conecte-se conosco


Economia

Ricardo Eletro consegue, mais uma vez, suspender falência na Justiça

Publicado

Loja da Ricardo Eletro, marca da Máquina de Vendas, que fechou seus 300 pontos de venda no país ao pedir recuperação judicial em agosto de 2020
Reprodução

Loja da Ricardo Eletro, marca da Máquina de Vendas, que fechou seus 300 pontos de venda no país ao pedir recuperação judicial em agosto de 2020

A Máquina de Vendas, controladora da Ricardo Eletro, conseguiu reverter temporariamente a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) que decretou a falência da varejista. É mais um capítulo das dificuldades financeiras da empresa, que chegou a ser a quinta maior rede de eletrodomésticos.

Em crise e sem gerar caixa nem sequer para manter suas atividades on-line, a companhia recorreu da decisão colegiada do TJ-SP de 28 de junho que havia convolado (convertido) sua recuperação judicial em falência. O presidente da Seção de Direito Privado do TJ-SP, Beretta da Silveira, concedeu na segunda-feira o efeito suspensivo da decisão.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Em sua decisão, Silveira ressaltou que a Máquina de Vendas ainda recorre da decretação de sua falência no Superior Tribunal de Justiça (STJ). “O risco de dano irreparável ou de difícil reparação decorre dos prejuízos que seriam causados pela convolação de sua recuperação judicial em falência, desde logo, considerando-se a possibilidade de reversão” da decisão colegiada da Justiça paulista pelo STJ.

O magistrado suspendeu a decretação da falência até que o STJ decida se vai aceitar o recurso da empresa e, se aceitar, até que a corte julgue o caso. Com a liminar de Silveira, protocolada na terça-feira, a Máquina de Vendas pode continuar em operação.

A decretação da falência havia sido decidida pelo TJ-SP em 28 de junho depois de um pedido da Laspro, administradora judicial da recuperação judicial da Máquina de Vendas. Administrador é a figura designada pelo juiz dos casos de insolvência para ser uma espécie de síndico do processo.

Segundo relatório da Laspro, o balanço da Máquina de Vendas afirma que “existe a insolvência por insuficiência de cobertura patrimonial (da companhia) que, em abril de 2022, atingiu a cifra de R$ 3,3 bilhões”.

Até abril deste ano, os prejuízos acumulados da varejista chegavam a R$ 5,24 bilhões, sem que haja receitas que deem qualquer previsibilidade de continuidade operacional.

O relatório da administradora judicial afirma que a receita da empresa no primeiro trimestre deste ano foi de apenas R$ 16 mil, “insuficientes para cobrir todos os gastos incorridos no mesmo período, resultando no prejuízo acumulado de R$ 85,2 milhões”.

Entre os ativos da empresa, que somariam R$ 1,2 bilhão em abril, 84% eram compostos por tributos a recuperar desde 2016. Segundo a Laspro, é possível que esses valores já estejam prescritos, o que reduziria drasticamente o patrimônio da varejista.

O endividamento, por outro lado, chegou a R$ 4,4 bilhões em abril deste ano, 31% se referem a débitos tributários.

A Máquina de Vendas surgiu em 2010 da fusão das varejistas Ricarto Eletro e Insinuante, com planos ambiciosos de enfrentar as gigantes do setor, como Via, Americanas e Magalu. Em 2011, já era a quinta maior varejista do país, segundo o ranking elaborado pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado, com receita anual de R$ 5,5 bilhões.

As dificuldades foram reduzindo seu espaço no mercado. Em 2019, a empresa já estava em 22º lugar no ranking.

A Ricardo Eletro entrou em recuperação judicial em agosto de 2020, pouco depois de fechar cerca de 300 lojas. Embora já estivesse em antes da pandemia, a companhia pediu proteção contra a falência na ocasião atribuindo suas dificuldades às restrições de mobilidade vigentes à época devido à Covid-19.

Fonte: IG ECONOMIA

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Como se prevenir de golpes e proteger seu patrimônio

Publicado

Como se proteger de golpes online
Reprodução: Seguradora Zurich

Como se proteger de golpes online

A segurança digital tem se tornado, cada vez mais, uma preocupação para os brasileiros. Estamos vendo nossos dados dentro de dispositivos: celulares, computadores, tablets, etc, e nos vemos completamente reféns quando algo não sai como o esperado.

São muitos os riscos dentro desse universo. Desde um roubo ou furto, que configura em uma ameaça física, até mesmo o vazamento de dados, fraudes, clonagem ou invasão, que consiste em uma ameaça virtual.

Independente dos cenários a ideia é sempre se prevenir, já que nesses casos, remediar fica mais difícil, e em alguns casos, impossível.

Seguradora Zurich separou algumas dicas que podem ajudar na prevenção desses tipos de riscos e proteger melhor seu patrimônio. 

1. Ameaças virtuais Nesse cenário, o conceito principal é a cibersegurança, que nada mais é do que um conjunto de protocolos que visam a segurança no ambiente virtual.

Esse espaço pode englobar desde clonagens em WhatsApp, fraudes de PIX e invasões em dispositivos, como celulares e computadores. 

Itens de segurança que são fundamentais para essa prevenção, segundo a Zurich, são:

– Autenticação em duas etapas; – Uso de senhas fortes e diferentes; – Aplicativos de verificação com biometria ou reconhecimento facial; – Utilizar agregador de senhas, assim você só precisa decorar uma para consultar as outras; Também vale conhecer um pouco sobre a Lei Geral de Proteção de Dados , a LGPD, para entender seus direitos e como se proteger enquanto o uso dos seus próprios dados por empresas e instituições do Brasil. 

2. Ameaças físicas Também existe o cenário em que há ameaças físicas, que englobam roubos, furtos, coação, entre outros. E, em alguns casos, podem ser um primeiro passo para uma violação dos seus dados e um crime virtual aconteça. 

É comum, por exemplo, quando um celular é furtado, ocorrer fraudes nos aplicativos de bancos, no chip do celular e até o contato com familiares forjando sequestro em troca de dinheiro. 

É claro que quando o risco vem de outra pessoa, tudo pode ficar mais complexo, mas a ideia é sempre tentar manter a racionalidade em primeiro lugar, estando sempre atento, sem reagir, utilizar bolsas, bolsos e outros itens reforçados e de boa qualidade.

Além disso, nunca é demais saber dos seus direitos. É válido entender, por exemplo, sobre o conceito de furto simples e qualificado.

– Furto simples: Quando não existem rastros de que houve uma remoção dos itens;

– Furto qualificado: Quando ocorre a violação de algum pertence físico em detrimento ao furto, como por exemplo: bolsa rasgada, arrombamento, etc. Restam “pistas”;

– Roubo: Quando o crime ocorre sob ameaça e violência.

Isso pode mudar principalmente quando é hora de acionar seu produto de seguro, o que nos leva para a terceira dica. Além disso, não deixe de procurar autoridades caso algum infortúnio aconteça.

3. Produtos de seguro É claro que os produtos de seguros visam diminuir os danos causados por um roubo e furto de bens, eletrônicos, cartões, etc, ou garantir a reposição do bem segurado. Muitas categorias podem ser englobadas no caso do  produto Roubo ou Furto Qualificado de Bens da Seguradora Zurich como:

– Bolsas, mochilas, sacolas, carteiras; – Notebooks, Kindle (eBooks e E-readers) – Câmeras; – Celulares/Smartphones; – Tablets; – Óculos; – Até canetas! A ideia é que, além de economizar na reposição de itens em caso de roubo ou furto qualificado, você garante praticidade para focar na sua segurança e bem-estar. O seguro tem como finalidade promover a substituição dos bens por modelos iguais ou similares para essas categorias dos itens listados acima.

Para adquirir esse produto de seguro e ficar mais tranquilo com esses possíveis acontecimentos, é necessário contratar direto com os parceiros da Zurich, que costumam ser varejistas de diversos setores, tais como redes de varejo, empresas de serviço de telefonia e comunicação, como Casas Bahia, Ponto Frio, Fast Shop, Havan, Vivo e muitos outros. Verifique sempre essa opção no momento da compra de seu produto! 

Seus bens merecem esse cuidado, assim como sua tranquilidade. 

Fonte: IG ECONOMIA

Continue lendo

Economia

Bolsonaro diz que dólar vai cair abaixo de R$ 5 ‘brevemente’

Publicado

Bolsonaro diz esperar dólar abaixo de R$ 5 em breve
Reprodução

Bolsonaro diz esperar dólar abaixo de R$ 5 em breve

O presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) disse nesta quinta-feira (18) esperar que “brevemente” o dólar caia abaixo de cinco reais, apesar da relutância do câmbio, o que resultaria em  novas quedas dos combustíveis. 

“Espero que continue caindo o preço da gasolina. Logicamente esse preço tem a ver com o dólar, que tem caído, e também o preço do petróleo lá fora”, disse Bolsonaro em sua transmissão semanal ao vivo pelas redes sociais.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

“O dólar está relutando a baixar de cinco, eu acho que vai baixar brevemente, afinal de contas a gente só tem notícias boas da economia no Brasil”, acrescentou.

Nesta quinta (18), a moeda americana fechou em R$ 5,17 e abriu a sexta (19) em alta, vendido a R$ 5,20. 

Além do preço do petróleo, que está no menor patamar dos últimos seis anos, o preço dos combustíveis também é influenciado pela taxa de câmbio. 

Na segunda-feira, a estatal anunciou uma redução no preço médio da gasolina nas refinarias em 4,85% , na terceira redução em menos de um mês, resultando em uma queda de R$ 0,18.

O presidente também lembrou das sucessivas reduções de impostos da sua gestão, e atribuiu mérito ao ministro da Economia, Paulo Guedes. 


Fonte: IG ECONOMIA

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana