conecte-se conosco


Nacional

Sérgio Cabral confirma que recebeu propina para fechar contratos com a Funderj

Publicado

source
Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro arrow-options
Tânia Rêgo/Agência Brasil

Sérgio Cabral admitiu que recebeu propina da Funderj


O ex-governador Sérgio Cabral confirmou nesta quinta-feira (15) o recebimento de propina em mais um órgão durante sua gestão. Dessa vez, ele afirmou ter recebido vantagens indevidas de empreiteiras que tinham contratos na Fundação Departamento de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro (Funderj).

Leia também: Punição atrasa em 11 meses acesso de Cabral ao regime semiaberto

“Confirmo recebimento de valores indevidos tanto para campanhas eleitorais quanto para benefício pessoal. Não tenho a precisão (dos valores)”, afirmou Cabral .

Em dezembro de 2017, Cabral, o ex-secretário Wilson Carlos, o operador Luiz Carlos Bezerra, o ex-presidente da Fundação Departamento de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro (Funderj) Henrique Ribeiro e seu ex-chefe de gabinete Lineu Martins foram denunciados pela força-tarefa da Operação Lava-Jato. Henrique Ribeiro e Lineu Martins foram presos na Operação C’est Fini.

De acordo com a denúncia, no período compreendido entre janeiro de 2007 e setembro de 2014, por, pelo menos, 75 vezes, o esquema no Funderj envolveu R$ 18.117.824,36 em propinas, em razão de contratos celebrados com a fundação.

Leia também: Lava Jato reúne Cunha, Cabral, Eike e mais presos famosos em Bangu 8

“O doutor Henrique se propunha a arrecadar no DER (como Cabral se refere ao Funderj), para campanhas e fora de campanhas, junto às empreiteiras que prestavam servico ao DER. Eram médias e pequenas empresas”, afirmou Cabral , dizendo que o então presidente do Funderj não obtinha vantagens pessoais e a arrecadação era para o esquema.

Fonte: IG Nacional
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Nacional

Trabalho infantil aumenta 38% durante o carnaval; saiba como denunciar

Publicado

source

Agência Brasil

trabalho infantil arrow-options
Valter Campanato / Agência Brasil

Trabalho infantil é crime.

Em média, a cada ano, as notificações de casos de trabalho infantil aumentam 38% durante os meses de carnaval, em todo o país, de acordo com o Ministério Público do Trabalho (MPT). Na Paraíba, esse tipo de crime cresceu 48,8% no período da data festiva, saltando de 129 ocorrências denunciadas em 2018 para 192 em 2019.

Leia mais: “Na ditadura tinham mais respeito pela Constituição do que agora”, diz Lula

Durante o carnaval, muitas crianças e adolescentes são vistos nas ruas assumindo funções como a de vendedor ambulante, catador de latinhas e guardador de carros. Porém, conforme alerta o MPT, ao exercer atividades laborais, têm seus direitos violados e acabam ficando mais vulneráveis à exploração sexual e ao aliciamento de traficantes de drogas.

No Brasil, o trabalho é proibido para pessoas com idade inferior a 16 anos. A exceção ocorre quando assegurada a condição de aprendiz , prevista para adolescentes a partir dos 14 anos de idade. A legislação vigente estabelece que jovens com idade entre 16 e 18 anos podem trabalhar somente se não ficarem expostos a trabalho noturno, perigoso, insalubre ou àquele que traga algum prejuízo à sua formação moral e psíquica.

Para reforçar a importância de se preservar os direitos de crianças e adolescentes , o MPT conclama os foliões por meio de uma campanha que está sendo difundida em locais de concentração dos blocos. O conteúdo também pode ser encontrado nas redes sociais, por meio das hashtags #CarnavalSemTrabalhoInfantil e #CarnavalSemExploraçãoInfantil.

O órgão mantém, ainda, uma campanha nacional, de caráter permanente e identificada nas redes sociais com a hashtag #ChegaDeTrabalhoInfantil . Esta mobilização conta com o apoio de personalidades como Daniela Mercury, Elba Ramalho e Wesley Safadão.


Fonte: IG Nacional
Continue lendo

Nacional

Suspeitos de matar brasileira nos EUA são presos no Espírito Santo

Publicado

source
carnaval arrow-options
Reprodução/ Instagram

Corpo de Ana Paula Braga foi encontrado na cidade de Hot Springs

Dois homens suspeitos de assassinar a brasileira Ana Paula Braga foram presos no Espírito Santo depois de 24 dias de buscas. A Polícia Federal localizou a dupla neste sábado (22) na cidade de Cariacica.

Leia também: Governo do Ceará afasta 168 policiais por participação em motim

Ana Paula desapareceu no último dia 29 de janeiro, após conversar com a mãe por telefone. A brasileira de 23 anos era motorista de aplicativo e seu corpo foi encontrado numa cidade chamada Hot Springs no dia 14 de fevereiro.

De acordo com a Polícia Federal os suspeitos protagonizaram uma “fuga cinematográfica”. Ainda não foi determinada a motivação para o crime.”Durante todo esse tempo, a dupla pressionou e extorquiu, tanto os próprios familiares quanto parentes da vítima, com o intuito de obtenção de recursos que os ajudassem na fuga”, informou a PF em comunicado.

Como aconteceu a prisão?

pf arrow-options
Agência Brasil

Polícia Federal

A PF deu alguns detalhes sobre como teria ocorrido o assassinato de Ana Paula. Segundo a corporação, a jovem foi assassinada em 30 de janeiro e seu corpo foi transportado dentro de seu próprio carro ate ser desovado.

De Hot Springs, a dupla viajou no carro de Ana Paula até o estado de Oklahoma e, depois, partiu de ônibus até o Texas. De lá, atravessaram o México a pé e, na Cidade do México seguiram de avião até o Rio de Janeiro.

As polícias americana e brasileira entraram em contato e descobriram o paradeiro dos suspeitos no estado do sudeste. Homens do 7º Batalhão da Polícia Militar do Espírito Santo, do Grupo Integrado de Operações de Segurança do ES, do Ministério Público e agentes internacionais realizaram a detenção dos acusados de matar Ana Paula na manhã deste sábado (22).

Leia também: Quase metade das brasileiras já sofreu assédio ou importunação sexual no Carnaval

Não foi divulgada a identidade de nenhum dos suspeitos e nem informado se os mesmos serão enviados aos Estados Unidos para responderem pelo crime. O Departamento de Polícia de Los Angeles (LAPD) é o responsável pela investigação da morte da brasileira .

Fonte: IG Nacional
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana