conecte-se conosco


Mato Grosso

Público poderá acessar a programação cultural de casa

Publicado

Espetáculos de teatro, dança e cinema estão entre as atrações que serão disponíveis a cada dia nos canais online do Cine Teatro Cuiabá. O equipamento cultural, que precisou suspender as atividades ao público temporariamente, abriu um espaço em suas plataformas digitais para artistas e cineastas mato-grossenses e nacionais, como uma forma de fortalecer a rede artística neste momento em que todos precisam ficar em casa.

Por enquanto, a programação contempla opções até o dia 29 de março, gratuitamente. Mas a proposta é manter o conteúdo online até a reabertura física do espaço. “Nosso objetivo é contribuir de forma positiva nesse momento tão sensível para toda a população”, destaca o diretor artístico do Cine Teatro Cuiabá, Flávio Ferreira.

Ele explica que os artistas interessados em divulgar o trabalho nas redes sociais do Cine Teatro podem entrar em contato e agendar a participação. Além disso, quem precisar gravar o material, poderá contar com os serviços dos técnicos de luz e som do espaço cultural.

Já estão disponíveis na plataforma a peça Fica Pedro (Cena Onze, classificação 14 anos) e os filmes Águas Encantadas do Pantanal (2001, 42 min), Filhos da lua na terra do Sol (2016, 16min) e Muses Et Femmes (2017, 5 min), de Daniele Bertolini. A programação inclui outros espetáculos de artistas mato-grossenses, como Sarah Mitch, e de grupos de São Paulo, como o Cia de Teatro Os Satyros e o Caixa Preta de Teatro. Além disso, o trabalho do artista plástico Adriano Figueiredo.

Programação


25/03 – Sarah Mitch: A Última Dança (Classificação 12 anos) – show com referências internacionais na  concepção de banda, dançarinos, backing vocais, coreografias, iluminação, participações especiais e mais de 8 trocas de figurinos. O show é todo cantado ao vivo e passa por temas como: política, funk, cabaré e dance music. Suas principais influências são Madonna, Lady Gaga e Beyoncé.

26/03 – Caixa de Brinquedos (Classificação Livre). Banda Infantojuvenil que faz show com muita estória, alegria, brincadeiras e animação!

27/03 – Pessoas Brutas – Cia de Teatro Os Satyros (Classificação 14 anos) – A partir do sequestro da filha de um doleiro denunciado na Operação Lava Jato, os destinos de vários personagens anônimos de São Paulo se cruzam, em uma teia de relações violentas onde buscam desesperadamente figuras heroicas para resgatar suas vidas desesperançadas.


28/03 – Onde o vento faz a curva – Caixa Preta de Teatro (Classificação 12 anos) – Dentro do universo da cultura popular, utilizando-se do gênero poético infantil e da linguagem do circo popular e do teatro mambembe, o espetáculo narra a história de uma menina e de um menino solitários, que procuravam por companhia. Até o dia em que o vento deu um nó no tempo e tudo mudou de lugar!

29/03 – Telas do artista plástico Adriano Figueiredo

Já disponíveis

– Fica Pedro (Cena Onze, classificação 14 anos). Um dos grandes nomes da história mato-grossense, Dom Pedro Casaldáliga, é tema do espetáculo que conta a história de dedicação, determinação e amor ao próximo de Dom Pedro Casaldáliga.  

– Temporada de Filmes com Danielle Bertolini: (Classificação 16 anos)


Águas Encantadas do Pantanal (2001, 42 min) – O documentário apresenta histórias do imaginário pantaneiro contadas por habitantes da região da Baía de Chacororé-MT. O projeto foi inspirado na tese de doutorado do prof. Mario Cezar Silva Leite, defendida na PUC-SP.

Filhos da Lua na Terra do Sol (2016, 16min) – Trata de forma poética a relação entre pessoas albinas e o sol de Cuiabá, considerada uma das cidades mais quentes do Brasil. O curta foi o vencedor da etapa Mato Grosso da Mostra Sesc de Cinema de 2017. O curta também foi exibido em mais de 20 festivais e mostras no Brasil e exterior, além de ter sido licenciado para o canal CineBrasilTV e VOD.

Muses Et Femmes (2017, 5 min) – concebido na Residência Criativa Espírito Mundo, que aconteceu durante o Cine Fest Luso Mundo, encontro audiovisual realizado em Bruxelas (Bélgica) em 2017, o conceito e a produção do curta foram resultado de uma experiência coletiva entre artistas que viviam em Bruxelas.

Serviço

A programação cultural está disponível nas mídias digitais do Cine Teatro Cuiabá, Facebook e Youtube. Mais informações pelos emails [email protected] e [email protected] Para artistas interessados em participar da programação, o contato é (65) 99946.1268.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Mato Grosso

Em três meses, Sema aplicou R$ 500 milhões em multas por crimes florestais em 2020, diz estudo

Publicado

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) aplicou R$ 561 milhões em multas por crimes contra a flora em 2020. O combate ao desmatamento ilegal faz parte da política pública do Governo do Estado de Mato Grosso de tolerância zero para transgressões às leis ambientais. A meta é que por meio da fiscalização em campo e da Plataforma de Monitoramento da Cobertura Vegetal que utiliza Imagens de Satélite Planet a pasta possa agir de forma preventiva, minimizando os danos e aumentando a celeridade na resposta.

“Crimes ambientais não serão tolerados em Mato Grosso. A Sema utiliza da tecnologia como estratégia para monitorar todo o estado e coibir o desmatamento ilegal, que continua tendo ações fiscalizatórias mesmo durante a pandemia de Covid 19. Temos um foco preventivo, de chegar ao desmate impedindo que ele prossiga”, afirmou a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

O Plano de Ação de Combate ao Desmatamento Ilegal e Incêndios Florestais 2020 prevê um investimento de R$ 22 milhões aplicados em seis frentes de atuação: planejamento e gestão, monitoramento, fiscalização, responsabilização, prevenção e combate aos incêndios florestais e comunicação. O montante será dividido pelo orçamento próprio do Governo de Mato Grosso e aportes do Programa REDD+ para Pioneiros (REM-Mato Grosso).

“Com estes recursos poderemos implementar projetos que ainda não foram executados por falta de orçamento. Mato Grosso é pioneiro em importantes políticas públicas de combate ao desmatamento ilegal e desenvolvimento sustentável tendo reconhecimento internacional como do programa Global REDD Early Movers (REDD para Pioneiros – REM)”, pontua o secretario Adjunto-Executivo de Meio Ambiente, Alex Marega.

Mato Grosso é campeão na redução do desmatamento, que o credenciou para receber recursos do Programa REM, projeto internacional que premia as jurisdições pioneiras na Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+).  De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), de 2004 a 2019 o Estado acumula redução de 86% no desmatamento da Amazônia.

Monitoramento

Por meio da Plataforma de Monitoramento da Cobertura Vegetal que utiliza Imagens de Satélite Planet, um sistema de detecção de desmatamento em tempo real de alta resolução que atua no controle e combate em toda a extensão de Mato Grosso, a Sema age de forma preventiva e o serviço de fiscalização consegue identificar a ação no início. O resultado é maior eficiência no combate ao  desmatamento ilegal beneficiando, consequentemente, quem produz de forma lícita.

A ferramenta, que foi contratada pelo REM, por meio do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO), com recursos da Alemanha e Reino Unido, facilita na responsabilização dos proprietários e embargos da área de forma imediata pelo monitoramento diário com imagens e alertas semanais de desmatamento. Os satélites permitem detectar desmates a partir de um hectare e acompanhar a alteração da cobertura vegetal de forma rápida, permitindo dar celeridade na notificação remota.

A tecnologia auxilia a fiscalização ao planejar operações onde a derrubada da floresta está em andamento. Após a notificação via ligação telefônica com objetivo de alertar proprietários de imóveis para que as infrações ambientais não prossigam, as imagens utilizadas para constatar a infração ambiental e relatório técnico são enviadas ao e-mail indicado no sistema Mato-grossense de Cadastro Ambiental (Simcar).

Planejamento e Gestão

A identificação de áreas de pressão é um importante passo para traçar o planejamento de controle e combate ao desmatamento ilegal. Os alertas de desmate são publicados de forma objetiva e possibilita a geração de relatórios e laudos com informações técnicas e precisas em termos de localização, área desmatada e data da ocorrência.

O Comitê Estratégico para o Combate do Desmatamento Ilegal, a Exploração Florestal  Ilegal e aos Incêndios Florestais (CEDIF-MT), que tem como seu presidente o governador Mauro Mendes e é composto por diversos órgãos governamentais, discute e planeja ações contra infrações ambientais. Entre suas funções está o de organizar operações integradas, definir ações de fiscalização com atuações em regiões prioritárias e propor medidas para aprimoramento da legislação ambiental.

Entre os municípios com mais alertas de irregularidades ambientais atendidos pelas equipes de fiscalização da Sema, a partir das Imagens de Satélite Planet, estão Aripuanã, Colniza, Nova Bandeirantes, Peixoto de Azevedo, Apiacás, Juara, Vila Rica, Novo Mundo, Porto Esperidião, Rondolandia e Cuiabá.

Fiscalização

Dos R$ 561 milhões de multas emitidas pela Superintendência de Fiscalização (SUF), por meio da Coordenadoria de Fiscalização de Flora (CFFL) e Gerencia de Planejamento  Fiscalização e Combate ao Desmatamento  (GPFCD), 80% foram aplicadas na região Amazônica, 11,5% no Pantanal e 8,5% no Cerrado. Entre os principais crimes ambientais estão desmatamento ilegal, descumprimento de embargo e exploração florestal.

Uma das maiores, a operação Amazônia Arco Norte, lançada pelo governo de Mato Grosso para o combate de crimes contra a flora, gerou R$116 milhões em multas sendo 91% na região amazônica e embargou 23 mil hectares por desmatamento/exploração florestal.

A fiscalização atua de forma simultânea entre os serviços de inteligência e a presença de técnicos em campo. Os dez municípios com maior índice de multa são, em sequência, Feliz Natal, Aripuanã, Colniza, Itiquira, Nova Maringá, Barão de Melgaço, Paranatinga, Marcelândia, Cuiabá e União do Sul.

Para realizar as operações aéreas contra crimes ambientais em regiões mais distantes do Estado, Mato Grosso ganhou este ano o reforço de um caminhão-tanque. O veículo foi adquirido com recursos do Programa REM e tem capacidade para dois mil litros de combustível, assegurando até 12 horas de autonomia de voo.

Responsabilização

Um das metas da terceira fase do Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e Incêndios Florestais no Estado de Mato Grosso (PPCDIF/MT), que está em vigor, é o aumento da responsabilização pelos crimes e infrações ambientais, por meio de fiscalização e efetividade dos embargos e dar celeridade no julgamento dos processos. Em 2020, foram autuados e embargados 79 mil hectares por desmatamento/exploração florestal.

Os maquinários de porte médio e pesado e outros acessórios rurais flagrados na prática de crimes ambientais passaram a ser removidos do local este ano, efetivando a responsabilização, já que a apreensão de bens promove a descapitalização do infrator. O serviço de disponibilização de caminhões pranchas para retirada dos bens tem recursos do Programa REDD+ para Pioneiros (REM-MT, da sigla em inglês).

Foram apreendidos até o momento em 2020, 65 tratores de pneu, 33 tratores esteira, 1 helicoptero, 14 caminhões, 3 armas de fogo e 2 motosseras.

O programa REM, que tem um importante papel no combate aos crimes ambientais com recursos que auxiliam ações que visam coibir o desmatamento ilegal e conservar a floresta em pé, quer também dar celeridade na fase de responsabilização. Desta forma, a FUBIO está recebendo propostas de empresas especializadas em mapear negócios e desenvolver soluções tecnológicas para automação do processo de responsabilização ambiental para atender ao REM.

Combate aos incêndios florestais

Mato Grosso antecipou o período proibitivo de queimadas na zona rural em todo o Estado para 1º de julho e estenderá até 30 de setembro. Neste período, os proprietários rurais estão proibidos de realizar qualquer atividade de limpeza de pastagem com o uso do fogo. A decisão considera os fatores climáticos e riscos que a poluição do ar traz à saúde humana, especialmente em um momento que o mundo enfrenta uma pandemia de uma síndrome respiratória, a Covid-19.

De acordo com monitoramento realizado pelo INPE, entre 01 de janeiro e 28 de maio, Mato Grosso registrou um aumento de 11,83% dos focos de calor em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto o Brasil e os Estados da Amazônia legal registraram redução de 2,84% e 31,26% respectivamente.

Com alteração no Código Estadual do meio Ambiente, os Bombeiros Militares passaram a ter competência para lavrar auto de infração ambiental em circunstâncias que envolvam queimadas ilegais, incêndios florestais e transporte de produtos perigosos, tóxicos ou nocivos à saúde humana.

O Corpo de Bombeiros já atua de forma integrada com equipes de fiscalização tanto em campo como no monitoramento de focos de calor. A mudança na Legislação aumenta a capacidade de uma resposta rápida e eficiente no ilícito envolvendo queimadas ilegais.

Comunicação

Campanhas em massa que abordam políticas publicas de tolerância zero aos crimes ambientais e ações rápidas e eficientes para responsabilização dos infratores estão sendo divulgadas em todo o estado, mostrando o processo de  envio automático de e-mails, notificação e autuação remota, fiscalização em campo e responsabilização. Também estão sendo realizadas campanhas educativas nos 20 municípios que mais desmatam.

As campanhas estão sendo reproduzidas nos mais diversos meios como TV, sites, rádios, jornais e revistas. O objetivo é alertar proprietários rurais de que as ilegalidades não serão toleradas , conscientizar a sociedade da importância da floresta em pé e mostrar aos investidores que Mato grosso é um estado confiável para investimentos.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Trabalho das forças de segurança vai além das apreensões de drogas

Publicado


.

Desarticular as organizações criminosas que sustentam o tráfico de drogas é uma tarefa que exige a integração das forças de segurança. Além das apreensões de drogas, há também as prisões de pessoas envolvidas e investigações que muitas vezes resultam ne elucidação de outros crimes. Para ter uma ideia, de janeiro a 20 de junho de 2020, a Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE) de Cuiabá efetuou 141 prisões e concluiu quase 400 inquéritos policiais.

“Não são apenas investigações diretamente ligadas ao tráfico, mas tem também o combate à lavagem de dinheiro. Com isso, apreendemos quase 40 veículos, R$ 100 mil em dinheiro vivo, imóveis, fora as outras apreensões feitas por outras delegacias, como a Defron (Delegacia Especializada de Fronteira), por exemplo. É um trabalho importante, pois retira destas organizações a base financeira de sustentação”, explica o titular da DRE, Vitor Bruzulato Teixeira.

Todo material apreendido precisa ser analisado e ter a comprovação técnica. É aí que a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) de Mato Grosso entra em ação. A instituição é responsável pelas análises, seguindo o método da comunidade científica forense mundial, mais especificamente o grupo SWGDRUG (Scientific Working Group for the Analisys of Seized Drugs). É recomendada a realização de, no mínimo, dois exames no material para caracterizá-lo inequivocamente como sendo uma substância proscrita.

Análise em 24 horas

No Brasil, utiliza-se o primeiro exame colorimétrico para caracterização preliminar da droga e um segundo para caracterização definitiva. “Na Diretoria Metropolitana de Laboratório Forense, em Cuiabá, estes dois exames são liberados simultaneamente na grande maioria das apreensões, gerando, portanto, um único laudo com a caracterização definitiva do material, em menos de 24 horas”, detalha o gerente de Perícias em Química Forense da Politec, Ewerton Ferreira Barros.

Para auxiliar a identificação, a Politec possui dois espectroscópicos infravermelhos, sendo um fixo de bancada, que fica no Laboratório Forense, em Cuiabá, e outro portátil na unidade de Pontes e Lacerda, este último adquirido em parceria com o Ministério Público da cidade. O equipamento é utilizado para fazer o segundo exame, caracterizado como definitivo. Atualmente, compõem a Gerência oito peritos criminais e seis técnicos de laboratório, que são responsáveis por realizar todos estes exames.

Ewerton Barros conta que a maioria das drogas apreendidas é misturada com outras substâncias de menor custo para aumentar o volume. “São os chamados ‘diluentes’ e ‘adulterantes’. Isto ocorre em maior número com a cocaína, já que é uma droga cara e pode ser facilmente adulterada sem alterar sua característica visual. Os diluentes mais comum em nossa região são o ácido bórico, bicarbonato de sódio, amido, fermento biológico, entre outros”.

Incineração

Enquanto o material é analisado pela Politec, a Polícia Judiciária Civil (PJC-MT) solicita autorização judicial para incinerar a droga, que é o processo de queima. Os policiais recebem o entorpecente de volta, já lacrado e devidamente identificado pela perícia, com um número próprio de identificação. Este procedimento evita qualquer alteração e/ou desvio dos pacotes, que ficam armazenados pelo menor tempo possível, até que a autorização para incineração seja expedida.

Este ano, a DRE já incinerou duas toneladas de droga, que são resultantes de apreensões feitas em Cuiabá e Várzea Grande. No interior do estado, cada delegacia é responsável pelo procedimento. “Toda a parte da queima é acompanhada tanto pela Politec, que faz a conferência dos lacres e do material, como também o Ministério Público Estadual (MPE), Poder Judiciário, e a Vigilância Sanitária, que checa se as normas sanitárias estão sendo cumpridas”, explica o delegado Vitor Bruzulato.

Leilão de bens

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), por meio da Adjunta de Justiça, tem promovido leilões de bens apreendidos em ações de combate ao tráfico de drogas. O que está em andamento possui 15 lotes, cuja expectativa é arrecadar ao menos R$ 500 mil para o Fundo Nacional Antidrogas (Funad). Cerca de 40% desse valor deve ser revertido à Sesp-MT para aplicar no combate e prevenção às drogas.

Em razão da pandemia da COVID-19, o leilão foi marcado para ser totalmente eletrônico pelo site www.majudicial.com.br, no dia 29 de junho, às 10h (horário de Brasília) e 9h (horário de Cuiabá). No lote há, entre outros bens, uma aeronave EMB-810D com capacidade para cinco passageiros, avaliada em R$ 720 mil, mas o lance inicial está proposto em R$ 360 mil. O avião era utilizado pelo Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) da Sesp-MT. Clique AQUI para ler o edital.

Além deste, já foram promovidos outros dois leilões neste mês de junho, pelo Funad e o Fundo Estadual sobre Drogas (Funesd/MT). Juntos, arrecadaram R$ 1,050 milhão, valor 112% maior que ambos os valores iniciais, que somavam cerca de R$ 495 mil. A secretária adjunta de Justiça, Lenice Barbosa, explica que até 40% do valor arrecadado para o fundo nacional deve ficar em Mato Grosso, ou seja, cerca de R$ 391 mil.

Já no leilão do Fundo Estadual sobre Drogas, foram 232 lances para os 14 lotes e 39 compradores participaram da disputa. Ao todo foram arrecadados R$ 71,1 mil, e o valor inicial era de R$ 34 mil, 108% a mais. “Nós temos buscado promover a venda dos bens apreendidos pelo tráfico de drogas e reverter esse recurso em prol da sociedade, com investimentos em políticas de repressão e prevenção às drogas”, destaca. 

Imóveis do tráfico

Neste ano, a Sesp já havia realizado outros dois leilões de bens de produtos apreendidos com traficantes e fez com que a Secretaria Adjunta de Justiça conseguisse R$ 1,5 milhão em recursos. Por meio de projetos junto à Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), a Politec conseguiu R$ 2,6 milhões em recursos para financiar equipamentos de alta tecnologia para confeccionar laudos definitivos de drogas. A Secretaria de Estado de Segurança Pública deve leiloar futuramente 12 imóveis apreendidos, como casas, fazendas, sítios e chácaras utilizados por traficantes de drogas. Com a venda desses bens, a expectativa é arrecadar cerca de R$ 13 milhões.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana