conecte-se conosco


Política MT

Secretário Nacional de Agricultura confirma presença em debate promovido por Fávero e Barbudo

Publicado

Foto: JOELMA PONTES

Preocupados com a situação de milhares de produtores rurais de Mato Grosso que não possuem o título definitivo de propriedade, os deputados Silvio Fávero e Nelson Barbudo (ambos do PSL), solicitaram a participação do secretário Especial do Ministério da Agricultura, Luiz Antônio Nabhan, na conferência que irá discutir questões agrárias que envolvem o Estado e ouvir dos órgãos estatais e da sociedade manifestações com relação aos problemas e soluções.

A conferência, de iniciativa dos parlamentares acontece nesta sexta-feira (13), no auditório Milton Figueiredo, às 10 horas, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. O encontro conta com a participação de representantes da União, do estado e dos municípios.

Na reunião, também será avaliada as metas e resultados das ações de regularização fundiária de competência do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra-MT), a partir da lei Nº 13.465, sancionada no ano de 2017.

A legislação que estabelece novas regras para regularização fundiária foi criada com o objetivo de dar celeridade nos processos de regularização fundiária, especialmente na Amazônia.  A norma também garante a regularização de áreas urbanas, liquidação de créditos concedidos a parceleiros da reforma agrária, mecanismos para desburocratização de processos de alienação de imóveis da União e outras diretrizes.

Leia Também:  Mauro garante que redução de despesas já possibilitou repasses à Saúde e realização de obras em vários municípios

Segundo Fávero, a liberação de lotes da reforma agrária tem sido um dos grandes problemas enfrentados pelos produtores rurais de Mato Grosso. “Dos cerca de 80 mil lotes existentes no Estado, apenas 6 mil foram regularizados até hoje. Situação que impede o trabalhador rural de acessar linhas de crédito juntos aos bancos e de participarem dos programas do Governo Federal”, salientou.  

Fonte: ALMT
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

Deputada se justifica após defender depoimento secreto de doleiro na Assembleia: “CPI não pode ser um espetáculo”

Publicado

Janaina Riva foi um dos membros da CPI que assinou requerimento para que depoimento de doleiro fosse secreto

A deputada estadual Janaína Riva (MDB), depois do depoimento secreto do doleiro e delator da Operação Lava Jato, Lúcio Funaro, em Cuiabá, na Assembleia Legislativa, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Renúncia Fiscal, cuidou de justificar a decisão que foi criticada pela imprensa e pela sociedade. Para Janaína, “CPI não pode ser um espetáculo”.

“Não é que a CPI não foi aberta para a imprensa e sociedade. Já cobrei para que o material seja colocado no facebook e no site da Casa. Tivemos CPI aqui que de espetáculo teve muito e de resultado prático, nenhum. A gente viu isso com a CPI das obras da Copa e outras, como a do Ministério Público que acabou não dando em nada. Quer dizer, expôs muita gente e não deu resultado nenhum para a sociedade”.

A vice-presidente da Assembleia Legislativa defende que quando o tema for renúncia e sonegação, tem de ser secreto. “Pode ser feito de portas fechadas e televisionada e transmitida pelas mídias sociais”, argumentou.

Leia Também:  Dr. João protocola no TRT liberação de repasse de R$ 3,5 milhões para Santa Casa

O que não é possível permitir, conforme a parlamentar, é a encenação de alguns colegas deputados e a falta de presença quando o depoimento ocorre de portas fechadas. “Tem que parar com espetáculos, com discursinhos. Parar de expor os outros e fazer, de fato, uma CPI séria”.

O doleiro foi convidado pela CPI que investiga suspeita de sonegação de impostos e renúncia fiscal em Mato Grosso após relatar na CPI do BNDES, na Câmara dos Deputados, em Brasília, que o empresário Joesley Batista, dono da JBS, poupou o primo dele, o empresário Fernando Mendonça, na delação premiada firmada com a Procuradoria Geral da República.

Segundo Lúcio Funaro, Fernando Mendonça, além de primo de Joesley Batista, também seria operador dele em esquemas ilegais no estado, como sonegação de ICMS em troca de pagamento de propina a políticos de Mato Grosso.

Continue lendo

Política MT

Emanuel Pinheiro reúne 13 partidos, destaca força política da aliança e admite vontade de ser candidato novamente

Publicado

Prefeito participou de ato político na manhã deste sábado com lideranças como os deputados Carlos Bezerra e Dr. João

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) participou na manhã deste sábado (21) no Hotel Fazenda Mato Grosso de um encontro que reuniu lideranças de 13 partidos que dão apoio à sua administração. Além do MDB, o evento, que reuniu cerca de mil pessoas contou com a participação de lideranças do Avante, PSDB, PSD, PSB, PTB, PSC, PV, PP, PMB, PL, PRTB e Republicanos.

“Pelo menos 13 partidos estão aqui reiterando lealdade ao grupo e à gestão. Esse evento mostra a força do MDB em Cuiabá, um partido popular, que está se aproximando das bases e fortalecendo chapa a vereador nas eleições do próximo ano. Não necessariamente com Emanuel Pinheiro candidato a reeleição, mas com uma gestão humanizada, popular, próximo das pessoas, implementada pela nossa gestão”, disse o prefeito.

Apesar do entusiasmo proporcionado pelo encontro, Emanuel Pinheiro evitou confirmar se será mesmo candidato outra vez. “Não sei se sou candidato a reeleição. Não é jogo de palavras, não é jogo de cena, eu não sou assim. Primeiro, é que minha esposa pede para não ser, ela não quer. Segundo, que eu não penso nisso, eu só penso, respiro e transpiro a gestão em Cuiabá, 24 horas por dia. Vou deixar 2020 para 2020. Tenho compromisso sagrado com a população até 31 de dezembro de 2020”.

Leia Também:  Projeto de deputado de MT vira lei e acaba com pensão de criminosos condenados

Embora ainda não tenha admitido publicamente que vá disputar a reeleição, Pinheiro reconheceu que ao ver um evento com a presença dos partidos que formam uma aliança a que ele chamou da “maior força política de Cuiabá”, sentiu vontade de ser candidato novamente.

“Dá vontade de ser candidato novamente, diante de uma manifestação como essa, em um momento em que os partidos se dividem cada vez mais, Cuiabá parece uma ilha isolada, porque aqui as forças se juntam, se unem, se  agregam, porque querem o melhor para a Capital. O forte aqui não é Emanuel Pinheiro, é o MDB e os 12 partidos que aqui falaram”, afirmou.

“Se continuarmos neste processo, propondo políticas publicas com amor por Cuiabá, cuidando da vida das pessoas, priorizando os mais carentes e menos favorecidos, temos tudo para ser a grande referência política na capital de Mato Grosso seja quem for o candidato. Este projeto não pertence a Emanuel e sim a Cuiabá e o Estado”, concluiu.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana