conecte-se conosco


Política MT

Primeiro-secretário diz que ALMT aguarda aval do TCE para efetuar repasse de R$ 3,5 milhões para a Santa Casa

Publicado

De acordo com Max Russi, o cuidado da ALMT é para que o repasse não caracterize uma irregularidade administrativa

Na mesma linha do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), o primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado estadual Max Russi (PSB), entende que a reabertura da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, que paralisou os atendimentos de média e alta complexidade, ou seja, que fechou suas portas há mais de 40 dias na Capital do Estado, é um problema de todos.

“A questão da Santa Casa é problema de todos. Lógico que é uma instituição particular, mas tem recursos públicos lá. Todo mundo tem que ter uma preocupação. São vários leitos de UTI que estão fechados e a gente precisando de UTI todo dia”, desabafou.

O primeiro-secretário do Parlamento explica que a Assembleia só irá liberar recursos para a Santa Casa se for para o pagamento de funcionários, que estão sem receber seus vencimentos há sete meses. “O interesse é fazer o repasse direto aos servidores. Se for passar para o governo do Estado, Prefeitura, e esse dinheiro não chegar lá ou não ser pago os servidores, a Assembleia não tem disposição nenhuma em fazer. Esse é o encaminhamento”, afirmou Max Russi.

Leia Também:  Governadores formam pauta única; Fundeb, Lei Kandir e plano de recuperação fiscal estão na proposta

Conforme Max Russi, os R$ 3,5 milhões que a Assembleia Legislativa pretende destinar, caso sejam enviados para a Santa Casa, dariam para pagar cerca de duas folhas de pagamento dos funcionários. Neste momento, segundo Russi, a Assembleia Legislativa tenta, numa consulta ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), uma amarração para destinar os recursos. O parlamentar adiantou que o cuidado da ALMT é para que o repasse não caracterize uma irregularidade administrativa.

“A gente não conseguiu, ainda, encontrar essa construção. Inclusive a Janaina tinha marcado uma reunião na Vara do Trabalho, para ver se consegue fazer algo nesse sentido. A Assembleia tem interesse de participar para pagar os servidores. E não seriam nem os médicos em um primeiro momento, seriam os servidores enfermeiros, técnicos, serviços gerais, enfim, aqueles que ganham menos”, informou o parlamentar.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

Oscar Bezerra toma posse na ALMT com licença de Faissal Calil

Publicado

Posse foi durante a sessão matutina desta quarta-feira e será por um período de 120 dias

A deputada Janaína Riva (MDB) empossou durante sessão legislativa na manhã desta quarta-feira (21), na Assembleia Legislativa, o suplente de deputado e ex-deputado Oscar Bezerra (PV), na vaga do deputado Faissal Calil, que se afasta das atividades parlamentares por um período de 120 dias para tratamento de saúde.

Na ocasião, Janaína Riva, que presidia a sessão, suspendeu o pequeno expediente e convidou os deputados Dr. João (MDB) e Silvio Fávero (PSL), para encaminhar o suplente de deputado ao plenário, para prestar juramento e assumir a vaga devido a licença de Faissal.

Na tribuna, Oscar Bezerra fez o juramento. “Prometo desempenhar fiel e lealmente, o mandado que me foi conferido, guardar a Constituição Estadual e Federal, e servir a minha pátria, promovendo o bem geral do Estado de Mato Grosso, assim eu prometo”, declarou.

Com a posse do ex-prefeito de Juara e ex-deputado estadual Oscar Bezerra, o Vale do Arinos volta a ter dois deputados estaduais durante o período de licença do deputado Faissal Calil. O próprio Oscar e a deputada e reeleita e vice-presidente da Assembleia Legislativa, Janaína Riva.

Leia Também:  Deputado participa de visita da Comissão de Saúde em Rondonópolis

Oscar Bezerra disputou a reeleição no ano passado, mas não conseguiu se reeleger, ficando com 11.827 votos, o que lhe garantiu a suplência. O deputado Faissal Calil, que se licencia, fez questão de argumentar na semana passada, quando anunciou a licença em plenário, que o seu afastamento não será remunerado.

Continue lendo

Política MT

Governo promete pagar salários de 5 mil servidores que tiveram ponto cortado devido a greve na próxima terça-feira

Publicado

Reunião com o Sintep foi realizada na manhã desta quarta-feira. Governo alega que escolas não cumpriram prazo para envio de documentação

O Governo do Estado recebeu a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) nesta quarta-feira (21), no Palácio Paiaguás, para equalizar as questões referentes ao pagamento do ponto que havia sido cortado durante o período de paralisação dos servidores. Uma folha suplementar será paga na próxima terça-feira (27), com os valores dos meses de maio, junho e julho.

Inicialmente, o acordo para o encerramento da greve previa o pagamento dos pontos de maio e junho, no dia 20 de agosto, e dos meses de julho e agosto, no dia 10 de setembro. Com uma readequação, foi possível a quitação de todos os meses de ponto cortado já na última terça-feira (20).

No entanto, 138 escolas não cumpriram o prazo de envio – que era até o dia 12 de agosto – da documentação dos funcionários que retornaram da paralisação, assumindo o compromisso de reposição das aulas perdidas com a greve, e cerca de cinco mil servidores ficaram de fora do pagamento do dia 20.

Leia Também:  Deputado participa de visita da Comissão de Saúde em Rondonópolis

“A Secretaria de Educação tomou conhecimento da questão e já deu início ao levantamento e diagnóstico daqueles que ficaram sem receber. Até quinta-feira (22) este levantamento estará finalizado e encaminhado para a elaboração da folha, que será quitada no dia 27”, explicou a secretária de Educação, Marioneide Kliemaschewsk.

“É muito importante frisar que nos adiantamos ao acordo e todos os dias de ponto cortado estão sendo quitados nesta folha suplementar, com 20 dias de antecipação. Os salários de agosto serão pagos dentro da folha, normalmente, no dia 10 de setembro”, completou a gestora.

Durante a reunião com o Sintep, o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, pontuou a necessidade de Governo e servidores unirem esforços em prol do Estado. De acordo com ele, somente com o engajamento de todos será possível fazer com que Mato Grosso volte a se desenvolver.

“Precisamos virar essa página e contamos com a ajuda de todos os servidores para reconstruir o Estado. Queremos uma educação melhor, assim como saúde, segurança pública e todos os serviços oferecidos à população. Não tem como um governo ter sucesso se não estiver junto com os servidores e acredito que, com o engajamento de todos, iremos fazer a diferença”, declarou Carvalho.

Leia Também:  Produtores de algodão temem que redução de incentivos fiscais prejudique o setor e gere desemprego

O presidente do Sintep, Valdeir Pereira, disse que a reunião foi positiva no sentido de aparar arestas e dirimir questionamentos a respeito dos pagamentos dos servidores da Educação.

“Viemos para checar as informações e peço que o Governo mantenha sempre o diálogo aberto com a categoria e com os servidores da forma como está fazendo”, afirmou Pereira, no que foi prontamente ratificado pelo chefe da Casa Civil. Também participou da reunião o secretário de Planejamento e Gestão, Basílio Bezerra.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana