conecte-se conosco


Mato Grosso

Sema-MT destina cobra surucucu a instituto para produção de soro antiofídico

Publicado

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) destinou uma cobra Lachesis muta, popularmente conhecida como surucucu, para o serpentário do Instituto Vital Brazil, de Niterói (RJ). Ela será utilizada em pesquisas para a produção de soro antiofídico, que é um antídoto utilizado para atendimento de pessoas picadas por cobras venenosas. 

O animal estava sob os cuidados do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso (Hovet/UFMT), de Sinop (479 km de Cuiabá). Após a alta do animal, a Sema-MT intermediou a destinação por meio da Coordenadoria de Fauna e Recursos Pesqueiros e da Gerência de Fauna. 

Uma equipe da Sema fez o transporte adequado do animal de Sinop até a Capital e, em seguida, o animal foi encaminhado até o aeroporto, já com uma equipe do Instituto que o esperava em Cuiabá. Ele foi encaminhado de avião para a sede fluminense.

O Instituto Vital Brazil está localizado em Niterói (RJ) e é um dos laboratórios oficiais referência no Brasil em pesquisas e produção de soros antiofídicos, essenciais no tratamento de acidentes com animais peçonhentos. A cobra foi entregue por um produtor rural de Nortelândia, para os cuidados de professores do Hovet. 

Entrega voluntária de animais silvestres, ou, o resgate, pode ser solicitado pelo cidadão ao órgão ambiental. Para isso, basta entrar em contato com a Polícia Militar (190), que aciona o Batalhão Ambiental ou com a Sema-MT, pelo telefone 0800 065 3838.

Com orientação de Lorena Bruschi*

Fonte: GOV MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mato Grosso

Gorverno de MT forma 230 brigadistas comunitários para prevenção e combate ao fogo

Publicado

Mais quatro turmas de brigadistas comunitários se formaram por meio do projeto de educação ambiental do Governo de Mato Grosso, que atua nas comunidades promovendo instruções sobre primeiros-socorros, prevenção e combate ao fogo. No total, 9 cursos foram ministrados, com a formação de 230 brigadistas em 2022.

A ação antecede o período proibitivo do fogo, que tem início em 1º de julho deste ano. As formaturas, que foram realizadas no último fim de semana (25 e 26.06), de forma simultânea em quatro comunidades de diferentes municípios do Estado, capacitou 80 moradores, que receberam um certificado de formação com carga horária de 24 horas.

As comunidades abrangidas foram: Quilombo Itambé, em Chapada dos Guimarães; Monumento Natural Morro Santo Antônio, em Santo Antônio de Leverger; Parque Estadual Serra de Ricardo Franco, em Vila Bela da Santíssima Trindade; e Parque Estadual Dom Osório Stoffel, em Rondonópolis.

“O curso de formação de brigadistas florestais é de extrema importância para as comunidades do entorno do Parque Dom Osório, pois foram ensinadas ações para evitar o início do fogo na vegetação e também mecanismos para supressão do incêndio quando já existir, que são essenciais na preservação do meio ambiente”, ressalta a gerente do Parque Estadual Dom Osório Stoffel, Dayana Velasco.
 
O curso foi promovido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Mato Grosso (CBM-MT), por meio do 3º Batalhão de Bombeiro Militar de Rondonópolis (CRBM-II), em parceria com a Superintendência de Educação Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), mobilização da Diretoria Regional de Rondonópolis e com apoio do Programa REM-MT.
 
“O objetivo é passar todas as instruções, tanto na teoria quanto na prática, para que a comunidade consiga executar de forma correta o manejo do fogo e assim evitar os incêndios florestais, e, mais do que isso, promover a preservação do meio ambiente”, explicou o 1º Tenente Bombeiro Militar do CRBM-II Wolf Tarik Souza Gomes.


O assentamento Carimã, localizado no entorno do Parque Estadual Dom Osório Stoffel, no município de Rondonópolis (216 km de Cuiabá), possui cerca de 196 lotes que têm em sua maioria a atividade agropecuária e turismo ecológico como fonte de renda.
 
Emerson Alencar, zootecnista e membro do Conselho Consultivo do Parque, é morador do assentamento e acredita na iniciativa. “Já nos deparamos com várias situações de incêndio na comunidade, tanto nas matas quanto nas lavouras, e o curso veio em boa hora para nos auxiliar no combate aos incêndios, não só dentro da nossa propriedade, mas também na dos vizinhos e no próprio parque”.

Um dos moradores mais antigos do assentamento, desde 1998, Matias Xavier Moreno, 66 anos, afirma sobre a importância do curso. “O aprendizado que o curso trouxe para a comunidade, tanto de primeiros-socorros quanto na prática de apagar o fogo, serão muito úteis no dia a dia, pois já tivemos situações de queimadas com prejuízos, por não saber como conter o fogo no início”.

Matias também exalta o fato de aprenderem a utilizar as bombas d’água que possuem nos sítios, com a mesma função das mochilas costais (reservatório que transporta água e serve para combater o fogo) durante a formação de brigada em campo.
 
Na ocasião foram entregues 30 abafadores, confeccionados por reeducandos com borracha e madeira apreendidos, que serão distribuídos entre as comunidades do entorno do Parque, para o uso em caso de início de focos de calor.


Período proibitivo do fogo
 
Mato Grosso decretou o período proibitivo do fogo entre 1º de julho e 30 de outubro e declarou situação de emergência ambiental entre maio e novembro de 2022 pelo risco de propagação de focos de incêndio em áreas rurais. As normas estão dispostas no decreto nº 1.356, de 13 de abril de 2022. Com o decreto, fica proibida qualquer atividade de limpeza de pastagem com o uso do fogo nas áreas rurais até o final do período proibitivo. O uso do fogo em áreas urbanas é proibido o ano todo.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Governo inicia obra de acesso para nova ponte sobre o Rio Cuiabá

Publicado

A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra-MT) iniciou as obras de implantação do acesso à nova ponte sobre o Rio Cuiabá, construída entre os bairros Parque Atalaia, em Cuiabá, e Parque do Lago, em Várzea Grande.

As obras serão realizadas em uma extensão de 3,29 quilômetros, ligando o final da Avenida P, a principal do Bairro Atalaia, até a ponte sobre o Rio Cuiabá. Do lado de Várzea Grande, será criada uma alça para dar acesso tanto à Alameda Júlio Muller, quanto à Avenida São Gonçalo, no bairro Parque do Lago.

O secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, lembra que o acesso até a ponte não foi previsto pelas gestões anteriores, que iniciaram o projeto de construção da estrutura.

“As obras viárias para chegar até a ponte não foram projetadas. Sem o acesso, essa ponte ficaria suspensa no ar, sem utilidade nenhuma. Isso é um desrespeito com o dinheiro público, projetar, licitar e começar a construir uma ponte sem o sistema viário de acesso”, afirmou.

A implantação do acesso à nova ponte está orçada em R$ 22,3 milhões e começou após a conclusão do processo de desapropriação, também não previsto anteriormente. No momento, estão sendo finalizados os serviços de limpeza do trajeto e iniciadas as obras de drenagem.

A nova ponte sobre o Rio Cuiabá foi licitada em 2013 e lançada em 2018, mas efetivamente construída a partir de 2019. Com 390 metros de extensão, a ponte no Parque Atalaia está praticamente concluída, restando apenas a execução de serviços de acabamento.

Esta nova estrutura vai criar um sexto acesso entre as duas maiores cidades de Mato Grosso. A obra irá beneficiar toda a região do Parque Cuiabá e também do Grande Cristo Rei, além de ajudar a desafogar o trânsito nas outras pontes sobre o Rio Cuiabá.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana