conecte-se conosco


Tecnologia

Sem Elon Musk, como fica o futuro do Twitter?

Publicado

Como fica o futuro do Twitter sem Elon Musk
Luciano Rodrigues

Como fica o futuro do Twitter sem Elon Musk

Três meses depois de ter feito uma oferta de US$ 44 bilhões pelo Twitter, Elon Musk, o homem mais rico do mundo, desistiu oficialmente do negócio. Em documento enviado à Securities and Exchange Commission (SEC, o órgão regulador do mercado americano), Musk afirma que a empresa “parece ter fornecido informações falsas e enganosas” e “não cumpriu com suas obrigações contratuais”. 

O Twitter avisou que lutará na Justiça para que Musk cumpra o acordo de compra. “O Conselho do Twitter está comprometido em fechar a transação no preço e nos termos acordados com Musk e planeja entrar com uma ação legal para fazer cumprir o acordo de fusão”, disse Bret Taylor, presidente do conselho, em um tuíte.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

O motivo da desistência, segundo o documento, seriam as contas falsas ou de bots (robôs) na plataforma. O bilionário vinha criticando o Twitter nos últimos dois meses, afirmando que a quantidade de robôs era muito superior ao informado pela plataforma, segundo a qual seriam menos de 5% do total. Na quinta-feira, a plataforma afirmou que remove cerca de 1 milhão de contas falsas por dia.

Perda de valor

Quando a desistência, revelada primeiro pelo jornal The Washington Post, veio a público, as ações do Twitter chegaram a cair 6,7% nas negociações posteriores ao fechamento do mercado. No horário regular do pregão, os papéis recuaram 5,10%, a US$ 36,81 — 47% abaixo dos US$ 54,20 oferecidos por Musk em abril. 

Essa queda no preço das ações e a dificuldade em ter o controle absoluto dentro do Twitter são algumas das razões apontadas por especialistas para a desistência de Musk. As contas falsas seriam uma desculpa. Andre Gildin, sócio da RKKG Consultoria e especialista em tecnologia e telecomunicações, cita ainda o recuo no valor dos papéis da montadora Tesla, a principal empresa do bilionário.

“As ações da Tesla caíram 30% nos últimos meses. O momento das empresas de tecnologia no mercado não é favorável. Então, na prática, ele estaria pagando muito mais do que a empresa está valendo. Além disso, tem a pressão dos acionistas da própria Tesla, já que Musk poderia reduzir o foco sobre a empresa”, explica Gildin.

Ele avalia ainda que Musk percebeu que não teria total liberdade no Twitter, já que os órgãos reguladores têm pressionado por limites. O bilionário defendia liberdade total na plataforma, o que gerou temor de proliferação de fake news e mensagens de ódio. 

“Ao perceber que teria certos limites para redesenhar o Twitter, Musk começou a questionar informações públicas como o uso de contas falsas e de robôs. Alegou que não tinha recebido todos os números da plataforma”, diz Gildin.

Para Ronaldo Lemos, advogado e diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro, o negócio já nasceu envolto em erros. Ele lembra que Musk demorou a informar à SEC que havia comprado uma participação relevante no Twitter.

Depois houve mudança do cenário econômico. O Federal Reserve (o banco central dos EUA) subiu os juros, e o dinheiro que era abundante secou. Era previsível que os juros iriam subir, mas, como ele é impulsivo, seguiu em frente. Foi um erro grosseiro. E agora inventa desculpas de contas falsas”, afirma Lemos.

Qual o futuro do Twitter

Sem Musk, analistas veem o futuro do Twitter com preocupação. Lemos lembra, por exemplo, que nos últimos meses a rede social mergulhou no caos, com a saída de diversos funcionários.

Para Gildin, o Twitter poderá ficar ainda mais para trás na disputa acirrada pela atenção dos usuários, hoje mais voltada para plataformas de vídeos curtos, como TikTok e Instagram.

“O Twitter nunca conseguiu encontrar um caminho virtuoso. As contas fantasmas também trouxeram mais dúvidas ao mercado. Além disso, com o avanço do conceito do metaverso e da Web 3.0, impulsionados pelo 5G, as plataformas de mensagerias vão ser trocadas pelas plataformas de mensagens dentro dos games e do metaverso”, diz Gildin. 

Ele cita como exemplo o Roblox, muito usado por adolescentes. Em 2021, a plataforma registrou 2,5 bilhões de mensagens diárias, contra cerca de 500 milhões de tuítes diários no Twitter:

“Isso corrobora o fato de que, num futuro não muito distante o Twitter perde, sem Elon Musk, a batalha pela Web 3.0 e o metaverso.” 

Daniel Ives, analista sênior da Wedbush Securities, vê um cenário de “desastre” para o Twitter e projeta que, na segunda-feira, as ações podem ficar entre US$ 25 e US$ 30:

“É um cenário de desastre para o Twitter e seu conselho, pois agora a empresa lutará contra Musk em uma longa batalha judicial para recuperar o acordo, ou a taxa de rompimento, de US$ 1 bilhão no mínimo.”

Ives se refere à cláusula segundo a qual, em caso de desistência, a parte que quebrasse o acordo pagaria uma rescisão de US$ 1 bilhão.

Curiosamente, Musk, que usa o Twitter para falar de tudo o que faz, na sexta-feira não se manifestou na plataforma. (*Com Bloomberg e agências internacionais)


Fonte: IG TECNOLOGIA

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tecnologia

5G chega a mais 4 capitais na próxima segunda, confirma Anatel

Publicado

Mais 4 cidades recebem 5g na próxima segunda
Victor Toledo

Mais 4 cidades recebem 5g na próxima segunda

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) decidiu nesta quinta-feira (18) liberar o sinal do  5G ‘puro’ em mais quatro capitais: Florianópolis (SC), Palmas (TO), Rio de Janeiro (RJ) e Vitória (ES) na próxima segunda-feira (22). 

Após a decisão do Gaispi, já serão 12 capitais com a tecnologia. O grupo foi criado pela Anatel para cuidar da ativação da internet 5G na faixa de 3,5 gigahertz (GHz), que oferece maior velocidade, estabilidade e menor tempo de latência (resposta).

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

A partir de segunda, as quatro capitais se juntam a Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), João Pessoa (PB), Porto Alegre (RS), São Paulo (SP), Curitiba (PR), Goiânia (GO) e Salvador (BA), como integrantes do sistema 5G. 

A priori, o sinal fica restrito a alguns pontos das cidades, já que o edital prevê ma antena para cada 100 mil habitantes. O número vai crescer conforme o passar dos anos, o que já ocorre em algumas capitais onde a tecnologia foi instalada primeiro. 

Inicialmente, todas as capitais deveriam ter o 5G puro funcionando até 31 de julho, mas o prazo foi prorrogado pela Anatel por atraso na entrega dos equipamentos que vem da Ásia e precisam ser instalados para evitar que o 5G cause interferência em serviços profissionais de satélite.

Pelo cronograma do Gaispi, o 5G precisa ser ativado comercialmente nas 15 capitais restantes até 27 de novembro, mas, no atual ritmo, a expectativa deve ser superada. 

Ainda falta ativar o 5G puro em: Recife (PE); Fortaleza (CE); Natal (RN); Aracaju (SE); Maceió (AL); Teresina (PI); São Luís (MA); Campo Grande (MS); Cuiabá (MT); Porto Velho (RO); Rio Branco (AC); Macapá (AP); Boa Vista (RR) Manaus (AM); e Belém (PA).

Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

Tecnologia

FIFA 23: erro faz versão de R$ 500 ser vendida por 30 centavos

Publicado

FIFA 23 é vendido por centavos após erro
Divulgação

FIFA 23 é vendido por centavos após erro

Uma falha na loja online Epic Games Store fez com que a versão Ultimate Edition do FIFA 23 fosse vendida por apenas R$ 0,31. O erro aconteceu há algumas semanas, na pré-venda do game na Índia. O valor oficial desta versão de FIFA 23 para PS4 e PS5 será R$ 498,90.

Por engano, a Epic Games Store deu desconto de 99,98% em FIFA 23, fazendo com que o jogo custasse apenas 4,80 rúpias (ou R$ 0,31, em conversão direta).

Com isso, jogadores de todo o mundo aproveitaram a oferta. Aqueles que vivem fora da Índia chegaram a alterar seus cadastros na Epic Games Store para comprarem FIFA 23 pelo preço mais baixo.

A EA Sports, desenvolvedora do jogo, afirmou que quem conseguiu realizar a compra vai ter acesso ao game. “Algumas semanas atrás, marcamos um gol contra espetacular quando oferecemos inadvertidamente a pré-venda do FIFA 23 na Epic Games Store por um preço incorreto. Foi um erro nosso e queremos que você saiba que honraremos todas as pré-compras feitas a esse preço”, anunciou a empresa.


Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana