conecte-se conosco


Política MT

Secretário diz que Emanuel faz ‘teatro’, operações estranhas, só pensa em reeleição e, no combate à Covid, não ajuda, mas atrapalha

Publicado

O secretário-chefe da Casa Civil de Mato Grosso, Mauro Carvalho, disse em artigo, que o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, se afastou desde muito tempo do dever de cuidar do combate ao novo coronavírus para se dedicar, exclusivamente, ao seu projeto político. Nesse tempo, o prefeito, diz Carvalho, vem fazendo “teatro”, fingindo estar preocupado com as pessoas que morrem ou os que perdem parentes e amigos todos os dias por conta da devastação provocada pelo vírus.

-“Enquanto a Prefeitura  se mantém improdutiva e o prefeito prioriza a reeleição, o governo estadual produz e se sensibiliza com a dor das pessoas. Construímos 210 leitos definitivos e em tempo recorde, com o funcionamento do Hospital Metropolitano, abrimos mais 50 leitos novos de UTIs no Hospital Estadual Santa Casa e outros 10 em Sinop. Contratamos leitos em Rondonópolis e Cáceres e estamos ampliando novos leitos de UTIs em Tangará da Serra e Barra do Graças, além do acordo com o Consórcio do Vale do Teles Pires para abrir mais 36 novas UTIs nas cidades de Sorriso, Sinop e Nova Mutum e mais ampliação de leito na região do Araguaia”, diz o secretário em artigo (Veja abaixo).

Sobre o que ele chama de “piadas” do prefeito, Carvalho observa que a prefeitura não participa de um encontro  sequer para tratar de Covid, e que na contramão do seu dever,  Emanuel vê o Pronto Socorro mergulhado em fraudes na compra de respiradores, e a sociedade acompanha o translado e substituição de leitos , às pressas, de um lugar para outro, para justificar “suas ações”. Ao fim, o prefeito passa horas e horas, em “lives” no facebook e redes sociais a falar de nada, a mostrar nada. “É um teatro. É uma cortina de fumaça em que se ocupa para atacar o Estado”.

Mostrando que o prefeito está pagando meio milhão de reais com transmissão de aulas, em processo sem critério e que as autoridades policiais estão investigando, Carvalho lembra da contratação de drones para “nada” em que o prefeito está pagando e pagou R$ 860 mil. “É isso que ele faz durante a pandemia: operações estranhas, enquanto retira 50 leitos que deveriam atender aos pacientes.

Mauro diz no artigo que Emanuel Pinheiro quer fazer o papel de líder. “Ele é líder de si mesmo” e lembra que não é tempo de política e muito menos de “politicagem”. O secretário sublinha, no seu artigo, que o governo trabalha muito e nenhum dos seus membros é candidato ou está envolvido em processo eleitoral, mas mas na tarefa de reduzir imopactos humanos, sociais e econômnicos para o Estado.

Veja o artigo:

Prefeito Emanuel, chega de “teatro“ e ajude o Estado de MT salvar vidas.

Esta semana, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, manteve a mesma postura de sempre e fez uma live para anunciar absolutamente nada no combate ao Coronavírus. Se limitou a criar uma cortina de fumaça ao atacar o Governo do Estado e no fim, como de praxe, o “ teatro” estava armado.

Ao atacar o Governo de Mato Grosso e se autointitular o novo “líder” estadual do enfrentamento à covid-19 (que por si só já é uma piada pronta), o prefeito esqueceu de uma situação muito importante: ele não é exemplo de nada e muito menos um bom ator.

Em quase quatro meses de pandemia, Emanuel “líder de si mesmo” não abriu nenhum leito de UTI. Ao contrário. Remanejou UTIs de outras especialidades – deixando os pacientes a ver navios – para supostamente atender casos de covid. Não satisfeito, chegou ao cúmulo de fechar 50 dessas UTIs remanejadas mesmo após receber dinheiro do Ministério da Saúde para mantê-las em atividade.

Enquanto Emanuel desperdiçava seu tempo na live atacando o Estado, por quase uma hora, nós estávamos há mais de três horas com os Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Trabalho e o Secretário de Saúde de Cuiabá, reunidos para discutir como melhorar, ampliar leitos e salvar vidas na nossa Capital. E, principalmente, definindo estratégias para auxiliar o município a conseguir respiradores e monitores.

Afinal, nesta semana, um dos diretores do Pronto-Socorro Municipal revelou a fraude dos respiradores de Cuiabá em que acontece o corre corre toda vez que uma fiscalização bate em uma das unidades ligadas a Prefeitura de Cuiaba, ocasião em que tentam simular o funcionamento de UTIs que nao dispõem nem de respiradores, tampouco de corpo clínico.

Apesar da represália da Prefeitura contra esse diretor, que o exonerou de uma de suas funções no Hospital Municipal a título de retaliação, a verdade foi revelada e não teve nada de “politicagem” nisso.

Emanuel Pinheiro, quem quer ser líder precisa dar o exemplo. E que exemplo o senhor deu?

Seria um bom exemplo de gestão, em plena pandemia, excluir 50 leitos de UTIs para Covid-19? Outro exemplo de gestão seria a contratação de drones por R$ 850 mil para serem utilizados em condomínios particulares?

Ou melhor, a contratação de uma TV por R$ 539 mil para transmitir aulas?

Ou a compra de testes rápidos para Coronavírus de uma empresa cadastrada como ‘Sex Shop’?

O que temos de exemplo são os inúmeros desastres consecutivos por parte da Prefeitura de Cuiabá nas ações da Saúde conduzidas nos últimos três anos.

Quando questionado sobre os motivos pelos quais não ampliou leitos, o prefeito repete o mesmo discurso: “o Governo de Mato Grosso só faz politicagem e ataca a Prefeitura porque esse é ano de eleição”. Vamos aos fatos Emanuel, vamos nos ater aos fatos.

Todo mundo conhece o calendário eleitoral. Na última semana foi encerrado o prazo para desincompatibilização dos ocupantes de cargos públicos que querem ou almejam disputar o cargo de prefeito ou vereador. Sabe quantas pessoas do governo que pretendem disputar o cargo deixaram a função? NENHUMA.

Nenhuma das pessoas que são cogitadas, como eu, os secretários de Saúde Gilberto Figueiredo, de Infraestrutura, Marcelo de Oliveira e de Fazenda, Rogério Gallo, deixamos a função, porque cumprimos a missão de Deus que é ajudar ao próximo.

Nossa preocupação nesse momento de pandemia é salvar vidas ao lado do nosso governador Mauro Mendes. Nós não pensamos duas vezes, e decidimos deixar projetos pessoais de lado porque a saúde está em primeiro lugar. O momento não é de política partidária e sim de ajudar os Municípios e a população.

Assim prefeito, resta bem claro que no Governo de Mato Grosso não se faz “politicalha”, não há ninguém interessado no processo eleitoral nesse momento. Porque agora precisamos cuidar das pessoas e aumentar o número de leitos de UTIs e investir o recurso recebido do Governo Federal. O que, lembramos, não aconteceu na Prefeitura, já que secretários municipais da “gestão humanizada” não pensaram duas vezes ao se desincompatibilizarem, pensando no processo eleitoral de outubro próximo.

Enquanto a Prefeitura continua priorizando a reeleição e o projeto de manutenção do poder, nós construímos 210 leitos definitivos e em tempo recorde. E já estão em funcionamento no Hospital Metropolitano. Abrimos mais 50 leitos novos de UTIs no Hospital Estadual Santa Casa e outros 10 em Sinop. Contratamos leitos em Rondonópolis e Cáceres e estamos ampliando e contratualizando novos leitos de UTIs em Tangará da Serra e Barra do Graças.

E fechamos um acordo com o Consórcio do Vale do Teles Pires para abrir mais 36 novas UTIs nas cidades de Sorriso, Sinop e Nova Mutum. Além disso, estamos trabalhando no projeto para ampliar leitos na região do Araguaia. Tudo em parceria e com bastante diálogo com os prefeitos. É assim que trabalhamos. Com fatos concretos, sem mentiras, colaborando com quem quer o bem da população.

Agora eu lhe pergunto prefeito: o que o senhor fez com os R$ 42 milhões que recebeu do Ministério da Saúde para ampliar a rede e tratar os pacientes com Covid-19? Nos mostre, mostre para a população. Pare de criar cortina de fumaça, pare de atacar o Governo, só pare e mostre.

O que quero deixar muito claro a todos é que a gestão do governador Mauro Mendes não é política, ela é feita para a população. Sabemos da importância do diálogo, por isso, sempre sentamos à mesa com todas as siglas partidárias e Prefeitos. E nessa mesa, nunca retiramos a cadeira da Prefeitura de Cuiabá.

Por isso, senhor Emanuel Pinheiro, sua cadeira continua vazia na nossa mesa de diálogo, porque o senhor prefere derramar inverdades contra o Governo em lives do que sentar à mesa e dialogar de forma franca. Tenha humildade! E você está convidado para o campo do debate em prol da população, da construção de uma política de saúde, aonde a regra deste debate é a transparência e a ética. Faça como os demais Prefeitos, que agora formam uma unidade pela saúde do Estado. Que Deus abençoe todos nós mato-grossenses.

Mauro Carvalho – Secretário Chefe da Casa Civil

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Consulta pública recebeu mais de 970 contribuições

Publicado


Foto: ANGELO VARELA / ALMT

A consulta pública sobre o Zoneamento Socioeconômico Ecológico (ZSEE) resultou em 973 contribuições de pessoas, entidades, associações, empresas e organizações sociais. Os números foram apresentados durante a 6ª reunião da Comissão Especial para Debater o ZSEE, nesta quarta-feira (27), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). Em sequência foi aprovado requerimento solicitando todas as manifestações recebidas.

O balanço foi apresentado pelos servidores da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), Keile Pereira e Sandro Luís Brandão, e pelo secretário Basílio Bezerra. De acordo com o relatório, 430 formulários foram preenchidos na consulta virtual e outras 36 protocoladas. Este montante se desdobrou em 780 contribuições às diretrizes, 180 á minuta de lei e mais as 36 manifestações físicas. 

De acordo com a servidora Keile Pereira, as sugestões passaram por uma triagem prévia e depois foram distribuídas entre os integrantes do grupo de Trabalho, composto pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat), Procuradoria Geral do Estado (PGE) e pela Seplag.

“As contribuições foram muito ricas e estamos trabalhando de forma minuciosa para apresentar uma minuta sólida, com robustez técnica para dar uma definição para este tema tão importante. O governo está determinado a resolver essa questão”, afirmou o secretário Basílio Bezerra.

O presidente da Comissão, deputado Dr. Eugênio (PSD) requereu o conteúdo das contribuições apresentadas para que os deputados possam acompanhar e contribuir com o documento. “Vamos trabalhar para resolver o Zoneamento ano que vem e por isso queremos acompanhar todos os passos para fazer isso somente quando a mensagem do governo foi encaminhada para a Casa”.

Todas as contribuições recebidas foram numeradas e após avaliação técnica foram classificadas entre pertinentes, não pertinentes ou maiores contribuições. Neste último grupo estão incluídas as manifestações mais complexas que vão precisar de uma análise mais detalhada e técnica.

Essa classificação ainda não está disponibilizada para consulta, mas a numeração de cada contribuições já pode ser conferida no site da Seplag.

Fonte: ALMT

Continue lendo

Política MT

Ministra da Agricultura participa de lançamento da safra de soja e inauguração de indústria de etanol de milho em MT

Publicado

Teresa Cristina estará em MT nesta quinta-feira [Foto – Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil]

Nesta quinta-feira (28), a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina cumpre agenda em Sorriso, a 400 km de Cuiabá. A ministra participa de entrevista, inauguração e lançamento de plantio. A primeira agenda é uma entrevista à uma rádio da cidade, às 8h. Em seguida, a ministra participa da inauguração de uma indústria produtora de etanol de milho, que fica no km 768 da BR-163.

Por fim, a ministra participa do lançamento do plantio da safra de verão. O evento está marcado para acontecer às 11h, no Parque Tecnológico de Sorriso, localizado no Anel Viário da cidade.

Chamada de “A Capital Nacional do Agronegócio”, Sorriso, escolhida para o lançamento da safra, é uma das cidades carro-chefe da produção de grãos em Mato Grosso. No município se produz commodities como soja, milho e algodão. Ao todo, 600 mil hectares compõem a área produtiva.

A soja é considerada um dos produtos mais importantes na economia mundial. Em 2020, conforme dados da Embrapa, o Brasil alcançou o ranking de maior produtor de soja do mundo, com mais de 130 milhões de toneladas. Em Mato Grosso, a participação desse grão na economia é ainda maior, sendo uma das principais forças motrizes do desenvolvimento do Centro-Oeste. O Estado é o maior produtor de soja do país, com cerca de 35 milhões de toneladas por safra.

Situação da carne

A suspensão da carne bovina para China pode causar prejuízo de R$ 500 milhões à indústria pecuaristas de Mato Grosso, segundo o Instituto Mato-Grossense da Carne (Imac). O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) determinou a suspensão, em setembro deste ano, após o registro de dois casos atípicos de encefalopatia espongiforme bovina (EEB), popularmente conhecida como ‘vaca louca’, em Mato Grosso e em Minas Gerais.

O prejuízo diário decorrente da suspensão das vendas de carne bovina para China é de US$ 4,4 milhões (R$ 24,9 milhões na cotação atual).

Segundo o Imac, caso a produção não seja destinada a outros mercados, o impacto gerado no mês de outubro, considerando o ritmo das exportações em 2021, indica uma perda de faturamento com as exportações de até US$ 88 milhões (quase R$ 500 milhões na cotação atual) somente para Mato Grosso.

 

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana