conecte-se conosco


Carros e Motos

Será que o novo Range Rover Evoque é capaz de manter o “hype”?

Publicado

Range Rover Evoque arrow-options
Cauê Lira/iG Carros

Nova geração do Range Rover Evoque continuará na moda? Ao menos no design, SUV mantém características

Alguns carros marcam gerações. É o caso do Opala para os nostálgicos que aplicavam brilhantina no cabelo antes de sair para namorar, ou o próprio Gol GTS que encantou os playboys dos anos 80. Lançado em 2010, o Range Rover Evoque se tornou o objeto de desejo dos millennials ; talvez o carro marcante da minha geração. O SUV desembarca totalmente renovado no Brasil com o objetivo de continuar encantando os consumidores mais descolados. 

LEIA MAIS:  Mitsubishi Pajero Sport vai bem na terra e no asfalto. Veja a avaliação

“Em time que está ganhando não se mexe”. Essa parece ter sido a filosofia dos técnicos brasileiros que foi incorporada pelos engenheiros britânicos que desenvolveram o Evoque . Ainda que a pintura escarlate seja um chamariz, passei com certa discrição pelas ruas paulistanas. É como se as pessoas pensassem: ok, é um Evoque , e seguissem com suas vidas.

Mal sabem que por baixo deste design familiar há um SUV que nunca esteve tão maduro. São 4,37 metros de comprimento, 2,10 m de largura e 1,64 m de altura. O entre-eixos, que sempre foi uma das grandes reclamações dos proprietários do Evoque antigo, cresceu para 2,68 metros (+21 mm), liberando um bom espaço para os joelhos dos ocupantes do banco traseiro. Quatro adultos e uma criança podem se acomodar com conforto, sem ombros esbarrando.

Talvez tenha sido no habitáculo que o Evoque mais evoluiu. Ao todo, são três grandes telas no painel de instrumentos, sistema multimídia e central de comandos. É possível transferir informações de um para o outro, mas os pareamentos de Apple CarPlay e Android Auto ficam restritos à tela central. Você pode conferir mais informações sobre as soluções de conectividade no vídeo abaixo.

LEIA MAIS: Jaguar I-Pace 2020: SUV elétrico de personalidade forte

Gostava muito do câmbio em formato circular que se projetava para fora quando a ignição era acionada. No lugar dele, a Land Rover instalou uma alavanca bem careta. Os revestimentos são de ótima qualidade, com materiais emborrachados e couro de toque suave. Um massageador fez falta no banco do motorista – por R$ 312.900, merecíamos, não?

Apesar da vocação para o asfalto, o melhor consumo que obtivemos nas ruas paulistanas ficou na casa dos 6,7 km/l. A Land Rover ainda instalou um motor elétrico de 48 volts que compõe as funções de alternador e propulsor de partida (motor de arranque), que servem para despertar o SUV do “start-stop” em uma saída de semáforo, por exemplo. O objetivo é economizar combustível, mas o Evoque fica devendo.

Personalidade urbana

Range Rover Evoque arrow-options
Divulgação

A nova geração do Range Rover Evoque conta com diversas opções de revestimento de painel, portas e bancos

O motor Ingenium 2.0 turbo, com 300 cv e 40,8 kgfm de torque, mostrou-se suficiente para garantir agilidade ao SUV de 1.850 kg. Com o torque cheio entregue entre 1.500 e 4.500 rpm, o Evoque se torna um modelo bem espertinho – algo que tira este aspecto “banheirão” proporcionado pelo peso elevado. De acordo com a marca, pode atingir 100 km/h em apenas 6,6 segundos.

Com nove marchas, o câmbio automático é bem versátil. Além das trocas quase imperceptíveis, permite reduções drásticas sem solavancos fortes na cabine. Na rodovia, o Evoque pode efetuar ultrapassagens com muita segurança. Basta dar dois toques na aleta de redução atrás do volante.

Ainda que a suspensão (McPherson na dianteira, multibraço na traseira) seja bem macia na cidade, o SUV não fica devendo em estabilidade. As irregularidades do solo são filtradas enquanto o Evoque se mantém firme em saídas de lombada.

Tecnologias para off-road

Range Rover Evoque arrow-options
Divulgação

O sistema de “capô invisível” faz uma projeção dos arredores da dianteira do Evoque.Dispositivo ajuda em manobras

Se quiser enfrentar trechos de terra, a Land Rover instalou um seletor de modos off-road bem completo, para grama, cascalho, neve, lama e areia. Cheio de tecnologia, o modelo também traz controle de cruzeiro adaptativo, assistente de ponto cego, monitor de tráfego reverso e de fadiga.

Soluções para a cidade também foram bem pautadas. Um dos dispositivos mais legais do Evoque aciona uma imagem que parece estar localizada abaixo do capô, dentro do veículo. Isso permite que o motorista veja qualquer obstáculo baixo que esteja nas proximidades da dianteira. A câmera 360° também permite que o motorista estacione com precisão.

LEIA MAIS: Lexus UX 250h: eficiência com estilo

O Range Rover Evoque é um SUV urbano para aqueles que querem impressionar, ainda mais com as belas rodas aro 20 da versão P300 HSE R-Dynamic. Partindo de R$ 312.900 (R$ 322.300 na versão que testamos, com logos escurecidos e regulagem elétrica da direção), continuará sendo um modelo que fará os corações dos jovens pulsarem com mais força. O “hype” continua. 

Ficha técnica

Range Rover Evoque P300 HSE R-Dynamic 2020
Motor: 2.0, turbo, gasolina
Potência: 300 cv a 5.500 rpm
Torque: 40,8 kgfm a 1.500 rpm
Transmissão: automática, nove marchas, tração integral
Suspensão McPherson (dianteira), multibraço (traseira)
Freios: discos ventilados (dianteira),sólidos (traseira)
Dimensões: 4,37 m de comprimento, 2,10 m de largura, 1,64 m de altura, 2,68 de entre-eixos
Porta-malas: 591 litros
Tanque: 67 litros
Consumo:9 km/l (cidade), 10 km/l (estrada)
0 a 100km/h: 6,6 segundos

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Carros e Motos

Citroën prepara novos modelos de baixo no Brasil

Publicado


source
Citroen C3
Divulgação

Citroën C3 Aircross deverá ser um dos novos modelos que serão fabricados em Porto Real (RJ) a partir do ano que vem

Depois da fábrica argentina de El Palomar, agora é a vez de a PSA Peugeot Citroën dar um novo passo rumo à fabricação de carros sobre a base modular CMP também no Brasil. Recentemente, a empresa anunciou que produziu a primeira unidade da nova plataforma na fábrica de Porto Real (RJ), em mais um estágio do processo de modernização da unidade industrial, iniciado no ano passado, com um investimento de R$ 220 milhões.

LEIA MAIS: Peugeot começa a fabricar novo 208, que virá ao Brasil em setembro

Revelada na Europa em 2018, a plataforma CMP foi desenvolvida para uso em modelos médios e compactos, prevendo inclusive o uso de motorização elétrica. Além do novo Peugeot 208, a base é empregada atualmente também na nova geração do SUV Peugeot 2008, nos Opel/Vauxhall Corsa e Mokka e no DS3 Crossback, SUV compacto de luxo produzido pela submarca de luxo da Citroën .

A questão que fica é qual será o modelo escolhido pela empresa francesa para estrear a produção da plataforma modular CMP por aqui. Sobre o assunto, Patrice Lucas, presidente Brasil e América Latina e membro do Comitê Executivo do Groupe PSA , dá algumas dicas no comunicado sobre a produção da primeira base CMP em Porto Real. “Os produtos fabricados em Porto Real e em Palomar tendo como base a CMP serão complementares e distintos, sendo que cada unidade continuará tendo sua importância na produção para os mercados locais e para exportação”.

Com base nessas informações, já podemos descartar a produção local dos novos Peugeot 208 e 2008, já que ambos passarão a ser importados da Argentina. O rumor mais forte é que os primeiros CMP brasileiros devem ser os substitutos dos veteranos Citroën C3 e Aircross. Na Europa, ambos os modelos estão uma geração na frente, mas ainda são baseados na antiga plataforma PF1 e devem ganhar a CMP apenas a partir de 2023.

LEIA MAIS: Novo Peugeot 208 será lançado no segundo semestre. O que esperar dele?

Com a necessidade de ocuparem posições “complementares e distintas” na gama e sem um referencial europeu, o hatch e o monovolume aventureiro devem ser substituídos por carros mais simples, posicionados abaixo dos Peugeot.

Os candidatos mais prováveis são os modelos do projeto Smart Car, automóveis de baixo custo que estão sendo desenvolvidos na Índia em parceria com a Tata Consultancy Service. O SC21 é hatch aventureiro com porte parecido ao do atual C3.

Citroën C3
Divulgação

Novo Citroën C3 europeu também deverá servir de base para um modelo da marca no Brasil

Já o SC24 é um SUV compacto . Ambos serão baseados em uma variação simplificada da CMP. De acordo com a imprensa francesa, esses novos Citroën de baixo custo devem chegar ao mercado indiano em 2021 e já estariam também confirmados para a América Latina e o Norte da África.

A nova estratégia é mais uma aposta da PSA para reverter os seus revezes no mercado brasileiro. Há dez anos, a Peugeot detinha uma fatia de 2,92% do mercado, enquanto a Citroën ficava com 2,81%. Números suficientes para enquadrar as duas marcas entre as dez maiores do mercado brasileiro. Seis modelos da PSA figuravam entre os 50 mais vendidos, sendo que o mais popular deles era Citroën C3, com 15.346 unidades emplacadas no acumulado de janeiro a maio de 2010.

LEIA MAIS: Citroën mostra nova geração do C3 Aircross

Cenário muito distinto do mostrado pelos números da empresa nos primeiros cinco meses de 2020. Fora do ranking dos dez maiores fabricantes, a PSA tem atualmente apenas dois modelos na lista dos 50 mais vendidos no ano: Citroën C4 Cactus (4.006) e Peugeot 2008 (1.580).

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros e Motos

Novo Honda HR-V deverá ser mostrado em meados de 2021, diz site

Publicado


source
Honda Concept D
Divulgação

Concept D é o protótipo que vai servir de base para a o novo Honda HR-V, na primeira metade do ano que vem

A Honda não vai ficar de fora da briga dos SUVs compactos em jeito de cupê. De acordo com o site Auto Car , o carro será mostrado em maio de 2021, com aspecto mais arrojado, atualizando o estilo de certa forma ousado da primeira geração, lançada há seis anos, com a maçaneta da porta traseira na coluna, o que dá a entender que o carro tem apenas três portas. Será uma resposta ao VW Nivus, que acaba de chegar ao Brasil.

LEIA MAIS: VW Nivus chega mais em conta e equipado que o T-Cross; confira

Pelo visto, as mudanças no HR-V não serão poucas, tanto por fora quanto por dentro e na parte mecânica. Além do novo desenho, o SUV da Honda ficará maior, em torno de 4,4 metros de comprimento (+ 8 cm) por 1.79 metros de largura (+ 2cm) e 1.59 m de altura (+ 1 cm), ainda de acordo com a publicação inglesa. Porém, o entre-eixos continuará sendo o mesmo, 2,61 m.

Pelo menos em alguns mercados, entre as versões do novo Honda HR-V que vão estar disponíveis haverá uma híbrida, com dois motores elétricos. O primeiro para vencer a inércia e chegar até 80 km/h, quando passará a funcionar o novo motor 1.5 litro, a combustão. Além disso, o carro vai contar também com o novo 1.0 turbo, de três cilindros, que também vai equipar as novas gerações de Fit e City .

Honda Concept
Divulgação

Honda Concept D tem jeito de cupê, o que será aplicado ao novo HR-V, que vai ser rival direto do VW Nivus

LEIA MAIS: Projeção antecipa como deverá ficar o novo Hyundai Creta nacional

Não será à toa que o novo Honda HR-V vai ficar um pouco maior, já que está previsto o lançamento de um SUV abaixo dele, como substituto do WR-V. E as novidades no terreno dos utilitários esportivos vão continuar com ais lançamentos, inclusive com o Toyota Corolla Cross , que será fabricado em Indaiatuba (SP), assim como o sedã, a partir de meados do ano que vem. A Hyundai também terá o novo Creta e o segmento que já é o mais vendido hoje em dia seguirá em alta nos próximos anos.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana