conecte-se conosco


Política MT

Senador e deputado defendem que emendas da bancada de MT sejam destinadas para retomada das obras do VLT

Publicado


Emanuelzinho e Jaime Campos defendem que parte das emendas de bancada e até mesmo as individuais possam ser destinadas para o VLT [F-Mídia News]

O senador Jaime Campos (DEM) e o deputado federal Emanuel Pinheiro Neto, o Emanuelzinho (PTB), estão defendendo, junto aos demais parlamentares da bancada federal, que parte das emendas de bancada e até mesmo as individuais possam ser destinadas para a retomada das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

A obra inicialmente orçada em R$ 1,4 bilhão está paralisada desde o final do ano de 2014, já que era para a Matriz de Responsabilidade da Copa do Mundo, mas não se tornou uma realidade e hoje provoca prejuízos para Mato Grosso e as suas principais cidades.

Estima-se em próximo de R$ 500 milhões o somatório de emendas parlamentares entre individuais e de bancadas para Mato Grosso. Somente neste ano de 2019 estão empenhados R$ 4.690 bilhões em emendas parlamentares para todo o Brasil, sendo que para 2020 a previsão é de 0,8% das Receitas Correntes Líquidas (RCL) que está estimada em R$ 1,8 trilhão, o que representaria emendas da ordem de R$ 144 bilhões para deputados e senadores destinarem investimentos para seus estados e municípios.

“A busca pela solução é porque estamos caminhando a passos largos para termos um elefante branco e Mato Grosso e sua população não merecem isto”, defendeu Emanuelzino. Ele acredita na possibilidade de “em comum acordo com a bancada federal para definir um valor a ser destinado apenas para essa obra que é fundamental para a economia do Estado”.

Leia Também:  Em três anos, Emanuel cumpre mais de 50% das promessas de campanha; desempenho fica acima da média nacional

Já o senador Jaime Campos, esposo da prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos (DEM) sinalizou que na cidade vizinha à Capital os prejuízos são ainda maiores, pois parte dos trilhos foram implantados e muitos empresários perderam seus negócios por causa dos erros de planejamento que já perduram por mais de dois governos.

“Sempre mantive minha perspectiva de que a pior obra é aquela parada, trazendo prejuízos enormes para a cidade e principalmente para a população. O deputado Emanuel Pinheiro Neto me procurou, achei sensata a proposta dele em destinar parte das emendas de bancada e até mesmo pessoal, sem comprometer outros compromissos que todos nós temos com outras áreas como saúde, educação, infraestrutura, segurança nos 141 Municípios de Mato Grosso, sempre procurando levar para a sociedade que se o VLT for retomado estaremos gerando emprego, renda e aquecendo a economia”, disse o senador.

Emanuelzinho sinalizou que a intenção de colocar emendas parlamentares na obra do VLT é para que haja uma sinalização para grandes grupos interessados na execução das obras via iniciativa privada. “Já levei ao governador Mauro Mendes (DEM) minha posição em favor da postura dele, enquanto chefe do Poder Executivo, quanto ao VLT e até compreendo que ele tenha vontade política e enquanto empresário em retomar e demonstrar que é viável e possível de ser colocado em prática, mas que existem obstáculos e outras prioridades que exigem de nós parlamentares federais e até mesmo os estaduais, medidas para auxiliar o governador na solução dos problemas”, disse Pinheiro.

Leia Também:  Dr. João anuncia emenda para Projeto Judô-Bope, entrega moções a atletas e homenageia PMs heróis

Para ele, o somatório de medidas, seja por emendas parlamentares, seja através de recursos privados e até mesmo de Parcerias Públicos Privadas poderiam viabilizar a obra, gerar emprego, renda, modernizar as cidades e principalmente demonstrar que Mato Grosso e seus gestores são competentes na construção de soluções viáveis para os problemas que afligem a população.

Jaime Campos e Emanuel Pinheiro Neto sinalizaram que as emendas impositivas, aquelas que são obrigatórias de serem executadas pelo governo Federal, deverão prestigiar as áreas essenciais como saúde, educação e segurança, além de infraestrutura que estão carentes de investimentos, e que se o equilíbrio for construído entre todos os oito deputados federais e os três senadores da República, será possível em 2020 a disponibilidade de recursos para abrir entendimentos e permitir que o governador Mauro Mendes retome a obra.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

Secretários de Segurança cobram Governo Federal para bloqueio de celulares em todas unidades prisionais

Publicado


Assunto foi tratado na reunião do Colégio Nacional dos Secretários de Segurança Pública (Consesp) com o presidente Jair Bolsonaro

Os secretários de Segurança Pública de todo o país cobraram uma solução do Governo Federal para o bloqueio do sinal de celulares em cadeias públicas e penitenciárias de todo o país. Em reunião com o presidente da República, Jair Bolsonaro, no dia 22 de janeiro, o Colégio Nacional dos Secretários de Segurança Pública cobrou uma determinação à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para que notifique as operadoras de telefonia móvel a realizar o bloqueio.

Titular da pasta em Mato Grosso, Alexandre Bustamante destacou durante entrevista à TV Cidade Verde que acredita que a proposta feita pelo Consesp seja atendida pelo ministro da Justiça Sérgio Moro e o presidente da República.

“A Anatel passaria a obrigar as companhias de telefonia celular a fazer os bloqueadores e manter determinado raio sem o funcionamento do sinal de celular. A telefonia celular é uma concessão e como concessionárias, as empresas têm a obrigação de fazer o bloqueio de uso desses aparelhos nas unidades carcerárias. É um absurdo o governo federal e os estados comprarem bloqueadores para impedir um serviço que é público”.

Além da proposta de mudança na segurança, também foi frisado na reunião que a tecnologia vem avançando com o tempo e por isso é necessário a atualização.

“Não é possível que os estados gastem R$ 3 milhões com equipamentos e a tecnologia vá se tornando obsoleta com o tempo, se há uma concessão para o serviço. Tem é que passar a exigir essa contrapartida das operadoras”.

Recriação do Ministério da Segurança

Durante a reunião com o presidente da República, eles também defenderam a recriação do Ministério da Segurança Pública. Presidido pelo secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Teles Barbosa, o Consesp tem sido fundamental para Política Nacional de Segurança Pública, a exemplo da criação do Sistema Único de Segurança, da recriação do Fundo Nacional de Segurança Pública e a participação na criação de um Plano Nacional de Segurança Pública.

“Não se trata de ser contra ou a favor do ministro Sérgio Moro. O que buscamos é um Ministério exclusivo para Segurança Pública, pois é uma demanda urgente da sociedade. Buscamos ações mais específicas e dedicadas a área. Hoje a Segurança Pública está em segundo plano no ministério. O que os secretários de Segurança Pública buscam é atendimento prioritário, como a saúde e a educação”, explicou Bustamante.

Leia Também:  CPI vai propor que ativos recuperados sejam destinados à saúde
Continue lendo

Política MT

Podemos nega acordo com vice-governador e terá candidatura própria para eleição suplementar ao Senado

Publicado

José Medeiros confirma convite a Otaviano Pivetta para filiação, mas visando as próximas eleições estaduais

O presidente regional do Podemos, deputado federal José Medeiros, afirmou em Cuiabá, nesta sexta-feira (24), que o seu partido tem um projeto para o vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta (PDT). Segundo ele, não existe acordo com o vice-governador para a eleição suplementar ao Senado.

“O que existe, na verdade, é um convite para que o vice-governador venha para o Podemos. Esse convite eu fiz no ano passado. O senador Álvaro Dias, da nacional, gostou muito, ele é amigo do vice-governador. Nós temos um projeto para o Pivetta, que é um ótimo executivo, já mostrou isso em Lucas do Rio Verde. O Podemos tem esse sonho de ter o vice-governador para um projeto no Executivo”, afirmou Medeiros.

Segundo ele, o Podemos, no caso do Senado, “se a senadora Selma for realmente cassada, pois ainda cabe recurso, terá candidatura própria. Não teria como o vice-governador ser candidato do Podemos a essa vaga porque não teria tempo de filiação. Essa notícia não faz muito sentido”, disparou.

Leia Também:  Thiago Silva defende autonomia financeira da Unemat e cobra plano de expansão

Conforme Medeiros, “a vinda do Pivetta para o Podemos é bem-vinda. Se ele quiser vir agora vamos recebê-lo de braços abertos, temos vários projetos que ele pode abraçar, até de presidente da República, mas Senado não tem tempo hábil”, disse.

Sobre as eleições de 2020 na Capital do Estado, José Medeiros diz que o partido está se fortalecendo em Cuiabá. “Estamos com um trabalho forte em Cuiabá. Temos o vice-prefeito no comando do municipal, o Niuam, que está fazendo um trabalho extraordinário, fortalecendo o partido, que está crescendo cada dia mais”.

O deputado federal e líder do Podemos aproveitou a ocasião para fazer um convite ao ex-prefeito Roberto França, atualmente sem partido, para que se filie ao Podemos.

“Roberto, nosso sonho de consumo aqui em Cuiabá é trazer você para o Podemos, pela qualidade que você tem, pela sua experiência. Aliás, eu digo sempre que existe Cuiabá antes de Roberto e depois de Roberto. Depois de Roberto, virou uma cidade moderna, uma cidade urbanizada. Falei isso em rede nacional, não é confete não, disse quando ainda estava no Senado. Está feito o convite, estamos com sua ficha aqui. Eu e o Niuam queremos recebê-lo no Podemos”, disse.

Leia Também:  Secretário de Cultura deixa o cargo e retorna à Assembleia para apresentar emendas pessoais

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana