conecte-se conosco


Política MT

Sérgio Moro autoriza uso da Força Nacional na fronteira de Mato Grosso com a Bolívia

Publicado


Pedido foi formulado pelo senador Wellington Fagundes durante reunião do Bloco Parlamentar Vanguarda, da qual é líder

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, autorizou nesta terça-feira (3), o emprego da Força Nacional de Segurança Pública em apoio à Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, nas ações de Polícia Judiciária, no combate à criminalidade organizada na região de fronteira de Mato Grosso. A medida atende um pedido formulado ainda no mês de junho pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT), durante reunião do Bloco Parlamentar Vanguarda.

De acordo com a portaria publicada na edição do Diário Oficial da União, também será implementado o Programa VIGIA,  em caráter episódico e planejado, pelo prazo de 180 dias. O programa é uma parceria entre o Ministério da Justiça e Segurança Pública e Ministério da Defesa visa a capacitação para policiais federais, civis e militares que atuam nas fronteiras do país.

Entre as linhas de atuação do programa estão operações integradas; aquisição de equipamentos; capacitações e bases operacionais com integração de sistemas. “O objetivo é aumentar a fiscalização e a repressão contra os crimes transfronteiriços, como contrabando, tráfico de drogas, armas e munições, que é o que mais estamos precisando neste momento” – disse o senador.

Leia Também:  Proposta visa acabar com o golpe da promoção em MT

Em Mato Grosso, são mais de 720 quilômetros de divisa seca e  mais de 200 quilômetros de divisa por água. “Ou seja, 900 quilômetros de divisa, extremamente vulnerável” – disse o senador.

Ao anunciar a iniciativa, Fagundes lembrou que há muito a bancada federal vem lutando para impor uma vigilância mais eficiente na fronteira de Mato Grosso. “E ao agir nessa direção, pelo fortalecimento da segurança na nossa fronteira, em verdade, estamos buscando paz e segurança não apenas para a população das cidades de Mato Grosso, mas, sobretudo, atacando de maneira direta a bandidagem que teima em tomar conta do Brasil, através do tráfico de drogas e de armas e munição”, disse.

Na conversa com o ministro Sérgio Moro, em junho passado, acompanhado pelo senador Jayme Campos, Fagundes mostrou ao ministro a situação de abandono da faixa de fronteira em Mato Grosso. Destacou que a fronteira do Estado têm sido um caminho aberto para entrada de armas ilegais, e do contrabando, além, do tráfico de drogas – crime que, segundo ele, “tem destruído nossa juventude e as famílias brasileiras”.

Leia Também:  Senador e deputado defendem que emendas da bancada de MT sejam destinadas para retomada das obras do VLT

Plano Integrado de Desenvolvimento

Além de atacar a criminalidade, Wellington Fagundes afirmou que se faz necessário seguir trabalhando na defesa da implantação de um projeto integrado de ocupação da faixa de fronteira. “Inclusive – ele explicou – para gerar desenvolvimento, oportunidades e emprego”. O senador do PL de Mato Grosso defendeu a regularização fundiária e investimentos em políticas públicas de atendimento específico às necessidades locais, dos municípios.

Fagundes atuou no ano passado como relator setorial de Orçamento de Justiça e Defesa. “Esperamos que esse trabalho da Força Nacional seja uma investidura para uma atuação mais efetiva das nossas forças de segurança nessa importante região brasileira”, acentuou.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

PDT nacional quer candidatura própria e ‘lança’ maestro como pré-candidato à prefeitura de Cuiabá

Publicado

Fabrício Carvalho foi enaltecido pelo presidente nacional do PDT, Carlos Luppi

O PDT nacional está de olho em Mato Grosso. Além da disposição declarada do vice-governador Otaviano Pivetta, pedetista histórico, o comando nacional está de olho na Prefeitura de Cuiabá. A ponto de o presidente nacional do partido, Carlos Luppi, publicar uma  live no Facebook, lançando o maestro Fabrício Carvalho, pré-candidato do PDT à prefeitura de Cuiabá.

Luppi fez uma fala analisando que o Brasil precisa se voltar para os problemas de cada cidade. De que pensar em política pública é resolver os problemas das cidades, que começam inclusive com um buraco na rua. Depois de fazer essa análise, o presidente nacional do partido praticamente lançou o maestro de Cuiabá para disputar o pleito que se avizinha.

Conforme o líder partidário, o PDT terá sua linha municipalista mais aguçada nestas eleições. Ele destacou, inclusive, várias prefeituras. Além de Cuiabá, o PDT pensa nas prefeituras de Campo Grande (MS), Manaus (AM), Ananindeua (PA) e Recife (PE).

 “Estamos lançando o maestro, chamado maestro Fabrício. Um jovem com a cabeça arejada, que comanda a orquestra sinfônica de Mato Grosso, é professor universitário, músico. Candidato em Cuiabá”, afirmou. O partido, conforme Luppi, está buscando os mais jovens para promover uma renovação de lideranças nestas eleições.

“Estamos abrindo espaço para a nova geração que tenha consciência, que saiba o que é o trabalhismo, que tenha visão humanista, que tenha compromisso social, que saiba ser solidário com o trabalhador”, disse na live.

 

 

Leia Também:  Araguaia discute projetos de desenvolvimento
Continue lendo

Política MT

Superfaturado, prefeitura loca caminhão com 60 anos de uso; TCE manda sustar pagamento a empresa

Publicado


A conselheira interina Jaqueline Jacobsen: prefeitura ainda realizou pagamentos por serviços que não foram prestados

Medida Cautelar de autoria da conselheira interina do Tribunal de Contas de Mato Grosso, Jaqueline Jacobsen determina a Prefeitura Municipal de General Carneiro a suspensão da realização de despesas, bem como de pagamentos decorrentes das Atas de Registro de Preços 11/2019, 14/2019 e 15/2019, oriundas dos Pregões Presenciais 11/2019 e 15/2019.

O objetivo do certame é o registro de preço para contratação de empresas capazes de prestar serviços de locação de máquinas e caminhões para atender as necessidades da Secretaria Municipal de Obras e contratação de mão de obra terceirizada. Conforme análise da Secretaria de Controle Externo de Administração Municipal do TCE-MT, a gestão municipal efetuou pagamentos a empresas vencedoras dos certames em questão por serviços não executados.

As irregularidades foram constatadas durante a análise de uma Tomada de Contas instaurada por determinação do conselheiro interino Moisés Maciel em 2018. Ao detectar as falhas, a Secex de Administração Municipal formulou Representação de Natureza Interna (RNI), com pedido de Medida Cautelar, em desfavor da Prefeitura Municipal de General Carneiro, em virtude de possíveis irregularidades nos pregões presenciais, bem como em suas respectivas Atas de Registro de Preço.

Além da locação de máquinas pesadas, tratores, caminhões pipa e carga seca para atender as necessidades da Secretaria Municipal de Obras as empresas também tinham autorização para contratar mão de obra terceirizada tais como, pedreiros, serventes de pedreiro e serviços gerais em obras, mecânica e reparos de bombas injetoras em regime de empreitada.

Leia Também:  Proposta visa acabar com o golpe da promoção em MT

Foi verificado pela equipe de auditores do TCE-MT que foram contratados serviços de manutenção e locação de veículos sem emitir ordens de serviço. Ou seja, efetuou pagamentos a empresas sem especificar as atividades realizadas, o local de execução, o prazo, o objeto e os equipamentos utilizados.

A conselheira interina Jaqueline Jacobsen ressaltou em sua decisão, publicada nesta quinta-feira, 23/01, no Diário Oficial de Contas, que para fins de comprovação de que as empresas contratadas têm, de fato, executado os serviços seria necessário a apresentação dos seguintes documentos: Nota de liquidação; Ordem de pagamento; comprovante da transferência bancária; Nota fiscal; Relatório emitido pelo responsável pelo recebimento do serviço; orçamento elaborado pela contratada para a realização dos serviços; Ordem de serviços emitida pela contratante, de todos os empenhos e pagamentos efetuados referente às Atas de Registro de Preços dos Pregões citados.

Conforme é relatado na Medida Cautelar, pode ter ocorrido a prática de atos antieconômicos e indícios de superfaturamento, uma vez que a Prefeitura de General Carneiro, mediante a Ata de Registro de Preço 11/2019, locou um caminhão com 60 anos de uso por valor incompatível com o seu valor venal, pois o custo da locação de dois meses deste veículo foi superior ao seu preço de mercado, como também locou um trator de esteira para o serviço de limpeza no aterro de Paredão Grande, cujo trabalho não foi constatado por meio da visita in loco dos auditores do TCE-MT.

Leia Também:  Delator da Seven alega dificuldades financeiras e consegue parcelar dívida com Estado em 45 vezes

Jacobsen comentou ainda que conforme a equipe técnica, as empresas contratadas pela representada, sem justificativa, utilizaram uma quantidade excessiva de horas para a execução das atividades contratadas e, inclusive, em algumas situações chegaram a realizar repetidamente o serviço de conserto de um mesmo veículo, a ponto de os custos com os reparos superarem os valores de mercado dos veículos. “Verifico que as empresas contratadas não possuem histórico de prestação de serviços para particulares, isto é, a empresa João Porfírio Junior – MT nunca emitiu notas ficais para outro cliente que não seja a Prefeitura Municipal de General Carneiro”. Já, a empresa A. P. Araújo Locadora e Transporte – ME que, desde a sua fundação em 2014, possui o histórico de declaração fiscal na soma de R$ 4.420.00 por serviços realizados para particulares, efetuou a emissão de notas fiscais, no quantitativo de R$ 1.502.774,99, em favor da Prefeitura Municipal de General Carneiro.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana