conecte-se conosco


Mato Grosso

Quase 65 mil visitas virtuais são realizadas em unidades penais durante pandemia

Publicado


.

Adotada com uma das medidas para impedir a contaminação em massa do coronavírus em pessoas privadas de liberdade, as visitas virtuais foram realizadas 64.463 vezes nas unidades penais de Mato Grosso. O levantamento é da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), por meio da Adjunta de Administração Penitenciária (SAAP), que levou em consideração o período de 15 de abril (quando a visita foi implementada) a 31 de julho. Por enquanto, ainda não há previsão para retorno das visitas presenciais.

A Portaria nº 10/2020/SAAP/SESP estipulou quatro formas de visitas virtuais: videochamadas ou videoconferências, áudios, cartas e e-mails. Grande parte das unidades penais adotaram mais de uma forma de contato entre presos e familiares, como é o caso da Penitenciária Central do Estado (PCE), Cadeia Pública de Jaciara, Cadeia Feminina de Nortelândia, Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, entre outras.

A experiência de adoção das visitas virtuais tem sido de grande valia na opinião da diretora da Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, Maria Giselma Ferreira Silva. Giselma conta que muitas recuperandas têm familiares que moram em outros estados e com as visitas presenciais era difícil a vinda deles para Cuiabá.

“A gente tem percebido que as reeducandas estão mais tranquilas e mais felizes. Mas muito mais satisfeitos ficam os próprios familiares. Temos muitas mães que entram em contato com a gente pedido notícias das filhas e conseguimos aqui adotar tanto a videochamada, quanto as cartas e e-mails como forma de comunicação”, contou Giselma.

Todo o processo de visitação virtual é acompanhado por assistentes sociais e policiais penais. A periodicidade da visita depende da capacidade operacional de cada unidade, podendo ser semanal, quinzenal ou mensal.

A superintendente de Políticas Penitenciárias da SAAP, Michelli Egues Monteiro, diz que o distanciamento é necessário para preservar a saúde dos recuperandos. “Sabemos que nada substitui o abraço do familiar, porém trata-se de situação de excepcionalidade, então foi necessária a adoção de medida para minimizar os efeitos do isolamento, que hoje é exigido pelo bem de todos”.

Números

O maior número de visitas virtuais ocorreu por videochamadas, totalizando 25.538 atendimentos; seguido de e-mails, com 18.198 atendimentos; cartas, com 16.714 e áudios, com 4.013 atendimentos.

Ainda não há previsão para a retomada das visitas presenciais, já que os casos de Covid-19 ainda estão ocorrendo em larga escala. No entanto, foram justamente essas medidas de precaução adotadas, como a suspensão das visitas presenciais, que não deixaram que os casos da doença tivessem grandes consequências para os recuperandos.

De acordo com o último boletim do Sistema Penitenciário, atualizado em 9 de agosto, apenas dois óbitos foram registrados entre presos durante a pandemia. Dos 771 casos confirmados entre reeducandos, 235 já foram curados e os demais seguem com sintomas leves, sem a necessidade de internação.

“A suspensão das visitas presenciais se mostrou eficaz não apenas pelo baixo índice de contaminação comparado com outros Estados, mas pela resposta que temos recebido de alguns familiares, assim como dos servidores. Ressalto que o Sistema Penitenciário teve que se adequar a uma realidade até então não vivida, mas não deixou de assegurar o direito dos recuperandos de manterem o contato com seus familiares e as medidas de segurança da tropa do Sistema Penitenciário”, pontuou o secretário adjunto de Administração Penitenciária, Emanoel Flores.

Fonte: GOV MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Escola Barão realiza live com professores, alunos e especialistas sobre atual cenário do pantanal

Publicado


A Escola Estadual Barão de Melgaço, em Cuiabá, realizou uma live sobre o atual cenário do Pantanal de Mato Grosso. A proposta da transmissão foi sensibilizar e conscientizar a população a respeito da seca e queimada que assola a região. A live, realizada no último sábado (26.09), contou com a participação de professores, comunidade escolar, e estudantes da escola que fizeram apresentação dos trabalhos, além de especialistas em queimadas e previsão de tempo que foram convidados a explicar a situação do pantanal.

Segundo a diretora Francislene Goia, a proposta da live foi levar informações a respeito da realidade que passa a região pantaneira. “Todos estamos sofrendo com as queimadas de forma direta e indireta. Pessoas que moram no Estado enfrentam problemas de saúde em meio à fumaça intensa, que piora as infecções respiratórias durante a pandemia. Para isso, chamamos especialistas para tirar nossas dúvidas sobre o clima trazendo informações esclarecedoras”, salienta.

Entre os convidados, participaram a superintendente Cassiana Moreira do Prev fogo do Ibama, do veterinário Fernando Siqueira, do tenente CB Santos Júnior e outros profissionais que estavam em comboio a caminho da Transpantaneira levando água e comida para os animais.

Um dos participantes da live, Anderson Martinez Santana –  que é pai da estudante do 5º ano Michaelle de Angellis – elogiou o trabalho da escola, ao destacar que a live foi muito proveitosa, tanto para os pais como para os filhos. Na transmissão, todos puderam presenciar o depoimento de um oficial do Corpo de bombeiros que está na linha de frente para combater as queimadas no Pantanal, além de brigadistas e veterinários que estão socorrendo os animais no Pantanal.

“Do ponto de vista da educação ambiental, notei o envolvimento de vários estudantes produzindo textos sobre o assunto. E isso é importante, pois temos que educar as gerações de crianças e adolescentes para que eles protejam o planeta, já que a nossa geração está falhando nesse quesito. O conceito do fogo bom e o fogo ruim foi uma das coisas que mais me chamou a atenção, já que 98% das queimadas florestais ocorrem devido a ação humana”, assinala.

A coordenadora pedagógica Aurizane Cardoso avalia com ótima a live, uma vez que a transmissão superou as expectativas, pois conseguiu atrair a comunidade escolar através da divulgação, usando a tecnologia.

“O evento aconteceu de forma virtual, sendo uqe normalmente aconteceria no chão de nossa escola. Os estudantes e convidados tiveram a oportunidade de receber importantes orientações sobre nosso bioma do pantanal”, explica.

Para a assessora pedagógica Suzana Rondon, a comunidade escolar da EE Barão de Melgaço está se adaptando às mudanças necessárias impostas pela pandemia e ao distanciamento social. Com isso, a equipe gestora propõe novas e exitosas propostas de aprendizagem. “Entre elas, a live sobre o pantanal que trabalhou conhecimentos e habilidades da educação ambiental, essenciais a todos seus alunos no seu direito de aprender”, exemplifica.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Goleiro da Escolinha de Futebol da Rotam é selecionado para jogar no Cuiabá

Publicado


Mais um jogador de futebol do projeto social da Polícia Militar de Mato Grosso, a Escolinha Grêmio Rotam está alçando voos mais altos na carreira profissional. Gabriel Rodrigues de Oliveira Silva, de 14 anos, passou na seletiva para fazer parte do elenco Sub-14 do time do Cuiabá; atual líder da Série B no Campeonato Brasileiro. 

Morador do Parque Geórgia, Gabriel Rodrigues, há um ano, entrou para o projeto desenvolvido pelo Batalhão Rotam da PM que oferece aulas de futebol. A seletiva realizada nos dias 23, 24 e 25 de setembro, desafiou e colocou à prova todo o domínio de Gabriel com a bola. Depois de enfrentar a peneira profissional, o jovem comemorou com a família, amigos e treinadores a vaga de goleiro no time profissional do coração dos cuiabanos, que ainda este ano, pode conquistar vaga na tão sonhada série A do Brasileirão. 

Gabriel com o novo colega de trabalho, o goleiro Victor Souza

Contente pelas novas oportunidades, Gabriel revela os nomes daqueles que tanto lhe inspiram para não desistir e lhe dizem para manter o foco em seus objetivos.

“Eu tenho muito orgulho de fazer parte da escolinha Rotam, me orgulho de onde sai. Meus professores sargento Juniel Padilha, Cabo Esmail Gorgonha, Sargento Renildo Conceição, o Barata e o Werkcerlley Benevides são minha inspiração. Antes de começar os treinos eles sempre falam para gente sobre sonhos e oportunidades. Desanimava as vezes, mas eles nunca deixam a gente desistir. Estão sempre nos incentivando. Isso vou levar para vida”, conta o jovem. 

A mãe de Gabriel, Silvana Rodrigues de Oliveira ressalta o orgulho que tem do filho e de toda a trajetória do jovem na escolinha de futebol da Rotam. Silvana diz que desde os cinco anos de idade o filho sonha em ser goleiro. 

“Meu filho jogava no futsal, em outra escola, mas ele não estava gostando porque não tinha campeonato. Quando soubemos do Grêmio Rotam aqui perto de casa, não pensamos duas vezes em conseguir uma vaga para ele na escolinha. Meu filho ama o Grêmio Rotam e somos muito gratos por todo a dedicação desses policiais militares que voluntariamente ajudam inúmeras crianças e jovens por meio do esporte”, desta Silvana.  

A equipe da Rotam que coordena o projeto social da escolinha de futebol do Grêmio Recreativo da PM conta que Gabriel é dedicado e talentoso e que fazer parte do desenvolvimento profissional de um jovem é saber que a Rotam está no caminho certo.

Sargento Juniel Padilha explica “que a iniciativa conta com a dedicação de policiais militares voluntários que por meio do futebol levam cidadania e mostram às crianças e adolescentes que a dedicação e a disciplina abrem muitas oportunidades de uma vida melhor, longe da criminalidade, das drogas e da violência”. 

Fã do jogador de futebol mato-grossense Rogério Ceni, Gabriel diz que aprendeu com os policiais da Rotam a nunca deixar de sonhar. Determinado, o novo goleiro do Cuiabá sonha em defender a Seleção Brasileira de Futebol, Manchester City e o Barcelona.

O comandante do Batalhão Rotam, tenente-coronel Paulo Cesar destaca que a escolinha da unidade especializada da Polícia Militar é reflexo do comprometimento da corporação com o bem da sociedade.

“Além das nossas equipes atuarem na linha de frente no combate à criminalidade, a Rotam se dedica na prevenção primária, ou seja, projetos sociais que alcançam inúmeras pessoas. A Escolinha de Futebol e o Jiu-Jistsu Rotam formam essas crianças e jovens, são iniciativas que evitam que essas pessoas optem pela violência, pela criminalidade”, ressalta o comandante.

Escola de Futebol da Rotam

A escola atende atualmente 100 crianças e adolescentes entre 07 e 15 anos de idade. As aulas ocorrem na sede do projeto no Parque Georgia, no Coxipó, em Cuiabá. Toda a equipe de professores que atua na escolinha é formada por policiais militares graduados em Educação Física. As aulas são gratuitas e os policiais participam da iniciativa voluntariamente. 

 
Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana