em Aleitamento Materno Exclusivo (AME), e o elevado número de crianças com infecções intestinais internadas.

“Desde então, a CAAM criou os protocolos baseados nas diretrizes da Rede Cegonha e deu início a um extenso processo de capacitações aos profissionais de saúde da atenção primária, hospitalar e ambulatorial, envolvendo também a unidade descentralizada de reabilitação e os centros de referência em assistência social. Formamos uma potente rede de apoio à mulher que amamenta”, conclui Shirley.

Fonte: GOV MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mato Grosso

Prefeitura de Lucas do Rio Verde alerta sobre documentos obrigatórios para inscrições do Condomínio Águas do Cerrado

Publicado

A Prefeitura de Lucas do Rio Verde alerta para a documentação obrigatória para efetuar inscrições do Condomínio Águas do Cerrado que serão do dia 22 de agosto a 22 de outubro. É imprescindível que os interessados, que fizeram o agendamento, compareçam no dia e hora marcados, no Departamento de Habitação, na avenida Mato Grosso, na rotatória da Rosa Mística, bairro Jardim das Palmeiras.

No ato da inscrição, o não cumprimento das obrigatoriedades ou a falta de qualquer documento exigido no edital implicará na NÃO realização da inscrição.

Para a inscrição, a documentação ORIGINAL obrigatória, é RG e CPF ou CNH válida, comprovante de estado civil – Certidão de Nascimento, Certidão de Casamento ou Certidão de Casamento com Averbação do Divórcio – conforme for o caso, comprovante de endereço atualizado e no nome do proponente (conta de água, energia, fatura de cartão de crédito, fatura de internet), comprovante de renda atualizado – renda familiar de R$ 2 mil a R$ 7 mil (três últimos holerites), ou declaração de Imposto de Renda do último exercício, comprovante de tempo de moradia, conforme consta no edital; se for PcD, apresentar laudo médico que comprova a situação.

Como parte dos critérios, os interessados não podem possuir restrições no CPF. É obrigatório que todos os componentes (irmão, cônjuge – união estável, pai, filho, etc), que comprovem a renda junto com o interessado, compareçam de forma presencial no dia da inscrição, portando todos os mesmos documentos legíveis e originais, conforme citado no edital.

Importante salientar que a realização da inscrição e a classificação do candidato no programa não garante a aprovação de crédito perante o agente financeiro, visto que é necessário o preenchimento de critérios da instituição financeira operadora e do programa do Governo Federal Casa Verde e Amarela.

Para aqueles que tiveram restrições no cumprimento das obrigatoriedades e não conseguiram finalizar sua inscrição, se ainda houver interesse do candidato/proponente, tendo o período para agendamento de inscrição encerrado, será realizado um novo agendamento para data final do período de inscrição, após atendimento de todos os previamente agendados.

Se no reagendamento ainda faltar documento, apresentar documentação ilegível ou possuir restrição financeira no CPF, não será mais possível fazer inscrição, pois o reagendamento será feito apenas uma única vez.

O agendamento on-line e presencial do Condomínio Águas do Cerrado, que é uma etapa obrigatória do projeto, segue até o dia 21 de agosto. Presencialmente, o agendamento é feito no Departamento de Habitação. E pelo site, é preciso preencher o CPF e a data de nascimento, sendo direcionado a uma página onde terá que escolher a data e o horário para fazer a inscrição. O link é: http://habitacao.lucasdorioverde.mt.gov.br/portal/agendamento.

Fonte: Ascom Prefeitura Lucas do Rio Verde / Gabriela Corsino

Continue lendo

Mato Grosso

Fiscalização no raguaia apreende apetrechos e armadilhas de pesca predatória

Publicado

A Polícia Civil realizou neste fim de semana em Ponte Branca, no sul do estado, uma fiscalização para inibir a pesca predatória no rio Araguaia. A Delegacia de Alto Araguaia recebeu informações de que cardumes de peixes estavam chegando ao rio, em Ponte Branca, e pescadores da região se programavam para efetuar pesca predatória e proibida no local.

O local é conhecido por ser uma armadilha natural para os peixes, pois ao subirem o rio, no ciclo de reprodução, chegam a um ponto onde ocorre um estreitamento, em um canal de pouco mais de 25 metros de largura. Logo acima, há uma cachoeira impedindo que continuem o trajeto, se acumulando no local, muitas vezes cansados.

Nesse ponto, os pescadores se aproveitam e, utilizando apetrechos proibidos, realizam a pesca predatória e criminosa. Muitos peixes são mutilados, machucados e descartados no local.

A equipe da Delegacia de Alto Araguaia foi ao local nestas sexta (12) e sábado (13.08) e, durante a fiscalização, foram apreendidas armadilhas e apetrechos proibidos para a pesca, além de abordar e conscientizar os pescadores.

O delegado Marcos Paulo Batista destaca que as diligências ocorrerão periodicamente, visando garantir a preservação das espécies e do Rio Araguaia.
“É preciso que a comunidade local se conscientize e deixem de praticar este crime ambiental, em condições tão desfavoráveis para as espécies de peixes. Além de correrem o risco de serem presos em flagrante, responderem processo criminal e pagarem multas elevadas, farão com que espécies de peixes sejam extintas no Araguaia”.

A Lei Ambiental 9.605/98, conforme o artigo 34, parágrafo III, combinado com a lei estadual que dispõe sobre a política de pesca no Estado de Mato Grosso, veda expressamente a pesca nestas condições, com pena de detenção de um a três anos, além de multa

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana