conecte-se conosco


Mato Grosso

Profissionais da saúde participam de seminário sobre acidentes de trabalho com material biológico

Publicado

Cerca de 200 profissionais da saúde participam, nesta quinta e sexta-feira (29 e 30.08), do 1º seminário sobre “Prevenção e Minimização de Acidentes de Trabalho com Exposição a Material Biológico”. O evento é realizado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) em parceria com o Conselho Regional de Medicina (CRM-MT).

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) mostram que, entre 2016 e agosto de 2018, cerca de 2.410 casos de acidentes envolvendo sangue e outros fluidos biológicos foram notificados em Mato Grosso. A maior parte dos acidentados eram enfermeiros.

Segundo o secretário adjunto de Atenção e Vigilância em Saúde da SES-MT, Juliano Melo, 80% dos profissionais acometidos por estes acidentes não tomam as medidas necessárias, como testagem e uso de medicação adequada, por falta de conhecimento.

“Esse seminário é para tentar alinhar os fluxos, dar conhecimento aos nossos profissionais do interior, de Cuiabá e Várzea Grande quanto à importância e necessidade de estabelecer um roteiro para atender seus próprios profissionais dentro das unidades. Existe uma série de protocolos que devem ser seguidos”, pontuou.

A coordenadora do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, Lauren Cristiane Leite, explica que os profissionais da saúde trabalham em ambientes insalubres e estão rotineiramente expostos aos agentes causadores de doenças infectocontagiosas; eles vivem um risco maior de adquirir Hepatite B (HBV), Hepatite C (HCV) e HIV do que a população em geral, uma vez que atuam na prestação de cuidados, de emergência, em salas cirúrgicas e laboratórios. Os profissionais de limpeza desses ambientes também estão expostos aos riscos, visto que recolhem os resíduos infectantes, dentre eles os perfurocortantes.

“Esse tipo de acidente ocupacional é considerado emergencial e de notificação compulsória, devendo ser registrado no Sinan, e o tratamento precisa ser iniciado logo após a ocorrência do fato para que possa ser eficaz”, destaca Lauren.

Contexto

No evento, os protocolos de atendimento e cuidado foram esclarecidos pela médica especialista em medicina do trabalho, Marina Azene. Ela apresentou a Norma Regulamentadora n° 32, que estabelece as diretrizes básicas para a implementação de medidas de proteção à segurança e à saúde dos trabalhadores da Saúde.

O vice-presidente do CRM, Pedro Luiz Reis Crotti, levou para o seminário dados de um estudo realizado por profissionais da saúde do Hospital Universitário Júlio Muller. Para ele, o resultado da pesquisa foi assustador. Dos 148 trabalhadores entrevistados, 46,6 % relatou já ter sofrido exposição a um material biológico potencialmente contaminado – destes, 60, 9% registraram a ocorrência.

“Esses acidentes causam doenças que podem levar ao afastamento do serviço. É preciso que eles tomem cuidados. Recentes pesquisas mostram que muitos profissionais da saúde, que tem conhecimento vasto do tema, continuam se machucando. Se profissionais bem preparados se machucam, imagine aqueles que não são bem preparados ou que não tem essa consciência”, argumentou Crotti.

Claudia Soares, 40 anos, é dentista e sabe como é o medo de alguma contaminação por material biológico. Há 20 anos, ao atender um paciente, ela se feriu com o bisturi. Na época, ela seguiu as orientações do local de trabalho e realizou todo procedimento de prevenção. “O paciente e eu fizemos todos os procedimentos. Tomamos coquetel por precaução e deu tudo certo”, conta Claudia, que se inscreveu no seminário a fim de atualizar as informações que tem a respeito do tema.

O seminário

O grupo volta a se encontrar nesta sexta-feira, das 8h e às 17h, com diversos temas, como notificação de acidente de trabalho envolvendo esses materiais biológicos; protocolo pós-exposição a acidente e relatos da rede estadual, municipal de Cuiabá e de Várzea Grande.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

“Virginia Mendes está construindo uma nova história de valorização e respeito aos indígenas”, afirma cacique Rony

Publicado


A primeira-dama do Estado de Mato Grosso, Virginia Mendes, esteve nesta terça-feira (01.12), pela terceira vez, na aldeia Wazare, no município de Campo Novo do Parecis, localizada a 390 km de Cuiabá. Ela entregou 500 cestas básicas, 500 cobertores e 300 brinquedos para as crianças da comunidade indígena local, incluindo 12 aldeias de três etnias (Haliti-Paresi, Manoki e Nambikwara).

A ação faz parte do programa “Vem Ser Mais Solidário”, que vai distribuir um total de 4 mil kits de alimentos, materiais de limpeza e higiene pessoal, contemplando ainda as comunidades indígenas de Juína e Campinápolis.

Os índios de Campo Novo do Parecis, da etnia Haliti-Paresi, receberam a primeira-dama, a sua filha Maria Luiza e uma comitiva de representantes do Governo do Estado. Na ocasião, elas participaram de cerimônias e se caracterizaram com vestimentas próprias para rituais de purificação e fortalecimento de fé.

“É com grande alegria que recebemos a primeira-dama do Estado pela terceira vez. Estamos muito contentes de poder acompanhar o trabalho que ela vem realizando para a comunidade indígena. Virginia Mendes está fazendo história em Mato Grosso, com tamanha valorização e respeito aos povos indígenas”, disse o cacique da aldeia Wazare, Roni Paresi.

A primeira-dama ressaltou a satisfação de poder retornar à aldeia Wazare. “Tenho um carinho especial pela comunidade indígena. Na aldeia Wazare sempre fui bem recebida. Os alimentos e brinquedos que doamos hoje são o mínimo que podemos fazer para esse público. Quero estreitar e fortalecer ainda mais as ações sociais em benefício dos nossos povos indígenas.”

A secretária de Assistência Social e Cidadania (Setasc), Rosamaria Carvalho, que tem coordenado todas as iniciativas lideradas pela primeira-dama, declarou que intenção é oferecer as mesmas oportunidades para as comunidades indígenas.

“O Vem Ser Mais Solidário também chegou nas aldeias. E os nossos irmãos indígenas merecem o mesmo respeito e acesso às ações do Estado. A entrega de brinquedos para as crianças indígenas foi uma forma de dizer que os menores também são lembrados pelo governo”.

A pequena Maiara não escondia a felicidade de ter recebido uma Barbie como presente. Além do brinquedo, ela também recebeu uma sacola com chocolates e outras guloseimas. “Eu queria agradecer a primeira-dama pelo presente”, acrescentou Lara Marcela, outra criança atendida com as doações.

O prefeito do município, Rafael Machado, pontuou que as ações da primeira-dama têm beneficiado muitas comunidades indígenas. “É muito gratificante  tê-la aqui novamente, mostrando um carinho especial para os indígenas”.

Agnaldo Santos, superintendente de Assuntos Indígenas da Casa Civil, acrescentou que todas as ações são acompanhadas de perto por Virginia e pelo governador do Estado, Mauro Mendes. A previsão, segundo ele, é atender todos os 128 municípios que têm comunidades indígenas. “Vamos entregar mais de 25 mil cestas básicas para 43 etnias que abrigam cerca de 120 mil índios”.

Durante a visita da primeira-dama, as mulheres indígenas da aldeia Wazare apresentaram os trabalhos e as ações realizadas na comunidade. A esposa do cacique, Valdirene Paresi, destacou a importância da visita para estreitar o diálogo com o Governo do Estado.

“Estávamos ansiosos pela vinda da primeira-dama. É uma oportunidade para que ela conheça os nossos projetos e para que possa nos apoiar nas iniciativas que planejamos para a comunidade. Como mulher ela tem essa sensibilidade e queremos que ela nos apoie em projetos de geração de renda para as mulheres”, afirmou a líder indígena.

Nesta primeira entrega participaram lideranças indígenas de 12 aldeias:  Wazare, Katyola, Salto da Mulher, Chapada Azul, Bakaval, Vale do Rio Papagaio, Quatro Cachoeiras, Marekua, Seringal, Sacre 2, Utiariti e Bakaioval. Também estavam presentes representantes de Coophanama, Cooparesi e Associações Wayamare e Halitina.

Outras doações

No dia 02 de dezembro, as doações beneficiarão os índios de Halataikwa, em Juína (a 742 km de Cuiabá). A agenda será finalizada na quinta-feira, 3 de dezembro, com as doações na Aldeia Santa Clara, em Campinápolis, (a 475 km da capital). 

Vem Ser Mais Solidário

O “Vem Ser Mais Solidário” foi criado com o objetivo de amenizar o sofrimento das pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social. Iniciada em abril deste ano, a ação já realizou a distribuição de 330 mil cestas básicas, beneficiando mais de 1,7 milhão de pessoas carentes em todo Mato Grosso. O Governo do Estado, através do programa Mais MT, direcionou R$ 42 milhões em recursos para que a campanha seja permanente.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Delegacia Virtual apresenta novo layout e possibilita registros por smartphones

Publicado


Para facilitar ainda mais o acesso do cidadão aos serviços ofertados pela Delegacia Virtual, a Polícia Civil desenvolveu um novo layout, que trouxe mais modernidade para a unidade online.

A partir desta terça-feira (1°.12), a Delegacia Virtual apresenta um novo layout da página e traz também a possibilidade de registrar boletins de ocorrência por meios eletrônicos móveis como smartphones e tablets, o que não era possível quando foi criada.

O site da Delegacia Virtual (www.delegaciavirtual.mt.gov.br) passou por remodelagem e foi adequado para funcionar em aparelhos celulares, facilitando o registro de boletim de ocorrência ao cidadão.

Pela página é possível registrar ocorrências de extravio ou furto, furto de celular, exercício ilegal da profissão, desaparecimento de pessoas, calúnia, injúria, difamação, constrangimento ilegal, ameaça, violação de domicílio, denúncias, além do pré-registo de qualquer tipo de crime, que posteriormente deve ser validado através dos números de telefones fornecidos no site. 

O coordenador de Tecnologia da Informação (Coti) de Polícia Civil, Fábio Arruda Ferreira, explica que o novo layout e a possibilidade de registro pelos meios móveis trarão mais facilidade ao cidadão no registro de ocorrências, uma vez que a tendência é que cada vez mais as pessoas façam os boletins na forma virtual. 

“O novo layout e a mudança de algumas nomenclaturas é um preparo para futuramente trazer novas modalidades de registros de ocorrência como de crimes virtuais e pedidos de medidas protetivas”, disse.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana