conecte-se conosco


Opinião

ROSÁRIO CASALENUOVO- A boca causa quase 50% das doenças cardíacas

Publicado

Alguns estudos mais recentes da medicina defendem que as obstruções  arteriais não advêm do colesterol, gordura no sangue, lembrando que a gordura animal é saudável e contém a mais variada fonte de vitaminas lipossolúveis  para o organismo, tanto é que problemas cardíacos nos tempos antigos, época em que não havia geladeira e se usava a banha de porco ou manteiga, o número de problemas cardíacos era muito reduzido.

Atualmente, os óleos vegetais, margarinas, açúcares, toxinas ambientais, o sedentarismo e estresse são acusados como causa principal para os problemas cardíacos, doença que aumentou em uma proporção  assustadora nos últimos anos sendo a principal causas de morte.

Na medicina alemã, cuja  odontologia está inserida,  (sendo que no Brasil foi separada em 1884), criou-se a odontologia biológica que interrelaciona os problemas da boca com o restante do organismo, salientando principalmete dentes que estão necrosados, mortos( feito o canal do dente ) e mantidos dentro da boca, além das infecções ósseas chamadas de cavitações osteonecróticas nos maxilares, na qual os dentes foram extraídos e ao invés da haver a formação óssea, ocorre o crescimento de um tecido  gorduroso altamente tóxico denominado de N.I.C.O.  ( Neuralgia induzida por cavitação osteonecrótica ), isto se relaciona com a dor crônica facial e no crânio, e causa problemas cardíacos devido à altíssima concentração de substâncias tóxicas,  cujas causam a  chamada  inflamação silenciosa.

As doenças periodontais como bolsas  gengivais que se formam com o descolamento da gengiva  dos dentes e com isto vai se formando uma bolsa, na qual  entram bactérias anaeróbicas, mais danosas ao organismo. Estas regiões não dão acesso para as escovações, mesmo com todo empenho, fio dental não entra na gengiva, e  com isto acontece uma inflamação crônica na região. Estas bactérias vão se soltando e entrando na circulação sanguínea.

Os dentes com canal obturado tem na sua estrutura canalículos dentinários de tamanho microscópico, e que alojam as colônias bacterianas que se desprendem e caem no sangue também, como o dente está morto, as células de defesa não chegam até  lá e com isto os sítios bacterianos ficam reinando sem nenhum incômodo.

As bactérias se alimentam e com isto fazem suas secreções, lançando toxinas altamento danosas ao organismo causando também inflamação crônica, principalmente nas artérias coronárias.

Não é apenas as bactérias que causam danos, mas também as suas  toxinas que alteram o DNA das células causando inclusive o câncer,  segundo a medicina alemã.

O INCOR ( Instituto do Coração da Universidade de São Paulo/USP )  lançou um estudo recente que ressalta a influência da boca sobre os problemas cardíacos em um número de 45%. Porque acontece isto?

As inflamações crônicas são tidas como excreções do organismo, ou seja, como se fosse um lixo que o organismo “incápsula “mas não consegue se livrar dele e fica circulando nos vasos. Os vasos sanguíneos sofrem também inflamação nas suas paredes e isto provoca um acúmulo de gordura causando o entupimento, formando trombos e podem causar AVC (cerebral); outro fator são as bactérias que caem na circulação e  passarão naturalmente pelo coração e podem se fixar nas suas cavidades causando a endocardite bacteriana.

Um paciente destes que por ventura tiver que ser internado no hospital por qualquer motivo de saúde e com baixa de resistência, poderá sofrer uma septicemia que é a infecção generalizada, que pode ser chamada erroneamente de infecção hospitalar, porém os agentes causadores estavam dentro da boca esperando  uma oportunidade para invadir o organismo por completo e levar à morte.

A odontologia mesmo sendo atual, super tecnológica, com recursos materiais e técnicos surpreendentes,  se distanciou do organismo da biologia, que ao meu ver a evolução industrial é muito importante, porém  representa apenas 10% das vantagens de um tratamento, considero o conhecimento sobre organismo humano os 90% restantes. Esta odontologia super tecnológica passou a fazer apenas a substitutição de materiais nos dentes e agora mais recente os tratamento estéticos subcutãneos.

As respostas  para  tratamentos e prevenção dos problemas cardíacos causados bela boca,  estão além da odontologia convencional, se encontram também na odontologia biológica que estuda e trata destes problemas, mas por ser muito nova,  ela é ainda pouco difundida no Brasil. Outra novidade é o uso do gás ozônio para o tratamento de canais  dos dentes mortos para a aliminação das bactérias tanto dentro do canal, mas principalmente dos canalículos dentinários que formam as paredes de 90% dos dentes como se fosse uma colméia de abelhas e no caso são “colméias de bactétias”.

A ozônio terapia ou ozonoterapia é fundamental para o tratamento das infecções e também para a eliminação das inflamações crônicas da boca, mas também do organismo. É utilizado nos principais países do mundo, salvando muitos pacientes de infecções como septicemia que ainda mata muito no Brasil, onde o ozoynio não está  liberado para a medicina, apenas para a odontologia. Por isto que podemos através da boca previnir muitos problemas crônicos do organismo.

Esta é uma nova odontologia, interligada com a medicina e que unifica o organismo dilacerado cientificamente, para uma didática, porém a compreensão do segmento acabou por prevalecer. Mas hoje a medicina denominada de integrativa ( Canada, Alemanha e USA ) vem para tratar o paciente inteiro, não apenas de suas doenças, mas fortalecendo a saúde. A odontologia Biológica e a funcional é a integração com a medicina  que viveu isolada pela odontologia (mecânica restauradora) por todo este tempo.

ROSÁRIO CASALENUOVO JÚNIOR é co-autor do livro Cirurgia Ortognática e Ortodôntica; presidente da ABOR-MT (Associação Brasileira de Ortodontia – SEC.MT) Especialista em: Ortondontia (Bioprogressiva e Arco reto); Ortopedia Funcional dos Maxilares Dor Orofacial e Disfunção de ATM.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Opinião

OTACILIO PERON – Reforma tributária nacional

Publicado

Todos pagamos tributos e eles estão em toda parte.

É a principal forma pela qual o indivíduo é chamado a contribuir para o financiamento de despesas coletivas, através de um conjunto de normas constitucionais e infraconstitucionais, denominado de “Sistema Tributário Nacional”.

A propalada reforma tributária vem desde a promulgação da Constituição de 1988.

Muitos governos tentaram, mas agora chegou o momento de efetivamente proceder estas mudanças, diante das graves críticas que enfrenta a legislação tributária em vigor, pois complexo e injusto, o sistema tributário brasileiro.

Temos duas proposições em andamento neste momento: a PEC 45/2019 que tramita pela Câmara Federal e a PEC 110/2019 que tramita pelo Senado Federal.

No entanto, certo é que ambos vão confluir para o Congresso Nacional.

Em ambas as proposições a alteração principal será a simplificação e a racionalização da tributação sobre a população e comercialização de bens e serviços.

As duas PECs propõem a extinção de uma série de tributos, consolidando as bases tributárias em dois novos impostos: Um imposto impõe sobre bens e serviços (IBS) e Um imposto específico sobre alguns bens e serviços (imposto seletivo).

A PEC 110 – substitui nove tributos pelo IBS: – IPI, IOF, PIS, PASEP, COFINS, CIDE- combustíveis, Salário Educação, ICMS e ISS.

Já a PEC 45 substitui apenas cinco tributos pelo IBS: IPI, PIS, CONFINS, ICMS, ISS.

A PEC 110, autoriza a concessão de benefícios fiscais, já a PEC 45 não permite a concessão de incentivos fiscais.

Na transição, ambas divergem quanto ao tempo, uma sinalização com cinco anos, e outra com oito anos, mas convergem quanto a cobrança “teste” de 1% com a mesma base de incidência do IBS.

No tocante ao Imposto Seletivo, a PEC 110, tem como índole arrecadatória, cobrado sobre operações com petróleo e seus derivados, combustíveis e lubrificantes de qualquer origem, gás natural, cigarros e outros produtos do fumo, energia elétrica, serviços de telecomunicações a que refere o art. 21, XI da Constituição Federal, bebidas alcóolicas e não alcóolicas, e veículos automotores novos, terrestres, aquáticos e aéreos.

A PEC 45, considera impostos de índole extrafiscal, cobrados sobre determinados bens, serviços ou direitos, com o objetivo de desestimular o consumo.

Na lista sobre quais produtos ou serviços o tributo incidia remete isto a lei ordinária, ou medida provisória.

A PEC 110 é mais abrangente que a PEC 45, contemplando outras matérias não previstas nesta, como extinção da CSLL, transferência do ITCMD de competência estadual para a federal, com arrecadação integralmente destinada aos municípios; ampliação da base SPVA; e criação de fundos estadual e municipal para reduzir a disparidade da receita “per capita” entre os Estados e Municípios, com recursos destinados a investimentos e infraestrutura.

Muitos empresários do setor de varejo, serviços e agronegócios e construção civil, criaram um movimento de oposição a reforma tributária que tramita na Câmara Federal (PEC 45), por entenderem que privilegia bancos e grandes indústrias, além de criar imposto com alíquota de 25%. Entendem que este sistema proposto na PEC 45 é pior do que o sistema tributário atual.

Tribunais de todos os recantos brasileiros, estão se manifestando contrários a PEC 45, pois os optantes do lucro presumido podem ter um aumento de quase 700% na carga tributária de prestadores de serviços. Uma escala, por exemplo, teria de elevar a mensalidade dos alunos, do mesmo modo uma consulta médica, planos de saúde, serviços advocatícios e contábeis, etc.

Como se vê, a PEC 45, é um convite para aumentar a evasão fiscal, e paira muita incerteza qual das PECs vai prevalecer, ou se será uma PEC híbrida, contendo parte da PEC 45 e parte da PEC 110.

A do Senado está avançando mais rápido, pois já foi indicada a Comissão Mista.

Estados e Municípios estão atentos e os advogados tributaristas terão muito trabalho e com certeza, muito a contribuir para que saia de uma vez por todos a tal Reforma Tributária, que atenda a todos e que tenha como objetivo precípuo simplificar e tornar mais justo o sistema tributário, para alavancar o crescimento do país.

Estamos de olho.

OTACILIO PERON é advogado da CDL e FCDL

 

Continue lendo

Opinião

JOSÉ DE PAIVA NETTO – Horizonte além do horizonte

Publicado

Em 24 de outubro de 2009, durante as comemorações dos 20 anos do Templo da Boa Vontade, localizado em Brasília/DF, lancei a primeira e, portanto, histórica publicação da Academia Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, cujo tema principal é o revolucionário “Amai-vos como Eu vos amei” de Jesus, a estrutura de um mundo novo.

Permitam-me, então, trazer-lhes trechos do que os jovens integrantes da Academia escreveram sobre A Proclamação do Novo Mandamento de Jesus – A saga heroica de Alziro Zarur (1914-1979) na Terra:

“O Cristo, enquanto caminhou pelo mundo, deixou parábolas e exemplos pragmáticos do Amor e da Justiça Divinos, incluindo a Lei capaz de nos transformar para sempre e de nos fazer entender a origem e o objetivo da existência. Depois de quase dois milênios, o Brasil foi palco da revelação pouco estudada e de reconfortante conceito: em 7 de setembro de 1959, o saudoso fundador da LBV, Alziro Zarur, fez, em Campinas/SP, a Proclamação do Mandamento Novo: ‘Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos’ (Evangelho, segundo João, 13:34 e 35). É a História dessa revelação, da ordem espiritual de criar a LBV e do avanço da Obra na Seara do Bem que a Academia Jesus resumidamente narra neste livro. E diga-me, amigo leitor, amiga leitora, que pessoa ou povo não carece desse Amor Celeste para, de fato, viver uma sociedade melhor, porquanto justa? O contrário disso é o que infelizmente se vem alastrando pelo mundo: poluição, violência, temor, guerras. A Proclamação do ‘Amai-vos’ de Jesus é definida por Paiva Netto como ‘um dos atos mais comoventes e decisivos da História — o tempo provará’. E completa: ‘(…) A visão que a Sabedoria imanente do Mandamento Novo nos abre torna compreensível o incompreensível; suportável, o insuportável’.

“A Academia Jesus é composta pelo Instituto de Estudo, Pesquisa e Vivência do Novo Mandamento de Jesus e pelo Instituto de Estudo e Pesquisa da Ciência da Alma. Por meio da produção de um saber que a todos conforte, isto é, espiritual e terreno, tem por objetivo dessectarizar a maneira como alguns veem o Cristo de Deus e o Cristianismo, isto é, mostrar a influência e a aplicabilidade das lições universais e eternas do Acadêmico Celeste em todos os campos do conhecimento, que não se limita às fronteiras físicas”.

Além do além

Todo esse esforço de Fé Realizante que os jovens de Boa Vontade descrevem visa demonstrar o acanhamento de qualquer campanha infrene de reducionismo de todo o significado divino-humano de Jesus, que, no famoso diálogo com Nicodemos (Evangelho, segundo João, 3:1 a 21), nos desperta para o fato de que existe uma Espiritualidade além da espiritualidade, uma Filosofia além da filosofia, uma Ciência além da ciência, uma Economia além da economia, uma Política além da política, uma Arte além da arte, um Esporte além do esporte, uma Existência além da existência, um Horizonte além do horizonte, um Deus Divino além do deus humano. A Academia Jesus nasce para iluminar o conteúdo ideológico (espiritual e humano) dos seres de Boa Vontade, da Terra e do Céu da Terra, em todas as áreas de atuação, para que sua forma de exprimir-se e de existir não seja espiritualmente vazia, e que, por isso, a Doutrina do Cristo, em Espírito e Verdade, à luz do “Amai-vos” (Evangelho, segundo João, capítulos 13 e 15) cumpra sua notável tarefa de esclarecer e libertar as criaturas, pois o Criador deseja que ninguém se perca (Segunda Epístola de Pedro, 3:9). Por isso, criou a Lei das Reencarnações ou das possibilidades sucessivas de remissão (…).

Eis, em suma, a mensagem de Jesus que esses jovens querem ressaltar: a Paz para todos os povos e nações, de modo que definitivamente se aliem, como no caso da sobrevivência da Terra — governo, povo, empresários, e assim por diante. A questão é conduzir a Economia pensando no Capital de Deus, o ser humano.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor. [email protected] – www.boavontade.com

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana