conecte-se conosco


Economia

Relatório produzido pela Abin questiona fortuna de dono da Havan

Publicado


source
Abin produziu relatório sobre fortuna de Lucinao Hang, dono da Havan
Divulgação

Abin produziu relatório sobre fortuna de Lucinao Hang, dono da Havan

A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) produziu um relatório sobre inconsistências na fortuna de Luciano Hang , dono da rede de lojas Havan . O documento, feito em julho do ano passado, tem 15 páginas e serviu para alertar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), de quem o empresário é apoiador, sobre riscos da proximidade dele para o governo. As informações foram publicadas pelo UOL

Segundo o portal de notícias, o documento foi enviado para a Casa Civil, ao alto comando do Exército e a um senador da CPI da Covid, que disse haver um “movimento de cautela” em relação a empresários apoiadores que podem trazer problemas a Bolsonaro. Hang tem sido acusado de financiamento de fake news durante as eleições presidenciais de 2018. 

Ainda de acordo com o site, o empresário aparece como um personagem que, a partir de 1997, passou a ter “negócios com lisura questionável”. A Havan nega a existência do relatório e diz se tratar de fake news.



publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Bolsonaro promete Fundão de R$ 4 bilhões “para não apanhar”

Publicado


source
Bolsonaro promete Fundão de R$ 4 bi
Redação 1Bilhão Educação Financeira

Bolsonaro promete Fundão de R$ 4 bi “para não apanhar”

Em conversa com apoiadores na manhã desta segunda-feira (26) o presidente Jair Bolsonaro admitiu que manterá R$ 4 bilhões do f undo eleitoral “para não apanhar”. Segundo ele, caso vete uma parcela maior , pode sofrer impeachment por crime de responsabilidade. 

Um apoiador o parabenizou por “vetar os 6 bilhões do fundão”. O presidente rebateu:

“Olha, deixar claro uma coisa: vai ser vetado o excesso do que a lei garante, tá? A lei, quase 4 bilhões o fundo. O extra de 2 bilhões, vai ser vetado”, anunciou Bolsonaro, que na semana passada declarou que vetaria “o aumento do fundo eleitoral”.

Além disso, o presidente disse que “se começarem a bater muito”, os eleitores teriam que escolher entre Lula ou Ciro no pleito de 2022. “Se eu vetar o que tá na lei, eu tô em curso de crime de responsabilidade”, justificou o presidente.

Nas eleições municipais de 2020, os partidos receberam R$ 2 bilhões, ou seja, para a disputa deste ano o aumento será de 100%, bem longe da inflação no período. 

Continue lendo

Economia

Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 6,56%

Publicado


A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) deste ano subiu de 6,31% para 6,56%. A estimativa está no Boletim Focus de hoje (26), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos.

Para 2022, a estimativa de inflação é de 3,8%. Para 2023 e 2024 as previsões são de 3,25% e 3%, respectivamente.

O cálculo para 2021 está acima da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é de 2,25% e o superior de 5,25%.

No mês passado, a inflação desacelerou para 0,53%, depois de chegar a 0,83% em maio. Ainda assim, com o resultado, o IPCA acumula alta de 3,77% no ano e 8,35% nos últimos 12 meses.

Taxa de juros

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 4,25% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Para o mercado financeiro, a expectativa é de que a Selic encerre 2021 em 7% ao ano. Na semana passada, essa previsão era de 6,75%. Para o fim de 2022, a estimativa é de que a taxa básica mantenha esse mesmo patamar. E tanto para 2023 como para 2024, a previsão é 6,5% ao ano.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Desse modo, taxas mais altas podem dificultar a recuperação da economia. Além disso, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

PIB e câmbio

As instituições financeiras consultadas pelo BC aumentaram a projeção para o crescimento da economia brasileira este ano de 5,27% para 5,29%. Para 2022, a expectativa para Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – é de crescimento de 2,1%. Em 2023 e 2024, o mercado financeiro projeta expansão do PIB em 2,5%.

A expectativa para a cotação do dólar subiu de R$ 5,05 para R$ 5,09 ao final deste ano. Para o fim de 2022, a previsão é que a moeda americana fique em R$ 5,20.

Edição: Denise Griesinger

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana