conecte-se conosco


Direitos Humanos

Profissionais da beleza aprendem a orientar sobre violência doméstica

Publicado

O programa Mãos emPENHAdas contra a Violência, lançado nesta segunda-feira (12) no Rio de Janeiro vai capacitar profissionais de beleza para orientar clientes de salões e clínicas de estética sobre onde buscar ajuda em casos de violência doméstica.

A iniciativa é uma parceria entre o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, o Serviço Nacional do Comércio (Senac) e o Serviço Social do Comércio (Sesc) e tem o objetivo de difundir, de forma preventiva, informações sobre a Lei Maria da Penha, que completou 13 anos na semana passada, e sobre a rede de apoio à mulher vítima de violência doméstica.

A coordenadora da Mulher do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, juíza Jaqueline Machado, idealizadora do projeto, disse que o a iniciativa surgiu diante da percepção de que há, na sociedade, muita dificuldade em fazer as informações chegarem às mulheres vítimas de violência. “Sobre a rede de atendimento, onde e quando procurar ajuda, quando estavam em situação de risco ou num relacionamento abusivo”, explicou a juíza, ao falar sobre essas dificuldades.

Segundo Jaqueline, a profissional de beleza não acompanha a vítima até a rede de atendimento. “Ela informa a vítima, com materiais que a gente deixa nos salões, sobre os locais a que ela pode ir, o que é violência, quais os tipos de violência. Existem vários relatos sobre vítimas que foram encaminhadas à Casa da Mulher Brasileira [centro especializado multidisciplinar para atendimento da mulher vítima de violência doméstica] por intermpedio do profissional que as atendeu no salão.”

Leia Também:  CPI da Alerj debate interligação de dados sobre proteção à mulher

De acordo com a juíza, o programa começou em 2017 rm Mato Grosso do Sul, capacitou 45 salões no estado e já foi replicado em estados como São Paulo, Pará, Piauí, Paraná e Pernambuco. Agora, os cursos profissionalizantes do Senac estão passando as informações na formação dos cabeleireiros, maquiadores, manicures e técnicos. “É informação correta que está sendo disseminada”, afirmou.

“No dia a dia do salão, a gente sabe, a gente ouve muita coisa. Ouve mulheres comentando sobre sua situação, seu relacionamento. Então, é um ambiente informal onde ela começa a ter acesso a tudo isso, e é mais fácil porque aqueles profissionais não vão ficar julgando a pessoa e vão dar as orientações, para que ela mulher entenda a situação em que se encontra”, acrescentou Jaqueline.

A promotora de Justiça Somaine Cerruti, coordenadora da área criminal do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, ressaltoiu que a violência contra a mulher afeta toda a família. “A vítima mulher é uma das vítimas que mais nos são caras, porque aquele crime que acontece dentro de casa, no seio da família, acaba afetando a família como um todo, não só aquele núcleo familiar, mas a família estendida, as crianças. Então, o Ministério Público tem uma atuação muito grande no trato das vítimas e das mulheres”, disse Somaine.

Leia Também:  ONU marca um ano do acolhimento de venezuelanos no Brasil

Segundo Somaine, o projeto é importante para disseminar informações. “É uma iniciativa que procura chegar às pessoas, no lugar que elas frequentam no dia a dia, para esclarecer como agir quando elas, ou alguém querido, alguém próximo, está em uma situação de violência doméstica. Disseminar informação é fundamental, porque não adianta ter leis que protejam, essas leis precisam ser aplicadas. A gente precisa de uma mudança social.”

No Rio de Janeiro, os especialistas da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar começarão a capacitar 120 instrutores dos cursos do Senac a partir da próxima segunda-feira (19). Eles atuarão como multiplicadores junto aos alunos da instituição.

Edição: Nádia Franco

EBC
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Direitos Humanos

Campanha Natal sem Fome é lançada no jogo entre Vasco e Chapecoense

Publicado

A organização não governamental (ONG) Ação da Cidadania, criada pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, em 1993, lança hoje (8) a campanha Natal Sem Fome 2019 no estádio do Maracanã, em parceria com o Clube Vasco da Gama.

A campanha será lançada no jogo entre Vasco e Chapecoense, marcado para as 16h, no Maracanã, válido pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Voluntários da Ação da Cidadania, vestidos com camisetas da ONG, estarão nos acessos dentro do estádio para receber as doações dos torcedores. “No caso do Vasco, estamos contando com toda a mobilização dos torcedores, para que a gente possa bater o recorde [de doações]”, disse à Agência Brasil o filho de Betinho, Daniel de Souza, presidente do conselho da ONG.

A meta do Natal sem Fome é arrecadar 2 mil toneladas de alimentos não perecíveis este ano.

Daniel lembrou que, recentemente, o Vasco bateu o recorde de inscrição de sócios torcedores. Ele acredita que esse movimento também pode se reverter em mais doações de alimentos para a campanha e, com isso, um maior alcance de famílias que vivem em situação de insegurança alimentar em mais de 20 estados brasileiros.

Leia Também:  Maioria dos consumidores paulistas diz que já foi discriminado

“A ideia é que cada torcedor possa levar um ou mais quilos de alimento não perecível”.

No dia 4 de dezembro, a campanha arrecadou uma tonelada de alimentos não perecíveis nas partidas entre Botafogo e Atlético Mineiro, no Engenhão, e Fluminense e Fortaleza, no Maracanã.

Solidariedade

O vice-presidente social do Vasco da Gama, Marcos Macêdo, acredita que “a mesma força demonstrada pelos torcedores vascaínos neste fenômeno mundial de associações ao clube impulsionará esta campanha em benefício de nossos irmãos. A fome tem pressa e o trem-bala da colina está à disposição para ajudar”.

Botafogo

Também serão arrecadados alimentos hoje no estádio do Engenhão, onde Botafogo disputa uma partida contra o Ceará, às 16h.

Segundo Daniel Souza, o youtuber (criador de conteúdo do YouTube) Felipe Neto, torcedor do Botafogo, deu um reforço à campanha. Ele gravou um ‘story’ (recurso para chamar a atenção da audiência) no qual pedia que todos os jogadores e torcedores do Botafogo levassem alimentos não perecíveis ao Engenhão. “A gente está com uma expectativa grande porque ele tem 12,5 milhões de seguidores”, destacou Daniel Souza.

Leia Também:  CPI da Alerj debate interligação de dados sobre proteção à mulher

Os alimentos arrecadados serão distribuídos pelos comitês da região metropolitana do Rio de Janeiro no dia 21 de dezembro. Para fazer doações em espécie que serão revertidas em cestas básicas é possível acessar o site da campanha. No mesmo endereço, as pessoas interessadas podem acessar a lista de postos de coleta espalhados por todo o país onde poderão levar alimentos para doação.

 

Edição: Lílian Beraldo

EBC
Continue lendo

Direitos Humanos

Atentado na BR-262 mata índios Guajajara no Maranhão

Publicado

A Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular do Maranhão informou hoje (7), no Twitter, que está acompanhando, com a Secretaria de Segurança Pública e representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai), o atentado contra lideranças indígenas Guajajara, ocorrido neste sábado na BR-226, entre as aldeias Boa Vista e El Betel.

Até agora, de acordo com a secretaria, duas mortes foram confirmadas. Dois índios ficaram feridos.    

A secretaria informa ainda que os feridos foram encaminhados ao hospital, com o apoio do Distrito Sanitário Especial do Maranhão.

O governo do Maranhão comunicou o caso à Polícia Federal (PF) e pediu providências.

Uma equipe da Secretaria dos Direitos Humanos já está a caminho de Jenipapo dos Vieiras, município onde ocorreu o atentado.

A Secretaria de Segurança e as polícias Civil e Militar também atuam no caso.

Pelo Twitter, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, lamentou o atentado e disse que a Funai e Polícia Federal foram acionadas e vão tomar as devidas providências. 

“Lamento o atentado, ocorrido hoje no Maranhão, que terminou com dois índios guajajara mortos e outros feridos. Assim que soube dos tiros, a Funai foi até a aldeia tomar providências, junto com as autoridades do governo do Maranhão. A PF já enviou uma equipe ao local e irá investigar o crime e a sua motivação. Vamos avaliar a viabilidade do envio de equipe da Força Nacional à região. Nossa solidariedade às vítimas e aos seus familiares”, afirmou Moro. 

Edição: Graça Adjuto

EBC
Leia Também:  Brasil já reconheceu mais de 11 mil refugiados até 2018, diz Conare
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana