conecte-se conosco


Mato Grosso

Recuperandos reformam escola e transformam salas de aula deterioradas

Publicado

Vinte recuperandos do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Tangará da Serra promoveram a reforma de cinco salas de aula e do corredor da Escola Estadual Patriarca da Independência, no distrito de Progresso, a 16 km da sede do município. Os reeducandos participaram da cerimônia de entrega da obra, realizada na terça-feira (18.02), e foram aplaudidos pelo trabalho realizado com capricho, carinho e profissionalismo.

A reforma contemplou a instalação elétrica, avarias no telhado, forro e no piso. Foram pouco mais de 60 dias de trabalho diário para que a obra fosse concluída antes do início das aulas, no dia 10 de fevereiro. A Escola Estadual Patriarca da Independência tem 400 alunos dos Ensinos Fundamental e Médio e possui 12 salas de aula, cinco delas recém-reformadas.

O assessor pedagógico da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), Saulo Scariot, destacou que além de promover a remição de pena (um dia a menos a cada três dias trabalhados), o serviço dos recuperandos também trouxe economia aos cofres públicos e agilidade. A Seduc forneceu o material e a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) a mão de obra dos recuperandos. A ideia desta parceria partiu dos servidores e da diretora da escola, Silvana Verciano. 

“A escola recebeu pouco mais de R$ 30 mil para materiais de construção. Se fosse licitar, a obra não ficaria menos de R$ 180 mil e levaria meses para contratação e a execução. Com pouco dinheiro, fizemos muito e queremos expandir a parceria para mais escolas e isso partiu de uma boa ideia de nossos servidores”, disse Scariot.

O secretário adjunto de Administração Penitenciária da Sesp, Emanoel Flores, destacou que o órgão trabalha com muitas parcerias e tem feito muito com poucos recursos, diante das limitações orçamentárias. Ele ressaltou ainda que os servidores do Sistema Penitenciário têm feito a diferença para que obras como a realizada na escola se tornem realidade.

“Em Rondonópolis, temos várias obras realizadas por meio da mão de obra dos nossos recuperandos. É uma parceria em que todos ganham. Agradecemos aos nossos servidores que acompanham os trabalhos e têm feito além de suas funções”, disse. 

O promotor José Jonas Sguarezi Junior destacou que o reconhecimento ao serviço realizado pelos reeducandos traz mais autoestima e a mensagem de que o trabalho é um dos caminhos para melhorar a vida e dar uma segunda chance às pessoas privadas de liberdade.

A juíza corregedora da Comarca de Tangará da Serra, Edna Coutinho, parabenizou os reeducandos e agradeceu a direção do Centro de Detenção por contribuírem com a obra. “Queremos expandir esta iniciativa para outras escolas do município, entidades, pois além de remir a pena, a sociedade é beneficiada”.

Também participaram do evento o deputado estadual Dr. João, um representante do gabinete do deputado estadual Thiago Silva, a presidente da Fundação Nova Chance, Dinalva Oriede de Souza, o diretor do CDP de Tangará da Serra, Roberto Siqueira, presidente do Conselho da Comunidade, João Agapito, vereadores do município, além de agentes penitenciários.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Mato Grosso

Investigações sobre tráfico resultam em 705 quilos de drogas apreendidos e 143 prisões em Cuiabá

Publicado


.

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), encerrou o primeiro semestre deste ano com a apreensão de 705 quilos de drogas, prisão de 143 pessoas e 501 inquéritos policiais concluídos. Vinte e quatro armas de fogo foram retiradas de circulação durante as investigações.

A unidade especializada atua diariamente no combate ao comércio de drogas, incluindo o tráfico doméstico e investigações mais complexas, como o tráfico interestadual, que movimenta grandes quantidades de substâncias ilícitas.

Entre janeiro e junho, as ações realizadas pela equipe da DRE resultaram em 649 quilos de maconha apreendidos, além de 7,5 quilos de cocaína e mais 48,6 quilos de outras substâncias entorpecentes, totalizando 705 quilos de drogas.

Durante as investigações sobre o tráfico de entorpecentes também foram apreendidos 34 veículos, entre carros e motocicletas, 24 armas de fogo retiradas de circulação. Quase R$ 92 mil oriundos de atividades do tráfico foram apreendidos, assim como diversos apetrechos utilizados no comércio de drogas, além de dezenas de objetos de origem ilícita.

Além dos 501 inquéritos concluídos no primeiro semestre deste ano, a DRE também aplicou 22 termos circunstanciados de ocorrências.

O diretor de Atividades Especiais da Polícia Civil, delegado Fernando Vasco, frisa que os resultados obtidos reforçam o papel da instituição na repressão a um tipo de crime que acaba fomentando outras atividades ilícitas. Ele destaca as investigações sobre o tráfico interestadual, como as apreensões recentes realizadas pela DRE em Mato Grosso do Sul de cargas de drogas que viriam para Cuiabá.

“A DRE demonstra de forma muito clara a capacidade operacional da unidade, com um foco no tráfico doméstico na região metropolitana de Cuiabá, trabalho que conta com a colaboração da sociedade por meio de denúncias. Mas também há um trabalho forte na repressão ao tráfico interestadual”.

O delegado titular da unidade, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, explica que mesmo diante do déficit de efetivo e da pandemia do coronavírus, há um empenho e dedicação de toda a equipe da unidade para alcançar os resultados obtidos.

“As prisões, volume de drogas apreendidas, inquéritos concluídos são resultados de um trabalho conjunto de toda a DRE, além da integração com os demais órgãos da segurança pública e interação e troca de informações com outros estados, que são ferramentas fundamentais para termos êxito nas investigações”, destacou o delegado.

Para o segundo semestre deste ano o titular da DRE pontua que as ações da unidade devem ganhar um reforço com a aplicação de valores de bens aprendidos no tráfico de drogas e leiloados pelo Estado.

“Parte desses recursos deve retornar para a delegacia e será empregado no aprimoramento de ações investigativas da unidade, para somar e fortalecer a atuação da DRE”, afirma o delegado Vitor Hugo.

Integração

O delegado Vitor Hugo explica que para alcançar o resultado obtido, a unidade definiu em um planejamento as metas para as equipes, ações integradas com outros órgãos de segurança, inclusive de outros estados; trabalho operacional aliado à inteligência policial e o apoio da sociedade por meio de denúncias que são recebidas diariamente pelo número 197.

Algumas ações da DRE contam com apoio de outras unidades da Polícia Civil, inclusive de outros estados, da Polícia Militar, Centro Integrado de Operações Aéreas Pericia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e Polícia Rodoviária Federal, assim como o Ministério Público e Poder Judiciário nas medidas judiciais relacionadas à repressão ao tráfico de drogas.

“Esse conjunto de estratégias vem fortalecendo o trabalho da delegacia, que trabalha em diferentes vertentes, uma vez que o tráfico de drogas traz consequências drásticas à sociedade, fomentando outros crimes contra o patrimônio, homicídios e muitas causando tragédias na vida de milhares de famílias”, frisa Vitor Hugo.

Incineração

Toda a droga apreendida nas ações da DRE é incinerada após autorização judicial. Neste primeiro de 2020 foi feita a incineração de mais de 1,6 mil quilos de drogas, incluindo apreensões do ano anterior. 

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Investigações sobre tráfico resultam em 705 quilos de drogas apreendidas e 143 prisões em Cuiabá

Publicado


.

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), encerrou o primeiro semestre deste ano com a apreensão de 705 quilos de drogas, prisão de 143 pessoas e 501 inquéritos policiais concluídos. Vinte e quatro armas de fogo foram retiradas de circulação durante as investigações.

A unidade especializada atua diariamente no combate ao comércio de drogas, incluindo o tráfico doméstico e investigações mais complexas, como o tráfico interestadual, que movimenta grandes quantidades de substâncias ilícitas.

Entre janeiro e junho, as ações realizadas pela equipe da DRE resultaram em 649 quilos de maconha apreendidos, além de 7,5 quilos de cocaína e mais 48,6 quilos de outras substâncias entorpecentes, totalizando 705 quilos de drogas.

Durante as investigações sobre o tráfico de entorpecentes também foram apreendidos 34 veículos, entre carros e motocicletas, 24 armas de fogo retiradas de circulação. Quase R$ 92 mil oriundos de atividades do tráfico foram apreendidos, assim como diversos apetrechos utilizados no comércio de drogas, além de dezenas de objetos de origem ilícita.

Além dos 501 inquéritos concluídos no primeiro semestre deste ano, a DRE também aplicou 22 termos circunstanciados de ocorrências.

O diretor de Atividades Especiais da Polícia Civil, delegado Fernando Vasco, frisa que os resultados obtidos reforçam o papel da instituição na repressão a um tipo de crime que acaba fomentando outras atividades ilícitas. Ele destaca as investigações sobre o tráfico interestadual, como as apreensões recentes realizadas pela DRE em Mato Grosso do Sul de cargas de drogas que viriam para Cuiabá.

“A DRE demonstra de forma muito clara a capacidade operacional da unidade, com um foco no tráfico doméstico na região metropolitana de Cuiabá, trabalho que conta com a colaboração da sociedade por meio de denúncias. Mas também há um trabalho forte na repressão ao tráfico interestadual”.

O delegado titular da unidade, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, explica que mesmo diante do déficit de efetivo e da pandemia do coronavírus, há um empenho e dedicação de toda a equipe da unidade para alcançar os resultados obtidos.

“As prisões, volume de drogas apreendidas, inquéritos concluídos são resultados de um trabalho conjunto de toda a DRE, além da integração com os demais órgãos da segurança pública e interação e troca de informações com outros estados, que são ferramentas fundamentais para termos êxito nas investigações”, destacou o delegado.

Para o segundo semestre deste ano o titular da DRE pontua que as ações da unidade devem ganhar um reforço com a aplicação de valores de bens aprendidos no tráfico de drogas e leiloados pelo Estado.

“Parte desses recursos deve retornar para a delegacia e será empregado no aprimoramento de ações investigativas da unidade, para somar e fortalecer a atuação da DRE”, afirma o delegado Vitor Hugo.

Integração

O delegado Vitor Hugo explica que para alcançar o resultado obtido, a unidade definiu em um planejamento as metas para as equipes, ações integradas com outros órgãos de segurança, inclusive de outros estados; trabalho operacional aliado à inteligência policial e o apoio da sociedade por meio de denúncias que são recebidas diariamente pelo número 197.

Algumas ações da DRE contam com apoio de outras unidades da Polícia Civil, inclusive de outros estados, da Polícia Militar, Centro Integrado de Operações Aéreas Pericia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e Polícia Rodoviária Federal, assim como o Ministério Público e Poder Judiciário nas medidas judiciais relacionadas à repressão ao tráfico de drogas.

“Esse conjunto de estratégias vem fortalecendo o trabalho da delegacia, que trabalha em diferentes vertentes, uma vez que o tráfico de drogas traz consequências drásticas à sociedade, fomentando outros crimes contra o patrimônio, homicídios e muitas causando tragédias na vida de milhares de famílias”, frisa Vitor Hugo.

Incineração

Toda a droga apreendida nas ações da DRE é incinerada após autorização judicial. Neste primeiro de 2020 foi feita a incineração de mais de 1,6 mil quilos de drogas, incluindo apreensões do ano anterior. 

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana