conecte-se conosco


Cuiabá

Semana Pedagógica 2021 acontece de 25 a 29 de janeiro de forma totalmente online

Publicado


Jorge Pinho

Clique para ampliar

De 25 a 29 de janeiro acontece a Semana Pedagógica 2021. Este ano, em razão das medidas de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, o evento será totalmente online, transmitido no @portaldaescolacuiabana, no youtube. Voltado às equipes gestoras e profissionais das unidades educacionais, o momento formativo marca o início do ano letivo na rede pública municipal de Ensino de Cuiabá. Na programação da Semana Pedagógica, no dia 5 de fevereiro será realizada a Aula Inaugural do Ano Escolar 2021, primeiro Ato do Executivo Municipal referente à Educação, com a participação do prefeito Emanuel Pinheiro.

A secretária Municipal de Educação, Edilene de Souza Machado, explica que a Semana Pedagógica tem como objetivo promover a formação continuada. Nesse sentido, são organizadas todos os anos pelos gestores das unidades e da Secretaria de Educação para pensar, refletir e transformar essas reflexões em ações, visando o fortalecimento do Projeto Político Pedagógico, de acordo com a Política Educacional da Escola Cuiabana.

“É um momento privilegiado de troca de experiências, estudos, discussões e planejamento na Educação Municipal, que subsidia os profissionais para a realização do planejamento escolar referente ao ano letivo. Este ano acontecerá de uma forma totalmente diferente, online e, nesse contexto, permitirá uma ampla discussão sobre a nova Política Educacional, denominada Escola Cuiabana no contexto da complexidade do novo papel da escola. Também serão debatidos temas emergentes que afetam o cotidiano da sala de aula, o Ensino Híbrido e o processo ensino aprendizagem”, destacou a secretária.

Durante o evento serão realizadas palestras e estudos para todos os educadores e servidores da Educação do Município, com a participação de palestrantes reconhecidos e consultores parceiros.

Programação

O primeiro evento previsto na Semana Pedagógica 2021 será o I Webnário Temático – Reinventando a Prática Pedagógica: O protagonismo dos Estudantes e Profissionais da Educação 2020, no dia 25 de janeiro, das 08h30 às 11h30 horas, com transmissão no @portaldaescolacuiabana, no youtube. O webnário contará com palestras e depoimentos dos profissionais, alunos e familiares no enfrentamento à pandemia e as dificuldades em relação ao distanciamento social.

No período da tarde, das 13h30 às 17h, acontecerá o Ciclo de Estudos e Palestras para gestores das unidades escolares com orientações administrativas, financeiras e pedagógicas. O evento prossegue na manhã do dia 26 de janeiro, das 08h30 às 11h.

A partir daí até o dia 29, serão apresentados relatórios das ações desenvolvidas em 2020 em relação aos Programas de Inteligência Socioemocional, de Alfabetização (ProAC), de Melhoria da Proficiência (Promp), e ainda palestras e estudos focados em temas como à concepção e aos conceitos da Escola Cuiabana na interlocução com a Educação Infantil, Educação Especial, Educação no Campo, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos na Escola Cuiabana, entre outros.

No período de 01 a 04 de fevereiro acontecerão às discussões nas unidades educacionais e no dia 5 de fevereiro, o ápice da Semana Pedagógica, com a Aula Inaugural. Também com transmissão no @portaldaescolacuiabana, no Youtube, das 08h30 às 11h30 iniciando oficialmente o Ano Letivo 2021.

SERVIÇO

Semana Pedagógica da Escola Cuiabana 2021

Data: 25 a 29/01

Local: @portaldaescolacuiabana, no Youtube

Aula Inaugural

Data: 05/02

Hora: 09:30 às 11:30 horas

Local: @portaldaescolacuiabana – no Youtube

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cuiabá

Pinheiro lamenta falecimento de conselheiro aposentado do TCE por COVID-19

Publicado


Reprodução

Clique para ampliar

É com imenso pesar que o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro recebe a notícia de falecimento do conselheiro aposentado do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE/MT), Teresino Alves Ferraz, neste sábado (16), vítima da COVID-19.

“Infelizmente a COVID-19 fez mais uma vítima e dessa vez nos levou o conselheiro aposentado Teresino. Um servidor dedicado, de família tradicional cuiabana. Que Deus conforte os familiares e amigos neste momento de perda”, declarou o prefeito de Cuiabá.

Teresino Alves Ferraz foi nomeado conselheiro no TCE/MT em 1978 pelo então governador José Garcia Neto (ARENA) e aposentou-se em 2000 do cargo. Antes disso, Teresino já era servidor da instituição desde 1961, totalizando então 39 anos de serviços prestados ao TCE/MT. Ele era irmão do ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), ex-deputado estadual Benedito Alves Ferraz Junior.

Continue lendo

Cuiabá

Mais de 1,1 milhão de casas foram vistoriadas e 947 casos de dengue registrados em 2020

Publicado

 

Luiz Alves

 

Clique para ampliar

Ao longo de 2020, 1.117.526 imóveis de Cuiabá foram visitados pelos agentes de combate às endemias (ACE’s), que além de vistoriar as casas e quintais a cada 45 dias, também orientam sobre os procedimentos orientações sobre os procedimentos para impedir a proliferação do mosquito Aedes aegypti. No ano passado, também foram realizadas 7.293 vistorias em pontos estratégicos, que se caracterizam pelo grande acúmulo de criadouros da larva do mosquito (oficinas mecânicas, cemitérios, etc).

Com relação ao número de casos das doenças, em 2020, houve 947 notificações de dengue, 37 de Chikungunya e 14 investigações sobre a zika, conforme a Vigilância Epidemiológica. No mesmo período, houve 4 casos de notificações de grávidas com zika, na Capital.

Ainda em 2020, foram realizados dois levantamentos de índice rápido para o Aedes aegypti, que consiste em realizar a enumeração dos imóveis e obter de maneira rápida e oportuna os índices de infestação predial para o mosquito, proporcionando uma avaliação satisfatória da densidade vetorial (mosquito).

A coordenadora de zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Alessandra da Costa Carvalho, explica que essa pesquisa fornece os parâmetros para a indicação de risco de transmissão da dengue, da chikungunya e da zika. Segundo ela, em janeiro de 2020, este levantamento apontou alto risco de transmissão de agravos pelo vetor, com o índice de infestação predial de 7,4%, sendo o depósito predominante nos domicílios as caixas d’água ao nível do solo com 60,7%. Em setembro de 2020, foi realizado o segundo levantamento, que indicou médio risco, com 3,2%, o mesmo tipo de depósito continuou a prevalecer com 90%.

De acordo com Alessandra Carvalho, desde o início da pandemia de Covid-19, as atividades de controle do vetor das doenças vêm sendo mantidas. “Os 253 agentes de combate às endemias foram capacitados sobre os procedimentos com relação ao enfrentamento da Covid-19 durante as visitas domiciliares, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde”, explica.

Dentre as medidas de prevenção no trabalho dos agentes de endemias estão: vistoriar apenas o quintal, manter o distanciamento de 1,5m do morador, além da higienização das mãos, seja com lavagem frequente ou utilização de álcool 70%. Todos os servidores receberam kits de proteção individual, composto de máscaras N95, álcool 70%, óculos em acrílico e protetor facial.

Alessandra Carvalho destaca que além da atuação da Coordenação de Zoonoses, é preciso que toda população esteja engajada no combate à dengue, à zika e à chikungunya. Ela explica que como o tempo que o Aedes aegypti leva para virar de ovo a mosquito adulto é de uma semana, essa deve ser a periodicidade com que a população deve fazer a limpeza de seus quintais, eliminando possíveis criadouros, lavando e vedando os reservatórios de água, limpando vasos de plantas e bebedouros de animais, jogando fora entulhos que possam acumular água parada.

“Dez minutinhos são suficientes para vistoriar o quintal de casa e remover os criadouros, Tirando dez minutos por semana para tomar esses cuidados, a pessoa estará se prevenindo dessas três doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti, principalmente nesse período chuvoso, porque os criadouros que estavam secos se enchem de água e o ovo do mosquito precisa de água para eclodir”, explica Carvalho, que acrescenta que o perigo de contrair as doenças existe o ano inteiro, pois o ovo do mosquito Aedes aegypti resiste até um ano sem contato com a água.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana