conecte-se conosco


Mato Grosso

Saiba quais os casos obrigatórios para o modelo de placa padrão Mercosul

Publicado

Conforme a Resolução nº 969/2022 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o novo modelo de Placa de Identificação Veicular (PIV) no padrão Mercosul é obrigatório para os seguintes casos:  

– Primeiro emplacamento do veículo;

– Substituição de qualquer das placas em decorrência de mudança de categoria do veículo;

– Furto, extravio, roubo ou dano da referida placa;

– Mudança de município ou de Unidade Federativa;

– Necessidade de instalação da segunda placa traseira, perda ou dano no lacre.

O proprietário de veículo que desejar fazer a troca voluntária para o novo modelo de placa também poderá fazer o emplacamento.

A abertura do processo para a troca de placa para o padrão Mercosul pode ser feita pelo aplicativo MT Cidadão. Para iniciar o processo, basta realizar o download do aplicativo no smartphone, fazer o cadastro, acessar o menu “serviços”, clicar na aba “veículos”, em seguida “troca para Placa Mercosul”. A opção aparece somente para os veículos que ainda não fizeram a troca da placa para o padrão Mercosul, ou seja, que ainda estão com a placa cinza.

Após preencher os dados solicitados e pagar as taxas, o cidadão deve agendar, no próprio aplicativo, o horário e local para fazer a vistoria veicular. O serviço de vistoria é realizado de forma presencial.  

Como obter a placa

No site do Detran-MT (www.detran.mt.gov.br) está disponível a lista com o nome, endereço, número para contato e e-mail das empresas que já estão credenciadas pelo órgão de trânsito a realizar o emplacamento no padrão Mercosul. CONFIRA AQUI

Placa Mercosul

O novo modelo de placa é oriundo de um acordo entre os países do Mercosul, assinado em dezembro de 2010. O padrão mantem os sete caracteres da placa atual brasileira, porém com quatro letras e três números, e não mais três letras e quatro números, que poderão ser “embaralhados”, e não mais dispostos de maneira fixa em uma sequência.

O fundo também sofreu a mudança de cor e passa a ser totalmente branco. Além disso, a bandeira do Brasil e a escrita substitui o município. Com isso, os veículos com a nova placa podem circular livremente nos países que integram o Mercosul, sem autorização prévia.

A nova placa não tem mais os símbolos que permitiam a identificação de local de registro do veículo. Também sofreu mudança na cor dos caracteres para diferenciar os tipos de veículos.

Os veículos de passeio com a cor preta, veículos comerciais (aluguel e aprendizagem) na cor vermelha, carros oficiais na cor azul, a verde para veículos em teste, para veículos diplomáticos cor dourado e para os veículos de colecionadores o fundo é preto com as letras em cor branca.

Todas as placas deverão conter o código de barras tipo (QR Code) com informações do banco de dados do fabricante da placa e o número de série. O objetivo é controlar a produção, logística, estampagem e instalações da PIV nos respectivos veículos, além da verificação da sua autenticidade.

Fonte: GOV MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mato Grosso

Fiscalização no raguaia apreende apetrechos e armadilhas de pesca predatória

Publicado

A Polícia Civil realizou neste fim de semana em Ponte Branca, no sul do estado, uma fiscalização para inibir a pesca predatória no rio Araguaia. A Delegacia de Alto Araguaia recebeu informações de que cardumes de peixes estavam chegando ao rio, em Ponte Branca, e pescadores da região se programavam para efetuar pesca predatória e proibida no local.

O local é conhecido por ser uma armadilha natural para os peixes, pois ao subirem o rio, no ciclo de reprodução, chegam a um ponto onde ocorre um estreitamento, em um canal de pouco mais de 25 metros de largura. Logo acima, há uma cachoeira impedindo que continuem o trajeto, se acumulando no local, muitas vezes cansados.

Nesse ponto, os pescadores se aproveitam e, utilizando apetrechos proibidos, realizam a pesca predatória e criminosa. Muitos peixes são mutilados, machucados e descartados no local.

A equipe da Delegacia de Alto Araguaia foi ao local nestas sexta (12) e sábado (13.08) e, durante a fiscalização, foram apreendidas armadilhas e apetrechos proibidos para a pesca, além de abordar e conscientizar os pescadores.

O delegado Marcos Paulo Batista destaca que as diligências ocorrerão periodicamente, visando garantir a preservação das espécies e do Rio Araguaia.
“É preciso que a comunidade local se conscientize e deixem de praticar este crime ambiental, em condições tão desfavoráveis para as espécies de peixes. Além de correrem o risco de serem presos em flagrante, responderem processo criminal e pagarem multas elevadas, farão com que espécies de peixes sejam extintas no Araguaia”.

A Lei Ambiental 9.605/98, conforme o artigo 34, parágrafo III, combinado com a lei estadual que dispõe sobre a política de pesca no Estado de Mato Grosso, veda expressamente a pesca nestas condições, com pena de detenção de um a três anos, além de multa

Continue lendo

Mato Grosso

Projeto que leva ‘banho solidário’, alimentos e assistência a pessoas em situação de rua é retomado

Publicado

As atividades da associação voluntária ficaram suspensas durante a pandemia. O projeto leva também serviço de corte de cabelo e serve refeições a essas pessoas.

Após dois anos com as ações suspensas por causa da pandemia da Covid-19, a Associação Beneficente Banho Solidário Cuiabá volta com o projeto que leva banho, corte de cabelo, roupas e calçados e refeições para pessoas em situação de rua em Cuiabá. O grupo pede doações e novos voluntários para que as ações continuem chegando às ruas.
O projeto funciona uma vez no mês, aos sábados. As ações começam às 16h e vão até às 20h.

O banho solidário funciona em um trailer com dois banheiros com chuveiros. No trailer, são disponibilizados produtos de higiene pessoal como toalhas e sabonetes para pessoas em situação de rua.

Cortes de cabelo são feitos na ação.

Os voluntários se dividem em uma equipe para corte de cabelo, outra para selecionar e separar as roupas que serão doadas e outra que cuida da alimentação.
É servido um lanche no início da ação e no final, às 19h30, é servido o jantar.
O projeto foi fundado em 2016 pelos irmãos Alex Vieira Passos e Heraldo Vieira Passos Júnior e tomou corpo se transformando em um Associação, hoje tendo como coordenadora geral Marta Costa .

Marta Costa, conta que atualmente cerca de 20 voluntários fixos atuam no projeto e outros participam apenas esporadicamente. “Precisamos muito de barbeiros ou cabeleireiros para corte de cabelo dos moradores de rua. Nós temos as máquinas de corte e os equipamentos, porém não temos muitos voluntários para essa parte do projeto”, afirma.

O jantar é servido no fim de cada ação .

Marta também relata que a associação precisa de doação de alimentos para preparar o jantar, doações de roupas e calçados em bom estado de conservação e recursos financeiros para custear as despesas com transporte de equipamentos e materiais de manutenção.
O próximo Banho Solidário está previsto para ser realizado no dia 20 de agosto. Segundo a coordenadora, a ação é feita uma vez no mês porque demanda muita estrutura e recursos.
“Precisamos do combustível, transportar o trailer e a caixa d’água, além de cinco veículos só para carregar a estrutura, como tendas, mesas e cadeiras”, explica.

“Vemos que é o lugar onde há mais demanda de pessoas em situação de vulnerabilidade, em situação de rua”, diz.
Durante a pandemia da Covid-19, as ações foram suspensas.

“Os nossos voluntários, em sua maioria, são idosos, então ficamos com receio. Alguns deles tiveram Covid e decidimos suspender as ações. Agora, retomamos o projeto”, diz.

O projeto foi fundado em 2016 pelos irmãos Alex Vieira Passos e Heraldo Vieira Passos Júnior e tomou corpo se transformando em um Associação, hoje tendo como coordenadora geral Marta Costa .

Marta Costa, conta que atualmente cerca de 20 voluntários fixos atuam no projeto e outros participam apenas esporadicamente. “Precisamos muito de barbeiros ou cabeleireiros para corte de cabelo dos moradores de rua. Nós temos as máquinas de corte e os equipamentos, porém não temos muitos voluntários para essa parte do projeto”, afirma.

_______

Para quem quer ajudar, as doações podem ser feitas na Imobiliária AB3, na Avenida das Torres, Bairro Santa Cruz, em Cuiabá, das 8h as 17h, de segunda a sexta-feira. Para doações via transferências e outras informações o contato é (65) 99211-6563.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana