conecte-se conosco


Política MT

ROTAM poderá adquirir micro-ônibus com emenda de 500 mil

Publicado


Foto: LUANA BRAGA / ASSESSORIA DE GABINETE

Em mais um atendimento às demandas da segurança pública, o deputado estadual Silvio Fávero (PSL) abraçou o projeto “Micro-Choque”, de iniciativa do Batalhão de Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam), que tem por objetivo aumentar a mobilidade e a capacidade operacional da corporação nos 141 municípios mato-grossenses.

O parlamentar destinou emenda no valor de R$ 500 mil para a aquisição do micro-ônibus voltado ao transporte de tropa de choque do Rotam, após apresentação do comandante da tropa, tenente coronel PM, Paulo César da Silva, que procurou o parlamentar na terça-feira (15).

No dia seguinte, Silvio Fávero conseguiu o aval do governo do estado, em reunião com o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, para a liberação de emenda destinada a aquisição do Micro-Choque.

“Nós já acompanhamos há algum tempo o trabalho incansável do deputado Silvio Fávero a favor da segurança pública, propondo projetos e correndo atrás de captação de recursos. Diante disso, com a proposta do Micro-Choque em mãos, fomos direto ao gabinete do deputado, com a certeza de seríamos bem atendidos, mas não imaginávamos que nossa demanda seria resolvida tão rapidamente, o que surpreendeu toda tropa pela agilidade do parlamentar. Em menos de 24 horas, ele já apresentou o resultado esperado por todos nós, a favor dos cidadãos que serão mais protegidos”, relatou o comandante do ROTAM.

De acordo com o tenente coronel, com a aquisição do micro-ônibus adaptado para atender as demandas da tropa de choque do estado, será possível disponibilizar o enfrentamento operacional qualificado, dificultando as resistências e proporcionando mais segurança aos mato-grossenses.

Foto: LUANA BRAGA / ASSESSORIA DE GABINETE

“É uma grande conquista para os policiais que atuam no patrulhamento tático, mais especificamente, o Batalhão da Rotam que tem esse papel de preservar os direitos coletivos de locomoção, as propriedades, a liberdade de expressão, o patrimônio público e a paz social”, argumentou César.

Para o deputado Silvio Fávero, que não mede esforços nos trabalhos voltados à coletividade, a segurança pública deve estar no centro das prioridades do Estado, assim como a saúde e a educação.

“Agradeço o governo do estado, em nome do governador Mauro Mendes, do secretário Mauro Carvalho, e toda equipe, por ter a sensibilidade de que é possível e necessário oportunizar melhores condições de trabalho aos nossos policiais, que atuam de forma aguerrida na linha de frente na defesa dos cidadãos”, destacou o parlamentar.

Foto: LUANA BRAGA / ASSESSORIA DE GABINETE

Fonte: ALMT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

CPI da Energisa prorroga prazo para entrega do relatório final

Publicado


Foto: Ronaldo Mazza

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), que investiga irregularidades na empresa de energia elétrica Energisa retornou às atividades nesta quinta-feira (16), após os trabalhos terem sido paralisados desde o mês de abri,l em razão da pandemia da Covid-19.

De imediato o presidente da CPI, deputado Elizeu Nascimento (PSL) apresentou requerimento prorrogando o prazo para o dia 15 de dezembro deste ano para entrega do relatório final. Esse requerimento ainda vai ser encaminhado para votação em Plenário. Também foi apresentado um novo cronograma de convidados para as próximas reuniões.

“Devido a pandemia da Covid-19, precisamos alterar o calendário e propor um novo agendamento de convidados. Paralelamente à CPI, está acontecendo a operação “Tudo às Claras”, que trata-se de uma investigação entre as polícias Civil, Militar, Federal e outros órgãos, por isso estendemos a convocação dos membros que participam desta operação para falar à CPI tudo o que foi coletado até o momento e mostrar para a sociedade”, revelou Nascimento.

Conforme o presidente da Comissão, estão sendo apuradas investigações sigilosas envolvendo, desde a questão de abuso na cobrança de faturas de energia, à má prestação de serviço, além de baixo efetivo de servidores da empresa e também abusos referente aos medidores de consumo. Tudo isso será incluído no relatório da CPI.

“Essa CPI é oriunda da vontade popular para que os deputados pudessem cobrar da Energisa melhores condições de fornecimento de energia e soluções para as constantes reclamações contra a empresa, como o mau atendimento e os valores exorbitantes cobrados na taxa de energia”, disse o vice–presidente da CPI, deputado Thiago Silva (MDB).

Veja o cronograma com os próximos convidados, em datas a serem definidas pela CPI:

a) Investigação sobre fios elétricos e medidores de energia. Convidado: secretário adjunto de proteção em defesa dos direitos dos consumidores do Procon, Edmundo Taques, para mostrar os trabalhos finais desempenhado pelo grupo de fiscalização que atuou na operação “Tudo às Claras”.

b) Convocar o presidente do Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (IPEM-MT), Pedro Bezerra, para tratar do relatório final dos trabalhos desenvolvidos pelo grupo de fiscalização na operação “Tudo as Claras”.

c) Convidar o presidente da Ager-MT, Luis Alberto Nespolo, para mostrar resultados dos trabalhos realizados na operação “Tudo as Claras”.

d) Convidar o delegado da Delegacia do Consumidor (Decon), Rogério Ferreira, falar dos trabalhos desenvolvidos na operação “Tudo as Claras”.

e) Ouvir o engenheiro eletricista, José Antonio de Mesquita, que participou da operação.

f) Proposição em Plenário do Requerimento para prorrogar até o dia 15 de dezembro de 2021, a duração da CPI da Energisa, por conta da pandemia.

Fonte: ALMT

Continue lendo

Política MT

CPI da Energisa prorroga prazo para entrega do relatório final e quer ouvir presidente da Ager e delegado

Publicado

Requerimento pede que trabalho sejam estendidos até o dia 15 de dezembro [Foto – Ronaldo Mazza]

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), que investiga irregularidades na empresa de energia elétrica Energisa retornou às atividades nesta quinta-feira (16), após os trabalhos terem sido paralisados desde o mês de abril em razão da pandemia da Covid-19.

De imediato o presidente da CPI, deputado Elizeu Nascimento (PSL) apresentou requerimento prorrogando o prazo para o dia 15 de dezembro deste ano para entrega do relatório final. Esse requerimento ainda vai ser encaminhado para votação em Plenário. Também foi apresentado um novo cronograma de convidados para as próximas reuniões.

“Devido a pandemia da Covid-19, precisamos alterar o calendário e propor um novo agendamento de convidados. Paralelamente à CPI, está acontecendo a operação “Tudo às Claras”, que trata-se de uma investigação entre as polícias Civil, Militar, Federal e outros órgãos, por isso estendemos a convocação dos membros que participam desta operação para falar à CPI tudo o que foi coletado até o momento e mostrar para a sociedade”, revelou Nascimento.

Conforme o presidente da Comissão, estão sendo apuradas investigações sigilosas envolvendo, desde a questão de abuso na cobrança de faturas de energia, à má prestação de serviço, além de baixo efetivo de servidores da empresa e também abusos referente aos medidores de consumo. Tudo isso será incluído no relatório da CPI.

“Essa CPI é oriunda da vontade popular para que os deputados pudessem cobrar da Energisa melhores condições de fornecimento de energia e soluções para as constantes reclamações contra a empresa, como o mau atendimento e os valores exorbitantes cobrados na taxa de energia”, disse o vice–presidente da CPI, deputado Thiago Silva (MDB).

Veja o cronograma com os próximos convidados, em datas a serem definidas pela CPI:

a) Investigação sobre fios elétricos e medidores de energia. Convidado: secretário adjunto de proteção em defesa dos direitos dos consumidores do Procon, Edmundo Taques, para mostrar os trabalhos finais desempenhado pelo grupo de fiscalização que atuou na operação “Tudo às Claras”.

b) Convocar o presidente do Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (IPEM-MT), Pedro Bezerra, para tratar do relatório final dos trabalhos desenvolvidos pelo grupo de fiscalização na operação “Tudo as Claras”.

c) Convidar o presidente da Ager-MT, Luis Alberto Nespolo, para mostrar resultados dos trabalhos realizados na operação “Tudo as Claras”.

d) Convidar o delegado da Delegacia do Consumidor (Decon), Rogério Ferreira, falar dos trabalhos desenvolvidos na operação “Tudo as Claras”.

e) Ouvir o engenheiro eletricista, José Antonio de Mesquita, que participou da operação.

f) Proposição em Plenário do Requerimento para prorrogar até o dia 15 de dezembro de 2021, a duração da CPI da Energisa, por conta da pandemia.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana