conecte-se conosco


Carros e Motos

Quebrando o gelo: baixa temperatura exige atenção com manutenção do carro

Publicado


source


Carro no inverno exige mais cuidados como a bateria, que acaba sendo mais exigida para dar a partida
Divulgação

Carro no inverno exige mais cuidados como a bateria, que acaba sendo mais exigida para dar a partida

O inverno chegou com tudo essa semana registrando a média de 12° na região metropolitana de São Paulo, mas só nas últimas semanas quando a estação ainda nem havia chegado, em alguns pontos marcaram algo em torno de 8 graus.

Para evitar surpresas em meio a temperaturas baixas de inverno, e deixar a manutenção do veículo em dia, o motorista deve ficar atento ao funcionamento de alguns itens importantes como bateria, pneus, palhetas, ar condicionado e partida no motor.

Em períodos de inverno , os motoristas podem ter problemas antes mesmo de sair de casa para o trabalho ao tentarem dar a partida no carro. A insistência em fazer o carro funcionar pode descarregar a bateria , pois é justamente nesses períodos que elas são mais exigidas e, como consequência, há mais trocas do item pelo desgaste provocado pelas tentativas de partida até o motor funcionar.

 Outra dica importante está relacionada aos aditivos e óleos utilizados pelo motorista, que na maioria das vezes, esquece de olhar o que está indicado no manual do proprietário .

Com base nesses dados, além de nos cuidarmos para evitar doenças típicas da estação mais fria do ano, é importante cuidar também da saúde do veículo . Para isso, separamos cinco dicas importantes para evitar que o seu carro não te deixe na mão. Confira abaixo mais algumas dicas para evitar ter problemas com o carro no inverno:

Partida a frio

 Carros que tenham o tanquinho de partida a frio não podem ser esquecidos no inverno
Divulgação

Carros que tenham o tanquinho de partida a frio não podem ser esquecidos no inverno

Veículos com motores flex equipados com o tanquinho de partida a frio merecem atenção especial, já que eles têm mais dificuldade de pegar em dias frios, já que trabalham com temperaturas abaixo de 15°C.

Para isso, não se esqueça de mantê-lo sempre com gasolina premium que tem maior durabilidade e menor concentração de etanol (25%) em relação a comum (27%).  

Preservando o motor

A lubrificação do óleo (foto) bem como outros aditivos precisam ser eficiente em todo o sistema
Divulgação

A lubrificação do óleo (foto) bem como outros aditivos precisam ser eficiente em todo o sistema

Evite acelerações com rotações muito altas logo ao dar a partida no motor. O correto é de que ele atinja a temperatura ideal de trabalho para garantir a lubrificação eficiente em todo o sistema seu sistema.

Bateria

No frio, há uma exigência maior da bateria do carro, principalmente na partida a frio
Divulgação

No frio, há uma exigência maior da bateria do carro, principalmente na partida a frio

No frio, há uma exigência maior da bateria do carro , principalmente na partida a frio. Para isso, verifique o estado do componente e evite deixar ligados aparelhos de som com o carro desligado, bem como luzes internas, faróis e lanternas.

Você viu?

Palhetas do limpador de para-brisa

Palhetas devem ser trocadas, em média, uma vez por ano, mas no inverno, o ideal é a cada seis meses
Divulgação

Palhetas devem ser trocadas, em média, uma vez por ano, mas no inverno, o ideal é a cada seis meses

Para garantir o bom funcionamento das palhetas dos limpadores de para-brisa, deve-se trocá-las uma vez ao ano, mas em climas mais frios típicos de inverno, o ideal é reduzir, em pelo menos, a metade do prazo. O tempo frio pode ressecar as palhetas dos limpadores de para-brisa diminuindo drasticamente a sua eficiência.

Luzes

Avalie e verifique o funcionamento correto do conjunto óptico que ajudam na visibilidade do veículo, principalmente à noite
Divulgação

Avalie e verifique o funcionamento correto do conjunto óptico que ajudam na visibilidade do veículo, principalmente à noite

Avalie e verifique o funcionamento correto das luzes traseiras, lâmpadas de sinalização , luzes de freio, faróis, luzes de condução que ajudam na visibilidade do veículo. Isso irá evitar que ocorram acidentes , principalmente em estradas mais movimentadas.

Ar-condicionado

Em veículos equipados com ar-condicionado com aquecedor, é recomendável realizar uma manutenção a cada seis meses
Divulgação

Em veículos equipados com ar-condicionado com aquecedor, é recomendável realizar uma manutenção a cada seis meses

Em veículos equipados com ar-condicionado com aquecedor, é recomendável realizar uma manutenção a cada seis meses. A maioria dos carros possui o filtro que deve ser substituído sempre que houver muita sujeira para retirar todos os contaminantes externos, acumulados ao longo tempo.

Quando o aquecedor é ligado, toda a sujeira é espalhada para o interior do carro . Não existe um prazo de quilômetros rodados aconselhado para a troca do filtro, por isso é importante procurar um mecânico de confiança.

Pneus

Um dos cuidados com os pneus mais esquecidos é mantê-los na calibragem correta. Verifique a pressão semanalmente
Divulgação

Um dos cuidados com os pneus mais esquecidos é mantê-los na calibragem correta. Verifique a pressão semanalmente

Todos, incluindo o sobressalente, devem ser checados, principalmente em dias mais frios. verifique a pressão de cada um dos pneus de acordo com a calibragem recomendada pelo fabricante no manual do veículo e lembre-se de fazer a verificação sempre com o pneu frio.

Considerando que, assim como o ar frio é mais denso, o mesmo ocorre com o ar existente dentro dos pneus, o que faz reduzir sua pressão . Lembre-se que a baixa pressão aumenta o consumo e o desgaste.

Pintura

O ideal é fazer um enceramento constante, de pelo menos, uma vez por mês, para que o produto químico possa proteger
Divulgação

O ideal é fazer um enceramento constante, de pelo menos, uma vez por mês, para que o produto químico possa proteger

Carros que ficam muito tempo exposto às geadas, típicas de regiões mais frias como a sul e sudeste, devem ter cuidado redobrado com a carroceria.

O ideal é fazer um enceramento constante , de pelo menos, uma vez por mês, para que o produto químico possa proteger o verniz e a camada de tinta. Outra dica é usar capas automotivas impermeáveis e feitas de material que não risque a pintura.

Fonte: GMA – Grupo de Manutenção Automotiva – Programa Carro 100%, Della Via Pneus, Cesvi Brasil, Corretora de Seguros Bidu.

Fonte: IG CARROS

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carros e Motos

Veja 5 carros nacionais que são réplicas de modelos europeus

Publicado


source

Esportivos clássicos europeus são caros até mesmo para os brasileiros mais abastados. Some isso à proibição das importações até a década de 90 e teremos um cenário repleto de cópias para aqueles que querem se diferenciar no trânsito.

Partindo disso, a reportagem do iG Carros relembra 5 esportivos brasileiros que na verdade são cópias de modelos europeus. Acompanhe a lista.

1 – Chamonix 550 Spyder

Chamonix 550 Spyder era réplica do Porsche 550; tinha motor 2.0 da Volkswagen
Garagem do Bellote

Chamonix 550 Spyder era réplica do Porsche 550; tinha motor 2.0 da Volkswagen

A Chamonix foi criada em 1987 para produzir réplicas de modelos clássicos da Porsche . Diferentemente do que muitos pensam, a empresa era autorizada pela matriz alemã a produzir réplicas para abastecer não apenas o mercado brasileiro, como também países vizinhos. O mais lembrado é o Chamonix 550 Spyder , réplica do Porsche 550 .

O modelo traz carroceria de fibra de vidro, chassi tubular e motor Volkswagen da família AP, capaz de desenvolver aproximadamente 120 cv de potência. Já o Porsche 550 foi produzido até 1956 e tinha motor 1.5 de 110 cv de potência. Para sua época, era um foguetinho.

2 – MP Lafer

Antes de produzir móveis, a Lafer teve uma réplica do MG TD no Brasil
Garagem do Bellote

Antes de produzir móveis, a Lafer teve uma réplica do MG TD no Brasil

Em 1974, a Lafer decidiu começar a produzir réplicas do modelo inglês MG TD para o mercado brasileiro. Assim como vários carros ‘fora de série’ de sua época, era repleto de componentes de modelos da Volkswagen . O próprio motor 1.600 era utilizado no Fusca e na Variant .

Estima-se que cerca de 4,3 mil unidades do MP Lafer foram produzidas entre 1974 e 1990. Desde seu último ano de produção, a empresa passou a focar na produção de móveis para residências e escritórios, atividade em que segue atuando até os dias de hoje. 

3 – Fera XK

Fera XK era o Jaguar XK 120 que o brasileiro podia comprar; tinha motor de Chevrolet Silverado
Garagem do Bellote

Fera XK era o Jaguar XK 120 que o brasileiro podia comprar; tinha motor de Chevrolet Silverado

Quem procura um carro super-exclusivo pode se dar bem com o Fera XK , réplica fiel do Jaguar XK 120 . Ele era produzido com motor seis cilindros da Chevrolet Silverado (desenvolvendo 138 cv de potência), suspensão de Opala e câmbio de cinco marchas do Omega.

O modelo é extremamente raro no mercado de carros clássicos, onde uma unidade em bom estado pode passar de R$ 130 mil.

4 – Phoenix

A restauradora Phoenix chegou a produzir réplicas do Mercedes 280 SL Pagoda em meados de 1970. Ele tinha motor de seis cilindros do Opala, câmbio manual de quatro marchas e espaço para dois ocupantes.

Atualmente, o Phoenix Studio foca apenas na restauração de modelos clássicos, como os poucos Cadillac antigos que rodam no Brasil. 

5 – L’AutoCraft

L'Autocraft era réplica do Alfa Romeo P3 da década de 1930
Divulgação

L’Autocraft era réplica do Alfa Romeo P3 da década de 1930

Outro modelo que chamou atenção no Brasil dos anos 80 foi o L’autocraft , produzido na Barra do Piraí (RJ). Além de réplicas de Alfa Romeo , Dimo, Ford 1929 e Bugatti, a marca se destacou no segmento dos buggys.

Assim como várias outras pequenas produtoras de modelos fora de série, a L’AutoCraft não resistiu à abertura das importações em 1990. Encerrou suas atividades em 1997.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros e Motos

Anulados mais de 126 mil processos com mais de 20 pontos na CNH

Publicado


source


Os motoristas que ainda não receberam o aviso de cancelamento podem acompanhar por meio dos canais digitais
Divulgação

Os motoristas que ainda não receberam o aviso de cancelamento podem acompanhar por meio dos canais digitais

O Departamento de Trânsito do Estado de São Paulo (Detran.SP) anula 126.957 mil processos de suspensão do direito de dirigir de motoristas que tinham 20 pontos ou mais na CNH que estavam aguardando julgamento e que não se enquadravam na determinação do novo Código Brasileiro de Trânsito (CTB).


Em vigor desde o dia 12 de abril deste ano, o novo CTB estabelece novas regras que passaram para 20 pontos no período de 12 meses, com duas ou mais infrações gravíssimas; 30 pontos com uma infração gravíssima e 40 pontos sem nenhuma infração gravíssima ou se o condutor exercer atividade remunerada.

Vale lembrar que antes da medida, até março de 2021, o limite da pontuação para infrações de trânsito que geravam a suspensão da CNH era de 20 pontos.

De acordo com Raul Vicentini, Diretor de Habilitação do Detran.SP, a pessoa não precisa ir a uma unidade do Poupatempo ou Detran solicitar o cancelamento porque isso já foi feito automaticamente pelo sistema, e que não caia em golpes de profissionais que estão oferecendo auxílio para efetuar a suspensão junto ao Departamento.

O condutor será comunicado via Correio sobre a decisão. Os motoristas que ainda não receberam a carta encaminhada pelo Detran.SP podem consultar o andamento por meio dos canais digitais –  www.detran.sp.gov.br.

Vale reforçar que os novos limites de pontos na CNH já estão sendo aplicados pelo Detran , conforme determina o novo Código Brasileiro de Trânsito (CTB).

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana