conecte-se conosco


Opinião

ROSÁRIO CASALENUOVO- A boca causa quase 50% das doenças cardíacas

Publicado

Alguns estudos mais recentes da medicina defendem que as obstruções  arteriais não advêm do colesterol, gordura no sangue, lembrando que a gordura animal é saudável e contém a mais variada fonte de vitaminas lipossolúveis  para o organismo, tanto é que problemas cardíacos nos tempos antigos, época em que não havia geladeira e se usava a banha de porco ou manteiga, o número de problemas cardíacos era muito reduzido.

Atualmente, os óleos vegetais, margarinas, açúcares, toxinas ambientais, o sedentarismo e estresse são acusados como causa principal para os problemas cardíacos, doença que aumentou em uma proporção  assustadora nos últimos anos sendo a principal causas de morte.

Na medicina alemã, cuja  odontologia está inserida,  (sendo que no Brasil foi separada em 1884), criou-se a odontologia biológica que interrelaciona os problemas da boca com o restante do organismo, salientando principalmete dentes que estão necrosados, mortos( feito o canal do dente ) e mantidos dentro da boca, além das infecções ósseas chamadas de cavitações osteonecróticas nos maxilares, na qual os dentes foram extraídos e ao invés da haver a formação óssea, ocorre o crescimento de um tecido  gorduroso altamente tóxico denominado de N.I.C.O.  ( Neuralgia induzida por cavitação osteonecrótica ), isto se relaciona com a dor crônica facial e no crânio, e causa problemas cardíacos devido à altíssima concentração de substâncias tóxicas,  cujas causam a  chamada  inflamação silenciosa.

As doenças periodontais como bolsas  gengivais que se formam com o descolamento da gengiva  dos dentes e com isto vai se formando uma bolsa, na qual  entram bactérias anaeróbicas, mais danosas ao organismo. Estas regiões não dão acesso para as escovações, mesmo com todo empenho, fio dental não entra na gengiva, e  com isto acontece uma inflamação crônica na região. Estas bactérias vão se soltando e entrando na circulação sanguínea.

Os dentes com canal obturado tem na sua estrutura canalículos dentinários de tamanho microscópico, e que alojam as colônias bacterianas que se desprendem e caem no sangue também, como o dente está morto, as células de defesa não chegam até  lá e com isto os sítios bacterianos ficam reinando sem nenhum incômodo.

Leia Também:  OTACILIO PERON – Liberação do comércio em qualquer dia e horário

As bactérias se alimentam e com isto fazem suas secreções, lançando toxinas altamento danosas ao organismo causando também inflamação crônica, principalmente nas artérias coronárias.

Não é apenas as bactérias que causam danos, mas também as suas  toxinas que alteram o DNA das células causando inclusive o câncer,  segundo a medicina alemã.

O INCOR ( Instituto do Coração da Universidade de São Paulo/USP )  lançou um estudo recente que ressalta a influência da boca sobre os problemas cardíacos em um número de 45%. Porque acontece isto?

As inflamações crônicas são tidas como excreções do organismo, ou seja, como se fosse um lixo que o organismo “incápsula “mas não consegue se livrar dele e fica circulando nos vasos. Os vasos sanguíneos sofrem também inflamação nas suas paredes e isto provoca um acúmulo de gordura causando o entupimento, formando trombos e podem causar AVC (cerebral); outro fator são as bactérias que caem na circulação e  passarão naturalmente pelo coração e podem se fixar nas suas cavidades causando a endocardite bacteriana.

Um paciente destes que por ventura tiver que ser internado no hospital por qualquer motivo de saúde e com baixa de resistência, poderá sofrer uma septicemia que é a infecção generalizada, que pode ser chamada erroneamente de infecção hospitalar, porém os agentes causadores estavam dentro da boca esperando  uma oportunidade para invadir o organismo por completo e levar à morte.

A odontologia mesmo sendo atual, super tecnológica, com recursos materiais e técnicos surpreendentes,  se distanciou do organismo da biologia, que ao meu ver a evolução industrial é muito importante, porém  representa apenas 10% das vantagens de um tratamento, considero o conhecimento sobre organismo humano os 90% restantes. Esta odontologia super tecnológica passou a fazer apenas a substitutição de materiais nos dentes e agora mais recente os tratamento estéticos subcutãneos.

Leia Também:  JOSÉ DE PAIVA NETTO - As graves consequências dos diversos tipos de suicídio

As respostas  para  tratamentos e prevenção dos problemas cardíacos causados bela boca,  estão além da odontologia convencional, se encontram também na odontologia biológica que estuda e trata destes problemas, mas por ser muito nova,  ela é ainda pouco difundida no Brasil. Outra novidade é o uso do gás ozônio para o tratamento de canais  dos dentes mortos para a aliminação das bactérias tanto dentro do canal, mas principalmente dos canalículos dentinários que formam as paredes de 90% dos dentes como se fosse uma colméia de abelhas e no caso são “colméias de bactétias”.

A ozônio terapia ou ozonoterapia é fundamental para o tratamento das infecções e também para a eliminação das inflamações crônicas da boca, mas também do organismo. É utilizado nos principais países do mundo, salvando muitos pacientes de infecções como septicemia que ainda mata muito no Brasil, onde o ozoynio não está  liberado para a medicina, apenas para a odontologia. Por isto que podemos através da boca previnir muitos problemas crônicos do organismo.

Esta é uma nova odontologia, interligada com a medicina e que unifica o organismo dilacerado cientificamente, para uma didática, porém a compreensão do segmento acabou por prevalecer. Mas hoje a medicina denominada de integrativa ( Canada, Alemanha e USA ) vem para tratar o paciente inteiro, não apenas de suas doenças, mas fortalecendo a saúde. A odontologia Biológica e a funcional é a integração com a medicina  que viveu isolada pela odontologia (mecânica restauradora) por todo este tempo.

ROSÁRIO CASALENUOVO JÚNIOR é co-autor do livro Cirurgia Ortognática e Ortodôntica; presidente da ABOR-MT (Associação Brasileira de Ortodontia – SEC.MT) Especialista em: Ortondontia (Bioprogressiva e Arco reto); Ortopedia Funcional dos Maxilares Dor Orofacial e Disfunção de ATM.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Opinião

ROSÁRIO CASALENUOVO – Coisas de preto

Publicado

Cada povo tem seu dom, sua habilidade e no Brasil temos a riqueza de todas as cores de pele, tipos de cabelo, todas as culturas do mundo, diferentes etnias. E no meu ponto de vista, a maior riqueza da humanidade é a diversidade.  Mas neste artigo quero destacar sobre a influência dos africanos trazidos como escravos (porque eram excelentes trabalhadores) e povoaram muitos países como USA, Cuba e o nosso Brasilzão.

Como sou metido a músico, cito esses três países porque são eles os melhores do planeta nessa esfera. Aí passei a folhear as páginas virtuais da internet para saber a origem dos ritmos e constatei que se não existisse os negros, nossas músicas seriam um tédio. Os descendentes de africanos criaram os estilos musicais como blues nos Estados Unidos e depois o Rock roll, funck, blac music, Jazz, salsa, merengue, rumba, mambo, reggae, lambada, todos  Cubanos. Aqui o samba, baiõ, xote, xaxado, rasqueado cuiabano e até mesmo a bossa nova que foi criada pelo João Gilberto que é baiano. E todos os baianos mesmos brancos, são pretos na alma. Aliás todos brasileiros salvo as colônias europeias do sul, japoneses de São Paulo e paraná, tem a influência africana e aborígene brasileiro ( o índio significa sem Deus  In [sem ] dío [ Deus] mas eles sempre tiveram seus deuses então os chamo de aborígenes que significa povo de origem local).

Todos nós brasileiros temos esta influência cultural invisível, silenciosa.  Eu arrisco dizer que o povo que tem a cara do Brasil é o Mineiro e o Baiano, OS DOIS ESTADOS MAIS ARTÍSTICOS DO PAÍS e todos que surgem lá, não nascem, ESTREIAM.

Aí eu pensei em saber a origem do tango argentino. Descobri que teve sua formação nos cabarés, nos puteiros da bodeguita. Então tango não tem uma cor definida. Mas o nome TANGO é um tambor africano. (risos)  Mesmo oculto o preto está presente sorrateiramente, humildemente em todos os cantos em todas as danças em tudo que gera uma alegria. A vida na terra seria um tédio se a humanidade fosse somente uma raça como o Adolf Hitler tentou fazer. Aliás a maior parte das guerras no mundo foram causadas pela intolerância aos diferentes, religião a principal.

Leia Também:  DIRCEU CARDOSO – A imprensa independente, altiva e democrática

A divisão do Djavan que me inspirou a este tema que cita em uma de suas musicas o termo “Música de Preto” ou Black Music, o ritmo do Zé Pretinho que tocou em Cuiabá e hoje parece que está em Rondonópolis, não conheci alguém de menos cor que tenha esta aptidão. Você sabe o que é “divisão” na música? É a coisa mais difícil e incrível que pode acontecer ao tocar. É sair do compasso livremente e depois voltar a ele, tanto ao cantar como tocar, isso é para poucos. O ritmo fica dentro do corpo e por isto o músico não se perde. Sai e volta em cima do ponto. É fantástico isto!!! É como comparar um casal que dança um samba quadradinho com aquele que extrapola, a dupla se separa e depois volta redondo no ritmo.

O brasileiro como laico e pouco racista, aceita bem as religiões dos africanos, como o candomblé e umbanda, não é? Será? Essas religiões tiveram que utilizar de santos católicos para serem aceitos no Brasil, mas agora segue com força assumindo sua identidade. Este Brasil é muito rico nas diferenças.  Aliás, pelo menos dentro de meu mundinho caipira de uma cidade de 12 mil habitantes (Pres Bernardes –SP),  vejo pouco racismo no Brasil, acho sim que nós desta terra somos CLASSISTAS e pouco racista.

Em cada atitude que se diz racista eu comparo com classismo e vejo que o racismo desaparece. Faça esse teste, se você não for racista e tiver uma visão neutra, facilitará a chegar a essa conclusão.  Já no EUA o racismo é muito intenso. Mas não trague o racismo americano para o Brasil, somos muito diferentes. Este assunto merece um debate respeitoso com muita humildade e sem paixões. Tenho certeza que será libertador.

Leia Também:  OTACILIO PERON – Liberação do comércio em qualquer dia e horário

Acho lindo os cabelos black power, depois que as mulheres assumiram suas características físicas, passou a valorizar a harmonia e não o padrão de beleza da Barb. Ficou muito chique.  Beleza é harmonia entre as partes.  assim, como o luxuoso som do sax do Pixinguinha, das músicas do mestre Cartola.

Requintado como o sabor da cozinha africana da querida Bahia e Minas.

Das escritas de Machado de Assis, Aleijadinho que deixou tantas esculturas e pinturas que enriqueceram a história da arte no Brasil.

Agora faço uma pergunta! Qual a cor preferida do Brasileiro? Branca não é, né? Porque o povo se esturrica no sol, passando bronzeador? Queria fazer esta pesquisa. Eu acho que é a cor mulata jambu. É a cor que acho mais linda. O que você acha?

Na minha opinião, Gilberto Gil é um artista perfeito, poeta, compositor, cantor, instrumentista, só ator que não tem como. Antes de ele terminar uma frase já entraria no comercial da novela. Mas a divisão dele é incrível. Milton Nascimento também é uma riqueza viva, que orgulho ser brasileiro e ter tanta gente maravilhosa aqui, como o Rei Pelé que parou uma guerra para assistir seu jogo, um dos nomes mais conhecidos no mundo.

Como meu cachorrinho que tanto conviver no meio de nós acha que é gente, eu até me sinto preto quando toco meu violão ou pandeiro, aliás peguei um pouco quando me lembro do colo de minha querida babá de nome de Conceição, a qual tenho tanta gratidão pelo amor que recebi, que tenho contato até hoje,   absorvi sua cor negra que entrava pelo meu olhar inocente desprovido de qualquer influência. Digo que tenho o sangue azul de tão negro que sou.

Rosário Casalenuovo Júnior é dentista, professor de odontologia há 30 anos, músico e articulista dos principais jornais de Mato Grosso. Cristão, atleta, pai de Pedro e Giovanna. Contato: rosá[email protected]

Continue lendo

Opinião

ONOFRE RIBEIRO – Aeroporto geodésico

Publicado

Há décadas a Receita Federal vem fazendo corpo mole e dificultando burocraticamente o alfandegamento do Aeroporto Marechal Rondon. Pura má vontade. Na década de 1990 chegou a existir um vôo diário da LAB – Loyde Aéreo Boliviano,  entre Cuiabá e Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. Era um avião Boeing 707 pra 103 passageiros. O avião não enchia todos os dias, mas tinha sustentação econômica  por conta das cargas que transportava. Mas foi a burocracia da Receita Federal quem impediu a continuidade do vôo.

Desde então o assunto foi levantado inúmeras vezes e a mesma gloriosa Receita Federal fez corpo mole. Hoje ela restringe por acusa do espaço físico que considera pequeno.

Pois bem. O aeroporto foi privatizado e a empresa Centro-Oeste Airport, a nova concessionária, está prometendo transformar o aeroporto Marechal Rondon em um  hub  que é a designação dada ao aeroporto utilizado por uma companhia aérea  como ponto de conexão  para transferir os seus passageiros e carga para o destino pretendido da América do Sul. O diretor da empresa, Marco Antonio Migliorini, afirma: “Entendemos que o Aeroporto Marechal Rondon será um hub da América Latina, pela sua potencialidade e  e posição estratégica dentro do continente”.

Leia Também:  DIRCEU CARDOSO – A imprensa independente, altiva e democrática

Essa é a vantagem da empresa privada. Sem propósito estratégico nenhum, a Infraero que administra os aeroportos há muito focou exclusivamente na arrecadação em todos os aeroportos e nuca olhou pro futuro como um lance possível. É a visão caótica do Estado. Quando a LAB operou aquele vôo, ficou muito fácil viajar muito mais barato para os EUA, porque em Santa Cruz o preço das passagens era muito menor. Hoje a ligação com a América Latina se faz na maioria das vezes através de conexões com São Paulo. A Infraero olha pra arrecadação de São Paulo e se esqueceu desses aspectos regionais.

Ninguém duvida do crescimento futuro de Mato Grosso e das demandas de passageiros, de cargas e de negócios que utilizarão a aviação regional no continente e mesmo com a Europa e EUA. Como o centro geodésico da América do Sul, o Aeroporto Marechal Rondon poderá se transformar num imenso centro de convergências econômicas, comerciais e de negócios.

Quem duvida da importância das privatizações veja esse primeiro sinal. A mesma empresa vai administrar os aeroportos de Alta Floresta, Sinop e Rondonópolis.

Leia Também:  WILSON FUÁH - O “CEL” SEM LIMITES

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso – [email protected]  www.onofreribeiro.com.br

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana