conecte-se conosco


Geral

Seis empresas apresentam proposta para recuperar Anel Viário

Publicado


Comissão analisará documentação e resultado da habilitação das construtoras será divulgado no Diário Oficial; obra tem custo previsto de R$ 7,683 milhões

Seis empresas apresentaram propostas e estão concorrendo na licitação para contratação da empresa que executará as obras de revitalização do Anel Viário de Rondonópolis (a 217 km de Cuiabá). A sessão pública foi aberta oficialmente nesta quinta-feira (25), às 9 horas, na sede da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) pela Comissão Permanente de Licitação (CPL).

Será selecionada ao final do processo licitatório a empresa que estiver apta tecnicamente e apresentar o menor preço. A abertura do certame contou com a presença do secretário de Infraestrutura, Marcelo de Oliveira, de representantes da Sinfra, das construtoras participantes e dos deputados estaduais Thiago Silva e Sebastião Rezende.

Após realização dos procedimentos iniciais pela Comissão de Licitação, os representantes das empresas se credenciaram e registraram a entrega oficial dos envelopes contendo os documentos de habilitação e proposta de preço.

“O processo ocorreu com total transparência e foi acompanhado pelos representantes legais das empresas, que vistaram a documentação apresentada e conferiram os lacres em todos os envelopes entregues”, pontuou a presidente da comissão, Adriana Silveira Henrique.

Segundo ela, a CPL da Sinfra fará agora a análise da documentação de habilitação entregue e o resultado será divulgado no Diário Oficial do Estado. Após a publicação, abre-se o prazo recursal. Passado todos os trâmites, seguindo o processo licitatório, começa-se a avaliação das propostas de preço das empresas que forem consideradas habilitadas, com base nas exigências contidas em edital. Os documentos disponibilizados no ato da sessão foram todos lacrados em caixas e vistados pelos licitantes e pela comissão.

Conforme ata disponibilizada no site da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (www.sinfra.mt.gov.br), se inscreveram no certame as empresas Engenharia e Parceria Eirelli (ENPA), Tripolo Construtora, Construtora Amil Ltda, Agrienge Construtora, Geosolo Engenharia  Planejamento e Consultoria Ltda e Fratello Engenharia Ltda.

Trâmites

A fase de análise dos documentos de habilitação, que acontece nesta quinta-feira, consiste na verificação da qualificação jurídica, qualificação técnica, qualificação econômico-financeira, regularidade fiscal e trabalhista das licitantes.

O participante que deixar de apresentar quaisquer dos documentos exigidos será inabilitado, não se admitindo complemento posterior, de acordo com o edital. Uma vez divulgado o resultado da fase de habilitação, a comissão passará a abertura dos envelopes contendo as propostas de preço dos participantes habilitados.

A partir dessa fase, a Comissão de Licitação dará início à avaliação das propostas de preço, que incluem planilhas orçamentárias, entre outros documentos técnicos que serão analisados, conferidos e classificados. Será considerada vencedora do certame a empresa que cumprir todos os requisitos do edital, ser considerada habilitada e apresentar proposta de preços com o menor preço global para o serviço.

Concluído os trabalhos e respeitado todos os prazos recursais e legais, a Comissão Permanente de Licitação emitirá um relatório de condução do certame e encaminhará os autos ao secretário da Sinfra, que após análise procederá a homologação e adjudicação do objeto a empresa vencedora.

Ajustes em projeto

A licitação do Anel Viário de Rondonópolis chegou a ser marcada para o dia 17 de junho de 2019 e acabou suspensa no dia 13 do mesmo mês devido à necessidade de ajustes no projeto executivo da obra, bem como revisão de planilhas, detectados pela equipe técnica da Secretaria-Adjunta de Obras Rodoviárias.

Realizadas as correções, o novo edital e seus anexos foram disponibilizados para consulta pública a partir do dia 18 de julho de 2019, no mesmo formato do anterior. Com a modificação, o custo previsto da revitalização do trecho passou de R$ 7,033 milhões para R$ 7,683 milhões.

A Obra

A empresa vencedora da licitação deve executar a obra de recuperação de 16 quilômetros das rodovias MT-483 e MT-270, nos entroncamentos da BR-163, margeando a cidade de Rondonópolis. De acordo com o edital de licitação, os serviços previstos no projeto devem ser realizados no prazo de oito meses (240 dias), com vigência de contrato projetada para 330 dias.

O secretário Marcelo de Oliveira frisou que a obra de revitalização do Anel Viário de Rondonópolis é uma prioridade da Sinfra por se tratar de um importante trecho rodoviário para escoamento de carga e circulação de passageiros na região Sul do Estado.

“Esperamos que o processo licitatório ocorra com maior brevidade possível para que possamos assinar o contrato e dar a ordem de serviço para a recuperação dessa importante via para cidade de Rondonópolis”, destacou.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Mato Grosso registra três mortes e 249 novos casos de Covid em 72 horas; quase 1,4 mil pacientes estão em isolamento domiciliar

Publicado

Há 46 internações em UTIs públicas e 17 em enfermarias públicas; taxa de ocupação está em 25% para UTIs e em 4% para enfermaria

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta segunda-feira (6), 553.658 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 14.004 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas três mortes e 249 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 553.658 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 1.388 estão em isolamento domiciliar e 537.779 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 46 internações em UTIs públicas e 17 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 25,70% para UTIs adulto e em 4% para enfermaria adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (114.372), Várzea Grande (41.935), Rondonópolis (38.538), Sinop (26.854), Sorriso (18.613), Tangará da Serra (17.871), Lucas do Rio Verde (15.785), Primavera do Leste (14.886), Cáceres (12.029) e Alta Floresta (11.386).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 402.742 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, não restam amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

No domingo (5), o Governo Federal confirmou o total de 22.143.091 casos da Covid-19 no Brasil e 615.636 óbitos oriundos da doença. Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta segunda-feira (6).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Continue lendo

Geral

MPE recorre de decisão que rejeitou denúncia contra padre por homofobia

Publicado

Denúncia por homofobia foi rejeitada pela Justiça

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da Promotoria de Justiça de Tapurah, recorreu da decisão que rejeitou a denúncia oferecida contra o padre Paulo Antônio Muller pela prática de homofobia. O recurso em sentido estrito foi interposto no dia 1º de dezembro.

Ao contrário do entendimento do magistrado, que não viu a utilização de discurso de ódio por parte do padre, a promotora de Justiça que atua no caso afirma que o líder religioso “ultrapassou os limites da livre manifestação acerca de suas crenças religiosas, uma vez que no dia dos fatos, durante a celebração religiosa de domingo da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, proferiu ofensas e manifestações discriminatórias contra os jornalistas Erick Rianelli e Pedro Figueiredo, bem como contra a população LGBTQIA+”.

O MPMT, com base em decisões do Supremo Tribuna Federal, argumenta que é dever do Estado criminalizar as condutas atentatórias dos direitos fundamentais, inclusive a que se fundamenta na orientação sexual das pessoas ou em sua identidade de gênero. Enfatiza ainda que o direito à igualdade sem discriminações abrange a identidade ou expressão de gênero e a orientação sexual.

Consta nos autos que, durante a celebração religiosa o padre fez várias declarações polêmicas. Entre elas, “que chamem a união de dois viados e duas lésbicas como querem, mas não de casamento, por favor: isso é falta de respeito para com Deus, isso é sacrilégio, é blasfêmia. Casamento é coisa bonita e digna”.

A missa foi transmitida ao vivo pela rede social Facebook no dia 13 de junho e causou repercussão nacional.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana